Whatsapp

COMPUTAÇÃO EM NUVEM: A NOVA ERA DA INTERNET

Informática

Analise sobre os tipos de computação em nuvem, a nova era da internet.

A ideia de cloud computing não é nova ou excessivamente complicada de recursos tecnológicos e perspectiva de internetworking. O que é novo é o crescimento e a maturidade de métodos de computação em nuvem e estratégias que permitem as metas de agilidade nos negócios.

A frase "utility computing" não cativou ou criou a agitação na indústria da informação como o termo “cloud computing” tem nos últimos anos, mesmo assim, a apreciação dos recursos prontamente disponíveis chegou e o utilitarista (cobrança por uso) ou “servicing features” (que utiliza por serviço contratado) são o que estão no cerne da terceirização do acesso à tecnologia da informação, recursos e serviços. Sob esse aspecto, a computação em nuvem tornou-se um fator de mudança no setor de negócios e grandes empresas que fazem grande uso de tecnologia da informação percebem um maior potencial em combinar e compartilhar recursos de computação em vez de construí-los e mantê-los.

Parece que não há escassez de opiniões sobre os benefícios da computação em nuvem nem de fornecedores dispostos a oferecer serviços tanto em código aberto quanto em soluções comerciais promissoras. Além do “hype”, há muitos aspectos da nuvem que ganharam uma nova consideração devido à sua capacidade de aumento dos serviços (escalabilidade) e a potencial eficiência da metodologia. A capacidade de demonstrar resultados em cloud computing para resolver problemas tradicionais de negócios usando as melhores práticas de gerenciamento de tecnologia da informação já existe. No caso de impactos econômicos, o princípio do “pay-as-you-go” e os diagnósticos de consumo de uso dos serviços, são ferramentas nativas, a partir delas, podemos medir o desempenho e calcular os efeitos econômicos e ambientais da metodologia de forma descomplicada.

A mudança arquitetônica de cliente-servidor para orientação de serviço, levou a uma evolução de código cada vez mais testável e reutilizável; embora esta prática já existisse há muitos anos, é agora que esta abordagem de fato é usada para reduzir custos e identificar as melhores práticas e padrões para aumentar a agilidade dos negócios. Isto avançou a indústria de software de computador, métodos de design, componentes e engenharia. Comparativamente, a ampla aceitação e a adoção da computação em nuvem estão revolucionando a informação e a tecnologia gestão de recursos. Agora temos a capacidade de terceirizar hardware, software e recursos em grande escala para atender aos requisitos de automação de negócios de ponta a ponta.

Podemos elencar diversas plataformas que se especializaram em fornecer serviços em nuvem como:

- Microsoft Azure

- Amazon AWS

- Google Cloud

- Oracle Cloud

- IBM Bluemix

Os tipos de computação em nuvem são modelos de implantação de serviço que permitem a seleção do nível de controle sobre as informações e tipos de serviço que precisam ser fornecidos. Há três tipos principais de serviços de computação em nuvem, às vezes chamados de pilha de computação em nuvem, pois são compilados um sobre o outro.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O primeiro tipo de computação em nuvem é a infraestrutura como serviço (IaaS), usada para acesso à recursos de computação e armazenamento baseados na Internet. Sendo a categoria mais básica entre os tipos de computação em nuvem, a IaaS permite que você alugue uma infraestrutura de TI (servidores e máquinas virtuais, armazenamento, redes e sistemas operacionais) de um provedor de nuvem em uma base paga conforme o uso.

O segundo tipo de computação em nuvem é a plataforma como serviço (PaaS), que dá aos desenvolvedores as ferramentas necessárias para criar e hospedar aplicativos Web. A PaaS foi desenvolvida para proporcionar aos usuários o acesso aos componentes necessários para desenvolver e operar rapidamente aplicativos Web ou móveis na Internet, sem se preocupar com a configuração ou gerenciamento da infraestrutura subjacente dos servidores, armazenamento, redes e bancos de dados.

O terceiro tipo de computação em nuvem é o software como serviço (SaaS), usado para aplicativos baseados na Web. O SaaS é um método de entrega de aplicativos de software na Internet, no qual os provedores de nuvem hospedam e gerenciam os aplicativos de software, fazendo com que seja simples ter o mesmo aplicativo em todos seus dispositivos de uma só vez por meio da nuvem.

A nuvem já tem característica um ecossistema sustentável que nos fornece todas as ferramentas necessárias para produtividade em tecnologia;

Figura1: A nuvem.

Marks e Lozano entenderam esse surgimento e a necessidade de um melhor design de software: “…. Agora temos a capacidade de coletar, transportar, processar, armazenar e acessar dados praticamente em qualquer lugar em um volume quase arbitrário. ” As limitações dependem em grande parte de quão “cloudy” ou “cloudaware” (capacidade de tornar o serviço um serviço de nuvem) é o serviço / componente e, portanto, a necessidade de uma melhor arquitetura de software.

(Eric A. Marks and Roberto Lozano [Executive Guide to Cloud Computing]).

A evolução reutilizável através da arquitetura de serviços reforça o foco nos negócios objetivos em oposição ao número de plataformas de computação para suportar. Como viável alternativa de gerenciamento de recursos, a computação em nuvem está mudando fundamentalmente a maneira que pensamos em soluções de computação nos setores de varejo, educação e público. O uso da arquitetura e os padrões da computação em nuvem estão impulsionando as formas exclusivas em que as soluções de computação são oferecidas, bem como a diversidade de plataforma para atender aos objetivos de negócios finais.

Referências:

Eric A. Marks, Bob Lozano - Gildan Media, LLC - Executive's Guide to Cloud Computing - 2018-09-19

https://forbes.uol.com.br/listas/2018/09/30-melhores-empresas-de-computacao-em-nuvem-de-2018/

https://azure.microsoft.com/pt-br/overview/types-of-cloud-computing/

Autor: Hudson da Costa Angelo


Publicado por: HUDSON DA COSTA ANGELO

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do site por meio do canal colaborativo Meu Artigo. O Brasil Escola não se responsabiliza pelo conteúdo do artigo publicado, que é de total responsabilidade do autor. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.