Whatsapp

MARKETING DE SERVIÇOS AS NECESSIDADES E OS DESEJOS DO CONSUMIDOR

Administração

Apresentação da importância dos anseios humanos para o marketing com base nos estudos desenvolvidos por autores importantes do mundo acadêmico do marketing.

Resumo

Este artigo tem por objetivo principal apresentar a importância dos anseios humanos para o marketing com base nos estudos desenvolvidos por autores importantes do mundo acadêmico do marketing.

Palavras-Chave: Marketing. Necessidades. Desejos. Mercado.     

Introdução

O que o mercado precisa para se manter vivo são consumidores, que por sua vez são indivíduos dotados de características de natureza intima e únicas. O que o profissional de marketing trabalha é a compreensão da natureza do comportamento do consumidor afim de que a ligação entre o produto ou serviço seja criado até o indivíduo que carrega consigo seus anseios.

Empresas são criadas dirigindo-se a atender os desejos dos consumidores, desejos podem ser entendidos como vontades específicas do que queremos possuir ou usufruir. Philip Kotler afirma que as necessidades são requisitos humanos básicos, elas preexistem, o desejo não. O profissional de marketing não cria necessidades, o que é trabalhado, são estratégias com finalidade de aproximação do reconhecimento desses anseios para o que o mercado oferta.

Metodologia

Pesquisa descritiva e explanatória, através de estudos fundamentados em bibliografia com o método indutivo.

Marketing de serviço

O marketing de serviços é um processo importante onde existe um conjunto de estratégias que mostra o valor do serviço a ser prestado e consequentemente convence o cliente a escolher uma empresa em específico. Ele é uma peça chave para alcançar clientes. O marketing de serviço foca em aprender a lidar com pessoas domínio do conteúdo, ter um diferencial, estabelecer metas para o futuro, acompanhar o processo de perto, montar um plano para ser implementado. Não importa que tipo de serviço você ofereça, domínio do conteúdo e acompanhar todo o processo de perto, são essenciais para ter destaque no mercado. Conforme Kotler e Armstrong (2003), as empresas estão percebendo que perder um cliente significa mais do que uma única venda, significa perder toda a corrente de compras que o cliente faria ao longo de uma vida inteira de consumo.

O estudo psicológico sobre necessidades

Entende-se por necessidade tudo aquilo que carecemos, um estado íntimo de insatisfação, decorrente da inexistência de um bem-estar. O psicólogo americano pioneiro nos estudos comportamental do indivíduo, Henry Murray (1938) catalogou o estudo, como Viscerogênicas ou primárias as necessidades de natureza biológica, que são essenciais para a sobrevivência de um indivíduo e Pscicogênicas ou secundárias as necessidades derivadas das primárias, de natureza psíquica inerente ao humano.

Philip Kotler menciona que, “Marketing é um processo social e gerencial pelo qual indivíduos e grupos obtêm o que necessitam e desejam através da criação de oferta e troca de produtos de valor com outros.” (COBRA,M.; URDAN,A.T, 5ºed,2017).

Isso significa que indivíduos não mais apenas buscam saciar seus anseios, é possível compreender que, em suma, O Marketing de serviço pode ser percebido muito mais que uma ferramenta que viabiliza o processo no mercado, influenciando uma maior interação entre todos os indivíduos que fazem parte de uma rede, buscando satisfazer seus desejos e realizar seus objetivos mutuamente.

Hierarquia de necessidades por Maslow

Abraham Harold Maslow, psicólogo de destaque no estudo das necessidades humanas, estruturou as necessidades em uma pirâmide hierárquica, segundo a qual essas estão dispostas por uma escala de valores e de influência a ser transpostos, cuja a base são as necessidades de mais importância e no topo as necessidades mais elevadas ou consideradas de menos emergência, significando que o indivíduo continue buscando sempre meios de satisfazê-las. Maslow também descreve sua teoria de forma qualitativa, dividindo a pirâmide em duas partes sistemáticas, necessidades defectivas devem ser mais urgentes para que se alcance um estado de satisfação básica, e as necessidades de crescimento não necessitam ser saciadas para que cause uma falta indesejável, também são conhecidas como necessidades de status e estima.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Marketing como estratégia

O Marketing é a parte decisiva de uma empresa, montar estratégias, conhecer o que o cliente deseja é essencial para sobrevivência de uma marca no mercado. As empresas cada vez mais utilizam táticas de Marketing de Serviços para planejarem ações que possam identificar as necessidades e desejos dos consumidores.

Conseguir atender pessoas usando capacidades e competências acabou criando um mercado restrito e cada vez mais forte, a partir do momento que uma pessoa passa a ter condições de pagar por esses serviços oferecidos. A competitividade levou empresas a promover ações de Marketing voltadas para o consumidor exclusivamente, diferenciando-se assim do Marketing tradicional onde o foco é o produto. Os segredos do Marketing de serviço são profissionais bem treinados e produtivos com maior capacidade de reter e conquistar clientes que sejam fiéis as empresas, passando a não querer apenas atender as necessidades do consumidor, mas atender seus desejos. Quando o cliente tem a necessidade de saciar a sua fome, porém tem o desejo de se satisfazer com um prato específico de uma empresa, é notável que as ações de marketing para fidelizar o indivíduo, passou de apenas estratégico para se tornar íntimo e pessoal da escolha do ser humano.

O grande de desafio das empresas em um mercado cada vez mais competitivo não é criar necessidades nos consumidores, a grande estratégia de Marketing é identificar os seus desejos e agregar serviços a eles. Quando este indivíduo consegue alcançar um nível de satisfação das necessidades de crescimento, maior a fidelização, o grupo social no qual ele está inserido também será comovida ao status de aprovação tornando mais fácil o engajamento de novos públicos, apenas trabalhando seus anseios.

Conclusão

O desenvolvimento da pesquisa possibilitou uma reflexão de forma breve sobre a relação da ciência comportamental em seus principais conceitos, com a ferramenta que constantemente cresce no mundo dos negócios, denominada de Marketing de Serviços. Buscar entender essa relação intrínseca é necessário a partir do momento em que o homem quanto ser social dotado de necessidades e desejos interfere diretamente o mercado no qual ele está inserido.

O humano por muitas vezes deixa ser induzido por ideologias que o mercado propõe, porque ele está inserido em uma rede capitalista que trabalha para fomentar cada vez mais suas vontades, o mercado constantemente muda ao mesmo tempo que a personalidade humana também modifica.

Empresas utilizam-se de técnicas para chegar aos clientes, não mais com o intuito de provocar somente uma compra ou adição de serviço, no Marketing 3.0, mostra que atualmente a preocupação está em fidelizar esse indivíduo para que cative cada vez mais outros indivíduos com intuito de aumentar a promoção da mesma.

O mercado explora bastante a vida do consumidor no aspecto social, ele que vai estudar e pontuar estratégias para convencimento de adição de um produto ou serviço, entretanto para que isso se torne uma ferramenta eficaz e útil, o Marketing trabalha com métodos de análise de mercado, estudos e testes de empenho, somente assim é correto dizer que com um público certo, um produto irá saciar ou até explorar novos desejos do consumidor.

REFERÊNCIAS

CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à teoria geral da administração. 2ª ed. Compacta. Rio de Janeiro: Campus, 2000.

KOTLER, Philip. Marketing 3.0, 1ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier Editora Ltda, 2006;

LAS, CASAS. Marketing de Serviços. 6ª ed. São Paulo: Atlas, 2012.

MASLOW, A. H. Introdução à Psicologia do Ser. 2ª ed. Rio de Janeiro: Eldorado, s/d.

MASLOW, A. H. Motivation and Personality, 2ªed, Nova York: Harper & ROW, 1970.


Publicado por: Felipe Gouveia Romualdo

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do site por meio do canal colaborativo Meu Artigo. O Brasil Escola não se responsabiliza pelo conteúdo do artigo publicado, que é de total responsabilidade do autor. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.