Topo
pesquisar

Viver o Momento

Religião

porque deixamos de viver o momento, fugir da vida, ansiedade, como assumir a postura de donos de nossas vidas e saber o dever...

É fato que a cada início de ano devemos projetar e idealizar o que queremos para nós, agindo desta forma firmamos nossos objetivos que por sua vez serão alimentados e cultivados por nossos pensamentos, atraindo irresistivelmente para nós, no tempo oportuno, as realizações por nós idealizadas.

Não obstante, mesmo colocando em prática tais procedimentos as pré-ocupações nos tiram do foco principal e, assim deixamos de viver o momento, perdendo-nos.

Cada minuto de nossas vidas nos faculta aprendizado e prática, registrando, tanto em nosso cérebro como em nosso espírito, todos os acontecimentos vividos.

Entretanto costumamos colocar tudo no piloto automático e deixar a vida passar, não demanda esforço algum, ou seja, fazemos tudo aleatoriamente, de qualquer jeito e sem prestar atenção. Temos o foco no que almejamos, mas, no percurso não, e é um grande erro. Quantas vezes cometemos falhas, ações e atitudes erradas justamente por não termos registrado, “estávamos no piloto automático”, ou seja, não prestamos atenção, deixamos tudo acontecer sem esforço ou querer. 

Estando desta forma é porque queremos fugir da vida e o pior é que são estes momentos que requerem mais atenção, por serem os mais difíceis. Porém, geralmente só queremos viver as ocasiões fáceis e que o dia acabe o mais rápido possível, fugimos de análises e tomadas de decisões, e se algo acontecer, fingimos não ver. O nosso foco é mais no passado e no futuro.

Outras vezes a ansiedade toma conta de nós, queremos somente ver o desfecho final dos acontecimentos, os nossos objetivos. O presente passa despercebido e indiferente, só temos olhos para o futuro.

Contudo, o percurso que é o mais importante para nós, posto que nos trás  muitos aprendizados, nós anulamos.

Vivemos muito atrelados ao passado e ao futuro. O presente que é o mais importante e que fará a diferença, por ser a ação boa ou má que atrairá a reação da mesma, nós abolimos.

Há uma vivência muito interessante de se fazer: é chamar a nossa atenção nos perguntando:

Onde estou agora, e o que estou fazendo?

Com esta pergunta somos levados a responder a nós mesmos, exatamente onde estamos e o que estamos fazendo, cairemos na real, prestaremos atenção e sentiremos o dever da concentração. Isto nos fará acordar e ver se o que estamos fazendo está certo ou necessita de mais atenção. Muitas vezes estamos conversando com alguém, mas não estamos ali, outras vezes somos apáticos onde conclama nosso esforço, sendo maldosos...

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Necessitamos assumir a postura de donos de nossas vidas e saber o nosso dever, que é acertar mais, mudando o passado, presente e futuro para melhor.

Mas vejamos, não podemos ficar esperando que o ano seja melhor, é preciso “ fazer com que ele seja melhor” e, conseqüentemente, numa ascendente será melhor a cada dia, a cada ano...

Temos que objetivar e projetar sim nosso futuro, mas temos que viver o momento, porque ele é que contará para o registro das ações, bem como o recebimento das reações. Como já dizia Platão “mente sã, corpo são”. Mente positiva atrai cura, abundância, prosperidade, bem estar, saúde etc.

Deixemos o passado de lado porque não são os nossos erros que nos arruínam e sim o pensar neles. O que passou é passado, não importa, o importante é que o presente seja diferente na qual atrairemos um futuro surpreendente.

Sigmund Freud, pai da Psicanálise, dizia que a nossa mente é como um iceberg que flutua na superfície de um oceano, mas somente vemos a parte da superfície da água para cima, é o nosso consciente. A parte mais importante e robusta que é a que fica abaixo da superfície, nós não a vemos, é o nosso inconsciente, onde estão contido nossos pensamentos, sentimentos, desejos, lembranças, agonias, incerteza, neuras..., estes são os nossos maiores problemas.

Devemos ir até o fundo do nosso ser e tratar esses icebergs da forma correta, através do policiamento de nossas ações aproveitando todos os  momentos para colocar em prática o que de melhor estamos aprendendo, será justamente isto que nos fará conseguir ou não o que realmente desejamos.

Façamos a limpeza do porão do nosso ser, somos como o diamante, pedra preciosa na sua essência, mas tem que ser lapidado e passar por  muitos atritos até que se torne uma pedra preciosa. Assim como o diamante somos nós, somos todos seres maravilhosos, mas, necessariamente necessitamos ser lapidados através das dificuldades e aprendizados da vida para aflorar a nossa beleza interior. Fomos criados justamente para atingirmos a perfeição, o tempo necessário para esta lapidação será definido  e controlado por nós mesmos.

Ainda há necessidade de perguntarmos se devemos aproveitar o momento?

No amor e na luz
Leontina Rita Acorinti Trentin


Publicado por: Leontina Rita Aocrinte trentin

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do Brasil Escola, através do canal colaborativo Meu Artigo. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
MeuArtigo Brasil Escola