Whatsapp

Síndrome do viajante, o que é e como prevenir

Saúde

Algumas condições são agravantes e favorecem o surgimento da síndrome do viajante tais como diabetes, obesidade, tabagismo, varizes, ingestão de álcool durante o voo, alimentação pesados antes do voo, mulheres acima dos 40 anos, gestantes.

A síndrome do viajante ou síndrome da classe econômica é uma coagulação do sangue dentro dos vasos que forma placas ou embolos, essa é a trombose venosa profunda, essas placas podem se deslocar pela corrente sanguínea chegando ao pulmão e ocasioanr a embolia pulmonar. Este êmbolo causa o bloqueio de algum vaso sanguíneo pulmonar levando à falta de ar, dor em queimação no peito, tosse, elevação da frequência cardíaca e respiratória e como consequência mais grave causando a morte do indivíduo.

Pouquíssimas pessoas sabem, até pela pouca exposição do assunto na mídia, que o risco em uma viagem de longa duração do surgimento de uma trombose venosa profunda é alto e bastante frequente, pesquisas apontam para uma alta de daus a três vezes no risco dessa doença durante viagens de avião. As viagens de avião são potencialmente mais importantes na causa da TVP em viagens devido as codições relacionadas a temperatura, humidade do ar e mobilidade ainda mais reduzida quando em relação as viagens de automóveis, mas é importante ressaltar que qualquer viagem que acarrete períodos prolongados de imobilidade é fator de risco para o surgimento da TVP.

Estima-se que o tempo médio para o risco de surgimento da trombose venosa profunda seja em torno de 3 a 4 horas de viagem, esse risco vai aumentando na medida que se aumenta as horas de viagem, outro aspecto importante é que o risco aumenta quando se tem uma maior frequência nas viagens.

Algumas condições são agravantes e favorecem o surgimento da síndrome do viajante tais como diabetes, obesidade, tabagismo, varizes, ingestão de álcool durante o voo, alimentação pesados antes do voo, mulheres acima dos 40 anos, gestantes.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Para prevenir esse tipo de problema recomenda-se a ingestão de água que ajuda a deixar o sangue mais fluído, evitar alimentos pesados, importante a movimentação, em caso de viagens de avião procuere, levantar-se caminhar pelo corredor ou fazer movimentos de levantar e abaixar para ativar a circulação nas panturrilhas, até mesmo os movimentos rotacionais dos tornozelos, também para cima e para baixo são muito úteis para ativar os músculos das panturrilhas auxiliando no bombeamento do sangue.

Outro importante recurso de prevensão para a trombose venosa durante as viagens é a meia de compressão, essas meias têm como caracterísitca uma elasticidade maior na composição do tecido o que causa o efeito compressivo. Existem vários modelos, normalmente as usadas para viagens são aquelas 3/4 (até o joelho). As meias possuem basicamente três níveis de compressão utilizados de acordo com cada necessidade prescritas por médico vascular, a mais usual para viagens é a meia de suave compressão.

A meia elástica causa uma compressão nos vasos sanguíneos mais superfíciais otimizando a circulação em vasos mais profundos, melhorando a fluidez do sangue nas pernas e reduzindo consideravelmente o risco da formação de trombo. Ao contrário do que se pensa meias compressivas são confortáveis de se usar.

Meia de compressão 3/4

Meia elástica
Fonte: https://www.ortobraz.com.br

Por tanto o risco de TVP em viagens de longa duração especialmente de avião é considerável e pouco conhecido e suas consequências podem ser bastante danosas, porém com algumas medidas preventivas reduze-se drasticamente esse risco, além de eliminar outros desconfortos como inchaço e dores nas pernas causados pela falta de mobilidade.


Publicado por: FABIO AUGUSTO FIEDLER

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do site por meio do canal colaborativo Meu Artigo. O Brasil Escola não se responsabiliza pelo conteúdo do artigo publicado, que é de total responsabilidade do autor. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.