Topo
pesquisar

Evitar o tabagismo - Uma responsabilidade familiar

Educação

Evitar o tabagismo - Uma responsabilidade familiar, educar para a vida, a insegurança pode levar à dependência química, gula, alcoolismo, a luta contra o cigarro começa na escola.

Educar para a responsabilidade é educar para a vida, prevenindo situações de dano à saúde.

Desde a infância se processa a educação. Não é com a entrada na escola. Compete aos pais, à família incutir nas crianças os valores que nortearão sua vida. É importante que tal processo não se dê só por palavras, mas também pelo exemplo, pois assim será um processo mais consistente. Os pais devem educar com amor, responsabilidade, o que implica na colocação de limites e, sobretudo em ganhar a confiança dos filhos para que os mesmos tenham liberdade de com eles esclarecerem suas dúvidas e amenizarem as angústias das várias fases. Muitos passam a fumar, a usar drogas, ou o álcool ou até a comer por questões de insegurança. Em todos estes casos devem os dependentes ser tratados como pessoas enfermas que necessitam de auxilio terapêutico para conseguirem superar seus traumas. Os pais devem procuram agir de forma conjunta com o jovem, o terapeuta e a escola. Muitas vezes é na escola que é constatado o problema e não em casa. É importante a participação da escola na elucidação dos prejuízos do tabagismo para a saúde. É claro que há casos que não se configura a dependência, mas apenas uma questão e exibicionismo. Os jovens aderem para parecerem "mais descolados", mais adultos, mais charmosos. Não se pode ignorar a influência no grupo neste processo. Os adolescentes necessitam pertencer ao grupo, identificarem-se com ele, serem aceitos por ele. Logo, se o grupo no qual se inseriu é adepto do tabagismo ele tenderá a fazer o mesmo para ser aceito. Só através de orientação, apoio, clareza, confiança é possível esclarecer para que o jovem não incorra nesta fraqueza. Muitas vezes o fumo e o álcool por serem socialmente aceitos são a porta de entrada para outras drogas mais pesadas e comprometedoras.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Publicado por: Isabel C. S. Vargas

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do Brasil Escola, através do canal colaborativo Meu Artigo. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
MeuArtigo Brasil Escola