Topo
pesquisar

Xadrez: Razão e Autocontrole

Educação

A importância desse jogo para o desenvolvimento dos processos psicológicos básicos da criança, crescimento intelectual, cognitivo, emocional, moral e social dos educandos.

Cinthia Jachic

Marisa Helena Ribas

Terezinha Sokoloski

RESUMO:

Percebe-se a necessidade de que os profissionais da educação mobilizem-se através de estratégias diferenciadas para auxiliarem as crianças que apresentam defasagens na aprendizagem e não se concentram para realizar suas atividades escolares. Daí propor-se o tema: “Xadrez: Razão e Autocontrole”, pela importância deste jogo para o desenvolvimento dos processos psicológicos básicos da criança. Pensando no crescimento intelectual, cognitivo, emocional, moral e social dos educandos, a presente pesquisa teve como objetivo trabalhar com o jogo de xadrez na segunda etapa do ciclo I e segunda etapa do ciclo II, contando com as professoras regentes, e com a professora de Educação Física. Uma das melhores lições que uma criança pode obter na escola é como organizar seu pensamento, e esta valiosa lição pode ser obtida mediante o estudo de xadrez.

PALAVRAS-CHAVE: Xadrez, jogo.

CONCEITUAÇÃO E CARACTERÍSTICAS

Ao final do projeto apresentou-se como uma experiência rica em que todos os alunos puderam discutir aspectos importantes relacionados à proposta que foram implantadas na prática.

Entre os aspectos apresentados destacamos aquele que relaciona o desenvolvimento das habilidades nos alunos, principalmente, com o empenho e a orientação. A amplitude pedagógica deste jogo merece ser muito bem aproveitada pelo educador tanto na interdisciplinaridade como na socialização dos alunos, até o lado esportivo pode desenvolver no aluno valores e a consciência do saber ganhar e saber perder e do respeito ao adversário, além de ser um jogo que não tem distinção de sexo, ou seja, menina pode jogar em igualdade com um menino diferentemente ao que acontece em alguns esportes.

O estudo e o jogo do xadrez possibilitaram a substituição de alguns materiais concretos, minimizando o tempo para entendimento em uma aula, pois a partir de determinado momento as crianças já passaram a dominar as regras e o objetivo do jogo. Dessa maneira a criança desenvolve cada vez mais sua capacidade de concentração, raciocínio lógico, abstração, autocontrole, paciência, autonomia, criatividade e imaginação.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Assim, além de contribuir para a formação de conceitos interdisciplinares o jogo de xadrez é um eficiente meio para se formar um aluno social, com valores bem definidos para conviver em sociedade.

Concluindo, pode-se afirmar que nos aspectos cultural e artístico, a prática constante do xadrez, bem como o seu estudo, darão ao aluno condições de melhorar o seu desempenho nas demais disciplinas curriculares, bem como raciocínio mais rápido e cálculo preciso, assim como o estímulo da imaginação e criatividade, sendo portanto um instrumento de suporte pedagógico às demais disciplinas.

Referências

CHATEAU, Jean. O jogo e a criança. São Paulo: Summus Editorial, 1954.

SÁ, Antonio Villar Marques. O xadrez e a educação. Curitiba: Revista Preto e Branco, 1990-1991.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: Saberes Necessários à Prática Educativa. São Paulo: Paz & Terra, 1996.

GARDNER, Howard. Estruturas da Mente: Teoria das Inteligências Múltiplas. Porto Alegre: Artes Médicas, 1999.

HUIZINGA, Johan. Homo Ludens: o Jogo como Elemento da Cultura. Editora Perspectiva, 1996.

KISHIMOTO, Tizuko Morchida. Jogos Tradicionais Infantis: Jogo, Criança e a Educação. Editora Vozes, 1993.

LASKER, Edward. A Aventura do Xadrez. São Paulo: Ibrasa, 1962.

PIAGET, Jean. A Formação do Símbolo na Criança. Imitação, jogo e sonho, imagem e representação.Trad. Alvaro Cabral. Rio de Janeiro: Zahar, 1971.

SILVA, Wilson. Meu Primeiro Livro de Xadrez – Curso para Escolares. Curitiba: Expoente, 2003.

_____ Iniciação Enxadrística para Educadores. Curitiba, 2004.

TIRADO, Augusto; SILVA, Wilson da. Meu primeiro livro de xadrez: curso para escolares. Curitiba: Expoente, 1995.

VASCONCELLOS, F. Apontamentos para uma História de Xadrez e 125 Partidas Brilhantes: Brasília: Santa Casa Editora, 1994.

VIGOTSKI, L.S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

YUNES, Eliana; PONDÉ, M. da Glória. Leitura e Leituras da Literatura Infantil. São Paulo: FTD, 1988.


Publicado por: Cinthia Jachic

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do Brasil Escola, através do canal colaborativo Meu Artigo. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
MeuArtigo Brasil Escola