Whatsapp

Manual para a construção de trabalhos acadêmicos (TCC, Dissertação de mestrado e Tese de doutorado)

Educação

Manual para a confecção de um trabalho acadêmico: tcc, mestrado, doutorado.

TCC é a sigla para Trabalho de Conclusão de Curso, um trabalho acadêmico de caráter obrigatório e instrumento de avaliação final de um curso superior. É elaborado em forma de dissertação, visando à iniciação e envolvimento do aluno de graduação no campo da pesquisa científica.

O TCC tem por finalidade estimular a curiosidade e o espírito questionador do acadêmico, fundamentais para o desenvolvimento da ciência.

A dissertação é um trabalho acadêmico Stricto sensu que se destina à obtenção do grau acadêmico de mestre. O aluno de mestrado deve demonstrar a habilidade em realizar estudos científicos e em seguir linhas mestras na área de formação escolhida (Andrade, 2014).

Mestrado acadêmico é um grau de formação, sendo uma pós-graduação de teor científico. A maioria dessas pessoas se torna pesquisadores e professores universitários. É totalmente direcionada para quem deseja seguir carreira acadêmica. É focado no âmbito profissional e possui uma dificuldade muito superior à do nível da graduação.

O texto dissertativo trata-se de um texto pelo qual é exposta uma opinião sobre um determinado assunto, sendo composto por argumentos lógicos e tendem a convencer o leitor. Dissertar é o mesmo que discorrer, ou seja, desenvolver uma explicação perante a um tema.

Grande parte do sucesso de um texto está na sua planificação. Planificar uma dissertação implica definir o tema, os objetivos, a metodologia de investigação, a revisão de literatura, a redação e a revisão.

Na redação da sua dissertação, deve procurar ser claro, objetivo e evitar ambiguidades.Ser rigoroso no conteúdo e na forma tem um propósito: projetarmos uma imagem credível a quem nos lê e a quem nos avalia.

Articulação lógica entre as frases e os parágrafos. Essa articulação é conferida pelos articuladores discursivos, que têm por função encadear as ideias de um texto, dando-lhe um fio condutor: por exemplo, uma vez que, por conseguinte, além disso, contudo, apesar de, em suma, concluindo, etc.

A pontuação é o tempero do texto, mas mal usada pode ser um autêntico dissabor. Quando o leitor tropeça num sem-número de vírgulas, parêntesis e travessões acabam por perder o fio condutor da leitura. Devemos fazer um bom uso da pontuação, dando especial atenção ao uso da vírgula.

Uma revisão atenta da sua dissertação tem um objetivo valioso: mostrar ao leitor que teve cuidado e esmero na redação da sua dissertação. O que deverá ter em atenção na fase da revisão? Não só identificar gralhas, erros tipográficos, ortográficos, gramaticais e de pontuação, mas também aperfeiçoar todo o texto, cada capítulo, cada secção, clarificando ideias, eliminando informação supérflua, substituindo palavras por sinônimos, etc.

A tese é um trabalho acadêmico Stricto sensu que importa em contribuição inédita para o conhecimento e visa à obtenção do grau acadêmico de doutor (Barros e Lehfeld, 2007).

É uma proposição que se apresenta para ser discutida e defendida por alguém, com base em determinadas hipóteses ou pressupostos. Do grego “thesis” que significa “proposição”.

A tese de doutorado é o trabalho acadêmico que apresenta o resultado de uma pesquisa científica original e envolve necessariamente leituras, observações, investigações e reflexões.

Para iniciar um doutorado, assim como no mestrado, é necessário que o aluno, em conjunto com seu orientador, defina um projeto de pesquisa que oriente a pesquisa a ser feita.

Uma importante diferença entre esses dois cursos de pós-graduação é o requerimento final para se formar: no mestrado é preciso apresentar uma dissertação, enquanto no doutorado deve-se defender uma tese. Do ponto de vista do estilo de redação, tese é um tipo especial de dissertação.

O doutorando deve defender uma ideia, um método, uma descoberta, uma conclusão obtida a partir de uma exaustiva pesquisa e trabalho científico.

A Monografia é um trabalho acadêmico Lato Sensu (expressão em latim que significa “sentido amplo”. É apresentada ao final de cursos de graduação, especialização e MBA.

A dissertação é um trabalho Strictu Sensu (sentido estrito), realizado para concluir e validar o mestrado.

A tese vai ainda mais além ao trajeto percorrido por um estudante e pesquisador. É um trabalho de conclusão, também Strictu Sensu, que valida o doutorado e exige contribuição inédita sobre um tema.

PRÉ PROJETO DE PESQUISA PARA TCC

Descrevemos como deve ser desenvolvido cada tópico de um pré projeto de pesquisa.

Introdução. Na introdução, você vai fazer uma breve apresentação do tema.

Histórico. ...

Problema. ...

Hipóteses. ...

Objetivos geral e específicos. ...

Justificativa. ...

Metodologia. ...

Referencial teórico.

Para elaborar um bom pré-projeto, deve-se seguir um roteiro básico para organizar a estrutura do conteúdo. É importante se atentar ao tamanho ideal que deve ser de cinco páginas e a outros elementos que são fundamentais para deixar o seu projeto estruturado corretamente.

O pré-projeto é composto de três partes:

Elementos pré-textuais – capa, folha de rosto, resumo e palavra-chave e sumário;

Elementos textuais – introdução, justificativa, objetivos, metodologia e cronograma;

Elementos pós-textuais – referências e anexos

Para formatar o seu pré-projeto, deve-se utilizar a fonte “Times New Roman”, tamanho 14 para os títulos e subtítulos, tamanho 12 para o texto e tamanho 10 para figuras e tabelas.

Antes de estruturar o pré-projeto, é necessário escolher o tema que será desenvolvido. Logo depois, deve ser colocado a introdução, histórico, apresentar o problema, as hipóteses, os objetivos, a justificativa, metodologia, colocar o referencial teórico, o cronograma e finalizar com a bibliografia.

1. Introdução

Na introdução, você vai fazer uma breve apresentação do tema. O estudante deve explicar porque decidiu por esse tema, como chegou a esse assunto, porque merece ser estudado, pesquisado e ser o foco central do seu projeto. Faça um contexto que tenha sentido, não deixe o tema solto no início do pré-projeto.

2. Histórico

Em um ou dois parágrafos deve ser criado um breve histórico do seu pré-projeto. Explique como iniciou historicamente o tema, como se desenvolveu durante os anos e como está atualmente. É importante mostrar a evolução ao longo do tempo.

3. Problema

O problema é o questionamento que serve de base para formular o conteúdo do trabalho científico. O ideal é colocar esse tópico na forma de uma indagação, ou seja, a pergunta que será respondida com a realização da pesquisa. Se o seu tema não tem como se transformar em pergunta, ficará mais difícil de desenvolvê-lo.

Fique atento ao especificar o problema. A resposta a ele precisa está clara ao longo do projeto. Não adianta determinar um problema que você não conseguirá resolver. Ele também é um ponto importante para você avaliar se o seu tema está bom ou não.

4. Hipóteses

É interessante reservar um espaço para apresentar as hipóteses, ou seja, suposições que serão validadas ou desconsideradas após a realização da pesquisa. Ao estabelecer as hipóteses, você está se comprometendo com o leitor que irá testá-las durante o seu projeto. Portanto, estipule hipóteses reais para o seu tema.

5. Objetivos geral e específicos

Defina o objetivo de estudo, ou seja, o principal alvo da investigação proposta pelo projeto. Com base nessa afirmativa, crie o objetivo geral que nada mais é que o tema precedido de um verbo no tempo infinitivo.

Os objetivos específicos são as etapas que precisam ser cumpridas para realizar o principal objetivo. Pois bem, para desenvolvê-lo, estipule um assunto em geral que será sua primeira etapa do objetivo específico.

Defina o objetivo de estudo, ou seja, o principal alvo da investigação proposta pelo projeto. Com base nessa afirmativa, crie o objetivo geral que nada mais é que o tema precedido de um verbo no tempo infinitivo.

Os objetivos específicos são as etapas que precisam ser cumpridas para realizar o principal objetivo. Pois bem, para desenvolvê-lo, estipule um assunto em geral que será sua primeira etapa do objetivo específico.

Para a segunda etapa deve-se determinar o ponto de vista e a palavra de ligação deve ser a última etapa dos objetivos específicos.

6. Justificativa

O pré-projeto de pesquisa em graduação ou pós-graduação também exige uma justificativa que deve ter de dois a três parágrafos, num total de 12 linhas. Nesse tópico, o estudante deve destacar a relevância do tema e contextualizá-lo dentro de uma realidade específica. Responda: Por que a pesquisa é necessária? Qual será o impacto desse estudo? Levante dados e estatísticas para provar a importância do tema. Não deixe de especificar as fontes consultadas para dar mais autoridade as suas respostas.

Não existe uma fórmula certa para discorrer sobre a justificativa. Pode partir de um contexto entre necessidade e busca da solução, uma notícia, citação ou uma estória. O mais importante é mostrar que o tema é relevante para o avanço científico.

7. Metodologia

Ao chegar nesta etapa do pré-projeto, muitos estudantes ficam em dúvida sobre o que colocar. Em resumo, este espaço pede para descrever o tipo de pesquisa que será realizada, as fontes, os processos e as principais ferramentas.

A metodologia pode ser classificada quanto à finalidade, objetivos, abordagem, métodos e procedimentos. Deve ser baseado em cinco tipos de pesquisa. Nela, devem ser informadas quais são os tipos de pesquisas e os motivos pelas quais você escolheu.

Podem ser aplicados questionários com perguntas fechadas para ter uma amostra de público-alvo ou um questionário online com o Google Docs, para explicar o uso dessa ferramenta na coleta de dados.

8. Referencial teórico

O referencial teórico, também chamado de revisão de literatura, é o momento para incluir os autores e as linhas de pensamento que servirão de base para o estudo proposto. Para falar sobre o referencial teórico é preciso construir um texto e encaixar as referências de uma forma que faça sentido. Não se devem reproduzir os trechos das obras.

Para a segunda etapa deve-se determinar o ponto de vista e a palavra de ligação deve ser a última etapa dos objetivos específicos.

Os pesquisadores iniciantes costumam sentir muita dificuldade nessa etapa. Para se tornar mais fácil, ofereça algum indicativo para que o leitor compreenda qual a visão inicial sobre a parte teórica do seu projeto. Para isso, lembre-se de incluir diferentes autores e abordagens no referencial teórico, pois assim será possível enriquecer o conteúdo da pesquisa e torná-la mais significativa.

9. Cronograma

O cronograma é um elemento pós-textual dentro do pré-projeto. Ele determina as datas e os prazos para executar as principais etapas da pesquisa, por isso garante a organização do aluno.

Você deve ter uma data de início e de entrega do pré-projeto, portanto, é importante estipular datas para desenvolvimento de cada tópico do projeto: introdução, desenvolvimento, coletas de dados para estudo de caso, qualificação, conclusão, formatação, revisão ortográfica e todos os outros.

O cronograma pode ser montado na forma de uma tabela. Mas, não é um item obrigatório, porém pode ser de grande ajuda.

10. Referências bibliográficas

No final do pré-projeto, reserve um espaço para incluir as referências bibliográficas que foram utilizadas para escrever o planejamento. É um elemento obrigatório pós-textual e deve ser estruturado conforme norma da ABNT.

Você deve viabilizar a identificação, localização e consulta de todas as obras que forneceram conteúdos para a pesquisa.

MODELO DE PRÉ PROJETO DE PESQUISA PARA TCC

MODELO 1

CAPA DO PROJETO

NOME (S) DO (S) ALUNO (S)

(tamanho 14 – maiúsculo – negrito – digitado (s) após a margem superior – em ordem alfabética)

TÍTULO DO TRABALHO

(tamanho 16 – maiúsculo – negrito – centralizado)

BATATAIS

2019

(tamanho 14 – maiúsculo – centralizado – negrito)

FOLHA DE ROSTO DO PROJETO

NOME (S) DO (S) ALUNO (S)

(tamanho 14 – maiúsculo – negrito – digitado (s) após a margem superior – em ordem alfabética)

TÍTULO DO TRABALHO

(tamanho 16 – negrito – maiúsculo – centralizado) Projeto apresentado ao Centro Universitário Claretiano para inscrição do trabalho de monografia vinculado ao curso (nome do curso) _______________sob a orientação do (a) Profº(ª)________

______________________________.

(tamanho 12 – negrito – maiúsculo e minúsculo – alinhado a 1 cm da margem direita – justificado – espaçamento simples)

BATATAIS

2019

(tamanho 14 – centralizado – negrito – maiúsculo)

(Obs: As linhas são simbólicas. O aluno deverá confeccionar o trabalho em parágrafo duplo, fonte Time News Roman – tamanho 12)

MODELO 1

PROJETO DE PESQUISA PARA TCC

• Definição do tema:

O tema é o assunto que será estudado no TCC. Ele é escolhido conforme as experiências que o estudante adquiriu por meio dos livros ou da prática profissional. Para escolher o tema do TCC, escreva em um caderno aquilo que você pretende produzir na monografia.

A delimitação do tema se divide em quatro etapas:

Definir o tema;

Definir o problema da pesquisa;

Definir os limites da pesquisa;

Montar o projeto de pesquisa.

• Escolha do (s) problema (s) ou definição do (s) objeto (s):

O problema de TCC é a dificuldade que você deseja resolver com a sua pesquisa. Depois de escolher o tema do trabalho de conclusão de curso, é chegado o momento de definir o problema de TCC.

Objeto de estudo é o foco, o eixo central de sua investigação: não é o assunto, mas o quê dentro de um assunto geralmente vasto lhe chama atenção. Sem definir objeto de estudo todo trabalho de pesquisa resulta em confusão e perda de tempo.

• Definição da base teórica e conceitual:

A base teórica é um elemento fundamental para a sustentação de qualquer pesquisa científica. É o que permite que um pesquisador seja capaz de situar seu problema e suas inquietações no âmbito das áreas de saber onde estão inseridas.

Fundamentação teórica ou Referencial teórico é um dos elementos da pesquisa científica que consiste na revisão de textos, artigos, livros e todo material pertinente da área ou do assunto estudado.

• Formulação de hipóteses:

As hipóteses do TCC são afirmativas que tentam responder ao problema de pesquisa. Essas ideias surgem no início ou no decorrer do processo investigativo, com base no conhecimento que o estudante tem sobre o assunto. Uma boa hipótese é aquela que possa ser contestada, ou seja, confrontada com os dados da realidade.

• Justificativa:

A justificativa respeita 4 regras valiosas que são:

  1. O porquê (motivo pelo qual este tema foi escolhido),
  2. O que (qual a função do projeto),
  3. Quem (público alvo da obra)
  4. E base (fonte de informações onde seu trabalho está baseado).

A justificativa costuma ser um texto curto (cerca de 100 a 200 palavras), geralmente de um único parágrafo, que serve para apresentar um argumento muito convincente para aquele patrocinador específico. Você deve argumentar de forma lógica, clara e direta porque vale à pena financiar a sua ideia e não outra.

• Objetivos:

Objetivo geral e objetivos específicos são elementos fundamentais para a realização de trabalhos acadêmicos, como o TCC. O objetivo geral deve resumir e apresentar a ideia central de um trabalho, descrevendo também a sua finalidade. Resumir e apresentar a ideia central de um trabalho acadêmico. Então ele deve expressar de forma clara qual é a intenção daquele projeto de pesquisa que descreve e delimitar qual será o escopo do trabalho.

Por isso, o objetivo geral deve expressar a delimitação do tema.

Um aspecto importante dos objetivos geral e específico é a linguagem utilizada para sua redação.

Então o ideal é sempre utilizar verbos no infinitivo no início do enunciado dos objetivos, isto é, verbos terminados em: ar, er ou ir.

Portanto, utilizar os verbos nesta forma facilita a compreensão do que se busca alcançar no trabalho e podem ser classificados nas seguintes categorias:

Verbos usados em objetivos específicos para indicar conhecimento

registrar;

definir;

identificar;

nomear;

especificar;

exemplificar;

enumerar;

citar.

• Metodologia:

A Metodologia do TCC é a descrição do seu processo de pesquisa, ou seja, COMO você pretende fazer a sua pesquisa. E, para apresentar a Metodologia do TCC, você precisa considerar 3 Passos: TIPO DE PESQUISA – a natureza da sua pesquisa, ou seja, se ela é exploratória, descritiva ou explicativa.

  • Cronograma (sugestão):

O Cronograma é um instrumento de planejamento de atividades no tempo. Normalmente integra o Projeto de Pesquisa. Em meio a diversos afazeres pessoais e profissionais, é necessário que o pesquisador estabeleça prazos para realizar as tarefas relacionadas à pesquisa.

  • Referências bibliográficas

1) Ordem alfabética única

Em primeiro lugar, observe a ordem alfabética. Inicie pelo sobrenome do autor. Em caso de entidades autoras, a regra é seguir pelo título da entidade.

2) Utilizar espaçamento simples

Também não se esqueça de alinhar todas as referências à margem esquerda.

3) O título deve estar em destaque

O destaque pode ser feito em itálico, sublinhado ou negrito. Subtítulos não recebem destaque.

4) Os sobrenomes devem estar em caixa alta

Os nomes apenas com letra maiúscula.

Principais atualizações da Referências da ABNT

Antes de mais nada você deve saber que a nova norma ABNT NBR 6023: Referências foi publicada em novembro de 2018 e apresentou várias mudanças.

1) Quantidade de autores a serem informados

Em caso de referência de até 3 autores: sempre indicar todos;

Assim, quando forem quatro ou mais autores: convém indicar todos, mas também se permite que se indique apenas o primeiro, seguido da expressão et al.

2) O uso de traço na lista de referências

Igualmente aquele traço “_______” que era utilizado para indicar obras com o mesmo autor e de mesmo autor e título foi extinto na versão atual da norma.

3) Uso de “<>” em links foi retirado

Essa talvez seja a modificação mais importante!

Agora, nas referências de documentos de acesso online foram suprimidos os sinais < >que eram utilizados antes e depois do link de acesso.

4) Supressões em título longo

Além disso, as indicações de supressões de parte de um título ou subtítulo longo podem ser realizadas desde que não seja alterado o sentido.

NORMAS DA ABNT PARA TCC

Formatação ABNT

A formatação exigida pelas Normas ABNT são:

  • Papel: A4 – cor branca
  • Fonte: Times New Roman ou Arial- tamanho 12 – cor: preta. Nas citações com mais de 3 linhas, notas de rodapé, legendas e tabelas a fonte deve ter o tamanho 10.
  • Itálico: Deve ser usado nas palavras de outros idiomas. Esta orientação não se aplica às expressões latinas apud e et al.
  • Margens: Direita e inferior: 2cm / Esquerda e superior: 3cm
  • Parágrafos / Espaçamento: 1,5 entre linhas;

As referências devem ser separadas umas das outras com espaçamento duplo.

MODELO DE TCC

Capa

Capa deve conter o nome da instituição, curso, autor, título do trabalho, cidade e ano.

Folha de rosto

Folha de rosto apresenta nome do autor, título, cidade e ano e uma breve nota descritiva, que deve conter o objetivo do trabalho e o nome do orientador. Assim como a capa, também é considerado um elemento pré-textual obrigatório, ou seja, não pode faltar no TCC.

Folha de aprovação

folha de aprovação deve ser inserida logo após a folha de rosto. Ela não deve conter indicativo numérico, pois se trata de um elemento pré-textual. As informações importantes são: nome do autor da pesquisa, título e subtítulo, tipo de trabalho, nome da instituição e data de aprovação. Também é fundamental incluir nome, titulação e espaço para assinatura de cada membro da banca.

Dedicatória/Agradecimentos

Você quer homenagear alguém ou agradecer às pessoas que ajudaram na elaboração do trabalho? Então use o espaço de Dedicatória/Agradecimentos. Essa parte do trabalho não é obrigatória, portanto, é recomendado ser bem simples e breve na elaboração do texto.

Resumo

Resumo é um texto que deve ter, preferencialmente, entre 150 e 500 palavras. No TCC, ele sintetiza em um único parágrafo as ideias do trabalho.

Para escrever um resumo perfeito, é necessário finalizar a pesquisa, iniciar o texto falando sobre o tema principal e abordar os principais tópicos trabalhados ao longo do TCC. Não se esqueça de usar sempre frases objetivas, curtas e escritas em voz ativa. Abaixo do texto do resumo, adicione uma sequência de palavras-chave, ou seja, termos que caracterizam a pesquisa.

Depois de fazer o resumo na língua vernácula, você terá que traduzir o mesmo conteúdo para língua estrangeira. O Abstract tem a mesma formatação do Resumo, só que tudo deve ser escrito em inglês.

Listas

As listas são usadas para organizar figuras, tabelas, símbolos, abreviaturas e siglas. A identificação de cada elemento deve ser apresentada da seguinte forma: nome específico, travessão, título e número da página onde se encontra.

Sumário

Sumário é um item obrigatório no trabalho de conclusão de curso. Ele serve para apresentar as enumerações das páginas e as respectivas seções do trabalho. O alinhamento é à esquerda, sem recuo. O espaço das entrelinhas deve ser de 1,5. O tamanho da fonte é 12. Definindo as marcações corretamente, você pode gerar o sumário de forma automática através do editor de texto Word.

Elementos textuais

Os elementos textuais compõem a pesquisa científica. São eles: introdução (parte inicial), desenvolvimento (parte principal) e conclusão (parte final).

Elementos pós-textuais

O estudante não pode se esquecer de que também existem os elementos pós-textuais, ou seja, aqueles que são colocados após a conclusão. As referências bibliográficas correspondem ao único elemento obrigatório dessa parte do trabalho. No entanto, também é possível inserir apêndice, anexo, glossário e índice (tudo para deixar o trabalho mais completo e a banca mais satisfeita).

Referências bibliográficas

Livro

O que deve conter na referência: sobrenome do autor em caixa alta, nome do autor, título em negrito, edição, cidade, editora e ano de publicação.

Exemplo:

PELCZAR JUNIOR, J. M. Microbiologia: conceitos e aplicações. 2. ed. São Paulo: Makron Books,. 1996.

Site

O que deve conter na referência: sobrenome do autor, nome do autor, título do texto, ano, link e data de acesso.

Exemplo:

MORETTI, Isabella. “Regras da ABNT para TCC: conheça as principais normas”. 2019. Disponível em: https://viacarreira.com/regras-da-abnt-para-tcc-conheca-principais-normas. Acesso em: 15/01/2019.

Capítulo de livro

O que deve conter na referência: sobrenome do autor em caixa alta, nome do autor do capítulo. Título do capítulo. In: sobrenome do organizador do livro em caixa alta, nome do organizador do livro. Título da obra em negrito. Local: Editora, ano, página inicial – página final.

Exemplo:

RECUERO, Raquel. Atos de ameaça à face e à Conversação em Redes Sociais na Internet. In: PRIMO, Alex (Org.). Interações em Rede. Porto Alegre: Editora Sulina, 2016. p. 51-69.

Artigo científico

O que deve conter na referência: sobrenome do autor do artigo em caixa alta, nome do autor. Título do artigo. Nome da revista em negrito, volume, número, página inicial-final, mês abreviado, ano.

Exemplo:

NEVES, Sandra Helena. Sustentabilidade no campo: técnicas para colocar esse conceito em prática. Revista Brasileira de Engenharia, v. 6, n. 2, p. 27-39, jun, 2010.

Anais eletrônicos de eventos

O que deve conter na referência: sobrenome do autor em caixa alta, nome do autor. Título. In: nome do evento em caixa alta e sem negrito, mês, ano, local de realização. Escreva Anais em negrito. Local, ano. Escreva Disponível em: endereço eletrônico Acesso: mês abreviado e ano.

Exemplo:

FERREIRA, Leandro. Uso das redes sociais nas escolas públicas de São Paulo. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE MÍDIAS DIGITAIS, 02, 2016, Belo Horizonte. Anais […]. Belo Horizonte: Faculdades Integradas de BH, 2016. Disponível em: http://www.cbmd.com.br/trabalhos/560.pdf. Acesso em 12 de fev. 2017.

Reportagem de jornal

O que deve conter na referência: sobrenome do autor em caixa alta. Título da reportagem. Nome do jornal em negrito, local, ano, número da publicação, página, dia, mês, ano.

Exemplo:

DONATO, José. Impressora 3D transforma o mundo. Correio do Amanhã. Rio de Janeiro, ano 90, n. 230, p. 45, 3 mar. 2015.

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023: informação e documentação: referências: elaboração. Rio de Janeiro, 2002.

MEDEIROS, João Bosco; ANDRADE, Maria Margarida. Manual de elaboração de referências bibliográficas: a nova NBR 6023:2000 da ABNT: exemplos e comentários. São Paulo: Atlas, 2001.

NUNES, Luiz Antonio Rizzatto. Manual da monografia jurídica. 3ª ed. São Paulo: Saraiva, 2001.

ELABORANDO UMA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO

Situe o contexto de sua pesquisa. ...

Exponha suas motivações profissionais e pessoais. ...

Cative o seu leitor. ...

Esclareça as ideias apresentadas na introdução. ...

Revise o seu texto. ...

Levante uma problemática geral. ...

Tenha objetivos claros.

A dissertação deve ser composta das seguintes partes, obrigatórias e opcionais, que serão apresentadas de modo detalhado mais adiante. A estrutura de tese e/ou dissertação, de acordo com a ABNT/NBR-14724, compreende três elementos: pré-textuais, textuais e pós-textuais.

Primeiro, vamos entender como a dissertação funciona. Ela é dividida em três partes: a introdução, o desenvolvimento e a conclusão.

Fazer uma introdução é uma etapa importante da redação de um trabalho acadêmico. Uma boa introdução deve motivar o leitor a virar a página, a se interessar pelo trabalho todo. Assim, o texto de introdução, além de bem escrito, deverá se constituir em um convite atrativo para a continuidade da leitura do artigo.

É a parte do texto em que se coloca a ideia-chave, o assunto da dissertação. A partir da ideia principal é que se desenvolve o resto do texto, onde você pode justificar e apresentar fatos que comprovem sua tese.

Os parágrafos de desenvolvimento são os que vão dar sustentação à tese apresentada na introdução. É esse o momento de justificar, demonstrar, provar as declarações feitas na introdução. Os parágrafos de desenvolvimento devem ser marcados pela progressão, ou seja, o texto deve ser construído de forma que vá apresentando novas informações, claras e pertinentes. Ou seja, nada de enrolação ou de repetição desnecessária do que já foi dito. Para facilitar sua argumentação, você pode separar o desenvolvimento de cada ideia em um parágrafo diferente.

O Desenvolvimento além de apresentar fatos que fundamentem a sua dissertação, é importante que você também aponte argumentos contrários e que aponte porque, de acordo com a sua tese, eles não são verdadeiros. Afinal, dissertação não é um artigo de opinião, o que significa que as opiniões contrárias também devem ser consideradas.

A Conclusão é a parte final do texto. Mas é preciso que uma coisa fique clara: concluir não é simplesmente “terminar” o texto. A conclusão é feita de comentários que confirmam os aspectos desenvolvidos nos parágrafos anteriores.

É o momento de oferecer uma solução ou demonstrar algum tipo de expectativa em relação à sua tese e ao assunto como um todo.

ESTRUTURA DE UMA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO

Elementos Pré-textuais

A dissertação é formatada segundo as regras do programa de pós-graduação ao qual o aluno é vinculado. No Brasil, costuma-se seguir o padrão da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Nesse modelo, é necessário incluir os chamados elementos pré-textuais, que correspondem a tudo que apareça antes do relatório propriamente dito. Entram aí capa, sumário, resumo da pesquisa e agradecimentos, entre outros.

Elementos Textuais

Começa pela introdução. Nessa parte, costuma-se apresentar a temática do estudo, os objetivos do pesquisador, o problema de investigação a ser respondido e a relevância do trabalho para a sociedade (justificativa).

Na Revisão teórica os capítulos teóricos da dissertação de mestrado servem para contextualizar o fenômeno investigado. Nesse ponto, resgatam-se conceitos pertinentes à problemática, a partir da leitura de autores relevantes para a área de conhecimento.

Não basta apenas citar obras famosas. Deve-se articular o pensamento dos intelectuais, mostrando como cada um contribui para responder pelo menos parte das dúvidas suscitadas no decorrer da discussão.

Ainda nessa etapa, traça-se o estado da arte. Em outras palavras, explica-se o que já foi pesquisado sobre o tema e quais aspectos ainda precisam ser aprofundados. Para tanto, pode-se recorrer ao banco de teses e dissertações da Coordenadoria de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).

Metodologia. Toda pesquisa científica requer um arranjo metodológico para observar o objeto empírico. Basicamente, são técnicas reconhecidas pelos pares como uma maneira de se aproximar da realidade estudada.

Nas ciências exatas e da natureza, é comum recorrer a experimentos em laboratório. No caso das humanas, pode haver entrevistas, grupos focais ou abordagens etnográficas. A composição da metodologia depende do que se investiga.

Nesse capítulo, é importante evidenciar os passos da pesquisa e justificar cada estratégia adotada. Mesmo quando um procedimento não surte resultados, ele gera algum tipo de conhecimento.

Análise dos dados. É nesse momento que o investigador confronta a teoria com a realidade observada. Busca-se, assim, entender o objeto de pesquisa e vislumbrar possíveis respostas para a problemática.

Considerações finais. Na conclusão, a ideia é avaliar os resultados da pesquisa e verificar se os objetivos foram alcançados. Recomenda-se retomar pontos apresentados na introdução do trabalho, até mesmo como forma de tornar o texto mais acessível para o leitor.

Elementos Pós-textuais

A ABNT estipula regras para citar as referências bibliográficas utilizadas. Outros elementos, como os anexos e os apêndices – imagens, transcrições de entrevistas, documentos etc. – também aparecem nas páginas finais. Vale revisar tudo com muito cuidado para adequar o projeto ao padrão exigido.

NORMAS DA ABNT PARA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO

  1. Pré-Textuais
    1. Capa
    2. Folha de Rosto
    3. Folha de Aprovação
    4. Dedicatória
    5. Agradecimento
    6. Epígrafe
    7. Resumo
    8. Resumo em Inglês
    9. Sumário
    10. Lista de ilustrações
    11. Lista de tabelas
    12. Lista de abreviaturas e siglas
    13. Lista de símbolos
  2. Textuais
    1. Introdução
    2. Desenvolvimento
    3. Conclusão
  1. Pós-Textuais
    1. Referências
    2. Apêndices
    3. Anexo

Capa

Capa é o primeiro elemento a ser observado e é, portanto o cartão de visitas do trabalho.

Uma Capa mal formatada é o tipo de primeira impressão que é melhor evitar. Elas devem contar o nome da instituição na primeira linha e o título do trabalho centralizado. Exatamente no meio do caminho entre o título da dissertação e o da universidade deve vir o autor. Nas duas últimas linhas, o local onde a publicação foi feita e o ano.

As margens da capa, bem como do restante de todo o trabalho, devem ser de 3 centímetros no topo e à esquerda e de dois centímetros abaixo e à direita.

Todo o texto da capa deve estar alinhado como centralizado.

Folha de Rosto

A folha de rosto tem como função conter dados sobre o trabalho que poderiam estragar a estética da capa. O nome dessas informações é Nota de Indicação.

Para formatar a folha de rosto, basta copiar a capa e tirar a instituição do topo.

Coloca-se então a Nota de Indicação, que é uma descrição curta do trabalho, entre o título e os dados das linhas inferiores, subindo o nome do autor e o título na página.

A Nota de Indicação deve estar recuada cerca de sete ou oito centímetros da margem da esquerda.

Folha de Aprovação

Normalmente é fornecida pela secretaria do departamento responsável pela sua pós-graduação. Contém espaços para os nomes dos professores da banca e para suas notas.

Dedicatória

Dedicatória ocupa uma folha própria e deve estar nas últimas linhas da folha, com um recuo de oito centímetros com relação à margem da esquerda. É onde o autor homenageia alguém ou algo sem o qual não poderia concluir seu trabalho.

Agradecimentos

A folha seguinte à Dedicatória carrega os Agradecimentos. O autor deve listar todas as pessoas que acredita mereceram menção em sua dissertação de mestrado por terem sido relevantes em sua vida ou para sua pesquisa.

Epígrafe

O autor da dissertação pode optar por fazer a epígrafe ou não. Trata-se de uma citação seguida de autoria, necessariamente relacionada com o assunto tratado no trabalho. Deve ser formatado nas normas ABNT da mesma forma que a Dedicatória.

Resumo

Resumo é uma explicação genérica do conteúdo da dissertação de mestrado.

Segundo as normas ABNT, você deve escrever Resumo no topo da folha, centralizado, e então pular dois espaços duplos.

Em seguida, deve fazer uma sequência de frases concisas e objetivas que não ultrapassem 500 caracteres totais, descrevendo o assunto abordado na dissertação.

Deve então pular mais dois espaços duplos e escrever “Palavras-chave:”, seguido de quaisquer palavras que possam descrever de forma ainda mais resumida o assunto do trabalho, facilitando o trabalho de pesquisa.

Resumo em Inglês

Para fazer o Resumo em Inglês, você pode simplesmente traduzir frase a frase seu Resumo. A formatação também é idêntica.

Sumário

Sumário é a paginação da dissertação de mestrado, descrevendo em que página pode ser encontrada as informações. Por isso costuma ser o último elemento a ser feito.

Para formatar o Sumário, você vai precisar listar mais do que simplesmente os elementos. Deve também descrever as páginas aonde vão se encontrar, por exemplo, cada capítulo dos elementos textuais, com seus títulos.

Lista de Ilustrações

A Lista de Ilustrações funciona como um Sumário, mas ao invés de descrever onde encontrar o texto, descreve em que página da dissertação você vai achar cada uma das ilustrações utilizadas para auxiliar o trabalho acadêmico.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Só deve ser usado como elemento da dissertação se houver ilustrações.

Lista de Tabelas

Assim como a Lista de Ilustrações, a de Tabelas também é um sumário específico e não obrigatório, dessa vez das tabulações de dados. Caso não se faça uso de tabelas de dados, ela pode ser retirada do trabalho acadêmico.

Lista de Abreviaturas e Siglas

Diferente das listas anteriores, esta não apresenta número de páginas. É na verdade uma listagem em ordem alfabética de todas as abreviações e siglas usadas ao longo do trabalho para economizar espaço e tempo.

As explicações de suas origens são concentradas aqui para evitar que o leitor perca tempo procurando em meio ao texto o que cada uma significa.

Lista de Símbolos

Funciona como a Lista de Abreviaturas, mas para os símbolos e signos visuais usados ao longo da dissertação para facilitar a passagem de informações, como por exemplo ºC para Graus Celsius.

Introdução

O primeiro dos elementos textuais é a Introdução, que pode ser dividida em capítulos.

Como todos os elementos textuais, ele deve dar início em uma página distinta e com o título do elemento na primeira linha. Após a palavra Introdução, deve-se pular um espaço de mais ou menos um centímetro e meio antes de começar a redigir o texto.

numeração progressiva deve seguir como 1.1, 1.2 e assim por diante.

As margens dos elementos textuais continuam 3 centímetros acima e à esquerda e 2 centímetros à direita e abaixo.

Desenvolvimento

As regras de formatação do Desenvolvimento são as mesmas da Introdução. Ele também deve ser iniciado em uma página distinta.

Conclusão

Da mesma forma que os demais elementos textuais, a Conclusão deve começar em uma página própria. As mesmas regras de formatação se aplicam à esse elemento da dissertação.

Referências

As Referências dizem respeito aos dados de onde as citações e dados foram retirados. Deve estar em ordem alfabética a partir do sobrenome do autor principal. Existem várias regras específicas para cada tipo de obra referenciado. Você pode verificar cada uma no nosso texto sobre o assunto.

Apêndices

São textos feitos pelo autor que representam valor argumentativo com relação às ideias defendidas dentro dos elementos textuais, mas que caso fossem aplicados dentre eles acabariam atravancando o fluxo de texto.

Devem ser listados com um Sumário próprio, com o título de cada Apêndice seguido da página onde se encontra.

Os Apêndices podem ser usados, por exemplo, para explicar os aparatos utilizados na pesquisa de forma mais aprofundada ou de forma a explicar conceitos que exigem mais do que as referências para serem entendidos dentro da dissertação de mestrado.

Anexos

Para as normas ABNT, a diferença de um anexo e um apêndice é que estes últimos são de autoria do mesmo responsável pela obra onde estão conectados, enquanto os primeiros são de outras autorias.

Você pode se utilizar de todo tipo de trabalho acadêmico ou artigo como anexo, desde que consiga a autorização do autor original dos textos. A formatação do elemento Anexos tem o mesmo formato que a dos Apêndices.

MODELO DE DISSERTAÇÃO DE MESTRADO

NOME DO ALUNO

(Caixa alta, Times New Roman 18, negrito, centralizado, espaçamento 1,5)

TÍTULO

TERESINA-PI

ANO

(Times New Roman 12, negrito, centralizado, espaçamento 1,5)

NOME COMPLETO DO AUTOR

(Caixa alta, Times New Roman12, negrito, centralizado, espaçamento 1,5)

TÍTULO DA DISSERTAÇÃO

(Caixa alta, Times New Roman12, negrito, centralizado, espaçamento 1,5)

Dissertação apresentada à Universidade ..., como parte das exigências do Programa de Pós-Graduação em Nome do programa, área de concentração em Nome da área de concentração, para a obtenção do título de Mestre. (Times New Roman12, alinhado à direita a partir do centro da página, espaçamento simples)

Prof (a). Dr (a). Nome Completo do (a) Orientador (a)

Orientador (a)

(Times New Roman12, centralizado, espaçamento 1,5)

TERESINA-PI

ANO

NOME COMPLETO DO AUTOR

(Caixa alta, Times New Roman12, negrito, centralizado, espaçamento 1,5)

TÍTULO DA DISSERTAÇÃO

(Caixa alta, Times New Roman12, negrito, centralizado, espaçamento 1,5)

Dissertação apresentada à Universidade ..., como parte das exigências do Programa de Pós-Graduação em ..., área de concentração em ..., para a obtenção do título de Mestre. (Times New Roman12, alinhado à direita a partir do centro da página, espaçamento simples)

Aprovada em dia de mês de ano (alinhado à direita)

Prof (a). Dr (a). Nome Completo do Membro da Banca – Sigla da Instituição onde atua

Prof (a). Dr (a). Nome Completo do Membro da Banca – Sigla da Instituição onde atua

Prof (a). Dr (a). Nome Completo do Orientador

Orientador (a)

(Times New Roman12, centralizado¸ espaçamento 1,5)

TERESINA-PI

ANO

Dedicatória

(Times New Roman 12, alinhada à direita)

AGRADECIMENTOS

(caixa alta, Times New Roman 12, negrito, centralizado)

Inserir os agradecimentos.

Os agradecimentos devem ocupar no máximo uma página.

Os parágrafos devem ser justificados na largura da página e com um afastamento de parágrafo na primeira linha de 1,27 cm.

O espaçamento entre linhas deve ser de 1,5.

Não deve haver espaçamento adicional entre parágrafos.

Deve ser utilizada a fonte Times New Roman, tamanho 12.

A dissertação deve ser paginada, com o número da página centralizado na parte inferior. A Lista de Símbolos e Abreviaturas (se houver), o Resumo e o Abstract deverão ser numerados em algarismos romanos em minúsculo, Por exemplo i, ii, iii. A página inicial do item Introdução receberá o número 1 e as subsequentes deverão seguir a ordem em algarismos arábicos.

Em todo o corpo da dissertação deverá ser obedecida a seguinte configuração: tamanho de papel A4; margens esquerda, superior e inferior = 30mm e margem direita = 20mm.

SUMÁRIO

LISTA DE FIGURAs

LISTA DE TABELAS

RESUMO

(Caixa alta, Times New Roman 12, negrito, centralizado)

SOBRENOME (em maiúsculo), Xxxxx Xxxxx (primeiro, segundo... nome).Titulo da tese (primeira letra em maiúsculo e tudo em negrito).ANO. Dissertação (Mestrado em ...) – Universidade ... . Teresina -PI. ANO. (Justificado, Times New Roman, 12)

Texto corrido, sem parágrafo. O resumo deve conter a contextualização do problema, a lacuna do estudo, o objetivo principal, metodologia, resultados e conclusão principal. Devendo ser justificado na largura da página e escrito em um único parágrafo com um afastamento na primeira linha de 1,27 cm. O espaçamento entre linhas deve ser de 1,5. O resumo deve apresentar o que há de mais importante na pesquisa científica. Nunca exclua do resumo a conclusão do estudo. Máximo de uma página.

Palavras-Chave: no máximo 5 (diferentes das palavras utilizadas no título da dissertação). As palavras-chave não devem repetir termos do titulo e devem facilitar o rastreamento do trabalho.

ABSTRACT

SOBRENOME (em maiúsculo), Xxxxx Xxxxx (primeiro, segundo... nome).Titulo da tese em Inglês (primeira letra em maiúsculo e tudo em negrito).ANO. Dissertação (Mestrado em ...) – Universidade ...., .... Teresina -PI. ANO.

Em inglês e com a mesma formatação do resumo.

Key Words: em inglês (semelhante à página anterior), xxxx, .

INTRODUÇÃO

(Títulos dos itens: caixa alta, Times New Roman 12, negrito, centralizado)

A introdução deve ter uma sequência lógica, ser clara e curta; indo diretamente ao objetivo ou conclusão do estudo. Fundamente todos os aspectos do objetivo. Apresente o objetivo teórico do estudo. Ressalte a novidade de sua pesquisa. Inclua apenas definições necessárias e as defina com objetividade e clareza. Uma breve descrição do estado da arte com justificativa do seu trabalho.

(máximo de 10 paginas)

OBJETIVOS

Deixe clara a lógica de seu estudo. Evite incluir níveis de variáveis independentes no objetivo. Ao ler seu objetivo, o leitor deve visualizá-lo com clareza e presumir a estrutura de seu estudo. Se sua pesquisa tem hipótese, ela estará dentro de seu objetivo. Não confunda objetivos específicos com passos metodológicos. Utilize fonte Times New Roman 12, espaçamento entre linhas de 1,5, parágrafo (s) justificado (s) na largura da página e com afastamento na primeira linha de 1,27 cm.

Objetivo geral:

XXXXXXXxxxx.

Objetivos específicos:

  1. Xxxxxxxxxxxxxx;
  2. Xxxxxxxxx;
  3. Xxxxxxxx.

METODOLOGIA

Seja minucioso, sem cair no exagero do detalhamento. Redija o texto no passado. Ao apresentar qualquer informação, permita que o leitor a entenda no momento que a lê, ou no máximo com a frase seguinte. Para estruturar os métodos, prefira ir do geral para o particular em uma sequência lógica. Apresente o texto em tópicos. Apresente o delineamento da pesquisa em um esquema. Não inclua nome e local do laboratório onde realizou a pesquisa. Descreva com exatidão. Use siglas de fácil entendimento e memorização.

RESULTADOS E DISCUSSÃO

Redação dos resultados: Só inclua os resultados necessários para sustentar as conclusões. Apresente os resultados na sequência em que aparecerão na discussão. Redija os resultados no passado. Use abreviaturas convencionais. Não repita dados de figuras e tabelas no texto dos resultados. Limite-se a descrever resultados sem avançar em conceitos teóricos. Nas figuras e tabelas inclua apenas as informações essenciais. Não coloque valores numéricos sobre barras ou pontos nos gráficos. Figuras e tabelas devem ser autoexplicativas. Legendas de figuras e tabelas devem conter um título e explicações que não puderam ficar no corpo principal. Certifique-se de que os símbolos e textos das figuras estejam em tamanho adequado. Na estatística, para valores de tendência central, inclua sempre a variabilidade. Padronize os arredondamentos na média e no respectivo desvio-padrão. Sempre apresente a significância estatística dos dados. Não use tendências à significância. Prefira métodos estatísticos convencionais e amplamente aceitos na área. Apresente os resultados estatísticos dentro dos jargões da área.

Redação da discussão: Conduza a discussão como uma argumentação lógica. Exclua excesso de literatura. Redija as conclusões no presente. Inicie com as conclusões mais gerais do estudo. Para validar métodos e técnicas, mostre que são amplamente aceitos na literatura. Valide os resultados. Utilize todos os resultados para sustentar suas conclusões. Se seu objetivo foi descritivo, ressalte a importância dessa descrição. Fundamente as conclusões de associação. Fundamente as conclusões de interferência entre variáveis. Nas conclusões, mostre ao leitor que o objetivo foi atingido. Valide suas conclusões. Conclua baseando-se em premissas válidas e amplamente aceitas. Conclua a partir de evidências estatisticamente válidas.

CONCLUSÕES

Toda conclusão é teórica, mesmo que numérica. Conclua com base em seus dados e expanda com informação da literatura. Não foque na amostra. Foque seu estudo em poucas conclusões mais gerais, dando às conclusões mais específicas um caráter de resultados. As conclusões de estudos que usam amostras devem ser escritas no tempo presente. Conclusão não é sugestão e não é recomendação. A conclusão deve ser argumentada no sentido de que os leitores tenham que aceitá-la. A essência do trabalho são as conclusões. Ao usar literatura para sustentar conclusões, restrinja-se àquelas que incluem as evidencias (bases empíricas) que sustentam as informações citadas. As conclusões devem revelar a novidade de seu estudo.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Seguir norma da ABNT nas referências bibliográficas

Exemplos:

RODRIGUES, M. V. Qualidade de vida no trabalho. 1989. 180 f. Dissertação (Mestrado em Administração) - Faculdade de Ciências Econômicas, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 1989.

Citações:

Citação indireta com autor incluído no texto: ... Rodrigues (1989)

Citação indireta com autor entre parênteses: ... (RODRIGUES, 1989)

APÊNDICE

APÊNDICE I

Caso seja usado, deve se referir a métodos de cálculos ou pesquisa, etc.

ANEXOS

ELABORANDO UMA TESE DE DOUTORADO

Tema original

Como seu trabalho vai contribuir para o enriquecimento do conhecimento disponível atualmente? Se você vai falar sobre relações de poder nas organizações públicas, por exemplo, qual será a abordagem?

É importante que o ponto de vista que você pretende debater na sua tese seja único, ainda não discutido por outros pesquisadores. Assim, quando sua tese estiver pronta, ela poderá contribuir verdadeiramente para a ampliação do conhecimento sobre o tema escolhido.

Referencial teórico

Uma tese de doutorado precisa ter embasamento científico e acadêmico, por isso, é de vital importância que você faça um resgate das teorias que já foram publicadas a respeito do seu objeto de estudo.

Em um doutorado em educação, por exemplo, você deve recorrer autores como Paulo Freire, Piaget e Vygotsky, entre outros. Já se optar por um doutorado em comunicação, fará seu recorrido teórico por Lazarsfield, McLuhan e Santaella, entre muitos outros.

Justificativa

Por que essa abordagem é importante e vale ser pesquisada? O doutorando deve mostrar a relevância de seu trabalho para o conhecimento científico, dando argumentos de como ela contribui para o enriquecimento do campo que está estudando.

Objetivo

O objetivo da tese de doutorado deve ser claro, conciso e apresentar de forma resumida a que se destina a investigação. Para muitos candidatos ao doutorado, a elaboração dos objetivos é uma das etapas mais difíceis, pois a investigação tem que ser ao mesmo tempo profunda relevante e passível de ser concretizada.

Hipóteses

Assim como no mestrado, as hipóteses são parte fundamental da pesquisa. Elas são possíveis respostas ao problema apresentado e servem de bússola para o desenvolvimento da pesquisa.

Ao longo das suas investigações, você vai comprovar ou descartar essas hipóteses, sempre mostrando o método utilizado para chegar às suas conclusões.

O futuro doutor deve dominar a pesquisa que irá realizar, portanto, deve ser hábil em conduzir o leitor ao entendimento claro de todos seus pressupostos teóricos, escolhas metodológicas, hipóteses sobre o objeto e a própria importância do conhecimento que ele irá contribuir de forma sintética.

ESTRUTURA DE UMA TESE DE DOUTORADO

1. Elementos Pré-Textuais

1.1 – Capa

1.2 – Folha de Rosto

1.3 – Folha de Aprovação

1.4 – Dedicatória

1.5 – Agradecimentos

1.6 – Epígrafe

1.7 – Resumo

1.8 – Resumo em Inglês

1.9 – Sumário

1.10 – Lista de Ilustrações

1.11 – Lista de Tabelas

1.12 – Lista de Abreviaturas e Siglas

1.13 – Lista de Símbolos

2. Elementos Textuais

2.1 – Introdução

2.2 – Desenvolvimento

2.3 – Conclusão

3. Pós-Textuais

3.1 – Referências

3.2 – Apêndices

3.3 – Anexos

NORMAS DA ABNT PARA TESE DE DOUTORADO

Existem dentro das normas ABNT três tipos de elementos: os pré-textuais, os textuais e os pós-textuais.

Assim como na dissertação de mestrado, a tese de doutorado conta com mais elementos, pois tem um caráter mais complexo. Abaixo você confere quais são eles:

1. Elementos Pré-Textuais

Capa

Servindo como cartão de visita, a Capa é o primeiro elemento a aparecer.

Quando é mal formatada, a Capa causa uma primeira impressão ruim. É obrigatório que elas destaquem o nome da instituição na primeira linha e o título do trabalho no centro da página. Entre o título da dissertação e o da universidade deve vir o autor. Nas duas últimas linhas, o local onde a publicação foi feita e o ano de entrega do trabalho.

As margens da capa, bem como do restante de todo o trabalho, devem ser de 3 centímetros no topo e à esquerda e de dois centímetros abaixo e à direita.

Todo o texto da capa deve estar alinhado como centralizado.

Folha de Rosto

A folha de rosto é semelhante à Capa, mas tem um acréscimo: a Nota de Indicação.

Para formatar a folha de rosto, basta copiar a capa e tirar a instituição do topo.

Coloca-se então a Nota de Indicação, que é uma descrição curta do trabalho, entre o título e os dados das linhas inferiores, subindo o nome do autor e o título na página.

A Nota de Indicação deve estar recuada cerca de sete ou oito centímetros da margem da esquerda.

Folha de Aprovação

Em geral esse elemento é de responsabilidade da secretaria do curso e disponibilizada como padrão. Contém espaços para os nomes dos professores da banca e para suas notas.

Dedicatória

A Dedicatória ocupa uma folha própria e deve estar nas últimas linhas da folha, com um recuo de oito centímetros com relação à margem da esquerda. É onde o autor homenageia alguém ou algo sem o qual não poderia concluir sua tese.

Agradecimentos

A folha seguinte à Dedicatória traz os Agradecimentos. O autor deve listar todas as pessoas que acredita mereceram menção em sua tese de doutorado, por terem sido relevantes em sua vida, em sua pesquisa ou de alguma outra forma.

Epígrafe

O autor da tese pode optar por fazer a epígrafe se quiser. Trata-se de uma citação seguida de autoria, necessariamente relacionada com o assunto tratado no trabalho. Deve ser formatado nas normas ABNT da mesma forma que a Dedicatória.

Resumo

O Resumo é uma explicação genérica do conteúdo da tese de doutorado. Segundo as normas ABNT, você deve escrever Resumo no topo da folha, centralizado, e então pular dois espaços duplos.

Em seguida, deve fazer uma sequência de frases concisas e objetivas que não ultrapassem 500 caracteres totais, descrevendo o assunto abordado na dissertação.

Deve então pular mais dois espaços duplos e escrever “Palavras-chave:”, seguido de quaisquer palavras que possam descrever de forma ainda mais resumida o assunto do trabalho, facilitando o trabalho de pesquisa.

Resumo em Inglês

Para fazer o Resumo em Inglês, você pode simplesmente traduzir frase a frase seu Resumo. A formatação também é idêntica. Esse elemento existe para facilitar a identificação do seu trabalho acadêmico por pesquisadores de outras línguas.

Sumário

O sumário é a paginação da dissertação de mestrado, descrevendo em que página encontrar as informações contidas no trabalho acadêmico. Por isso costuma ser o último elemento a ser feito, ainda que apareça cedo no documento.

Para formatar o Sumário, você vai precisar listar mais do que simplesmente os elementos. Deve também descrever as páginas aonde vão se encontrar, por exemplo, cada capítulo dos elementos textuais, com seus títulos.

Lista de Ilustrações

A Lista de Ilustrações funciona exatamente como o Sumário, mas ao invés de descrever onde encontrar os assuntos do texto, descreve em que página da tese você vai achar cada uma das ilustrações utilizadas para auxiliar o trabalho acadêmico.

Só deve ser usado como elemento da tese se houver ilustrações.

Lista de Tabelas

Assim como a Lista de Ilustrações, a de Tabelas também é um sumário específico e não obrigatório, dessa vez das tabulações de dados. Caso não se faça uso de tabelas de dados, ela pode ser retirada do trabalho acadêmico.

Lista de Abreviaturas e Siglas

Diferente das listas anteriores, esta não apresenta número de páginas. É na verdade uma listagem em ordem alfabéticas de todas as abreviações e siglas usadas ao longo do trabalho para economizar espaço e tempo.

As explicações de suas origens são concentradas aqui para evitar que o leitor perca tempo procurando em meio ao texto o que cada uma significa.

Lista de Símbolos

Funciona como a Lista de Abreviaturas, mas para os símbolos e signos visuais usados ao longo da tese para facilitar a passagem de informações, como por exemplo ºC para Graus Celsius.

Elementos Textuais

Introdução

O primeiro dos elementos textuais é a Introdução, dividida em capítulos para os distintos tópicos.

Como todos os elementos textuais, ele deve dar início em uma página distinta e com o título do elemento na primeira linha. Após a palavra Introdução, deve-se pular um espaço de mais ou menos um centímetro e meio antes de começar a redigir o texto.

A numeração progressiva deve seguir como 1.1, 1.2 e assim por diante.

As margens dos elementos textuais continuam 3 centímetros acima e à esquerda e 2 centímetros à direita e abaixo.

Desenvolvimento

As regras de formatação do Desenvolvimento são as mesmas da Introdução. Ele também deve ser iniciado em uma página distinta.

Lembre-se da importância desse elemento para a tese, já que ele compõe o curso principal da argumentação. Dessa forma, é importante organizar tudo em capítulos bem divididos.

Conclusão

Da mesma forma que os demais elementos textuais, a Conclusão deve começar em uma página própria. As mesmas regras de formatação se aplicam a esse elemento da tese.

Pós-Textuais

Referências

Os dados de onde as citações foram retiradas compõem as Referências. Devem estar em ordem alfabética a partir do sobrenome do autor principal. Existem várias regras específicas para cada obra referenciada. Confira como fazer cada tipo no nosso texto sobre o assunto.

Apêndices

São textos feitos pelo autor que representam valor argumentativo com relação às ideias defendidas dentro dos elementos textuais, mas que poderiam atravancar o ritmo da argumentação caso estivessem no corpo principal do texto.

Devem ser listados com um Sumário próprio, com o título de cada Apêndice seguido da página onde se encontra.

Os Apêndices podem ser usados, por exemplo, para explicar os aparatos utilizados na pesquisa de forma mais aprofundada ou de forma a explicar conceitos que exigem mais do que as referências para serem entendidos dentro da tese de doutorado.

Anexos

Para as normas ABNT, um apêndice é um texto do mesmo autor do trabalho que o complemente, e um Anexo é um complemento de autoria por outro responsável.

Você pode se utilizar de todo tipo de trabalho acadêmico ou artigo como anexo, com a autorização do autor original. A formatação do elemento Anexos tem o mesmo formato que a dos Apêndices.

MODELO DE TESE DE DOUTORADO

UNIVERSIDADE ...

FACULDADE DE ...

NOME DO ALUNO

TÍTULO DA TESE

(na língua em que o trabalho foi redigido – português, inglês ou espanhol)

[deve ser considerada a língua em que a tese foi escrita, desconsiderando os idiomas dos anexos e apêndices]

TÍTULO DA TESE

(se o trabalho for redigido em inglês ou espanhol, incluir o título em português aqui)

TERESINA

20XX (ano da defesa)

NOME DO ALUNO

TÍTULO DA TESE

(na língua em que o trabalho foi redigido – português, inglês ou espanhol)

TÍTULO DA TESE

(se o trabalho for redigido em inglês ou espanhol, incluir o título em português aqui)

[Tese] apresentada à Faculdade de ...como parte dos requisitos exigidos para a obtenção do título de [conforme consta na ata de defesa]. (na língua em que o trabalho foi redigido – português, inglês ou espanhol)

[Tese] apresentada à Faculdade de ...da Universidade ...como parte dos requisitos exigidos para a obtenção do título de [conforme consta na ata de defesa]. (em itálico e português, se o trabalho for redigido em inglês ou espanhol)

“No âmbito do Acordo de Cotutela firmado entre a Unicamp e a < nome da universidade (país) >”no caso de cotutela de tese

ORIENTADOR: NOME DO ORIENTADOR

COORIENTADOR: NOME DO COORIENTADOR (caso haja registrado em ata)

ESTE TRABALHO CORRESPONDE À VERSÃO

FINAL DA TESE DEFENDIDA PELO

ALUNO [NOME DO ALUNO], E ORIENTADO PELO

PROF. DR. [NOME DO ORIENTADOR].

TERESINA

20XX (ano da defesa)

NESTA PÁGINA DEVE CONSTAR A FICHA CATALOGRÁFICA

QUANDO SE TRATAR DE DISSERTAÇÕES E TESES FINANCIADAS POR AGÊNCIAS DE FOMENTO, OS BENEFICIADOS DEVERÃO FAZER REFERÊNCIA AO APOIO RECEBIDO E INSERIR ESTA INFORMAÇÃO NA FICHA CATALOGRÁFICA, ALÉM DO NOME DA AGÊNCIA, O NÚMERO DO PROCESSO PELO QUAL RECEBEU O AUXÍLIO.

(Consultar o MANUAL DE NORMALIZAÇÃO, ELABORAÇÃO, PROCEDIMENTOS E ORIENTAÇÕES PARA APRESENTAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES quando se tratar de bolsa CAPES dos Programas de Pós-Graduação – item Normas para elaboração de fichas catalográficas de dissertações e teses)

CASO O TRABALHO SEJA FEITO EM COTUTELA, SERÁ NECESSÁRIO INFORMAR NA FICHA CATALOGRÁFICA O FATO, A UNIVERSIDADE CONVENENTE, O PAÍS E O NOME DO ORIENTADOR / COORIENTADOR.

Note que, se o exemplar for impresso, esta página deverá constar no verso da página anterior (página de rosto).

NESTA PÁGINA DEVE CONSTAR A FOLHA DE APROVAÇÃO, DANDO VISIBILIDADE À COMISSÃO EXAMINADORA

SEM ASSINATURA DOS MEMBROS

PÁGINA DE DEDICATÓRIA (opcional)

IMPORTANTE:

NÃO PODE HAVER PÁGINA EM BRANCO COM O TÍTULO DO TÓPICO SEPARANDO AS PARTES DO CORPO DO TRABALHO!

PÁGINA DE AGRADECIMENTOS (opcional)

Obs.: Será obrigatório caso o autor tenha recebido auxílio financeiro, parcial ouintegral, de agência (s) de fomento. Neste caso, ele deverá atender à legislaçãovigente específica de cada uma das Agências quanto à necessidade de se fazerreferência ao apoio recebido e ao número de processo.

Exemplo: Se o aluno teve apoio da CAPES, deverá constar o agradecimento à Fundação, conforme o seguinte modelo: “O presente trabalho foi realizado com apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Brasil (CAPES) - Código de Financiamento 001”.

EPÍGRAFE (opcional)

RESUMO

TEXTO DO RESUMO REDIGIDO OBRIGATORIAMENTE EM PORTUGUÊS

MÁXIMO DE 500 PALAVRAS

Logo abaixo do Resumo indicar as Palavras-chave, extraídas de vocabulário.

ABSTRACT

RESUMO TRADUZIDO PARA O INGLÊS

MÁXIMO DE 500 PALAVRAS

Logo abaixo do Abstract indicar as keywords, extraídas de vocabulário.

LISTA DE ILUSTRAÇÕES (opcional)

LISTA DE TABELAS (opcional)

LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS (opcional)

LISTA DE SÍMBOLOS (opcional)

SUMÁRIO

É a indicação do conteúdo do documento, a partir da página seguinte ao Sumário, na mesma ordem em que aparecem no trabalho, refletindo as divisões e seções que seguem. Cada parte é seguida pelo número da página em que se inicia. Usa-se o termo Sumário – não utilizar os termos Índice ou Lista.

TODAS AS PÁGINAS DEVERÃO SER CONTADAS, PORÉM, AS FOLHAS PRÉ-TEXTUAIS (DA 1ª FOLHA ATÉ O SUMÁRIO) NÃO SÃO NUMERADAS.

A NUMERAÇÃO (CONTADA CONTINUAMENTE) DEVERÁ FIGURAR A PARTIR DA INTRODUÇÃO ATÉ A ULTIMA PÁGINA DO TRABALHO, EM ALGARISMOS ARÁBICOS, NO CANTO SUPERIOR DIREITO DA PÁGINA.

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO

Note que o número de página começa a aparecer a partir daqui, da Introdução, e deve ser contínua até a última página de Anexo em, em algarismos arábicos, sendo as páginas contadas desde a primeira folha interna.

NESTE MODELO, o número no canto superior direito representa a página atual, sendo exemplificativo apenas.

ORIENTAÇÕES SOBRE FORMATAÇÃO

Proposta de estrutura do arquivo tradicional:

  • INTRODUÇÃO
  • OBJETIVOS (pode ser um item da Introdução)
  • REVISÃO DA LITERATURA (pode constar na Introdução)
  • MATERIAL E MÉTODOS OU METODOLOGIA
  • RESULTADOS
  • DISCUSSÃO
  • CONCLUSÃO
  • ANÁLISE ESTATÍSTICA (opcional)
  • REFERÊNCIAS
  • APÊNDICES
  • ANEXOS

Proposta de estrutura de arquivo no formato alternativo:

  • INTRODUÇÃO
  • OBJETIVOS
  • METODOLOGIA
  • RESULTADOS

Documentos publicados e/ou a publicar, como: sumário do (s) artigo (s), o (s) artigo (s) propriamente dito (s), sumário de livro (s), capítulo (s) de livro (s), com os dados referentes à publicação e/ou submissão e resultados adicionais ou preliminares, caso haja.

  • DISCUSSÃO GERAL

Aplicável em casos de dois ou mais documentos e não obrigatória em casos de apenas um documento.

  • CONCLUSÃO
  • REFERÊNCIAS

Não são as ref. dos artigos

  • APÊNDICES
  • ANEXOS

O (s) documento (s) publicado (s) ou a publicar deve (m) ser em revistas científicas ou anais de congressos sujeitos a arbitragem, escritos no idioma exigido pelo veículo de divulgação.

No caso de documento já publicado, o aluno deverá incluir em Anexos a autorização da Editora para a sua inclusão na dissertação/tese.

REFERÊNCIAS

Seguir norma da ABNT nas referências bibliográficas

Exemplos:

RODRIGUES, M. V. Qualidade de vida no trabalho. 1989. 180 f. Dissertação (Mestrado em Administração) - Faculdade de Ciências Econômicas, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 1989.

Citações:

Citação indireta com autor incluído no texto: ... Rodrigues (1989)

Citação indireta com autor entre parênteses: ... (RODRIGUES, 1989)

APÊNDICES (opcional)

ANEXOS (opcional)

DEVERÃO CONSTAR COMO ANEXOS:

  • Quando a dissertação ou tese versar sobre pesquisa envolvendo seres humanos, animais, biossegurança e patrimônio genético:
  • Os documentos de aprovação obtidos nas instâncias competentes.
  • Para os casos onde constar documentos publicados e/ou a publicar, como: sumário do artigo, o artigo propriamente dito, sumário de livro, capítulo de livro, com os dados referentes à publicação e/ou submissão:
  • Permissão/autorização junto à editora para a inclusão dos artigos na tese, em atendimento à legislação que rege o direito autoral.
  • Declaração de que não estão infringindo o direito autoral transferido à editora.

Deve ser indicado por reticências entre colchetes […].

 

Por Benigno Núñez Novo e Odailton Aragão Aguiar


Publicado por: Benigno Núñez Novo

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do site por meio do canal colaborativo Meu Artigo. O Brasil Escola não se responsabiliza pelo conteúdo do artigo publicado, que é de total responsabilidade do autor. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.