Whatsapp

Como será o mundo pós-pandemia?

Atualidades

Breve análise e previsão a respeito da organização mundial pós-pandemia.

Como será o mundo pós-pandemia?

É muito provável que a pergunta “como será o mundo pós-pandemia” esteja atormentando a mente de praticamente todas as pessoas, mas não em relação apenas às questões econômicas de cada país e sim sobre os relacionamentos, a saúde física, mental e outros.

Em um artigo da PEBMED, empresa responsável pela divulgação de conteúdos médicos, é citado que uma das principais consequências da pandemia é o aparecimento ou piora de disfunções metabólicas já que as recomendações de isolamento levaram muitos a mudarem seus hábitos de vida provocando o ganho de peso, sedentarismo e muitos outros problemas.

Os danos a saúde das pessoas podem ir além destas disfunções metabólicas e por isso é esperado por muitos especialistas um aumento na taxa de obesidade, de depressão e outros.

Continue lendo o texto e saiba o que os especialistas dizem sobre o mundo pós-pandemia.

Os efeitos do Coronavírus: afinal, como será o mundo pós-pandemia?

Estima-se que o primeiro caso do novo coronavírus, chamado de COVID-19, tenha sido registrado em dezembro de 2019 na cidade de Wuhan, na China, e desde então vários países foram praticamente engolidos pelo vírus com casos que se dividem entre as curas e mortes.

A fácil proliferação do vírus e as mortes que ele tem provocado gerou uma onda de terror entre as pessoas e fez com o que cada país tomasse medidas com base nas recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) para interromper a curva de crescimento dos casos.

Mas infelizmente os esforços quanto ao isolamento e a quarentena da população não tem sido suficiente para conter o vírus, mas este é um assunto discutido entre os especialistas da área, é o que afirma o palestrante Wesley Alevs do blog Palestra para Professores.

O que vamos abordar hoje é o efeito pós-pandemia ao redor do mundo, basicamente o que esperar do mundo, dos países e das pessoas em específico após esta crise. Será que tudo voltará a ser como era antes ou o mundo já não é mais o mesmo desde o primeiro caso?

Não é preciso pesquisar muito para observar que as mudanças são certas, mas não apenas em relação à economia mundial, que é um assunto muito discutido nos jornais atualmente, mas principalmente sobre a saúde das pessoas, o seu comportamento, relacionamentos e afins.

Conforme o artigo da PEBMED citado anteriormente é provável que surjam novos casos de obesidade, depressão, ansiedade e até vícios ou compulsões por comida e outras substâncias.

Mas isso não é tudo, espera-se muitas outras mudanças no mundo pós-pandemia.

Efeitos eternos ou apenas com duração de dois anos conforme afirma a OMS?

Não é possível estimar que os efeitos provocados pela pandemia do novo coronavírus tenham um prazo de validade, pois obviamente todas as pessoas sairão diferentes deste cenário e por isso as suas rotinas, relacionamentos, manias e outras questões em suas vidas mudarão.

Porém a expectativa da OMS é de que o efeito da pandemia dure aproximadamente dois anos pelo fato de que a vacina contra o novo vírus pode demorar cerca de 18 meses para ficar pronta o que levaria ao isolamento alternado – no caso, o mundo viveria entre os períodos de abertura sem quarentena e isolamento até que a vacina fosse descoberta.

Com essa estimativa é provável que o mundo sofra transformações tanto na política, economia e nos modelos de negócios como nas relações sociais, cultura, psicologia social e na saúde como um todo, o que mais uma vez nos leva a questionar como será o mundo pós-pandemia.

10 mudanças esperadas no mundo pós-pandemia

Porque palestras são importantes? Saber quais serão os efeitos da pandemia no mundo é impossível, mas com base nas análises de especialistas econômicos, da saúde física, da saúde mental e de outras áreas importantes é possível constatar que provavelmente o mundo sofrerá mudanças que impactarão nossa vida.

A pandemia fará com que as pessoas revisitem as suas prioridades e percebam o que é importante em sua vida. Será que o financeiro é o mais importante ou a saúde falará mais alto? Será que os relacionamentos são tão fortes quanto imaginam? Será que os negócio vão conseguir se reinventar para sobreviver no mercado?

São muitas perguntas, mas com certeza as mudanças mais esperadas são:

Desemprego

O desemprego é umas das mudanças provocadas pela pandemia que mais assusta a população mundial, pois com o isolamento social muitas empresas tiveram que fechar as portas ou cortar o quadro de funcionários pela metade para conseguirem sobreviver.

Com isso, a taxa de desemprego aumentou de 11,2% no trimestre até janeiro para 12,6% em abril – vale ressaltar que os especialistas acreditam que o número é muito maior do que o divulgado pelo fato de que a preocupação com o vírus esteja mascarando o desemprego.

Transtornos emocionais

O isolamento, o medo do contágio do COVID-19 e o desespero quanto ao futuro tem feito com que muitas pessoas desenvolvam transtornos emocionais como a depressão e a ansiedade.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

De acordo com o jornal The Lancet os casos de depressão e ansiedade aumentaram 90% nos últimos meses e nessa estimativa as mulheres representam grande parte das pessoas afetadas pelos transtornos emocionais por se sentirem mais sobrecarregadas com a rotina.

Com isso, estima-se que os casos de transtornos emocionais aumentem consideravelmente após a pandemia exigindo tratamentos psiquiátricos e psicológicos contínuo. As palestras motivacionais para empresas são importantes para o desenvolvimento e gestão emocional dos colaboradores.

Saúde física

O Ministério da Saúde afirma que entre 2006 e 2018 o número de obesos no Brasil aumentou 67,8% mesmo com a população adquirindo hábitos mais saudáveis. Com isso, considerando que neste período as pessoas eram livres para ir e vir sem a necessidade de cumprir o isolamento social é assustador pensar no aumento que esta taxa terá após a pandemia.

Com a mudança de hábitos das pessoas tanto em relação à alimentação como a prática de atividade física estima-se que o ganho de peso e sedentarismo aumentem consideravelmente exigindo que os países criem campanhas e alternativas que estimulem a saúde das pessoas. 

Crenças e Valores

A pandemia deixou escancarado a diferença das classes. Se antes isso já era perceptível entre as pessoas, hoje em dia ficou ainda mais óbvio o quanto há pessoas dependentes de seus trabalhos para sobreviverem e que a quarentena fez com que muitas ficassem em dificuldade.

Com isso, surgem novas crenças e valores entre a população. A solidariedade entra em ação e faz com que muitas pessoas se reúnam em prol do próximo, mas não apenas quanto a dificuldade financeira. Hoje parte do mundo também se une contra o preconceito e a violência.

Trabalho remoto

Com as recomendações da OMS sobre a necessidade de as pessoas fazerem quarentena fez com que as empresas mudassem a forma de operarem fazendo que os seus funcionários pudessem executar os serviços em casa, ou seja, através do trabalho remoto.

A pandemia fez com que muitas empresas percebessem que o trabalho remoto é uma forma interessante de trabalharem e que inclusive reduz gastos para manterem as suas estruturas, logo, é esperado que essa modalidade de trabalho continue crescendo no mercado.

Educação a distância

A educação a distância (EAD) já era uma modalidade explorada no mundo, mas apenas para cursos complementares ou superiores. No ensino básico o EAD não era uma hipótese, porém a pandemia abriu um novo leque de possibilidades quanto a isso, permitindo que alunos façam aulas, trabalhos e inclusive provas através do computador e internet.

Novas formas de acessar a cultura

Se você não pode ir ao show, museu e galerias de arte, elas podem ir até você. Ao menos é isso que ficou claro durante a pandemia. Durante este período milhares de artistas aproveitaram a pandemia para entreter o seu público com lives, enquanto os museus e galerias permitiam visitações digitais através vídeos em 3D e com tecnologia 360ª.

Transformação digital mais forte do que nunca

Outro aspecto que já é uma realidade é a transformação digital, porém com a pandemia ela se tornou essencial para a sobrevivência de muitos negócios que encontraram no digital a possibilidade de continuar vendendo seus produtos ou até mesmo oferecendo serviços.

Por exemplo, existem diversos professores dando aula particular através de videochamadas, assim como fotógrafos que fazem ensaios pelo celular e advogados com atendimento online.

Higiene

Esta mudança é mais do provável e acima de tudo, necessária. A crise do novo coronavírus fez com que as pessoas mudassem os seus hábitos de higiene evitando entrar com roupas, sapatos e acessórios sujos em casa, lavando e higienizando as compras, mantendo as mãos limpas e evitando encostar em outras pessoas ao seguir a recomendação de distanciamento. Um exemplo disso é o totem para álcool em gel produzido pela MultipessPDV e o balcão de display álcool em gel produzido pela Focopromocional.

Valorização dos momentos

Pode parecer improvável, mas a pandemia fez com que as pessoas ficassem isoladas em suas casas sem contato com o mundo externo e com as pessoas que amam. Logo, muitas vão passar a valorizar os momentos da vida sejam eles superficiais ou especiais principalmente no que se desrespeito a convivência com a família e as pessoas do grupo de risco.

E você, o que espera do mundo pós-pandemia?

Independente das mudanças que a pandemia provocará no mundo é importante focarmos no agora, mesmo que isso pareça ser impossível, até porque os especialistas em saúde mental recomendam que viver o futuro antecipadamente pode causar transtornos como a ansiedade.

Portanto, cabe às pessoas viverem um dia após o outro com responsabilidade, cuidados, segurança e acima de tudo tentando revisitar as suas prioridades e entender o que podem mudar no hoje para que consigam colher frutos no amanhã de forma saudável, é claro.

Mas agora queremos saber de você, como você acha que será o mundo pós-pandemia?


Publicado por: Wesley alves

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do site por meio do canal colaborativo Meu Artigo. O Brasil Escola não se responsabiliza pelo conteúdo do artigo publicado, que é de total responsabilidade do autor. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.