Topo
pesquisar

As três esferas da sustentabilidade

Atualidades

Clique e entenda um pouco mais acerca das três esferas da sustentabilidade.

A Revolução Industrial, ocorrida no século XVIII, marca o advento da máquina a vapor, que utiliza o carvão mineral como fonte de energia. Desde então, o mundo passou por uma gradativa emissão de gases poluntes, que vem crescendo cada dia mais. Desse modo, países a partir de 1972, com a Conferência de Estocolmo, começam a se preocupar com a sustentabilidade no planeta, tendo como lema da conferência: "Produção, a principal causa da degradação."

Antes de mais nada, deve-se levar em conta que, em um país capitalista, o consumo é o principal "motor" que alimenta sua economia, sendo assim, empresas produzem cada vez mais, usufruindo dos recursos naturais e não os repondo. Por isso, é de suma importância que haja uma estabilidade entre o crescimento econômico e o equilíbrio ambiental, garantindo que não ocorra a mercantilização dos elementos da natureza e possibilitando que gerações futuras possam deles usufruir, sem nenhuma restrição por renda.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Segundo Lester Brown, "deve-se promover desenvolvimento econômico, visando minimizar os impactos ambientais." Ou seja, para construir uma consciência ecológica, é necessário que as três esferas da sustentabilidade - econômica, ambiental e social - caminhem lado a lado. Empresas, por sua vez, já estão se adequando a mudanças que colocam a esfera ambiental inclusa no modo de produção, como o reflorestamento ou a utilização de aquíferos para a remoção de dióxido de carbono, além da diversificação da matriz energética, em busca de novas fontes de energia renováveis.

Em síntese, para alcançar uma conservação de recursos naturais, é necessário que o mundo passe por mudanças econômicas e sociais, como a melhora na distribuição de renda na esfera econômica, assim, consequentemente, famílias melhorariam sua perspectiva de vida, e o alcance da esfera ambiental seria mais acessível.


Publicado por: Márjori Padoin

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do Brasil Escola, através do canal colaborativo Meu Artigo. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
MeuArtigo Brasil Escola