Topo
pesquisar

O que são Biomas?

Geografia

Os Biomas são regiões heterogêneas onde se integram diversos fatores, sendo os principais a vegetação, os climas e os solos.

Os Biomas são, na escala global, a maior comunidade terrestre ou unidade ecossistêmica existente. São identificados como a comunidade madura ou associação de espécies dominantes numa determinada condição climática vigente. Os Biomas são regiões heterogêneas onde se integram diversos fatores, sendo os principais a vegetação, os climas e os solos (CONTI; FURLAN, 2014, p. 137).

Floresta Tropical Úmida

Esse tipo de Bioma ocorre no continente americano. A floresta tropical úmida acontece no Caribe, na bacia amazônica e na Mata Atlântica. No continente africano são encontradas nas terras baixas do Congo. São encontradas também nos arquipélagos e penínsulas do sudeste da Ásia. Ocorrem entre os trópicos. Ocorrem em terras baixas ou pouco elevadas, são marcadas por precipitação elevada e bem distribuída ao longo do ano. Estão nas regiões mais quentes e úmidas do planeta, e concentram a maior biomassa terrestre (indústria farmacêutica). Possuem um limite inferior de temperatura de 18ºC, sendo que as variações ficam entre 21ºC e 30ºC. Formam um dossel contínuo, ou seja, as copas se interligam, formando uma espécie de “telhado verde”, com algumas espécies acima desse dossel. As árvores são geralmente altas, podendo chegar até 60 metros de altura.

Esse tipo de floresta não foi destruído nas eras glaciais, portanto, tiveram muito tempo para desenvolver mecanismos eficientes de sobrevivência. Possuem maior ou menos estratificação interna, conforme a penetração de luz solar. Ocorre uma troca contínua de folhas, e muitas têm uma folha em forma de “pingadeira”, uma adaptação para escoar a água. São exemplos de flora: Orquídeas, Lianas e Samambaias, as quais ocorrem nos troncos das árvores. Podem formar jardins suspensos. A floresta tropical é perene (espécies com vida longa). Há uma intensa ciclagem de sua biomassa, através da troca constante das folhas. Possui a fauna mais rica dos biomas terrestres. Geralmente são ausentes animais de grande porte. Na fauna do estrato emergente (acima do dossel) estão as aves e os insetos. Já na fauna do estrato do dossel, há uma imensa biodiversidade e biomassa, encontrando-se primatas, preguiças, tamanduás e pequenos carnívoros. Enquanto na fauna de solo, há veados, roedores, aves de chão, insetos e invertebrados.

Os estratos da floresta se comunicam entre si através da cadeia alimentar, e os solos são compostos por latossolos e podzólicos. Os solos possuem baixa disponibilidade de nutrientes minerais, e a produtividade desse tipo de solo está na biomassa. O material de decomposição tem uma ciclagem muito rápida e pouco material é mineralizado. A renovação dos húmus nesse tipo de Bioma é extremamente rápida. O solo, rico em detritos, comporta uma ampla comunidade de bactérias, de algas verdes e de invertebrados decompositores. Os principais problemas socioambientais deste Bioma são o desmatamento de grandes extensões para formação de pastagens.

Florestas Estacionais ou Decíduas

Esse tipo de Bioma ocorre em partes da Índia, do Sudeste Asiático, da América Central e do Sul, do Norte da Austrália, bem como do Oeste da África, e ainda nas Ilhas tropicais do Oceano Pacífico. Nesse Bioma, as precipitações são elevadas, mas cuja distribuição seja alternada em períodos mais secos e mais úmidos. Algumas florestas decíduas perdem suas folhas totalmente em uma época do ano (nas matas de Rondônia esse tipo de ocorrência é visto ao lado da presença de Floresta Tropical Úmida, elas se intercalam). O dossel pode ser decíduo e o estrato inferior é perene (há diferenciações dependendo da área). São em geral florestas mais baixas, as quais apresentam frequentemente apresentam um dossel aberto. São também florestas cujas madeiras apresentam alto valor comercial, por isso, bastante exploradas. As variações seco-úmido afetam a degradação dos detritos no solo, os quais se acumulam no período seco e se decompõe com a umidade. No período seco há altos índices de incêndios, devido ao acúmulo de detritos.

Florestas Espinhosas de Clima Quente

É um tipo particular de floresta tropical ou subtropical, onde há a predominância de espinhos e arbustos. Ela ocorre em regiões de clima quente, com baixos índices pluviométricos, onde pode ocorrer de permanecer até 6 meses em chuvas. Ocorrem na América do Sul (formações cactáceas da Caatinga) e África (cactáceas espinhosas).

Florestas e Bosques Esclerofilos

São basicamente formações de clima temperado, com verões quentes, sem chuvas. As precipitações são concentradas no inverno, que é frio, mas não ocorre congelamento. Já as folhas são esclerificadas (são folhas mais duras, por vezes, evitadas por animais herbívoros), como Eucaliptos, coníferas e cedros.

Essa formação vegetal possui outros nomes ao longo do mundo (Ex: no Chile é chamada de matorral. Essas formações vegetais contêm espécies adaptadas ao fogo, já que os incêndios são frequentes. Essas florestas foram muito modificadas pelos sistemas de terraceamento para agricultura, pela irrigações e urbanização.

Floresta Subtropical Chuvosa

Esse tipo de floresta ocorre nas montanhas do Chile, do Japão e do Sudeste dos Estados Unidos. Ocorre ainda em algumas áreas da América do Sul. É uma espécie de floresta de neblina, com chuvas bem distribuídas durante todo o ano e temperaturas mais baixas do que na zona tropical. São florestas perenifólias (mantém suas folhas o ano inteiro) e esclerificadas (folhas duras e resistentes), onde o limite inferior para ocorrer é de 13ºC. São exemplos os Bosques de canelas, plátanos e magnoliáceas.

Floresta Temperada Decídua

Esse tipo de floresta é mais popularmente conhecido por Taiga. Basicamente, são matas de coníferas, as quais ocorrem em latitudes acima de 45ºC. Destacam-se Pinheiros, abetos, alicerces. As plantas quase sempre são perenifólias (folhas o ano todo), e as florestas são muito frias e úmidas no inverno. As coníferas são adaptadas à neve que escorre pelas suas folhas de formato agulha. A baixa taxa de decomposição dos detritos no solo, o que cria uma cama espessa de folhas, o que influência no risco de incêndios florestais. A madeira foi (ainda é) muito utilizada como fonte energética, o que constitui um dos principais problemas ambientais que afetam o bioma.

Biomas Savânicos

Estes biomas estão presentes em cerca de 20% do planeta, como na África, Austrália e América do Sul, sendo que as maiores extensões estão na África. Há, neste tipo de Bioma, a presença de um estrato herbáceo recobrindo os solos, desde os bosques fechados até às pradarias. Essas formações ocupam terras baixas tropicais, com clima sazonal (bem marcado pelas estações no ano).

Mantém sempre uma estação seca longa. Desenvolvem-se em um latossolo com granulometria variável, os quais são, geralmente, solos antigos e perderam muitos minerais ao longo do tempo. Há elevada incidência de incêndios naturais e por ação antrópica, e as árvores das formações savânicas possuem adaptações ao fogo. São árvores tortuosas com folhas duras. As savanas possuem uma fauna muito diversificada, principalmente de mamíferos.

Os animais da savana migram sazonalmente, o que impede o uso excessivo dos recursos naturais. Os animais se alimentam em um sistema de forma a não acabar o alimento, de modo que as girafas se alimentam do extrato superior, os rinocerontes africanos se alimentam dos extratos inferiores, e assim por diante. Os incêndios, apesar de serem um fator negativo na maioria das vezes, atuam de modo positivo na perpetuação da savana enquanto bioma. O fogo é um agente controlador e direcionador do desenvolvimento de muitas plantas, sendo que para o estrato arbóreo, o fogo é um fator limitante de seu desenvolvimento. No entanto, para as espécies herbáceas, o fogo é um estimulante para o seu rebrotamento. Na ausência do fogo, as savanas entenderiam a formar bosques.

Bioma Campos

Esse tipo de Bioma acontece na América do Norte, na Eurásia (região que divide os continentes europeu e asiático), na África e também nos Pampas da América do Sul. São formações abertas, as quais ocorrem em zonas temperadas, e possuem estações do ano bem marcadas. Essas formações derivam de bosques intensamente queimados, bem como baixos índices de precipitações. São formados por gramíneas, e ainda outros grupos herbáceos, e constituem pastagens naturais. Em relação a fauna, são comuns na América do Norte os Búfalos e os Antílopes, na Europa os Cavalos selvagens, na África Meridional os Antílopes e na América do Sul os Guanacos. Há nestas formações o fenômeno da perda dos solos e de recursos hídricos, devido às massivas intervenções antrópicas (pecuária), bem como pela presença de grandes mamíferos que sobrevivem dos recursos presentes no bioma.

Bioma Tundra em regiões polares e alpinas

Esse tipo de Bioma ocorre no Círculo Polar Ártico, enquanto no Hemisfério Sul, a Antártida representa zona equivalente à Tundra do Hemisfério Norte. Se desenvolve sobre solos permanentemente congelados (permafrost), sendo que os solos são formados por um manto de liquens, musgos e pequenas plantas herbáceas. Essa vegetação se concentra em uma fina camada de solo que não se congela. Há nesse Bioma uma baixa precipitação e evapotranspiração. As terras baixas e alagadiças no verão (período muito curto). No período do verão, há uma explosão de vida na Tundra, onde proliferam moscas e mosquitos polinizam as flores. Na Tundra, a fauna de maior porte possui adaptações biológicas para suportar o frio (pelagens espessas, camadas de gordura, “almofada” nas patas). São animais da Tundra o touro almiscarado, lebre ártica, lobo e caribu.

Bioma Deserto

Os Desertos ocorrem em regiões frias ou quentes, onde a precipitação anual é muito baixa, e a escassez de água ocasiona uma vegetação também escassa. São grandes extensões de solos sem cobertura vegetal, e as plantas possuem adaptações morfológicas e comportamentais. São comuns plantas de pequeno porte, folhagem reduzida e metabolismo regulado para acumular água e transpirar pouco. Enquanto a fauna tem hábitos noturnos e subterrâneos (insetos, lagartos, serpentes, aves, roedores e mamíferos adaptados).

Referências

CONTI, José Bueno; FURLAN, Sueli Angelo. Geoecologia: o clima, os solos e a biota. In: ROSS, Jurandyr L. Sanches (Org.). Geografia do Brasil. 6ª Ed. São Paulo: EDUSP, 2014.

Luana Caroline Kunast Polon (Mestre em Geografia.)


Publicado por: Luana Caroline Kunast Polon

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do Brasil Escola, através do canal colaborativo Meu Artigo. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.
DEIXE SEU COMENTÁRIO
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
MeuArtigo Brasil Escola