Whatsapp

Um pouco da história da educação no bairro São Clemente

História

Um pouco da história da educação no bairro São Clemente, São Clemente; Noé Abati; Balão Mágico, no desenrolar das cortinas, Escola Estadual Fundamental Professor Noé Abati.
RESUMO

Analisando a história é nota-se que muitas vezes tem-se o mito como a verdade absoluta, contudo após de uma pesquisa criteriosa, que a construção de uma nova concepção e ao tê-la o indivíduo tem condições de como um agente modificador de modificar o pensamento de outros. A tomar conhecimento deste trabalho, que foi elaborado através de fontes escritas e fontes não escritas, possa servir de auxílio para compreender um pouco mais sobre a história local do bairro São Clemente e de sua estrutura educacional, nos parâmetros de pré-escola e escola das séries inicias e fundamental. Conhecendo uma parcela da história nos da base pra desenvolver o nosso futuro, e nos facilita para a solução de problemas existentes.

Palavras-Chave: São Clemente; Noé Abati; Balão Mágico.


1. INTRODUÇÃO

A comunidade Andrino é uma convergência muito interessante de alguns bairros sendo: Praia Redonda, Andrino, São Clemente, São Brás e Passo do Gado. A razão de ser grandemente difundido o nome Andrino, dá-se pelo proprietário das terras que se chama Andrino, mas o bairro na realidade é São Clemente, pois após a ponte do “Andrino” tem esta denominação.

A educação no bairro São Clemente tem apenas duas vertentes a municipal representada pelo C.E.I. – Centro de Educação Infantil Balão Mágico e Estadual representada pela Escola Estadual Fundamental Professor Noé Abati, que atendem um comunidade de aproximadamente 7000 (sete mil) habitantes, entre crianças e adultos.


2. NO DESENROLAR DAS CORTINAS

Seguiram-se duas linhas de trabalho que em alguns momentos cruzaram-se, promovendo-se intrinsecamente no objetivo pretendido; para o C.E.I. Balão Mágico foi utilizado em quase sua totalidade um relato oral da diretora Professora Márcia de Oliveira e para a Escola Estadual Fundamental Professor Noé Abati, material cedido pela própria escola. “Tanto as fontes escritas como as não escritas fornecem subsídios preciosos para os estudos históricos.” (SOUZA, 2007).

2.1. C.E.I. Balão Mágico

Na real necessidade de pais trabalhadores dos vários segmentos produtivos da sociedade em 1985 foi implantado o C.E.I. Balão Mágico junto ao Conselho Comunitário São Clemente, iniciou seus trabalhos com uma professora, a professora Mabel e uma agente serviços gerais, a dona Elisa, nesta época grande parte das decisões necessárias eram tomadas pelo Conselho Comunitário São Clemente.

Em 1988 contava com uma professora que também era a encarregada de direção, acumulando funções, neste período já atendiam 25 alunos de 5 a 6 anos. A Prefeitura Municipal criou o Projeto RECRIANÇA, desenvolvido no período vago, isto é, não utilizando o horário que as crianças estudavam, mas extra-classe com atividades artísticas, recreativas e auxílio dentro do histórico escolar; para desenvolver o projeto a Prefeitura Municipal destacou mais uma professora, que se ocupou apenas nas atividades extra-classe.

Em 1989 a professora que era a encarregada de direção, saiu da escola e a professora que atendia no Projeto RECRIANÇA, assumiu como Diretora do C.E.I. Balão Mágico começou a partir desta data a tentativa da desvinculação do C.E.I. do Centro Comunitário São Clemente.
Na Gestão 90/92 do então prefeito Estener Soratto, abraçou-se a idéia da ampliação da escola e foi realizado onde foi construído uma sala de aula, dois banheiros, uma cozinha e um refeitório.
De lá pra cá, a escola continua crescendo, barrado apenas o crescimento demográfico, pois ela está delimitada em um espaço reduzido, hoje atende 124 crianças entre os dois períodos, de 05 e 06 anos de idade pela manhã e de 03 a 04 anos de idade a tarde distribuídas em 2 sala amplas uma outra sala que era usada como sala de vídeo e passou a integrar a escola como mais uma sala de aula que atende 15 alunos, o C.E.I. Balão Mágico na direção da Professora Márcia de Oliveira, nestes 06 anos que ela é a diretora, o C.E.I. já atendeu até 150 alunos no ano letivo, que não precisam trazer lanche pois a prefeitura fornece merenda balanceada, possui um nutricionista; parte do material é entregue para os alunos e o restante a família contribui.

A maior dificuldade que o C.E.I. Balão Mágico enfrenta tem a ver com o ambiente físico que poderia ser maior, mas sofre alguns entraves, tipo a liberação do terreno do que antes foi o Centro Comunitário São Clemente que hoje está desativado e o prédio tem parte de sua estrutura destruída, que poderia ser usado para ampliação do C.E.I. e com isto o aumento do atendimento do número de crianças da comunidade, depende de barganhas dos interessados/proprietários dos terrenos.

O C.E.I. Balão Mágico conta hoje com 07 profissionais na área pedagógica, todos com curso superior e na sua maioria com mestrados ou doutorados, preservando a qualidade de ensino e a preocupação com a educação nesta parte inicial da vida, mas que constrói o caráter e a personalidade para sempre.

2.2. Escola Estadual Fundamental Professor Noé Abati

A Escola Básica Professor Noé Abati foi criada em 12/10/1953 pelo Governo do Estado e autorizada a funcionar com Escola Básica pelo decreto de 05/04/1972, apenas em 1999 passou-se a denominar-se Escola Estadual Fundamental Professor Noé Abati.

Um marco na vida da Escola Prof. Noé Abati aconteceu quando uma parte da escola veio abaixo, acontecimento ocorrido em um fim de semana felizmente, por alguns dias não houve aulas, contudo o CEDUP antigo CIP, cedeu parte de suas instalações para atender os alunos da Comunidade do Andrino, e a Prefeitura Municipal tem arcado com as despesas do transporte do bairro São Clemente até a referida escola.

Já está em fase adiantada a conclusão das obras que tem prazo de finalização para o fim do 1º semestre de 2007, quando retornarão as aulas para o prédio próprio. A escola atende cerca de 500 alunos nos três horários sendo de 1ª a 8ª séries e ainda possuindo classes de Educação de Jovens e Adultos.

Os alunos que freqüentam as aulas participam de uma merenda balanceada, contribuem com 100% do material que irá ser utilizado durante o ano, e repassam através de carnês uma quantia simbólica (definida em reuniões da APP) como mensalidade para a escola.

A dificuldade maior hoje é exclusivamente não possuir o próprio ambiente físico, sendo lembrado sempre pelos educadores aos educandos que as instalações são emprestadas, no tocante a área pedagógica, possui professores, coordenadores e orientadores que estão desenvolvendo seus trabalhos com turmas do ensino fundamental.


3. CONCLUSÃO

Dificuldades sempre são encontradas burlar as dificuldades e fazer de problemas soluções é que demonstra a iniciativa, criatividade, o entusiasmo, que expõe o líder arrojado, cativante e democrático.

Tanto o C.E.I. Balão Mágico quanto a Escola Estadual Fundamental Professor Noé Abati, desenvolveram ao seu modo maneiras e condições de não fecharem suas portas, que significaria mais de 600 pessoas que para poderem receber o ensino pré-escolar até a 8ª série necessitariam de ir mais longe de sua comunidade e/ou pagarem valores exorbitantes em troca da educação básica e necessária a todos os indivíduos. Sendo talvez a desculpa de muitos para deixarem de estudar, engrossando a lista dos analfabetos ou semi-analfabetos que já é excedente em um país


4. REFERÊNCIAS

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Aurélio On-Line – corresponde ao Aurélio Século XXI. 3ª. Edição. 2ª. Impressão. Curitiba: Positivo, 2004.

KLOCH, Hermínio. Informática Básica e Tecnologias na Educação, 2. ed. Indaial: ASSELVI, 2007.

SUPERDOWNLOADS. AMEM. Disponível em:
. Acesso em: 14 abr. 2007.

SUPERDOWNLOADS. Controle escolar. Disponível em:
. Acesso em: 14 abr. 2007.

SUPERDOWNLOADS. Gerenciador de creches. Disponível em:
. Acesso em: 14 abr. 2007.

SUPERDOWNLOADS. Gradelog lite. Disponível em:
. Acesso em: 14 abr. 2007.

BAIXAKI. Aprovando você. Disponível em:
. Acesso em: 14 abr. 2007.

BAIXAKI. Categorias. Disponível em:
. Acesso em: 14 abr. 2007.

BAIXAKI. Editores. Disponível em:
. Acesso em: 14 abr. 2007.

Publicado por: Alexandre Dias Hansen

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do site por meio do canal colaborativo Meu Artigo. O Brasil Escola não se responsabiliza pelo conteúdo do artigo publicado, que é de total responsabilidade do autor. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.