Whatsapp

A importância da saúde física, mental e psicológica do trabalhador e seu impacto na qualidade da assistência à saúde

Saúde

Análise sobre a importância da saúde física, mental e psicológica do trabalhador e seu impacto na qualidade da assistência à saúde.

A pandemia de Covid 19 com inicio em janeiro de 2020 causada pelo vírus SARS-Cov 2 , Vem causando grande repercussão mundial e impactos econômicos , políticos e sociais. O sistema de saúde está enfrentando uma grande batalha aonde a incerteza, medo, Adoecimento físico, mental, psicológico e grande números de óbitos vem transformando a Vida das pessoas. Com tudo isso ocorre uma avalanche de transtornos de humor, ansiedade e Depressão. Os profissionais de saúde estão entrando em colapso, pois sua saúde mental com oStress,sobrecarga de trabalho está aumentando a cada dia.

Linha de Frente é formada por profissionais e equipe que estão lidando diretamente com o Combate ao Covid 19,tendo maior risco de contaminação devido atendimento e assistência Direta com pacientes infectados e suspeitos. Infelizmente no nosso País os profissionais estão desmotivados diante de tanta desvalorização profissional com falta de recurso e condições de trabalho de qualidade, falta de salários dignos, falta assistência e condições de trabalho.

O estudo liderado pela Fiocruz conhecerá a realidade das condições de trabalho dos Profissionais na linha de frente da Covid-19 buscando compreender o ambiente e a jornada de Atividade, o vínculo com a instituição, a vida do profissional na pré-pandemia e as Conseqüências do atual processo de trabalho, envolvendo aspectos físicos, emocionais e Psíquicos desse contingente profissional.

“Mesmo diante de um cenário de pandemia, observamos denúncias e relatos de Profissionais que estão em situação de precarização do vínculo de trabalho, salários atrasados, Insegurança e sobrecarga de trabalho que geram stress, adoecimento e desgastes físicos e Psíquicos.

Conhecer a realidade desse profissional contribuirá para o direcionamento de Ações, estratégias e políticas públicas que promovam a melhoria das condições de trabalho das Categorias atuantes no enfrentamento da pandemia do novo coronavírus. A participação dos Profissionais é muito importante para delinearmos o cenário atual”, afirma a pesquisadora da Fiocruz Maria Helena Machado, coordenadora do estudo.

Pesquisadora da Fiocruz Maria Helena Machado, coordenadora do estudo.

https://portal.fiocruz.br/noticia/fiocruz-analisa-condicoes-de-trabalho-dos-profissionais-de-saude-na-linha-de-frente-da-covid

A situação desses profissionais ainda é a mais problemática pois estão exposto diretamente com o vírus e não a possibilidade de realizar corretamente o isolamento social.

Exposto a alta carga viral os profissionais da saúde constituem em um grupo de risco para o covid 19, por está exposto diretamente com os pacientes infectados. Além disso estão sujeitos a enormes estresse ao atender os pacientes em situações grave em condições precária de trabalho entro outros causando síndromes psicológica.

Burnout é um transtorno psíquico de caráter depressivo, com sintomas parecidos com os do estresse, da ansiedade e da síndrome do pânico, mas no qual o especialista percebe a associação com a vida profissional da pessoa.

A sobrecarga de trabalho e o esgotamento devido a essa sobrecarga, que pode desencadear a Síndrome de Burnout, estão chamando a atenção dos profissionais da área médica do trabalho.

Eles indicam a necessidade de maior atenção para os sintomas durante o período de tensão e fadiga provocado pela pandemia de covid-19, que trouxe a necessidade de manter o isolamento social pelo máximo de tempo possível.

A Síndrome de Burnout ou esgotamento profissional também vem crescendo como um problema a ser enfrentado pelas empresas e, de acordo com um estudo realizado em 2019, cerca 20 mil brasileiros pediram afastamento médico no ano por doenças mentais relacionadas ao Trabalho.

Uma pesquisa da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) que analisou o impacto da pandemia e do isolamento social na saúde mental de trabalhadores essenciais, mostrou que sintomas de ansiedade e depressão afetam 47,3% desses trabalhadores durante a pandemia, no Brasil e na Espanha. Mais da metade deles (e 27,4% do total de entrevistados) sofre de ansiedade e depressão ao mesmo tempo. Além disso, 44,3% têm abusado de bebidas alcoólicas; 42,9% sofreram mudanças nos hábitos de sono; e 30,9% foram diagnosticados ou se tratou de doenças mentais no ano anterior.

Segundo a OMS, no Brasil, 11,5 milhões de pessoas sofrem com depressão e até 2030 essa será a doença mais comum no país.

Como questões éticas se intensificam em momentos como este, de pandemia, em que o Tratamento dos pacientes e a qualidade de vida do trabalhador tornam-se, ainda mais,Centros de preocupação,a Covid-19, doença causada pela novo Coronavírus (Sars-CoV-2), expôs limitações dos sistemas de saúde em países de todos os níveis de renda. A escassez de recursos médicos e remédios essenciais implica escolhas difíceis e uma reconfiguração dos serviços existentes, com base em diretrizes éticas, para garantir tratamento e atendimento humano e respeitoso.Regras justas e claras para a alocação de recursos escassos, como ventiladores, equipamentos de proteção individual (EPI) e medicamentos, são essenciais. Muitos países têm grande dificuldade em localizar novos recursos humanos e financeiros para pessoas com coronavírus e para manter padrões de atendimento adequados a pacientes com outras necessidades.Além disso, apresenta recomendações para triagem e oferta de cuidados paliativos para os pacientes com suspeita ou diagnóstico confirmado de Covid-19.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Os cuidados paliativos são essenciais para fornecer apoio físico, psicossocial e espiritual para pacientes, familiares e profissionais. De acordo com um posicionamento da Organização Mundial da Saúde (OMS) de 2015, “os cuidados paliativos são uma responsabilidade ética dos sistemas de saúde e é dever dos profissionais de saúde aliviar a dor e o sofrimento, sejam físicos, psicossociais ou espirituais, independentemente de a doença ou condição poder ser curada.

As relações mais hibridas entre trabalho e vida, ou seja, entre as atividades produtivas que desempenhamos e nossa vida como um todo, principalmente tendo em vista o aumento das Doenças entre os profissionais da saúde nessas relações mais hibridas entre trabalho e a vida estão interligados campos sociais que antes eram separados, atualmente é mais comum que as pessoas misturem a sua pessoal com a sua vida profissional, e isso afeta toda a nossa vida, principalmente no casos dos profissionais de saúde. Os profissionais da saúde, por tornaram o seu trabalho a sua própria vida pessoal, acabam se apegando muito mais aos pacientes, se sentindo responsáveis e assumindo uma carga emocional que não deveriam carregar.

Cuidar de si: essencial para enfermeiros.

A enfermagem é uma profissão que prima pelo cuidado aos seus pacientes. Sabemos que a palavra cuidado está intimamente ligada à enfermagem, e que nenhuma profissão é mais cuidadora do que esta. Em qualquer área que trabalhemos, preocupamo-nos em cuidar bem, para que as pessoas e pacientes com as quais nos envolvemos, disponham de bem-estar e qualidade de vida.

A enfermagem é arte e é ciência. É arte no momento que cuida de seres humanos sadios e doentes, e tem suas ações baseadas nos princípios científicos e administrativos. É ciência, quando se fundamenta no estudo e na compreensão das leis da vida. Assim, da arte e da ciência da enfermagem emergem suas ações que são entendidas como cuidar, educar e pesquisar, as quais estão interligadas e compõem as dimensões da atuação dos enfermeiros. Vale ressaltar que, atualmente, no Brasil, existem 413.763 auxiliares, 1.206.406 técnicos e 521.454 enfermeiros atuando na área. Os dados são do Conselho Federal de Enfermagem e indicam o quantitativo de profissionais distribuídos em todo o território brasileiro.

CUIDANDO DE QUEM CUIDA!

Para a Organização Mundial de Saúde (OMS), a saúde mental e o bem-estar são fundamentais para o desenvolvimento pessoal e interpessoal do ser humano, devendo a sua promoção, proteção e recuperação constituírem preocupações vitais dos indivíduos, comunidades e sociedades. O adoecimento mental tem sido um dos problemas sérios que afeta o cotidiano dos profissionais de enfermagem. Em sondagem realizada pelo Coren-SP, 53% dos participantes afirmam sofrer de adoecimento mental decorrente do trabalho.

https://portal.coren-sp.gov.br/cuidando-de-quem-cuida/

Ao se abordar a segurança do paciente, busca-se promover a melhor assistência possível. A segurança do paciente representa um dos maiores desafios para a excelência da qualidade no serviço de saúde. As condições de trabalho são fatores que comprometem a qualidade do cuidado e a enfermagem tem participação fundamental nos processos que visam garantir a qualidade da assistência prestada.

O mundo está passando por uma situação muito difícil de incertezas e medos,mais juntos venceremos,cada um fazendo sua parte;

O reconhecimento profissional e medidas de prevenção para o fim desses danos aos profissionais de saúde está relacionado diretamente com setores administrativos,políticos e sociais,essa construção é ampla e intensa tendo que mudar a visão desses que deveriam ter mais empatia,humanidade e respeito pelos profissionais e população que vive um momento tão delicado.

Com esse trabalho podemos ver o quanto nos cidadãos precisamos dos profissionais que estão na linha de frente, onde eles deixam seus lares e familiares para ajudar, doar-se, cuidar e servir ao próximo sem olhar a quem.

Referências

https://www.google.com/amp/s/agenciabrasil.ebc.com.br/saude/noticia/2021-01/excesso-de-trabalho-e-pandemia-podem-desencadear-sindrome-de-burnout%3famp

https://portal.fiocruz.br/noticia/pesquisa-analisa-o-impacto-da-pandemia-na-saude-mental-de-trabalhadores essenciais#:~:text=Pesquisa%20analisa%20o%20impacto%20da%20pandemia%20na%20sa%C3%BAde%20mental%20de%20trabalhadores%20essenciais,-29%2F10%2F2020&text=Compartilhar%3A,no%20Brasil%20e%20na%20Espanha.

https://www.rhportal.com.br/artigos-rh/saude-mental-do-trabalhador-da-sinais-de-alerta-em-tempos-de-pandemia/

https://www.google.com/amp/s/saude.abril.com.br/blog/com-a-palavra/coronavirus-tratamento-cuidados-paliativos/amp/

https://portal.coren-sp.gov.br/cuidando-de-quem-cuida/


Publicado por: Michael de Souza Correia

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do site por meio do canal colaborativo Meu Artigo. O Brasil Escola não se responsabiliza pelo conteúdo do artigo publicado, que é de total responsabilidade do autor. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.