Whatsapp

Multimodalidade e figuras de retórica

Educação

Breve análise sobre a estrutura de um texto e seus múltiplos modos de articulação.

Conhecer a estrutura de um texto é importante, mas saber também seus múltiplos modos de articulação é essencial para compreender melhor seu funcionamento.

De alguns anos para cá, com os inúmeros avanços tecnológicos por meio dos quais manuseamos os diversos aparelhos digitais que fazem parte do nosso dia a dia, a comunicação interpessoal passou por um rápido processo de inovação, mediado pelas tecnologias que fornecem uma rápida possibilidade de interação social. Desde então, a multimodalidade passou a ser ainda mais discutida e analisada pelos cientistas da linguagem, ainda que os falantes, na maioria das vezes, sequer notam sua presença nos diversos textos que leem diariamente.

De acordo com Ângela Dionísio (2007), professora aposentada da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), ao participarmos de uma interação, seja esta por meio de uma conversa realizada pessoalmente ou mediada por aparelhos tecnológicos, estamos envolvidos numa comunicação multimodal, uma vez que utilizamos vários recursos verbais (orais ou escritos) e visuais (dinâmicos ou estáticos) para pôr em prática o nosso ato comunicativo. Em outras palavras, a multimodalidade diz respeito aos vários canais semióticos que são integrados na comunicação e auxiliam na eficácia desta.

Para esclarecer mais esse conceito, Dionísio (2007) apresenta vários aspectos multimodais dos textos orais, a exemplo do uso de recursos verbais e visuais cujas características envolvem movimentações da boca, da sobrancelha e dos olhos, gesticulações da mão, aspectos comportamentais dos interlocutores, velocidade da voz e entonação, ocorrências de pausas no meio da fala e hesitações, havendo logicamente vários outros aspectos verbais e não verbais que, juntos, auxiliam na construção de sentidos e no sucesso da comunicação interpessoal.

No que se refere à presença de aspectos multimodais dos textos escritos, Dionísio (2007) destaca a disposição gráfica dos textos (ou seja, os “retratos” que os identificam), a posição espacial dos textos (sobretudo nas telas de celulares e computadores), a presença de imagens junto aos trechos verbais, a utilização de diferentes cores (geralmente usadas para destacar e/ou identificar partes diferentes do texto), a formatação da página e a organização estrutural dos textos como um todo, características essas que auxiliam não apenas no alcance dos objetivos do escritor/autor, como também na identificação do gênero textual e dos assuntos a que se refere o texto escrito por parte do leitor.

Além dos aspectos multimodais, os textos (orais ou escritos) também contam com a presença de inúmeras figuras de retórica, consideradas ocorrências linguísticas usadas para intensificar o significado, persuadir ou destacar algum efeito em alguns elementos do texto (FIORIN, 2014). As metáforas, metonímias, perífrases e onomatopeias, por exemplo, são algumas das figuras que são frequentemente utilizadas nos textos orais ou escritos e conferem a estes um determinado efeito discursivo, a depender do contexto de uso de cada figura.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Para melhor exemplificar os conceitos apresentados até aqui e de que maneira a multimodalidade e as figuras de retórica podem vir imbricadas num determinado texto, temos o seguinte exemplo, que consiste na 19º questão do Caderno 4 – Rosa (Ampliada) – Aplicação Regular, do ENEM 2020:

Fonte: Brasil Escola, 2021.

De início, é importante observar que a questão acima conta com a presença das linguagens verbal e não verbal articuladas mutuamente, o que por si só já se configura enquanto aspecto multimodal do texto como um todo. Além disso, ao confirmar no enunciado da questão que a imagem em si representa uma campanha de conscientização sobre o assédio sofrido pelas mulheres nas ruas, o leitor poderá rapidamente interligar a campanha ao texto da imagem (“para nós, a rua é um campo de batalha”) e à própria imagem em si (uma mulher com um lenço cobrindo nariz e boca, símbolo de defesa nas manifestações de rua contra o gás lacrimogêneo utilizado pela polícia), que, quando considerados de maneira conjunta, nos remetem à representação metafórica de que as mulheres precisam defender-se do assédio masculino. Ou seja, por meio dos conhecimentos acerca da multimodalidade presente nos textos e da metáfora enquanto figura de retórica, o leitor pode rapidamente inferir que a resposta à questão é a letra B.

Como mostrado anteriormente, é evidente que conceber os textos orais e escritos como textos dotados de características discursivas múltiplas pode ser de grande ajuda para interpretá-los melhor e de maneira mais objetiva. Todos os textos são carregados de diversos recursos tipográficos e imagéticos que confirmam seu caráter multimodal, aliando isso ao fato de que as figuras de retórica presentes nos textos orais e escritos igualmente auxiliam na argumentação discursiva deles. Por esse motivo, como exposto no início, é importante não apenas conhecer a estruturação dos textos, mas também conhecer suas várias maneiras de se articular e quais aspectos discursivos estão envolvidos no seu funcionamento.

Referências

BRASIL ESCOLA. Questão 19 Prova Rosa Enem 2020. Disponível em: https://vestibular.brasilescola.uol.com.br/enem/questao-19-prova-rosa-enem-2020.htm. Acesso em: 25 abr. 2021.

DIONÍSIO, A. P. Multimodalidade discursiva na atividade oral e escrita. In: MARCUSCHI, L. A.; DIONÍSIO, A. P. Fala e escrita. 1. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2007. p. 177-196.

FIORIN, J. L. Figuras de retórica. São Paulo: Contexto, 2014.


Publicado por: João Gabriel Pereira da Silveira

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do site por meio do canal colaborativo Meu Artigo. O Brasil Escola não se responsabiliza pelo conteúdo do artigo publicado, que é de total responsabilidade do autor. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.