Whatsapp

A escola ansiosa e agora?

Educação

A tempestade de ansiedade sobre a escola avança junto com o consumo de calmantes e dispara com o aumento exponencial da depressão entre a comunidade escolar.

A escola está mais ansiosa, paira uma sensação de destruição emocional e a fuga da responsabilidade de educar, a ansiedade tem levado professores, pais e alunos a perderem o fôlego, o sono, a energia, ao desenvolvimento de ataques de pânico, de fobias e outros transtornos, muitas vezes nem especificados na medicina e que são tratados como trantornos globais do desenvolvimento (TGD).

A tempestade de ansiedade sobre a escola avança junto com o consumo de calmantes e dispara com o aumento exponencial da depressão entre a comunidade escolar, onde vivenciamos as crises do aquecimento global, a possibilidade de guerras nuclear, os inúmeros ataques terroristas, as epedemias e a recente pandemia do COVID-19, catástrofes de todos os tipos, e continuamos andando mais rápidos do que nunca, o resultado dessa pressa nos traz um espiral descendente de preocupação e culpa, e isso é o suficiente para uma explosão ansiosa, nesse momento temos que redefinir o modo como a escola está enfrentando os medos de sua comunidade escolar, como está desenvolvendo ferramentas de estratégias pessoais para lidar com crises ansiosas nas situações que se demonstrarem difíceis no cotidiano escolar e quais saídas até aqui tem encontrado para superação e controle da ansiedade.

A ansiedade tem o poder de nos anestesiar e despejamos isso dentro do ambiente escolar, os fatores como a toxicidade do abandono do cônjuge, a negligência com o fator educacional das crianças, a falta de alegria e empatia, a tristeza das promessas quebradas, a negatividade das críticas, a falta de esperança em dias melhores, a contenção da alegria pelo outro ao receber boas notícias, e cada vez mais a ansiedade faz com que nossa segurança interior fique sentenciada a ficar numa prisão sem grades.

A escola não tem capacidade de lidar com a ansiedade de sua comunidade escolar ou fazê-la desaparecer num toque de mágica apenas com palestras e palavras de bom ânimo é preciso contar com a ajuda de profissionais da área psicológica e terapêutica para a diminuição dos vendavais da vida que resultam em explosões de ansiedade generalizada.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O sistema educacional continua em sua comodidade da década de 20, sem uma busca de soluções significativas para lidar com os elementos da vida atual, a educação emocional no Brasil encontra-se em pele e osso.

Os "Ds" do sistema educacional são muitos: demagogia, desprezo, discrepância, decadência, desumano,. desastre, formando gerações de ansiosos, onde o futuro é tão sombrio quanto uma cela de prisão.

O sistema educacional precisa estar preparado para as questões emocionais da comunidade escolar e desenvolver a compreensão de que muitas vezes o caos enfrentado diariamente nas unidades escolares estão relacionados ao fator ansiedade.

A maioria dos professores estão emocionalmente mortos pelos bombardeios sofridos na educação, com inúmeras atribulações na sala de aula, com o pé cada vez mais no acelerador, e com o sentimento de solidão e desamparo a ansiedade vem aumentando a cada dia.

Os pais querem a certeza do sucesso dos filhos e a única certeza que teem é a falta dela, pois crianças e jovens veem construindo-se de forma frágil e com baixa tolerância as situações adversas que enfrentam durante suas vidas, e a cada dia um novo ciclo da ansiedade se torna mais presente na rotina escolar. dentre eles, pais que não assumem o controle de suas funçoes e a escola assume o papel do "não cabe a nós" essa tarefa,è necessário observar que a escola tem carregado culpas como blocos de concretos enfileirados e uma dura consequência disso é a ansiedade, as agendas escolares lotadas com demandas irreais e por trás da expressão "nervosa" da escola temos ocultado o fracasso emocional que temos enfrentado diariamente com as más políticas, os desgates que a educação no Brasil vem sofrendo, os embates que vem enfrentando e assim sucessivamnete a escola se adapta aos não cuidados da sáude emocional e nós nos fustigamos.

A ansiedade na escola é o monstro que vive lá no fundo, sendo alimentado pela ineficácia da políticas públicas no fator emocional, tornando-se "criadouro" de ansiosos em massa.


Publicado por: Jobiane Reis

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do site por meio do canal colaborativo Meu Artigo. O Brasil Escola não se responsabiliza pelo conteúdo do artigo publicado, que é de total responsabilidade do autor. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.