Whatsapp

TRANSTORNO DE DÉFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE: APRENDIZADO ATRAVÉS DA NEUROPSICOPEDAGOGIA

Educação

Causas das dificuldades de aprendizagem de uma criança, seu desempenho nas atividades escolares, sua interação junto aos familiares e no meio social, tendo como ferramenta o uso do xadrez terapêutico.

RESUMO

Este estudo objetivou investigar as causas das dificuldades de aprendizagem de uma criança, oriunda de uma escola pública municipal, como ocorre seu desempenho nas atividades escolares, bem como, sua interação junto aos seus familiares e no meio  escolar e social. tendo como ferramenta o uso do xadrez terapêutico. A metodologia aplicada foi de caráter bibliográfico, documental e de campo, através de estudo de caso, tendo como lócus de pesquisa as estratégias de ensino aplicadas numa Academia de Xadrez. O estudo fundamentou-se nos conhecimentos da neuropsicopedagogia,  para compreender como a criança aprende, assim como, quais as causas pelas quais esta mesma criança não aprende, ou pior, quando profissionais laudam-na como Portadora de TDAH, -Transtorno de Déficit de Atenção e Imperatividade.

INTRODUÇÃO

O presente texto abordou os aspectos relevantes sobre o uso do xadrez como recurso pedagógico e terapêutico no processo de ensino e aprendizagem da criança, bem como, na vida familiar e social. O interesse pela escolha do tema justifica-se pelo fato de no âmbito de minha trajetória enquanto professor de xadrez e, após conhecer a neuropsicopedagogia, puder aliar tais conhecimentos a essa fabulosa ferramenta pedagógica que é o xadrez. A partir de tais reflexos, nasce o desejo de discorrer sobre o tema em tela e, assim, têm-se permeado o percurso de estudos, reflexões e pesquisas, com o objetivo de destacar a importância dessa ferramenta para o desenvolvimento da aprendizagem na educação infantil. Nessa perspectiva, considerando que o jogo se faz presente na vida do ser humano, desde os primórdios da sua existência e, com o passar dos anos mediante pesquisas, estudos e evolução da ciência, é notável a sua relevância no processo da aprendizagem humana em seus diversos aspectos. O objetivo principal foi investigar as causas das dificuldades de aprendizagem de uma criança, oriunda de uma escola pública municipal, como ocorre seu desempenho nas atividades escolares, bem como sua interação junto aos seus familiares e no meio social, tendo como ferramenta o uso do xadrez terapêutico e pedagógico.

ASPECTOS CONCEITUAIS TDAH

Para determinar um conceito acerca de um problema específico de ordem clínica, a identificação de eventuais anormalidades é o primeiro passo a ser dado pelo profissional imbuído de fazer esse estudo de caso. No que se refere ao Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade - TDAH, sua conceituação clínica, além de classificar o problema em si, permitirá um entendimento preliminar acerca de suas resoluções e adequações para determinadas finalidades, visto que sua definição pode ser classificada como "um transtorno neurocomportamental, multifatorial, cuja característica principal é um padrão persistente de desatenção e ou hiperatividade/impulsividade, que frequentemente resulta em prejuízos emocionais, sociais e, sobretudo, funcionais (SILVA, 2009).

O TDAH é caracterizado pela falta de atenção de um indivíduo e a falta de compreensão nítida das propostas apresentadas em sala de aula pelos professores, sendo que essa falta de compreensão acarreta danos comprometedores, não apenas ao seu rendimento escolar, mas também nas suas percepções de um modo geral no cotidiano. Afeta o desenvolvimento e a interação do indivíduo em todos os mementos da sua vida, de acordo com o DSM05 (Manual de saúde mental), o TDAH é um Transtorno do desenvolvimento. Sua caracterizaçãopermitirá não apenas a família, mas primordialmente a gestão escolar, no sentido de delimitar projetos e iniciativas de intervenção que adequem as limitações e potenciais dos alunos, frente à construção do processo de ensino-aprendizagem, sobretudo, na ótica da educação inclusiva e socializadora.

ESTUDO DE CASO: ESTUDANTE V. S

A estudante V. S. compareceu à Academia de Xadrez acompanhada de sua genitora que afirma que a criança apresentava dificuldades de aprendizagem todavia, era uma criança muito calma. O laudo entregue indicava que a criança era portadora de TDAH e que a sua maior dificuldade estava em identificar as cores, não tinha foco, com histórico de agitação, desatenção e com dificuldade de leitura, fazendo com que ele tivesse um péssimo desempenho na escola. Por isso, a neuropediatra receitou uma medicação chamada NOOTRON, essa medicação é indicada no caso de “Transtornos cognitivos com comprometimento parcial ou global das funções intelectuais, proporcionando melhora da atenção, concentração, memória, vigilância e sociabilidade” (GUIMARÃES, 2014). Contudo, segundo a mãe, mesmo com a medicação, a criança não apresentou qualquer mudança no estilo de vida.

O trabalho com o neuropsicopedagogo começou pela anamnese que, sem a pretensão de trabalhar em cima do diagnóstico do neuropediatra, começou um trabalho especializado e diferenciado com a criança em estudo. Nos primeiros dias foram trabalhadas aplicações de cores, seguida da repetição dos nomes das cores apresentadas, desenvolvemos um sistema de incentivo que funcionava somando uma premiação baseadas em estrelas ganhas a cada acerto e diminuindo a cada derrota.  Ela foi estimulada a desenhar e pintar em um software de pintura de computador e depois praticar as cores com tabuleiros de xadrez marcando com os peões os locais correspondentes as cores apresentadas e trabalhadas. Logo se percebeu um entusiasmo e um melhor andamento de compreensão das cores. Durante o tratamento ela matinha uma vontade, porém sem foco e direcionamento, então foi aplicado o jogo do xadrez para aguçar e incentivar o raciocínio, o foco, a atenção e agilidade. Após 120 dias de treinamento e tratamento, os primeiros resultados já começavam a aparecer: ela distinguia as cores, melhorou na escola, dentro de casa, já jogava com todas as peças do xadrez e já tinha superado um pouco a sua timidez.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Seguindo o procedimento de estudo e evolução da menor, todos os materiais foram desenvolvidos e alinhados dentro da estrutura de pesquisa da menor da história de vida e realidade da referida criança, para que a mesma sentisse prazer e curiosidade o tempo todo, pois não só os campos visuais despertam a curiosidade do cérebro, assim como também o imaginário. Ela está sendo reeducada a pensar através dos movimentos do Xadrez, aplicar os movimentos em tabuleiros com cores diferentes, a movimentar e dar vida aos movimentos das peças no computador e incentivada a aprender a escrever e a ler para anotar suas partidas com sua própria letra na planilha e em seguida, aplicar ao computador para ver as peças movimentarem-se, o que é interessante ver nessa evolução é o grau de aprendizagem e a satisfação da mesma, assim ela se sente “viva e capaz”, é perceptível essa felicidade também, nos olhares dos pais e irmã.

A Neuropsicopedagogia é um campo de estudo e pesquisa de caráter interdisciplinar e transdisciplinar, que tem como foco o estudo relacionando a aprendizagem do indivíduo, trabalhando avaliação, diagnóstico e intervenção que é indispensável a uma boa anamnese, para melhor inserir o indivíduo na família, na escola e na sociedade. Para Beauclair, (2014), trata-se de “um novo campo de intervenção e especialização, onde o conhecimento ultrapassa fronteiras e cria, com isso, novas possibilidades de aprender sobre o aprender, ampliando olhares e oportunizando novas formas de inter-relacionar informações, conhecimentos e saberes”. Foi possivel constatar que conhecimentos e saberes estimulados da forma correta se tornam uma forma prazerosa de aprendizado, haverá sempre novas correlações de aprendizados e ampliaremos melhor os olhares do aprendizado a educação.

O USO DO XADREZ COMO UMA FERRAMENTA TERAPEUTICA E NEUROPSICOPEDAGÓGICA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM 

Os jogos sempre existiram na humanidade e o seu objetivo é preparar o corpo e a mente para a sobrevivência. Os jogos datam de centenas de anos antes de Cristo, todavia, a ideia de jogo está ligada às primeiras brincadeiras que os pais fazem com suas crianças e assim sucessivamente (TAHAN, 1968). Desta forma, os jogos estão presentes no cotidiano das crianças desde o primeiro momento da sua existência, seja em casa ou na escola, por isso é considerado um recurso que grande valia no processo da aprendizagem do sujeito.

Nesse percurso de estudos e pesquisas, aponta-se que os jogos foram e continuam sendo parte do processo evolutivo do sujeito por contribuir para a construção da sua subjetividade. Por carregarem em si as oportunidades de experiências de aquisição de conhecimentos, permitindo assim, estruturar e reestruturar os fatores fundamentais da subjetividade do sujeito. Mediante ao fato, considera-se que por meio dos jogos é possível acontecer à aprendizagem e o desenvolvimento de habilidades cognitivas e emocionais tão importantes para sobrevivência do ser humano (GONÇALVES, 2015). Sendo assim, é possível observar as contribuições dos jogos como um recurso favorável no processo da aprendizagem incluindo os aspectos cognitivos, psicológicos, social e afetivo do indivíduo.

O uso do jogo de xadrez como recurso de intervenção para lidar com crianças no espaço neuropsicopedagógico, se faz necessário o uso de recursos lúdicos como os jogos, no nosso caso, em especial, o xadrez, considerado por muitos como uma ferramenta útil e de grande valia no processo da aprendizagem. Visto que as crianças adoram, por fazer parte de seu cotidiano, pois permite com que essas possam manipular os objetos e explorá-los, e é por meio dele que buscam aprender e a conhecer o mundo em sua volta desde os estágios iniciais de seu desenvolvimento.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

A presente pesquisa se gestou com o intuito de investigar as causas das dificuldades de aprendizagem de uma criança, seu desempenho nas atividades escolares, sua interação junto aos  familiares e no meio social, tendo como ferramenta o uso do xadrez terapêutico. Compreendeu-se que o transtorno de déficit de atenção/hiperatividade (TDAH) possui alta prevalência em crianças e adolescentes, e apresenta critérios clínicos operacionais bem estabelecidos para o seu diagnóstico. Todavia, entender que existem alternativas e estratégias que  eficazes no contorno de tais celeumas. E ainda, que o processo de avaliação diagnóstica, apesar de complexo, necessita de uma minuciosa coleta de dados com os sujeitos envolvidos no processo. É necessário que o tratamento do TDAH envolva uma abordagem múltipla, com intervenções neuropsicopedagógicas, psicossociais e psicofarmacológicas. A experiência do estudo de caso envolvendo a estudante V.S, foi relevante para entender que é possível promover a mudança através do uso de recursos como os jogos, no caso aqui elencado, o xadrez como ferramenta pedagógica e terapêutica.

REFERÊNCIAS

GONÇALVES, J. E. A História do uso dos jogos no desenvolvimento da aprendizagem. [s/d]. Curso: Pós-Graduação em Psicopedagogia Clínica e Institucional (Unidade l, módulo l). FHO|UNIARARAS.

GUIMARÃES, 2014. Nootron. Bula. Disponível em: https://docs.google.com/gview?url=https://uploads.consultaremedios.com.br/drug_leaflet/Bula-Nootron-Comprimido-Paciente-Consulta-Remedios.pdf?1537384160&embedded=true. Acesso em: 30 de julh de 2019.

SILVA, A. B. B. Mentes inquietas: TDH - desatenção, hiperatividade e impulsividade. Rio de Janeiro: Objetiva, 2009.

TAHAN, Malba. O homem que Calculava. 13 ed. Rio de Janeiro. Tecnoprint, 1968.

Por João Ferreira Lins Júnior


Publicado por: João Ferreira Lins Júnior

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do site por meio do canal colaborativo Meu Artigo. O Brasil Escola não se responsabiliza pelo conteúdo do artigo publicado, que é de total responsabilidade do autor. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.