Topo
pesquisar

Professores de Matemática e a OBMEP

Educação

Saiba por que o papel do professor de matemática é importante para o desempenho dos alunos na OBMEP!

A Olimpíada de Matemática é para todos os que gostam de pensar, especialmente para crianças, jovens e educadores, elas estimulam e divulgam o conhecimento e o interesse pela matemática e pelas ciências, desperta nos alunos o interesse pelos desafios matemáticos e pelas resoluções de situações problemas, desenvolvem o raciocínio e melhoram a qualidade do ensino, e uma das ações mais importantes que a Olimpíada de Matemática nas escolas se utiliza é resgatar o que às vezes parece perdido nos bancos escolares de nossas escolas públicas: o prazer de raciocinar e de entender.

A Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP), foi criada em 2005, devido à baixa participação das escolas publicas na Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM). A OBMEP é promovida pelo Ministério da Educação (MEC) e com realização do Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA) e com apoio da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM). A OBMEP é realizada anualmente em duas fases distribuídas em três níveis.

Os estudantes participantes que alcançam o maior número de pontos na segunda fase concorrem a prêmios, juntamente com os professores, escolas e Secretaria de Educação. Os prêmios vão de medalhas, menções honrosas podendo chegar ate um Programa de Iniciação Cientifica Jr. (PIC).

O sucesso dos estudantes em Olimpíadas depende da motivação que a OBMEP pode provocar por meio de sua premiação, e isso pode ser gerado por intermédio dos professores. Portanto o papel que o professor desempenha é muito importante para a aprendizagem e sua metodologia de ensino adotada é essencial para o desempenho dos alunos.

A Olimpíada pode contribuir para a relação escolar do aluno, pois o aluno cria um vinculo com a escola fazendo com que ele possibilite um melhor desempenho escolar na disciplina de Matemática e em outras disciplinas. A Olimpíada tem como objetivo desenvolver a habilidade lógica, a criatividade e a sociabilidade, onde os alunos colocam em pratica o conteúdo aprendido através de situações problemas. Ao propor algum desafio o professor pode ficar surpreso ao deparar com a resposta inimaginável realizada pelo aluno. O aluno desenvolve a habilidade de elaborar um raciocínio lógico diante de situações problemas que surgem no dia a dia.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Diante disto, Dante (1988) Afirma que “um dos objetivos do ensino da Matemática é fazer o aluno pensar produtivamente e para isso nada melhor que apresentar-lhe situações problemas que o envolvam, desafiem e motivem a querer resolvê-las”.

Torna-se hoje um grande desafio aos professores saber diferenciar em sua prática educacional, o professor tem que deixar de ser o detentor do conhecimento e passar a ser o articulador do saber, desenvolvendo junto a seus alunos. Este é o papel do professor no processo de ensino e aprendizagem, assim o aluno participa das atividades, desenvolvendo seu raciocínio lógico e o desafio se torna um ato de felicidade tanto para o professor como para o aluno.

Dante (1988) Garante que “se durante a vida escolar forem dadas oportunidades ao aluno de se envolver com diferentes situações problemas, quando adulto agirá com inteligência e naturalidade ao ter que enfrentar seus problemas da vida diária, sejam eles de ordem econômica, política e social”.

O professor como um intermediário no processo de ensino e aprendizagem, precisa facilitar o diálogo entre os alunos, provocando reflexões-críticas entre eles. Por entender que o estudo sobre a Olimpíada de Matemática possa ser relevante para o meio acadêmico e por acreditar que a OBMEP represente um meio favorável para promover um ambiente de redescoberta dos saberes matemático tanto para o aluno, como para o professor.

Jane Kelli Perim Pereira, professora licenciada em Matemática pela Universidade do estado de Mato Grosso.

DANTE, Luiz Roberto. Criatividade e resolução de problemas na prática educativa matemática. Rio Claro: Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Tese de Livre Docência, 1988.


Publicado por: Jane Kelli Perim Pereira

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do Brasil Escola, através do canal colaborativo Meu Artigo. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
MeuArtigo Brasil Escola