Topo
pesquisar

Antropologia - Micro Comércio

História

Micro comércio: sua dinâmica diária, levantamento superficial da ocupação física, englobando todo o processo que envolveu o estabelecimento comercial, e a comunidade desde sua fundação até momento da presente pesquisa.

RESUMO

Este trabalho tem como objeto de estudo, um micro comércio localizado no conjunto habitacional Buriti em Campo Grande MS, denominado, “Dudu Pastelaria”, data sua fundação no ano de 2015. Foi feito um levantamento e uma caracterização socioeconômica como seu proprietário. A pesquisa incorporou um questionário com dez perguntas acerca do estabelecimento e sua dinâmica diária, e um levantamento superficial da ocupação física, englobando todo o processo que envolveu o estabelecimento comercial, e a comunidade desde sua fundação até momento da presente pesquisa.

PALAVRAS-CHAVES:  Micro Comercio em comunidades periféricas.

ABSTRACT

This work has as object of study a small commerce created in Buriti housing in Campo Grande MS, hereinafter called "Dudu Pastelaria", which was founded in the year 2015. A survey and a socioeconomic characterization were made as its owners. The research incorporated a questionnaire with ten questions about the establishment and its daily dynamics and a superficial survey of the physical occupation, encompassing the whole process that involved the commercial establishment and the community from its foundation to the moment of the present research.

KEYWORDS: Micro Commerce in peripheral communities.

1 – INTRODUÇÃO

Este projeto procurou analisar um pequeno estabelecimento comercial, para este relatório, a pesquisa de campo foi realizada em uma pequena pastelaria situada em uma comunidade periférica. O Conjunto habitacional Buriti, por sua vez, é um bairro da cidade de Campo Grande no Estado do Mato Grosso do Sul, com população aproximada de sete mil habitantes. Em meados de 1982 recepcionou seus primeiros moradores. Na atualidade, tem toda infraestrutura necessária para uma boa qualidade de vida. Nosso objeto de estudo é destino certo para muitos moradores dessa comunidade, neste estabelecimento são facilmente encontrados produtos, tais como, comidas da culinária local e umas variedades de bebidas. De um modo geral, esse estabelecimento comercial vende os mais variados itens, abarcando em seu cardápio, porções, refeições, bebidas em gerais, e o mais importante, o “pastel”. Números da empresa cujo proprietário me revelou, é que, as vendas são estimadas R$ 168.000,00 reais por ano, numeros refrente 2015/2016, numeros que já foi superado para 2016/2017. Os dados aqui levantados registram apenas tendências, por isso, não tenho o propósito de responder a estas questões, mas sim o de apresentar o que representa este  pequeno comercio na comunidade em que está inserido.

[...]o empreendedorismo é uma revolução silenciosa, que será para o século XXI mais do que a Revolução Industrial foi para o século XX.  Jeffry Timmons.

2 – METODOLOGIA

Inicialmente foi realizado um primeiro contato com o proprietário do estabelecimento onde me revelou algumas estatísticas relevantes à estrutura física das instalações. Ficou previamente acertado que método de pesquisa seria aplicado. Após esse primeiro contado ficou decidido que a pesquisa seria feita através de um questionário contendo dez perguntas, que foram respondidas oralmente através de uma tomada de vídeo.

No momento da gravação havia 10 clientes no estabelecimento e apenas três concordaram em participar desta pesquisa desde quando não fossem filmados. Desse modo, foram entrevistados todos os clientes que se dispuseram a colaborar, ou seja, foi preenchida satisfatoriamente a única questão voltada para opinião dos freqüentadores do local, as outras nove questões são votadas em abordar a dinâmica e suas peculiaridades pertinentes ao estabelecimento comercial.

2.1–Levantamento do estabelecimento

Para a realização do levantamento, buscamos uma única fonte: o proprietário. A empresa que compôs o universo de nossa pesquisa obedeceu aos seguintes critérios: 1) a existência de registro formal como pessoa jurídica e; 2) a existência de espaço físico aberto à clientela. Não foram, portanto, incorporadas seguimentos terceirizados; como companhias de limpeza ou de abastecimento de produtos.

2.2 –Aplicação de questionários

Foram feitos dez perguntas (vídio) e suas variantes e todas elas foram respondidas. O questionário foi formado com perguntas argumentativas, com o objetivo de traçar: 1) o perfil socioeconômico do empresário, e; 2) a caracterização da empresa.  No questionário socioeconômico foram investigados, idade; nível de escolaridade; local de origem; estado civil e número de filhos; este ultima informalmente sem registro em vídeo; motivação para abertura da empresa; situação legal do empreendimento; e quantidade de funcionários. Para a caracterização da empresa foram submetidas questões sobre a localização; porte (área física); data de fundação; motivação para abertura do empreendimento e modo de sua obtenção; perfil da clientela; existência de sócios; faturamento anual; plano de ampliação da empresa e proposta de melhoria.

Em 20/21 de novembro de 2017, foi concluída as etapas da pesquisa de campo, com a realização de entrevistas informal, uma take de filmagem com o proprietário da empresa e entrevista em “off”  com três clientes do estabelecimento que se encontrava no local no memento da pesquisa. Nesta etapa pude acompanhar parte das da dinâmica de trabalho realizada com objetivo de atender os frequentadores do local.

3 – CARACTERIZAÇÕES DA EMPRESA

O empreendimento levantado nesta pesquisa pode ser agrupado de acordo com o tipo de serviço prestado ou de bens comercializados, como mostra a tabela abaixo:

Tabela 01 - Tipos de produtos consumida

Pastel

35%

Espetinho

25%

Bolinho de carne seca

01%

Porcão de calabresa

05%

Espeto completo

15%

Espeto de frango

3%

Espeto de linguiça

1%

Bebidas em geral

15%

Total

100%

Empreendimento a estrutura física é de médio porte, sendo que 73% das instalações ocupam áreas de 200 m².

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Tabela 2 Área do empreendimento

Almoxarifado

3.0 x 3.0 (9 m²)

Banheiro

1.20 x 2.10 (2.52 m²)

Calçada

10.0 x 2.0 (20  m²)

Cozinha

3.0 x 3.5 m.(10.5m²)

Deposito

4.0 x 3.0 m (12  m²)

Pátio

10.0 x 5.0 (50  m²)

Sala de espera

3.5 x 3.5 (12  m²)

Varanda

10.0 X 3.0 (30 m²)

Total de área

146.02 m²

 

3.1– O consumo

As lojas vendem produtos alimentícios próprios da culinária local, alguns de fabricação própria e outros encomendados de terceirizados além de produtos industrializados, entre eles disponibilizam-se, biscoitos, sequilhos, pão de alho, chocolates em barras de marcas variadas e bebidas em geral.

A pastelaria serve comida típica brasileira e os pratos variam de R$ 4.00 a R$ 25.00. O cardápio é pitoresco e merecem ser mencionados: arroz, feijão, frango e legumes; bolinho de carne seca; arroz, vinagrete mandioca e carne; arroz frango vinagrete mandioca e bacon; arroz linguiça tradicional mandioca e vinagrete; linguiça calabresa, cebola creme verde e batata.

3.2 – A abertura da empresa

O valor do capital inicial de R$ 5.000,00  não excede não montante de sua rescisão no antigo trabalho que foi R$ 9.000,00. É bom salientar que o empresário possuía o imóvel onde hoje funciona a pastelaria, ressalte-se, contudo, o valor investido anteriormente não retrata a realidade do patrimônio após dois anos de funcionamento, sendo que, neste período foram feito novos investimentos para se adequar a demanda de consumo.

3.3 – Motivacão

Não chegou a ser desejo de ter seu próprio negócio, e sim, uma necessidade como relata o próprio empresário, após ficar desempregado e a atual crise financeira que foi desencadeada desde 2015 no Brasil, Eduardo (proprietário) viu a necessidade de criar uma fonte de renda antes que todas as suas divisas pudessem se esgotar. Foi ainda por ele  citados outros fatores, como a oportunidade de melhoria das condições de vida; melhor remuneração com menor esforço; desejo de atender a comunidade onde está localizado o seu estabelecimento; oportunidade de efetuar um bons negócios.

3.4 – Funcionários

A Pastelaria conta hoje com apenas um emprego direto, já que ele se enquadra no MEI, (Micro Empreendedor Individual) neste caso, a empresa pode ter apenas um funcionário com registro em carteira, e cinco empregos indiretos em dias de grande movimento.

3.5 – Planos de ampliação

Como a maior parte dos micro empresários, Eduardo pretende ampliar o seu negócio com aquisição de novas mesas e cadeiras; instalação de pontos de energia próxima às mesas para carregar celulares; instalação de ventiladores; uma maquina de jogos (fliperama) e uma cama elástica para proporcionar laser aos filhos dos clientes. Dentre as melhorias proposta  um projeto emergencial: construir uma cobertura sobre a calçada.  

3.6 – Clientela

O estabelecimento apresenta clientela diversificada, atendendo, sendo a maioria dos frequentadores famílias da comunidade, havendo uma variação mais para homens em dia jogos pela TV (as quartas) e UFC (aos sábados) a media de idade varia entre 12 e 60 anos, havendo uma grande frequência de crianças nos outros dias acompanhada pelos pais, não há uma estática da media de idade dessas crianças. Por outro lado, quando perguntados sobre a preferencia pelo local, foi unanime a resposta, “local tranquilo, agradável, familiar, e de bom atendimento”.

4 – CONCLUSÃO

O empreendedorismo tem se tornado um dos requisitos básicos para o crescimento de uma Comunidade, Município Estado, onde há oportunidades de criação de renda, empregos, tributo, e principalmente na criação de valor agregado aos produtos de uma nação. Não somente o empreendedorismo direcionado a inovação, onde se busca através da alta tecnologia até o micro empresariado o desenvolvimento de novos produtos e serviços para serem disponibilizados para a comercialização, mas também, a atitude de empreender novas organizações competitivas para oferecer uma maior gama de opções para os mais diversos tipos de demanda. Neste sentido, o presente trabalho buscou responder ao objetivo geral do estudo: verificar a viabilidade micro comércio como fonte de renda e geração de emprego. Considera que há viabilidade para abertura do empreendimento, consequentemente atingindo o objetivo geral da pesquisa. Atendendo o propósito específicos do estudo, destacando os microcomércios, podemos chegar a conclusão que plano de negócio é uma ferramenta importante para um candidato a empreendedor elaborar seu plano de ação de maneira clara e organizada. Além disso, disponibiliza a oportunidade de analisar a viabilidade de abertura do novo negócio através de uma pesquisa de mercado. Neste caso, o empresário contou com vários fatores aqui citado para uma historia de sucesso, porem, nem sempre assim, o correto seria procurar as acessórias dos órgãos especializados em consultoria para empreendimentos seja ele; pequeno, médio ou grande.

5 – REFERÊNCIAS

Dornelas, José Carlos Assis, Empreendedorismo : transformando ideias em negócios / José Carlos Assis Dornelas. - 5. ed. - Rio de Janeiro, RJ.

Vídeo com pesquisa de campo em: https://www.youtube.com/watch?v=gp6NM3LN5cY

FGV-EAESP/GVPESQUISA, Relatorio de pesquisa Nº 20/2004.

6 – REVISÃO

O presente estudo foi revisado em 26 de novembro de 2017.

Pesquisa de campo de Antropologia apresentado ao Curso de Licenciatura em História da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul. Prof.ª Drª. Dilza Porto Gonçalves.


Publicado por: WILMAR MARCIANO ORTIZ

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do Brasil Escola, através do canal colaborativo Meu Artigo. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
MeuArtigo Brasil Escola