Topo
pesquisar

Fobia Social

Doenças e Saúde

Fobia social como foco de pesquisa.

Fobia social

Até o início do ano 1980, a Fobia Social era analisada como um tipo de transtorno de ansiedade, sendo foco de pesquisa sistemática pela Associação Psiquiátrica America (APA, 1980 e 1987) e pela Organização Mundial da Saúde (OMS, 1992).

Somente em 1994, a APA definiu a fobia social como sendo um “tremor pronunciado e persistente diante de uma ou mais situações sociais ou de atuação em público nas quais a pessoa se vê exposta a desconhecidos ou ao possível escrutínio por parte dos demais. O sujeito teme agir de alguma maneira (ou mostrar sintomas de ansiedade) que possa ser humilhante ou embaraçosa” (APA, 1994, p. 416).

As pessoas com fobia social tentam evitar ao máximo possível as seguintes situações:

Marcar encontros com alguém

Frequentar festas sociais

Comportar-se assertivamente

Falar com pessoas que detenham um tipo de poder/autoridade

Fazer contato visual com pessoas que não conhece

Falar em público

Atuar (dançar, cantar, interpretar)

Comer/beber em público

Escrever/trabalhar sob observação

Utiliza banheiros públicos e outros.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Estas são as situações rotineiras mais descritas pelos pacientes fóbicos sociais que também relatam como sintomas físicos os tremores de mãos, palpitações, sudorese, tensão muscular, sensação de vazio no estômago, boca seca, calafrios (seja pelo frio ou pelo calor), ruborização e dores de cabeças.

O tratamento da fobia social por meio da terapia cognitivo-comportamental é a mais conhecida e reconhecidamente eficaz. Baseia-se inicialmente em técnicas de respiração e relaxamente para que o paciente reconheça o corpo como extensão de sua mente e do qual é possível controlar, seguido por mudanças de crenças sociais que resultaram em mudanças de comportamentos.

Por exemplo, os fóbicos sociais diante de uma situação de almoço em restaurante possuem pensamentos de que estão sendo julgados ou criticados pelas pessoas ao redor assim como ao falarem em público possuem pensamentos de incapacidade “aquela mulher está me encarando, devo ter falado alguma palavra errada” e de inadequação “as pessoas estão olhando para mim, devo estar com a roupa suja”.


Publicado por: Cíntia Gemmo Vilani

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do Brasil Escola, através do canal colaborativo Meu Artigo. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
MeuArtigo Brasil Escola