Topo
pesquisar

Resenha: Uma análise de pressupostos teóricos da abordagem C-T-S (Ciência – Tecnologia – Sociedade) no contexto da educação brasileira

Educação

Resenha do livro Uma análise de pressupostos teóricos da abordagem C-T-S (Ciência – Tecnologia – Sociedade) no contexto da educação brasileira.

Esta resenha refere-se ao artigo de Wildson Luiz Pereira dos Santos, professor da Universidade de Brasília, no Programa de Pós-Graduação em Educação e no Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e de Eduardo Fleury Mortimer, professor da Universidade Federal de Minas Gerais, Faculdade de Educação, Cecimig, , intitulado Uma análise de pressupostos teóricos da abordagem C-T-S (Ciência – Tecnologia – Sociedade) no contexto da educação brasileira, publicado em 2002 na Revista ENSAIO – Pesquisa em Ensino em Ciêcias, v. 2, n. 2, dez., p. 1-23.

Em sua discussão sobre os pressupostos teóricos da abordagem CTS, na educação brasileira, o texto relata inicialmente a confiança na Ciência e Tecnologia para resolução de problemas, por parte da sociedade. Tal confiança se inicia na década de 1950, na qual o ensino de ciências reestruturou-se, instrumentalizando a formação de cientistas que tinham possibilidade de intervir nos problemas sociais.

Tal desenvolvimento científico, além de solucionar questões éticas e sócio-políticas, paradoxalmente também causa problemas quando da desconsideração de seus efeitos na sociedade. Assim, faz-se necessária a construção de um currículo em ciências que capaz de considerar os fatores sociais pertinentes ao processo de produção do conhecimento, o qual deve conter características transdisciplinares correlacionando diversos atores dentre os quais são citados representantes do governo, ONG’s, setor produtivo e imprensa.

Este processo contém o letramento científico da sociedade, o qual seria facilitado com a mudança do foco conteudista para um processo no qual a ciência encontra-se presente no contexto social. Ao desenvolvimento deste cidadão é essencial a construção de um currículo CTS.

O currículo CTS está baseado na inter-relação entre a explicação científica, o planejamento tecnológico, a solução de problemas e a tomada de decisões. A partir desta inter-relação seria possível a discussão de aspectos éticos, políticos e sócio-econômicos na solução de problemas.

Por meio destas habilidades o cidadão será capaz de discutir, por exemplo, a utilização de produtos químicos, seus benefícios e seus efeitos sobre o ambiente, a saúde, os aspectos econômicos a ele relacionados, podendo assim emitir uma opinião baseada em fatores científicos, gerando posteriormente uma ação dentro da sociedade.

O artigo discute as visões apresentadas pelos currículos CTS sobre ciência, tecnologia e sociedade. A ciência deve desfazer o mito de que esta está sujeita aos interesses de mercado. Esta deve possibilitar ao aluno a compreensão dos fenômenos naturais para que possa entender suas implicações sociais. Para isso ocorrer a presença de aspectos relacionados à Filosofia, História e Sociologia é fundamental dentro do currículo CTS, deixando o ensino de ciências mais amplo acabando com o ensino de ciências do cotidiano.

A tecnologia deve deixar de ser considerada somente pelo seu aspecto técnico, deve ser relacionada aos sistemas sócio-econômicos para que o cidadão possa entender a interferência desta sobre o comportamento humano, seus benefícios na produção de produtos tecnológicos e na tomada de decisão sobre o desenvolvimento tecnológico sustentável.

A sociedade participa com a inclusão de temas científicos problemáticos, que possam ser analisados e discutidos, permitindo uma tomada de decisão dos cidadãos. Esta tomada de decisão, que deve transformar as atitudes desenvolvidas em sala de aula em ação social, possui vários modelos, dentre eles o tecnocrático (especialistas), decisionista e o pragmático-político. Cada um com um grau diferente de envolvimento dos cidadãos. Um risco que pode ocorrer é o da relação superficial entre os problemas detectados e o conhecimento científico, se os conceitos cotidianos forem mais fortes que os científicos existe grande possibilidade do abandono da ciência na solução do problema levando ao fracasso o currículo CTS.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O CTS pode ser categorizado de acordo com a participação dos conteúdos científicos presentes no currículo, podendo ir do nível mais baixo (ensino tradicional de ciências), ao nível mais alto onde as ciências só participam com conceitos superficiais dentro da resolução dos problemas. Os níveis intermediários representam o conteúdo CTS que deveria participar da reforma do Ensino Médio brasileiro, com conteúdo CTS em foco e os conceitos mais relevantes da ciência.

O autor chega ao final do artigo enfatizando os benefícios do currículo CTS no aprendizado, onde este está intimamente ligado à alfabetização ou letramento científico. Fica claro que o currículo CTS, já presente nos parâmetros curriculares nacionais, deve deixar os artigos e ser aplicado em sala de aula para que se possa atingir as competências e habilidades exigidas pela sociedade. Mas para que isso ocorra se faz necessária a quebra do ensino tradicional, deixando de lado a visão do ensino médio como o trampolim para a universidade, tornando-o mais amplo, na formação de um cidadão crítico.

Outro ponto fundamental nesta quebra é a formação de professores. Para que possam colocar em prática o CTS é fundamental que estes, que não foram formados com um currículo baseado em tais temas, sejam treinados possibilitando o sucesso na aplicação do currículo.

O artigo escrito por Wildson Luiz Pereira dos Santos, do instituto de Física da Universidade de Brasília, e Eduardo Fleury Mortimer da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais, de maneira clara nos mostra a importância da adoção do currículo CTS nas escolas brasileiras, instrumento essencial para a formação de cidadãos letrados cientificamente que possam participar das decisões sócio-politicas e econômicas da sociedade.

O texto é direcionado a profissionais que atuam na área de Ensino de Ciência, e tem como proposta sugerir novas práticas pedagógicas com vistas ao letramento científico e tecnológico e às correspondentes funções sociais.

Trata-se de um texto de muita relevância na medida em que sugere ao leitor-professor ou pesquisador em Ensino de Ciências uma reflexão acerca do que vem a ser alfabetização/letramento científicos a partir de posicionamentos de vários autores, os quais se dão de forma coerente e sólida.

Traz uma enorme contribuição à Educação Científica e Tecnológica, sobretudo ao docente e aos iniciados em programas de pesquisa em Ensino de ciências, os quais passam a dispor de novos elementos motivacionais em sua forma de trabalhar/pesquisar, razões pelas quais considero valiosa sua leitura.

RESENHA

- Título: As relações CTS e o ambiente no Ensino de Ciências.
- Identificação: Uma análise de pressupostos teóricos da abordagem C-T-S (Ciência – Tecnologia – Sociedade) no contexto da educação brasileira
- Referência: SANTOS, W. L. P. dos. & MORTIMER, E. F. (2002). Uma análise de pressupostos teóricos da abordagem C-T-S (Ciência – Tecnologia – Sociedade) no contexto da educação brasileira. ENSAIO - Pesquisa em Educação em Ciências, v. 2, n. 2, dez., p. 1-23


Publicado por: Marcos Fernandes Sobrinho

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do Brasil Escola, através do canal colaborativo Meu Artigo. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
MeuArtigo Brasil Escola