Whatsapp

Novos hábitos em tempos de pandemia: A mente do consumidor sob a ameaça do COVID-19

Administração

Hábito pode ser entendido com uma rotina motora ou cognitiva.

A interrupção da rotina mediante a pandemia:

78% das pessoas estão saindo de casa para realizar atividades necessárias como bancos e supermercados

23% trabalhando como home-office

Muitos hábitos foram interrompidos de forma abrupta, e estes serão substituídos por outros os quais estão sendo criados durante esse tempo.

O “normal” antes da crise instalada pelo vírus não voltará a existir, uma vez que o impacto causado por uma ruptura tão grande no estilo de vida pode causar mudanças fundamentais na nossa sociedade e em nossas crenças.

Tendo em vista este cenário, as marcas precisam se preparar para um mundo pós crise, ao invés de aguardar um retorno a um passado que não voltará

Grandes acontecimentos provocam mudanças, foi assim com a forma de se viajar de avião pós 11 de Setembro, foi assim pós o naufrágio do Titanic, e entre outros acontecimentos marcantes em nossa história contemporânea.

Pesquisas apontam que a sociedade americana já está mudando o seu habito de consumo, porém, o tipo de consumo atual em nada explica como será o “novo mundo”

Conceito de Hábito

Hábito, pode ser entendido com uma rotina motora ou cognitiva, uma vez acionada se completa sem a supervisão do consciente, logo o mesmo é automático e inconsciente. São verdadeiros atalhos para pouparmos energia. Esse mecanismo é aprendido de forma cognitiva e com a repetição e com a rotina ele se transforma em algo intuitivo e inconsciente, através da sua execução obtemos uma recompensa.

Estrutura de um hábito:

Deixa (Gatilho) -> Rotina (execução)-> Recompensa.

Para mudar comportamentos e hábitos temos que interferir em uma dessas 3 variáveis presentes em sua estrutura (gatilho; rotina e recompensa)

A quebra da rotina nos leva a repensar hábitos e comportamentos inconscientes

Para compreendermos tais mudanças precisamos entender o que o consumidor está pensando, com que ele está se relacionando, o que ele está fazendo e o que é importante para ele.

As pessoas quando estão em casa não estão sendo expostas aos ruídos e aos estímulos (propagandas) que antes estavam presentes em seu dia a dia, como por exemplo os estímulos sensoriais. Assim, ao perder estes estímulos as pessoas estão ficando mais sozinhas com elas mesmo.

Nessa dinâmica há o surgimento de novas recompensas que antes não existiam, as pessoas acabam buscando novos valores frente a este cenário de pandemia, são eles:

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)
  • Comunidade
  • Cooperação
  • Generosidade
  • Bem estar
  • Conectividade

Algumas mudanças de hábitos frente aos novos desejos já notados pela pandemia:

- Com a permanência em casa as pessoas tem buscado novos estímulos prazerosos, uma vez que os antes existentes não é possível de se realizar ao menos durante este período, dentre eles podemos destacar:

* Alimentação

* Novas formas de bem estar, pessoas estão apresentando mais tempo para priorizar o cuidado pessoal e relaxar, estão se voltando ao autocuidado não só no que tange a aparência mas o que tange a sua casa. Um retrato disso pode ser percebido com o aumento das vendas de eletrodomésticos.

A permanência em casa pode muitas vezes parecer monótona, visando minimizar este efeito pessoas estão realizando alguma táticas denominadas como escapismos.

Estes escapismo podem ser observados dado ao aumento do número de lives na internet e no que tange ao aumento do número de vendas de vídeo games, e outra coisas que levam ao entretenimento como por exemplo aumento de assinatura nas plataformas de streaming.

O distanciamento social compulsório como o adotado nesta pandemia torna as relações humanas mais valiosas, ocorrendo uma maior valorização dos comércios locais, isso se dá devido ao senso de pertencimento.

Como fazer para se tornar um protagonista:

  1. Setores beneficiados + serviços funcionais:  Serviços essenciais e suprimentos. (Telefonia, internet, mercados, farmácias, hortifruts)

Desempenhar um papel direto na resposta do COVID-19.

Usar a marca de maneira poderosa de amplificar algo que precisamos dizer, as pessoas precisam saber o que está sendo feito

  1. Setores beneficiados + serviços emocionais ( Youtube, Netflix, Amazon, serviços de streaming em geral)

Entretenimento e conforto

Apoiar com esperança e diversão em tempos difíceis

Usar a marca como veículo para promover inovação e suporte significativo

  1. Setores prejudicados + serviços funcionais (Montadoras de automóveis, etc.)

Industrias

Mudar para encontrar uma maneira significativa de ajudar

Usar a marca como veículo para promover a inovação e suporte significativo

  1. Setores prejudicados + serviços emocionais (Restaurantes, demais varejos etc.)

As vezes não fazer nada é a melhor estratégia


Publicado por: Iago Filipe Araujo de Melo

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do site por meio do canal colaborativo Meu Artigo. O Brasil Escola não se responsabiliza pelo conteúdo do artigo publicado, que é de total responsabilidade do autor. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.