Topo
pesquisar

Por que fazer Relações Públicas?

Atualidades

Conheça a definição de Relações públicas de uma maneira clara e objetiva!

Não me assusto mais com o estranhamento das pessoas quando relato sobre a profissão que escolhi. O termo Relações Públicas, inicialmente, causa um semblante de interrogação na maior parte das pessoas. No entanto, já estou acostumada em sempre tentar definir a profissão de uma maneira clara e objetiva para um entendimento prévio. É neste momento que vejo o encanto da profissão: em cada tentativa de definição, surgem atividades e funções diferentes.

Poderia dizer o que a ABRP (Associação Brasileira de Relações Públicas) conceituou sobre a profissão, "Relações Públicas é a atividade e o esforço deliberado, planejado e contínuo para estabelecer e manter a compreensão mútua entre uma instituição pública ou privada e os grupos de pessoas a que esteja, direta ou indiretamente, ligada", mas quem decidiu viver esse desafio sabe que este profissional deve e necessita ultrapassar as definições impostas a ele.

De fato, o que procuro deixar claro é que o essencial para um profissional de Relações Públicas é o trabalho com a imagem e identidade institucional, buscando, através de ações estratégicas comunicacionais, uma maior interação e bom relacionamento com seus públicos, independente da área de atuação da organização, seja ela privada, governamental ou terceiro setor.

Não obstante, vejo-me em outras situações conceituando o profissional de Relações Públicas como um profissional que organiza eventos, realiza atividades administrativas, como planejamentos estratégicos comunicacionais, pesquisas de opinião, bem como o trabalho com as novas tecnologias, como a inserção da organização nas mídias sociais.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Eu poderia pensar, quando me interessei pela profissão, que as inúmeras atividades e as muitas definições nos remeteria à possibilidade de uma área confusa, sem uma linearidade em suas funções, tornando, por sua vez, a atuação no mercado de trabalho muito mais competitiva que já é, pois diversas de suas atividades são hoje realizadas por profissionais de outras áreas ou até mesmo por pessoas não graduadas. Sim, eu poderia! Mas optei por acreditar em um Relações Públicas que primeiramente tenha verdadeira admiração pelo ato de “comunicar-se”, fazendo com que esse fato individual de falar, expor, transmitir e compartilhar ideias não seja apenas algo necessário para as relações pessoais, e sim a essência para o bom relacionamento.

Realmente não tive muito tempo para analisar os prós e contras da profissão, poderia ser um grande equívoco ou a melhor decisão da minha vida, mas posso dizer com propriedade que esta foi sim a melhor escolha.

Pode parecer clichê, mas tem um grande fundamento, o fato de um profissional atuar na sua área com satisfação fará com que ele desempenhe muito melhor suas atividades que qualquer outro.

Depois de algum tempo na graduação, reflexões não faltaram e concluo que não seria uma profissional mais feliz e realizada senão fosse uma Relações Públicas. Cabe a cada um aperfeiçoar-se para se destacar e conquistar espaço no mercado de trabalho, mas isso já é outra discussão.


Publicado por: Letícia Rodrigues de Oliveira

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do Brasil Escola, através do canal colaborativo Meu Artigo. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
MeuArtigo Brasil Escola