Topo
pesquisar

Os Heróis da Escola Pública

Literatura

Os Heróis da Escola Pública trata-se da história de 3 garotos do ensino fundamental. Confira!

Essa é a História de três garotos que estudavam no 6º ano do ensino fundamental, apesar de serem aplicados e gostarem de estudar, cada um deles tinha sua preferência pessoal por uma disciplina específica. Ambos faziam parte de uma turminha eletrizante que quase sempre entravam em apuros por conta da ousadia dos demais colegas da turma, e claro os nossos três heróis quase sempre eram requisitados, para utilizarem os seus conhecimentos aplicando-os nas situações adversas que a turma acabara de entrar. Ptolomeu gostava de matemática e quando a situação envolvia mensuração de uma forma geral era o personagem que entrava em ação; Arquimedes era o geografo da turma, adorava estudar geografia e por tanto perante a turminha era o especialista em geografia; Ele atuava quando a situação exigia orientação geográfica das mais variadas formas; e por fim Augustus que tinha como disciplina favorita a educação física era requisitado pela turma quando o assunto envolvia as ciências humanas e o bem estar físico da turma. Eles estudavam na escola pública de ensino fundamental e médio “Professor Raul Córdula” localizado na cidade de Campina Grande, Lá eles se conheceram desde a primeira fase do ensino fundamental, e por um ser mais habilidoso que o outro em determinada disciplina, um fato de cooperação surgiu entre eles, dando origem a uma grande amizade, e uma sensacional cooperação na busca pelo aprendizado, quando era período de avaliação aquele especialista de determinada disciplina, ficaria responsável em repassar um pequeno lembrete para os outros; mas que só poderia ser feito quando o professor (a) entregasse a avaliação, o que tornava a operação de extremo risco. Não que os outros colegas não estudassem nem prestassem atenção nas aulas, mas porque sempre haveria uma ou mais questões, que aqueles colegas por algum motivo não conseguiam lembrar e, portanto entrava em ação o especialista da turma na disciplina na qual o mesmo se dera melhor. Apesar do alto risco que eles corriam quando no período de avaliação, sempre tiveram boas notas, pois nem sempre era possível fazer esse ou aquele lembrete, mas como ambos estudavam e prestavam bastante atenção nas aulas nunca tiveram nota inferior a 7,0, o que os deixou com um alto respeito perante toda a turma, não que seus colegas também não fossem inteligentes também, mas que infelizmente seus colegas não sabiam aproveitar o mais importante das aulas que era a explicação do professor, isso causava na turma os mais variados sentimentos que iam de paixão e carinho por parte das garotas, até raiva e inveja por parte de outros colegas, como era o caso da turma de João cabeção como era chamado o líder do grupo rival de nossos heróis.

João mais conhecido na turma como João cabeção, era o líder do pequeno grupo que ficava muito incomodado com a fama de nossos heróis na escola, tudo isso por conta dos diversos elogios recebidos por eles tanto dos professores, quanto inclusive dos pais dos componentes do grupo rival, o que deixava sempre João cabeção muito incomodado. João cabeção era inclusive um dos maiores mentores das armadilhas preparadas para os nossos heróis, no sentido de denegrir a imagem dos mesmos perante toda a escola. Moisés era um garoto extrovertido que fazia parte da turma dos nossos heróis, gostava de participar das festas era um exímio namorador, no entanto tinha horror à escola, o que contribuía para que o mesmo não tivesse o interesse necessário pelas aulas. Vivia torcendo para que os professores fizessem suas avaliações na forma de trabalho em grupo, pois dessa forma Moisés poderia contar com a ajuda de nossos heróis. Certo dia o professor de ciências decidiu utilizar como uma de suas avaliações um trabalho em equipe utilizando como tema o corpo humano, Moisés ficou muito satisfeito, pois o mesmo achava que bastaria contar com a ajuda de seus colegas para tirar uma ótima nota; mas infelizmente para a decepção de Moisés, o professor também exigiu que fosse feita a defesa do trabalho por todos os componentes das equipes o que de forma direta forçaria todos a estudarem. João cabeção ficou com raiva por ter que estudar para a defesa de seu trabalho; e ao mesmo tempo alegre ao ver o desespero de Moisés. Moisés em uma atitude inesperada por todos os colegas de sala levantou-se e em alto e bom som disse:

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

- Deixe comigo!

Todos ficaram espantados com a atitude repentina de Moisés. Ao final da aula Moisés reuniu-se com Ptolomeu, Arquimedes e Augustos e foi logo prontamente dizendo:

- A nossa equipe tá formada né?

- Sou eu e vocês e mais ninguém, pois como o professor disse a equipe é de no máximo quatro pessoas.

A turma aceitou a entrada de Moisés na equipe, mas com uma condição, que aparte que lhe coubesse fosse realmente estudada para a equipe não sair prejudicada. Moisés aceitou e disse novamente em alto e bom som:

-Deixe comigo!

Cada equipe teria um dia específico para fazer a sua defesa, o que não poderia ser mudado em hipótese alguma de acordo com o professor. No dia da apresentação do trabalho de nossos heróis, Ptolomeu, Arquimedes e Augustos ficaram muito nervosos, pois o horário da aula de ciências estava se aproximando e Moisés ainda não havia chegado, começa a aula de ciências e o professor antes de solicitar o início da apresentação do trabalho fez uma explanação sobre as defesas que já haviam sido feitas nos dias anteriores, e pouco antes do termino da explanação do professor chega com a cara de tristeza na sala Moisés, senta-se junto dos colegas e diz:

- Amigos foi mal!

-Ontem inventei de dar umas voltinhas esqueci-me de estudar e fui dormir tarde.

Quando o professor chamou a equipe para fazer a sua apresentação, eles foram a frente da lousa cabisbaixos e disseram:

- Desculpe professor, mas Moisés teve problemas e não pode fazer a sua defesa.

Após eles contarem toda a história narrada por Moisés ao professor, o professor de forma indignada disse que todos ficariam com a nota zero. E que essa seria a punição para que a equipe aprendesse a ter responsabilidades nas coisas importantes em suas vidas. A sala rapidamente se manifestou contraria a atitude do professor, por achar injusta a decisão por conta dos outros componentes, já que eles haviam estudado e estavam preparados para fazerem as suas defesas. O professor em uma atitude de justiça colocou em votação na turma, se ele deveria dar outra chance à turma marcando outra data ou não. E felizmente por 12 votos a favor claro com o apoio da ala feminina fã de nossos colegas, contra 5 votos contra do grupo de João cabeção, nossos heróis tiveram uma nova chance, e que com a pressão da turma fizeram com que Moisés estudasse contribuindo assim para uma nota 8,0 para todos os membros da equipe.

Fica assim então mais uma lição na história de nossos heróis, devemos sempre dar prioridade as coisas importantes em nossa vida, pois quando isso não acontece não somos apenas nós que somos penalizados, mas as pessoas que estão ao nosso redor e que trabalham para nos ajudar. 


Publicado por: JORGE LUCENA

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do Brasil Escola, através do canal colaborativo Meu Artigo. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
MeuArtigo Brasil Escola