Topo
pesquisar

Como alcançar novos resultados, trilhando sempre os mesmos caminhos?

Administração

Em tempos de adversidade, repensamos com mais freqüência a respeito dos resultados que alcançamos ao longo dos últimos meses. Se foram ótimos, o que e como fazer, para mantê-los? Se foram péssimos, o que e como fazer, para melhorá-los?

Em tempos de adversidade, repensamos com mais freqüência a respeito dos resultados que alcançamos ao longo dos últimos meses. Se foram ótimos, o que e como fazer, para mantê-los? Se foram péssimos, o que e como fazer, para melhorá-los?

O diretor executivo, na maioria das vezes, principalmente, nas pequenas ferramentarias é o “executante”! Ele atende a todos os clientes – não significando, que todos os atendimentos gerarão vendas, principalmente, boas vendas!. Ele, “cuida” das contas a pagar – sendo que algumas vezes, ele mesmo, vai ao banco, pagá-las! Das contas à receber – e muita vezes, fazendo o papel do cobrador. Ele, “cuida” das compras dos insumos e da contratação de serviços – aço, ferramentas, tratamentos, etc.. Ele “cuida” da produção e da gestão de pessoas – muitas vezes operando o próprio torno, no lugar daquele funcionário que faltou! E, ao final de mais um corrido dia, ele talvez não tenha destinado o tempo necessário para atualizar-se, através da leitura de uma revista ou, principalmente, para planejar os rumos de sua ferramentaria.

E assim, as questões estratégicas que envolvem sua empresa, vão ficando para trás. E, como dizem: “ele segue trabalhando dentro do seu negócio mas, não para o seu negócio”. Então questionamos, até que ponto este empresário, compreende o mercado e sua dinâmica, suas mudanças – sua historicidade? Até que ponto tem clareza de seus pontos fortes e fracos, das ameaças e das oportunidades do momento?

Em um mundo globalizado, as informações brotam a cada segundo – e precisamos nos manter atualizados. As distâncias são menores e, conseqüentemente, os concorrentes são em maior número! Os clientes são mais exigentes, desejando produtos melhores a preços menores – aliás, como consumidores, todos nós também desejamos estas mesmas coisas. Os prazos, vão seguindo mais apertados! Os recursos tecnológicos, cada vez mais numerosos e avançados – mas, mesmo assim, uma máquina que acabou de ser adquirida, a partir de um grande investimento, possivelmente será na maioria dos casos, sub-utilizada! Como sobreviver então, neste ambiente? Que é muito diferente, do contexto de algumas décadas atrás?

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Acreditamos que, por mais difícil que possa parecer, faz-se necessário ampliar o diálogo com parceiros, fornecedores, clientes e, inclusive, concorrentes. E, isso será possível, através de diversas maneiras. Visitando seus principais clientes - afim, de entender suas necessidades de expectativas. Chamando seus fornecedores - afim, de construir parcerias efetivas e para também registrar quais são as suas verdadeiras necessidades e expectativas. Efetuando leituras de artigos técnicos, em revistas especializadas. Participando de associações de classe, debatendo novos rumos para o segmento e novas formas de pleitear e pressionar democraticamente por maior participação e parceria do poder público, por exemplo. Visitando feiras de negócios, ambiente onde poderá encontrar todos os players do segmento – e deixando de lado a visão já ultrapassada, que feira é oba-oba. E, participando de seminários e encontros destinados a capacitação técnica, inclusive de colaboradores.

Pois bem, acreditamos que alternativas estão se formando, abrindo espaços para que a capacitação, o diálogo e a troca de experiências, existam. Necessitamos então tomar a decisão de iniciar a nossa participação, sem adiá-la, por mais vezes, por inúmeras razões. Participar ativamente e incansavelmente, de maneira cidadã. Lá fora, nossos concorrentes, estão muito atentos, reunidos e organizados! Criativamente, eles já adotaram, novas atitudes, novos caminhos.


Publicado por: Wagner

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do Brasil Escola, através do canal colaborativo Meu Artigo. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
MeuArtigo Brasil Escola