Topo
pesquisar

A Geração Y no Ensino Superior e no Mercado de Trabalho

Educação

O futuro da Nação chegou e muitos professores e especialistas em educação e carreiras se questionam. Como lidar com os jovens da era digital?

“Somos os filhos da revolução, somos burgueses sem religião. Somos o futuro da Nação. Geração Coca-Cola”. Renato Russo.

Sim, somos da geração dos produtos industrializados, da revolução tecnológica e claro, da internet. Em 1984, quando a banda Legião Urbana lançou a música “Geração Coca-Cola”, muitas mudanças estariam por vir. O futuro da Nação chegou e muitos professores e especialistas em educação e carreiras se questionam. Como lidar com os jovens da era digital?

A famosa Geração Y, que muito se tem falado, são as pessoas nascidas entre 1978 e meados de 1990. Essa geração viveu em uma sociedade que mais valorizava a infância e com pensamentos bem diferentes de gerações anteriores. Segundo especialistas em gestão de carreiras, esse público teve um comportamento “mimado” e eram mais protegidos pelos pais.

Estamos no momento em que essa “massa” de jovens está entrando no mercado de trabalho e nas universidades. As gerações anteriores a essa, agora precisam aprender a lidar com eles e é por isso que a Geração Y é tão comentada.

Será que as Universidades estão preparadas para receber e atender bem esse público?

Vivemos no mundo contemporâneo que passa por transições vindas da revolução tecnológica e por esse e outros motivos, devemos saber lidar com as diferenças.

E para que as Instituições de Ensino Superior possam prestar um serviço melhor à Geração Y é preciso ter atitudes. De acordo com uma especialista em RH é preciso:

Em primeiro lugar, aconselho aos líderes que criem rotinas de feedback regulares, preferencialmente mensais e que deixem claro de forma objetiva e direta limites e o que é esperado de cada um. Também é importante investir em canais de comunicação interna.

Comunique-se rapidamente e de forma sintética (foi assim que essa geração aprendeu). Também é importante criar sistemas de carreira e aumentos salariais com visitações constantes e investir em programas de reconhecimento, treinamento e desenvolvimento.

Outro ponto importante também paras as Instituições de Ensino e empresas é preparar as outras gerações “Baby Boomers” (nascidos entre 1946 e 1964) e a Geração X (nascidos entre 1965 e 1977) para lidar melhor com a Geração Y. Da seguinte forma:

Criar programas de qualidade de vida e oferecer a possibilidade de Home Office (trabalho em casa), pelo menos uma vez por semana. Programas de happy hour e atividades que estimulem o convívio entre colegas de trabalho também são positivos quando o assunto é lidar com a Geração Y.

E não paramos por aí, a Geração Y é a bola da vez no mercado de trabalho e muitas empresas se preparam e já analisam o que vem pela frente. É uma outra Geração que já está sendo falada, a Z. Formada por pessoas nascidas na metade da década de 1990 e que vivem conectadas, são amigos do www, notebooks, smartphones, mp3. Essa seria a geração sucessora à Y.

Há desafios pela frente e as Instituições de Ensino Superior devem estar preparadas para isso. Afinal, é a partir da formação profissional que muitos jovens seguirão para o mercado de trabalho tão dinâmico como hoje.

Segundo o Ministério da Educação, há previsão de que o número de jovens matriculados no Ensino Superior aumente significativamente nos próximos anos. Passando de 5,6 milhões para 12 milhões. E as Universidades precisam ter um corpo docente muito bem preparado, além de corpo técnico administrativo muito bem capacitado para lidar, atender, formar, entender e crescer com as novas gerações.


Publicado por: Erick Santana Souza

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do Brasil Escola, através do canal colaborativo Meu Artigo. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.

DEIXE SEU COMENTÁRIO
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
MeuArtigo Brasil Escola