Whatsapp

Inovação em Canteiros de Obras

Engenharias

Análise sobre as diferentes formas de inovação que são feitos dentro de canteiros de obras.

Resumo

Este presente trabalho tem como finalidade de investigar diferentes formas de inovação que são feitos dentro de canteiros de obras. Sabe-se que existe diversas formas de tecnologias, que vão desde o planejamento até a execução de técnicas, que dão suporte para contribuir para áreas de inovação, sustentabilidade, reciclagem e outros campos. Essas tecnologias permitem a cada serviço uma forma de otimização em diversas fases do serviço, como de otimização de custos, através da diminuição de tempo em serviços, desperdícios de materiais, formas de planejamento que qualificam o serviço. Portanto, conclui-se que essas diferentes formas de adequar essas inovações tecnológicas são capazes de proporcionar uma otimização que qualifica a obra e permite um elo de opções de investimentos.

Palavras-chave: planejamento, otimização, investigar, tecnologias.

Abstract

This present work aims to investigate different forms of innovation that are made within construction sites. It is known that there are several forms of technologies, ranging from planning to the execution of techniques, which provide support to contribute to areas of innovation, sustainability, recycling and other fields. These technologies allow each service a form of otimization in various phases of the service, such as cost optimization, through the reduction of time in services, waste materials, planning forms that qualify the service. Therefore, it is concluded that these different ways of adapting these technological innovations are capable of providing an otimization that qualifies the work and allows a link of investment options.

Keywords: Planning, otimization, investigating, technologies.

Introdução

Esse artigo traz temáticas relevantes em cima da inovação que pode vir estabelecer dentro do canteiro de obras, antes de tudo, vamos compreender melhor o que é esse espaço, nada mais é, que uma área que estabelece-se como fixa e ao mesmo tempo temporária com o propósito de desenvolver-se através de todo o percurso da obra dentro das perspectivas do espaço operacional e as vivencias estabelecida naquele território, tendo como funcionalidade e objetivo, possibilitar mais eficiência dentro do planejamento do canteiro que foi projetado desde antes de iniciar de qualquer execução da obra, o mesmo espaço visa propiciar a segurança de todos diante de determinado projeto de construção civil.

Um dos fatores apresentados como importantes na construção civil que faz a ligação com a inovação do canteiro de obras através da literatura,  Librelotto et al, faz apontamentos significantes frente a atitudes que levaram a melhoria do desempenho das técnica desenvolvidas como modelos gerenciais, entre elas estão envolvidas analise e medicação de trabalho que reduz o desperdício, conteúdo de mão de obra, retrabalhos que estão associados à estratégias tais como gestão de produtividade, organização, motivação e treinamento de recursos humanos, utilização de novos recursos, novas tecnologias e novos procedimentos de trabalho.

Através da Literatura pode-se pensar nas inovações no canteiro de obras, itens como: ferramentas, máquinas e técnicas especiais – visa fortalecer o cuidado com a qualidade e produtividade dos serviços rotineiros; segurança do trabalho – visa apontar o uso de equipamentos de segurança e dispositivos legais das obras, levando em conta medidas de prevenção frente à acidentes que ocorrem durante a obra; comunicações internas – visa identificar os métodos e técnicas que melhores a relação interpessoal dos colaboradores.

Entre às buscas do estudo bibliográfico, outro autor que valida a inovação no canteiro de obra, está sob a visão bibliográfica de Evangelista et al (2005) que traz a reciclagem dos resíduos de construção como ponto de inovação, a mesma pode ser estabelecida em instalações permanentes dentro do próprio canteiro, e a partir dela utilizar de equipamentos móveis.

Metodologia

Para parte teórica o método utilizado nesse artigo foi baseado em estudos com base em artigos científicos, revisão bibliográfica, abrangendo bibliografia nacional e internacional, livros, teses, dissertações e leis e normas que viabilizam alternativas sustentáveis à reuso de materiais de construção civil e melhorias na mão-de-obra. Como parte fundamental para o desenvolvimento do trabalho, em primeira instância, foi determinado o local, assim desenvolvendo estudos de campo. Foram visitados no total de cinco empreendimentos visitados. Em seguida o trabalho foi dividido em três fases sendo elas:

Para a primeira fase da pesquisa, três itens foram selecionados para estudo, sendo eles: ferramentas, máquinas e técnicas especiais, segurança do trabalho e comunicações externas. E assim pode ser iniciado a realização da pesquisa através de entrevistas e observações nos canteiros, por um formulário pré-estabelecido. Foram seis empresas envolvidas, e sete canteiros de obras visitados. As obras foram residenciais, entre 8 e 31 operários, de 5 a 14 pavimentos, fases de estrutura até revestimento externo, e área projetada de 4900 a 8650 m².

A segunda fase que tem como objetivo desenvolvimento da sistemática à reciclagem de resíduos classe A em canteiros de obras, foi dividida em 4 etapas. A primeira abrange uma revisão bibliográfica. Na segunda, foi realizado dois estudos de caso, envolvendo o processo de reciclagem no canteiro e já desenvolver uma primeira proposta da sistemática. Na terceira foi feito estudo de caso para validação da proposta da segunda etapa. Na última etapa, apresentou-se um fluxograma e um procedimento operacional, para facilitar a prática da reciclagem dos resíduos de construção classe A nos canteiros de obras.

Foram selecionadas três obras para a realização dos estudos. Em todos os estudos foi empregado equipamento móvel de britagem (britador de mandíbulas modelo URM 2015 do fabricante Fragmine). Possui dois vibradores elétricos, havendo a possibilidade de utilização de duas peneiras simultâneas, sua máxima capacidade residual britada é estimada em 2,5 m³ por hora para construção civil.

A avaliação técnica foi realizada através de comparação entre agregados naturais e os reciclados, levando em consideração os padrões estipulados em normas e pesquisas pré-existente para cada material.

Para terceira e última fase, o objetivo foi avaliar os índices de perdas e produção na construção civil, isso através de simulação com linha de balaço na programação da obra e inovação tecnológica. Assim a realização prática da simulação do uso de linhas de balanço na programação da obra, cada equipe ficou na responsabilidade de examinar o projeto de simulação de execução de edificação, levantamento de materiais necessário, aderir o material que for necessário, preparar o material, realizar estudos sobre a programação das tarefas, dar início a obra, mencionar o material utilizado, as sobras e as perdas, passar os dados coletados nos respectivos formulários e tabelas e por fim avaliar o consumo, a sobra e a perda

A partir do trabalho das equipes, os ficais ficaram na responsabilidade de definir a o seguimento de atividade, para a apresentação da medição da produtividade, sendo assim foi levantado os formulação das equipes responsável pela mão-de-obra e identificado quem eram os oficiais e ajudantes, em seguida realizou-se o acompanhamento do desempenho de cada equipe, com base nos tempos de produtividade, auxiliares e improdutividade, depois o acompanhamento e fiscalização da sequência de atividades e técnicas aderidas para a construtiva, a avaliação das tabelas preenchidas e pôr fim a avaliação produtiva de mão-de-obra.

Análise dos Resultados

Para a análise destes resultados, foi baseado através de estudos em artigos científicos, em visar uma evolução relacionada à tecnologia e segurança do trabalho nos canteiros de obra, também para reutilização dos materiais de construção civil, buscando sempre inovações na mão de obra destes canteiros. De acordo com estes estudos, foram coletados três fatores principais para uma execução do canteiro de obras:

O primeiro fator refere-se à uma tecnologia que busca reduzir e reutilizar essa grande quantidade de materiais desperdiçados nos canteiros de obras, por meio de jogos e simuladores criado pelos alunos, juntamente com professores de Engenharia da Universidade de Santa Catarina. Através de resultados obtidos em uma das simulações desses estudos, está nos levantamentos nas proporções de tempos para trabalhos produtivos, auxiliares e improdutivos, para amostragem do trabalho e medição instantânea. Portanto, foram criados dois exercícios para uma simulação em que os dados obtidos mostram a significativa redução do tempo de execução de todos os serviços ao exercício 2, e que consideram uma técnica de programação para uma Linha de balanço (LdB) e as inovações tecnológicas adotadas em contrapartida ao exercício 1.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Dentre esses exercícios realizados foi criado um fluxograma onde as amostragens de trabalhos fiscais se encontram mais produtivos para o exercício 2 e mais auxiliar e improdutivo no exercício 1.

Com isto, modelo de simulação proposto para obras de construção civil pode viabilizar atividades de ensino de Engenharia, principalmente para a obtenção de informações qualitativas a respeito de perdas de materiais e produtividade da mão-de-obra. Podemos analisar também fatores que afetam a produtividade da mão-de-obra, e o momento que ocorre as perdas.

 O segundo fator, selecionam três itens para estudo, ferramentas, máquinas e técnicas especiais esses equipamentos e técnicas fortalecem a preocupação com a qualidade e produtividade, pois melhoram a realização de serviços, e para uma análise de resultados desta inovação foram feitas as seguintes melhorias relacionadas a máquinas, ferramentas e técnicas variam de

elementares a sofisticadas. Neste estudo, foram visitadas 6 empresas de construção civil, sendo 7 canteiros de obra. Entretanto, na pesquisa realizada, constatou-se que as empresas optam pelas mais elementares. Como exemplo:

- O uso de padiolas com cores diferentes para cada tipo de material;

- Emprego de uma ferramenta simples para levantar a ferragem das lajes e colocação das pastilhas de argamassa para recobrimento;

- E a utilização de escantilhão de madeiras. Segundo Librelotto, uma das empresas analisadas, teve-se conhecimento de um procedimento que substitui o desmoldante na desforma. O desmoldante usado consiste em uma mistura de óleo diesel e parafina, sendo que para cada 20 litros de óleo diesel, mistura-se 1/2 Kg de parafina derretida. Além disso, eles utilizam gravatas com madeiras reforçadas, para que não haja ruptura na desmontagem, que também são reutilizadas em toda a obra.

Os dados realmente revelam ser a segurança do trabalho o maior alvo das empresas. De um total de 30 melhorias, observou-se que as obras 1 e 3 adotam 60% dessas, os itens comuns as 7 obras foram: uso de cinto de segurança com cabo fixado na construção pelos trabalhadores em qualquer serviço externo a mais de 2 metros de altura e posto de trabalho de guincho isolado com a cobertura de proteção.

Com as médias dos totais de melhorias encontradas nos 7 canteiros de obras pesquisados, para cada uma das 3 abordagens, traçou-se um perfil das inovações tecnológicas presentes nas empresas.

O terceiro e último fator utiliza-se da reciclagem de resíduos classe A em canteiro de obras, que foi dividido em 4 etapas, analisamos os resultamos da etapa 3 , em que podemos perceber que a possibilidade da reciclagem dos resíduos classe A, no canteiro de obras, mostrou-se como uma excelente alternativa para a destinação responsável dos resíduos nessa obra. Em um primeiro diagnóstico, identificou-se que a empresa não possuía nem um sistema para gestão de RCC (Resíduos de Construção Civil), dentro do canteiro do obras, sendo assim, necessário uma segregação dos resíduos de classe A, onde foi gerado, e onde ele deveria ser enviado, tendo em vista como uma primeira estratégia, a criação da central de reciclagem próxima a central de concreto para aproveitar os resíduos da fonte.

Foram apontados que o RCC, é constituído em sua maioria, resíduos classe A, com alto potencial de reciclagem, pode e deve ser reaproveitado, reutilizado ou reciclado como forma de minimizar os impactos ambientais. E na estruturação, eram preparadas as áreas para instalação do equipamento de britagem, segregação dos resíduos classe A e armazenamento do agregado reciclado. Observou-se também, 4 ciclos no processo de monitoramento de reciclagem, o primeiro ciclo foi considerado a avaliação do canteiro, neste ciclo foram identificadas inconsistências nos dados coletados pelos operários. O segundo ciclo já teve uma melhoria, devido ao longo tempo identificado para a preparação do processo de reciclagem, transporte e armazenamento do agregado reciclado. Em um turno de 8 h britavam-se 4 m3 de resíduo, sendo a produtividade do equipamento nesse ciclo de 1,8 m3/h. Isso significava uma produtividade global de 0,5 m3/h e um tempo de 6 h para a preparação do processo de reciclagem. No terceiro ciclo p processo de reciclagem caiu cada vez mais nas semanas seguintes. E no quarto ciclo foram propostas alterações de configuração do processo de reciclagem visando aumentar o processo de reciclagem. A proposta foi eliminar o controle de saída dos agregados reciclados, reduzindo os tempos para contagem dos volumes produzidos. Portanto, o uso dos agregados reciclados analisados nesta obra, iniciou-se com a produção de graute de 16 MPa para utilização nos pilares da área de convivência do canteiro.

Com base em todos os resultados apontados neste caso de reciclagem dos agregados, podemos ressaltar que a viabilidade da reciclagem em canteiros de obras, é importante para mostrar-nos que diversos aspectos devem ser considerados para o sucesso dessa prática, a exemplo da correta segregação dos resíduos classe A, da avaliação técnica dos agregados reciclados e da análise de desempenho dos materiais gerados com esses agregados. O RCC, que é constituído em sua maioria em resíduos classe A, com um potencial de reciclagem, e deve ser reaproveitado, reutilizado ou reciclado como forma de minimizar os nocivos impactos ambientais.

Conclusão

De acordo com as informações obtidas neste artigo através das reportações apresentadas ou dos resultados obtidos nos três estudos de caso de situações de reciclagem em canteiros, é valido à necessidade de uma nova forma de atuação com os resíduos de construção no Brasil. A situação apresenta novas formas de manuseio para redução desse resíduo que tem gerado cada vez mais problemas, por isso, a utilização de ferramentas mais simples.

Nos resultados mostrados o fator que mais se destacou foi o relacionado à segurança do trabalho, porém as empresas ainda estão em estudos e processo de mudança, seja ela nos preços dos produtos ou desenvolvimento na forma de construir, é notória uma preocupação com os construtores e um maior investimento nessa área de proteção.

No Brasil a dificuldade de modernização no setor da construção civil tem grande resistência, portanto demora em surtir um resultado, entretanto a inovação vem ganhando espaço do mercado. Pois são de vital importância para a diminuição dos resíduos de construção, seja em qualquer área, desde o projeto até a construção final.

Referências

VII ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO, 98., 1998, Florianópolis. AVALIAÇÃO DE PRODUTIVIDADE E DE PERDAS NA CONSTRUÇÃO CIVIL - SIMULAÇÃO UTILIZANDO MODELO REDUZIDO PARA DEMONSTRAR AS VANTAGENS DO USO DA LINHA DE BALANÇO NA PROGRAMAÇÃO DA OBRA E DE INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS NO CANTEIRO. Florianópolis: Revista da Ufsc, 1998. 9 p.

ARAÚJO, Viviane Miranda. PRÁTICAS RECOMENDADAS PARA GESTÃO MAIS SUSTENTÁVEL DE CANTEIROS DE OBRAS. 2009. 229 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Engenharia Civil, Departamento de Engenharia e Construção Civil, Escola Politécnica, São Paulo, 2009. Cap. 5.

LIBRELOTTO, Lisiane Ilha et al. INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS EM CANTEIROS DE OBRAS – CASO DE FLORIANÓPOLIS. 1998. Disponível em: . Acesso em: 22 ago. 2019.

EVANGELISTA, Patricia Pereira de Abreu; COSTA, Dayana Bastos; ZANTA, Viviana Maria. Alternativa sustentável para destinação de resíduos de construção classe A: sistemática para reciclagem em canteiros de obras. Associação Nacional de Tecnologia do Ambiente Construído, Porto Alegre, v. 10, n. 3, p.23-40, set. 2010.

 

Por Lameck Messias

Instituto de Engenharia

Universidade Federal do Mato Grosso


Publicado por: Lameck Messias

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do site por meio do canal colaborativo Meu Artigo. O Brasil Escola não se responsabiliza pelo conteúdo do artigo publicado, que é de total responsabilidade do autor. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.
  • Facebook Brasil Escola
  • Instagram Brasil Escola
  • Twitter Brasil Escola
  • Youtube Brasil Escola
  • RSS Brasil Escola