Topo
pesquisar

Produção Audiovisual Para Dispositivos Móveis

Atualidades

Nos anos 80 e 90 e início do século XXI, a rede mundial de computadores e os dispositivos móveis causaram e causam grande impacto na vida das pessoas.

Os veículos de comunicação passaram por grandes transformações, do surgimento da imprensa até os dias atuais. Nos séculos XVII, XVIII e XIX a maior parte da população era analfabeta, e não tinham acesso aos meios de informações. Os livros, jornais, revistas e folhetins podem ser considerados as primeiras manifestações de mídias.

No final do século XIX e início do século XX, surgiram respectivamente o Rádio e o Cinema. Na primeira metade do século passado, o mundo ficou estupefato com a criação da Televisão. A produção de sons e imagens despertou a atenção das pessoas, a televisão tornou o veículo mais popular.

Nos anos 80 e 90 e início do século XXI, a rede mundial de computadores e os dispositivos móveis causaram e causam grande impacto na vida das pessoas.

Estas novas tecnologias permitiram e permitem aos usuários em diferentes lugares buscar, trocar, produzir e interagir as mais diversificadas informações. A evolução dos dispositivos móveis passou a ser uma nova alternativa para algumas pessoas em relação aos veículos tradicionais.

Nas grandes metrópoles brasileiras (São Paulo e Rio de Janeiro) já existe a TV Ônibus e a TV Trem.

Milhões de usuários de metrôs e trens têm acesso a uma programação diferenciada, o entretenimento é o conteúdo mais utilizado. Os programas exibidos têm qualidade inferior e são menores em relação às emissoras de TV convencionais.

Em praticamente todos os lugares do país, o celular passou a ser um item obrigatório. Pessoas de diferentes classes sociais possuem os mais diversificados celulares. Recentemente deixou de ser um mero aparelho telefônico e tornou um dispositivo móvel muito utilizado. Jornalistas e profissionais de várias áreas utilizam no seu cotidiano.

Um acidente, um estupro, um assassinado, uma celebridade dentre outros são matérias-primas essenciais para o jornalismo. Estes acontecimentos não é mais exclusividade de um profissional da área de comunicação, nos dias atuais, o celular permite que quaisquer pessoas produzam imagens e vídeos.

A produção audiovisual para dispositivos móveis abre espaço para questões a serem discutidas. O primeiro questionamento é qual o tipo de dispositivo móvel?  Como já foi dito, o celular é popular, mas muitos ainda não oferecem recursos tecnológicos. Os aparelhos de última geração têm preço elevado.

Outras mídias (I-Phone, MP3, MP4, MP6, MP7 etc) ainda estão engatinhando no país, o baixo poder aquisitivo da população não permite o uso intenso destas novas tecnologias.

Qual é o público? Os dispositivos móveis são recentes no Brasil, mas podemos segmentar grupos que são fiéis. Os adolescentes são os que mais usam os equipamentos móveis.

A última questão abordada são as técnicas de produção. Um vídeo produzido nos dispositivos móveis tem boa qualidade?  Qual é o enquadramento? Ele tem um bom áudio? Como é o processo de edição?  Estas perguntas nos fazem refletir sobre a produção audiovisual, e nos leva a concluir que um vídeo realizado por pessoas leigas, com equipamentos simples em sua maioria não atinge um alto padrão de qualidade.

Mas diante de uma possível realidade de uma rotina de trabalho estressante, do trânsito violento das grandes cidades, da dificuldade financeira, da poluição, da depressão e do estresse do cotidiano, muitas pessoas podem ser levadas a ligarem alguns dispositivos móveis e não preocuparem com a excelência dos vídeos e imagens.

Portanto, estas novas tecnologias podem ser consideradas como uma alternativa para fugir do real.  E acreditamos que somente com o tempo, as técnicas de produção audiovisual para dispositivos móveis irão evoluir e cair no gosto popular.

Sérgio Murilo Rodrigues Lopes

Graduado em Jornalismo, pós-graduado em Televisão, Cinema e Mídias Digitais e graduando em Letras/ Português e Literaturas da Língua Portuguesa


Publicado por: Sérgio Murilo Rodrigues Lopes

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do Brasil Escola, através do canal colaborativo Meu Artigo. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
MeuArtigo Brasil Escola