Topo
pesquisar

Se quiser ser veloz, vá devagar

Administração

A importância de acelerar e frear no momento certo, o que deve ser feito para se tornar um indivíduo "equilibrado",...

Passamos muito tempo de molho no culto à velocidade, afirma Carl Honoré, autor e um dos promotores do slow movement - movimento mundial que visa atender ao pedido, tantas vezes citado, de Napoleão Bonaparte – “Veste-me devagar, que tenho pressa” – ou à ordem do imperador romano Augusto – “Apressa-te devagar”, máximas representadas historicamente por imagens como a do “lento” caranguejo segurando a “veloz” borboleta.

No livro Performance at the Limit: Business Lessons from Formula 1 Motor Racing, de Mark Jenkins, Ken Pastenak e Richard West assegura que eles escolheram a formula 1 porque serve de exemplo e inspiração para aqueles que procuram conseguir resultados excelentes trabalhando no limite de suas possibilidades.

Os autores garantem que a velocidade, não é o segredo que distingue essa “indústria de corredores” e suas equipes. O segredo está em certos princípios que permitem acelerar e frear no momento certo: manter uma comunicação aberta e constante; isolar o problema e não a pessoa – já que a cultura da culpa não ajuda a resolvê-lo.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Organizar-se ao redor de processos, redes e relações informais; alinhar os objetivos de indivíduos, equipes e sócios; manter o foco; tomar decisões rápidas e aprender com os resultados; ser consciente de que as verdadeiras vantagens estão nos limites; ser realista; não supor que se pode ganhar sempre; dispor de uma “carteira de líderes” em todos os níveis de organização, também faz parte destes princípios.

A mensagem do livro não fala de velocidade extrema ou de “corredores” impetuosos e obcecados. Fala de equipes e indivíduos “equilibrados”, como diziam Napoleão Bonaparte e o Imperador Augusto.

Amazildo de Medeiros – Analista Oganizacional
Matérias Técnicas - Análise Resumo.
(Fonte: HSM Management Tendências janeiro/fevereiro -2006)


Publicado por: Amazildo de Medeiros

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do Brasil Escola, através do canal colaborativo Meu Artigo. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
MeuArtigo Brasil Escola