Whatsapp

LITERATURA: SABEDORIA E CONHECIMENTOS

Literatura

Breve análise sobre literatura: sabedoria e conhecimentos.

As letras, as palavras, os textos, os livros, os arquivos digitais, e muito mais, que se produz, por escrito ou oralmente, são literatura. A literatura é uma riqueza cultural, histórica, artística, arqueológica, antropológica e com tantas outras qualidades que traduzem sonhos, utopias, memórias, fatos, verdades, lendas, medos, além de tantos outros sentimentos humanos, com enormes, gigantescas, quase infinitas, possibilidades. Não é fácil tratar do tema da literatura a partir do leitor. É ele quem produz, quem entende, a sua obra. O escritor, o produtor, o artista das letras, das palavras, das expressões literárias, é uma pessoa mágica, especial, com conhecimentos do belo, com uma sabedoria valiosa, que transforma mundos, vidas, homens e mulheres, no tempo e no espaço. A literatura transcende as regras das normas cultas. A literatura é uma arte. É uma expressão de Culturas. É quase um dom. O sujeito da literatura é uma pessoa de carne, ossos, mente, coração, espírito, alma, real. 

A arte dos livros físicos nunca se perde no tempo e no espaço. Ela vive para sempre, pois é um presente que nasceu com a construção de uma nova humanidade. Representações do bem ou do mal, do real ou do imaginável. Mesmo com todas as tecnologias, mídias, comunicações outras, internet, redes sociais e tantas expressões da pós-modernidade, dos novos tempos, nos tempos de hoje, os livros continuam fazendo parte da história da vida humana. Um leitor compulsivo é uma pessoa que expressa sentimentos, que demonstra suas verdades. Quando ele se aproxima, por exemplo, deste precioso instrumento produzido pela mão humana, mais com inspiração divina, a Bíblia, o livro mais antigo do mundo, que é um exemplo palpável de como a literatura transcende o espaço o tempo de tantas gerações, é que se percebe o valor do livro. O sagrado transcende gerações, transcende o olhar material humano, transcende o tocável, invade almas, espíritos e mentes tantas.

Quem lê muito, escreve bem. Um bom leitor, tende a ser uma pessoa culta, não uma cultura pequena, sem valor, e sim uma cultura com tantas riquezas, riquezas estas mais valiosas do que o ouro, a prata ou pedras preciosas, do que os poderes políticos, do que os poderes religiosos, do que tantos outros valores materiais transitórios. Um bom leitor, um bom produtor de mais e mais elementos de conhecimentos, conquistados com as experiências da vida, por meio de tantos homens e tantas mulheres, além do próprio meio ambiente, é um mundo, é algo poderoso, poder este que transforma o mundo.

A Seguir, é possível demonstrar, tantas literaturas, e estas, a seguir, serão apenas algumas de milhares, biliares, para não dizer trilhares, de experiências de uma literatura, além Mundos, uma literatura escrita.

Phillippe Aries. História da morte no ocidente. Editora Nova Fronteira, 2017.

José Roberto de Castro Neves. Medida por medida: O direito sem Shakespeare. Editora Nova Fronteira, 6ª Edição.

March Bloch. Apologia da história ou o oficio do historiador. Zahar, 2001.

Pe. Gabriele Amorth. Novos relatos de um exorcista. Palavra & Prece, 2012.

Jan Carlzon. A hora da verdade. Sextante, 2005.

Jana Souza e outras. Mulheres reais: Caminho do Diálogo. Litteris Editora, 2018.

Christophe Dejours. A loucura do trabalho: Estudo de psicopatologia do trabalho. Oboré Editorial, 1987.

Robert Amadou. Parapsicologia. Editora Mestre Jou, 1966.

Bíblia com ajudas adicionais. Editoração Alfalit Brasil, 2000.

Regina Célia Passos Ribeiro de Campos. Pesquisa, Educação e Formação Humana: nos trilhos da História.  Autêntica, 2010.

Jorge Dias Souza. As chefias avassaladoras: a face oculta da tirania e do assédio moral nas empresas e o que fazer para acabar com essa prática devastadora. Novo Século Editora, 2ª Edição.

É relevante considerar que a literatura também é técnica de composição de escritos e de uma oralidade que seguem a gramática, as normas formais, cultas, da língua. É necessário, também, que o leitor, que é o autor, sinta o texto, a fala, nas expressões dos valores de uma escrita e de uma fala completa, não como mera regra de formalidades, padrões, elegância intelectual. É preciso que se ultrapasse o imediato, o agora, o fazer bonito para outro gostar, e se construa uma literatura linda. A pessoa humana pode ter cursado um pós-doutorado, e tratar a literatura formalmente, seguindo padrões literários que a sociedade segue em muitos casos, como, por exemplos, nos tribunais, nas salas de aula, nos escritos de jornais, e em tantos outros espaços de comunicação, entretanto, a língua, a fala, a escrita, o conhecimento, os saberes tantos, precisam se apresentar para a sociedade, cada qual dentro de suas realidades, expressando sentimentos e não apenas regras, pois regras são importantes, só que as expressões dos sentimentos valem muito, para os dois lados. Não se está desprezando a norma culta, os padrões cultos da língua, a gramática, as formalidades da literatura, o que se está propondo é uma revisão de como se produz uma literatura com referências do antigo, nas atualidades dos tempos de hoje, projetando experiências que serão realizadas em um amanhã.

A expressão da oralidade humana sempre esteve presente no mundo, nos quatro cantos deste Planeta chamado Terra. É bom se aproveitar da internet para se ouvir algumas experiências humanas de comunicação, com a oralidade.

Heloisa Schurmann. A Fome do Saber. Disponível no site: https://www.youtube.com/watch?v=Ik6E0RhaZCk

Renato Mezan. Freud: a sociopatologia da vida cotidiana. Disponível no site: https://www.youtube.com/watch?v=AHySNkUnP8Y

Monja Coen. A busca da nossa essência. Disponível no site: https://www.youtube.com/watch?v=Nhx4pHJkhrA

Roupa Nova. Linda Demais. Disponível no site: https://www.youtube.com/watch?v=_v91rspSeNE

Na íntegra, o 1º discurso de Biden como presidente eleito dos EUA. Disponível no site: https://www.youtube.com/watch?v=fYYOEMeOxaE

Malala Yousafzai faz discurso na ONU por educação. Disponível no site: https://www.youtube.com/watch?v=--blSbx0Xyg

Beyoncé. Halo. Disponível no site: https://www.youtube.com/watch?v=bnVUHWCynig

Filme: Meu Pedaço de Chão. Disponível no site: https://www.youtube.com/watch?v=bjQVkqdIfpk&t=5s

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Hino a Nossa Senhora das Graças. Disponível no site: https://www.youtube.com/watch?v=qjUg6iCioG0

Aline Barros. Coração de Mãe. Disponível no site: https://www.youtube.com/watch?v=5QrHtI2yiqw

Deluccas & Lucian. Um Jantar Pra Jesus. Disponível no site: https://www.youtube.com/watch?v=9u_PcIYl1Bc

Sábios do Nordeste. Disponível no site: https://www.youtube.com/watch?v=vp512_W5teo

Pendurei Poesia: O conto animado em cordel. Disponível no site: https://www.youtube.com/watch?v=9cCVbcGud74

Ariano Suassuna discorre sobre Deus e o sentido da vida. Disponível no site: https://www.youtube.com/watch?v=Beq961fusnk

Jornalista Japoneses chorando ao anunciar a morte de Ayrton Senna. Disponível no site: https://www.youtube.com/watch?v=b9vxnHjqsA0

Professora Amanda Gurgel silencia Deputados em audiência pública. A Educação no Brasil. Disponível no site: https://www.youtube.com/watch?v=4P2QXsvxa6Y

O surgimento da internet no mundo não fez com que a literatura fosse sepultada em uma cova profunda. Ao contrário, a literatura ficou mais presente e em uma velocidade mais rápida, com um simples click, na vida de todas as pessoas. Se antes as pessoas demoravam muito para terem acesso há uma produção escrita, uma palestra, uma música ou outras produções tantas, no tempo da internet estas chegam de forma mais rápidas. A internet não substitui os textos escritos, a oralidade, as expressões do corpo, o que ela faz é facilitar a vida, muito corrida, das pessoas do tempo de hoje. Com a internet viram as redes sociais que ampliaram as comunicações com o mundo. Outros caminhos de comunicações surgem com a internet. Hoje é mais rápido uma pessoa conversar com outra que está muito distante. A carta hoje foi atualizada pelo e-mail e outras expressões de comunicação nesta linha. WhatsApp foi uma conquista. O Facebook é uma outra conquista. A comunicação, as novas tecnologias, a internet, e tantos outros caminhos, transcendem, ultrapassam fronteiras. Hoje, em questão de  segundos, pessoa A que mora na Bolívia pode conversar com pessoa B que mora na China. São as facilidades dos novos tempos. Claro que assim como os livros, a internet também tem seus desafios, medos, obstáculos, curiosidades, e tantas outras experiências que precisam de um aprimoramento humano. A máquina não substituirá jamais a pessoa humana. A biblioteca, física ou virtual, sempre fará parte do cotidiano humano, seja no Brasil ou fora dele. Os saberes, sempre farão parte deste meio ambiente formado por humanos, vegetais e animais.

Com a chegada das novas inovações, tem-se as produções virtuais, produções estas que já fazem parte a aproximadamente a mais de  vinte anos das realidades das sociedades.

Caroline Leite de Camargo. Saúde: um direito essencialmente fundamental. Disponível no site: https://ambitojuridico.com.br/edicoes/revista-121/saude-um-direito-essencialmente-fundamental/#:~:text=%E2%80%9CA%20sa%C3%BAde%20%C3%A9%20concebida%20como,doen%C3%A7a%20e%20de%20outros%20agravos.

Ebenezer Takuno de Menezes. Professores de mãos dadas com o meio ambiente. Disponível no site: https://www.educabrasil.com.br/professores-de-maos-dadas-com-o-meio-ambiente/

Mário Sérgio Cortella. Responsabilidade Social. Disponível no site: http://www.responsabilidadesocial.com/entrevista/mario-sergio-cortella/

José Comblim. Os pobres e a libertação. Disponível no site: http://www.ihu.unisinos.br/173-noticias/noticias-2011/42086-os-pobres-e-a-libertacao-artigo-inedito-de-jose-comblin

Mara Regina Machado Costa. Sustentabilidade Ambiental: dificuldades e alternativas. Disponível no site: http://tcc.bu.ufsc.br/Economia291926.pdf

Daniel Neves Silva. Totalitarismo. Disponível no site: https://www.historiadomundo.com.br/idade-contemporanea/totalitarismo.htm

Julia Boeira da Ressurreição. A importância dos contos de fadas no desenvolvimento da  imaginação. Disponível no site: http://facos.edu.br/publicacoes/revistas/ensiqlopedia/outubro_2010/pdf/a_importancia_dos_contos_de_fadas_no_desenvolvimento_da_imaginacao.pdf

Kelli Cristina Ribeiro. A posição de algumas religiões e questões polêmicas acerca do aborto. Disponível no site: http://siaibib01.univali.br/pdf/Kelli%20Cristina%20Ribeiro.pdf

Eduarda Schein; Maiara Marinho. A imprensa e seu papel na construção de uma percepção distópica da realidade. Disponível no site: https://www.brasildefato.com.br/2020/06/11/artigo-o-papel-da-imprensa-na-construcao-de-uma-percepcao-distopica-da-conjuntura

Um último, e muito relevante destaque no tema da literatura, são as desigualdades sociais. A pobreza é fruto de misérias humanas que produzem mortes, mortes estas que matam a alma humana, o meio ambiente, a própria vida neste Planeta. Ter dignidade é ter respeito pela vida, pelo meio ambiente. Existe muita literatura mundo afora falando sobre a vida, e a vida precisa ser falada, precisa ser defendida com todas as forças. A pessoa humana não pode ser tratada como mais um produto sem valor. é uma vida, e merece respeito. Tantos têm muitos, enquanto muitos não têm nada. A fome, por exemplo, é reflexo da falta de amor. E literatura é expressão de sentimentos, que precisam sensibilizar os corações humanos para uma defesa maior do meio ambiente, no qual todos convivem e vivem. Acabar com as desigualdades é preciso. Em cada nação, em cada sociedade, em cada país, em cada realidade, é obrigação da pessoa humana, único ser vivo pensante, conhecedor do mundo das letras, das artes, de uma oralidade, de uma fala bem trabalhada, unir forças para destruir as misérias humanas. Fazer literatura é ter um olhar carinhoso e crítico para o outro, para o meio, para dentro desse, e perceber que vidas humanas sempre importam, que o meio ambiente sempre importa, Pois não adianta ter conhecimentos tantos e sabedorias outras, se não houver dentro do coração, na mente, no espírito na alma, uma expressão de amor pelo mundo, reparando erros do passado, trabalhando o presente e buscando um novo futuro, um futuro melhor, para todas as gerações. Aproveitando este tema tão especial da literatura, é ratificante cantar aos quatro ventos do Planeta Terra um enorme Não aos preconceitos, Não as discriminações, Não as intolerâncias, Não aos racismos, Não a tudo que mata a carne, a alma, a mente, o espírito, a natureza presente no mundo. As ideias de mortes, precisam acabar, e que sejam projetadas experiências de vida, vida plena, vida em abundância.

Valdemi Cavalcante Teixeira.  Ser criança.  Disponível no site: https://www.pensador.com/frase/MTgwNTMyOA/

Fernando Pessoa. O amor. Disponível no site: https://www.youtube.com/watch?v=3-tmfX77FfE

José Paulo Paes. O melhor poeta da minha rua. Editora Maxiprint, 1ª Edição.

 

Autor:  Pedro Paulo Sampaio de Farias

Professor; Pedagogo; Especialista em Educação; Especialista em Gestão Pública; Mestrando em Educação; Pós-graduando em Teologia; Pós-graduando em Antropologia; Graduando em Direito; Líder Comunitário; Líder de Associação de Professores; Sindicalizado da Educação; Servidor Público Estadual e Municipal; Atuante em Movimentos Populares e Movimentos Sociais; Cristão Romano.


Publicado por: PEDRO PAULO SAMPAIO DE FARIAS

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do site por meio do canal colaborativo Meu Artigo. O Brasil Escola não se responsabiliza pelo conteúdo do artigo publicado, que é de total responsabilidade do autor. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.