Topo
pesquisar

Liderança para o Futuro

Educação

Você já ouviu falar no Plano para Liderança em Sustentabilidade? Clique e saiba mais!

A consciência da transitoriedade, de pessoas, corporações e até países, desperta a atenção para a ideia do legado, do que se deixará às gerações seguintes e sucessores; o que ficará para os filhos, para a sociedade. As empresas preocupam-se com seu legado, os governantes justificam muitos de seus atos em nome dele, artistas associam sua obra ao futuro.

Pensar nos que virão depois de nós geralmente nos torna melhores, mas cabe sempre a reflexão sobre se estamos, de modo consequente, focados no que dizemos ser nossa preocupação, e dentre elas talvez a mais importante seja a sustentabilidade.

A Organização das Nações Unidas, ciente da importância do tema e de que este ocupa as atenções de muitas empresas, lançou em 2010 através do Pacto Global o “Plano para Liderança em Sustentabilidade”, com o objetivo de estabelecer um padrão de ação para as empresas membros, que melhore as habilidades e compromissos. A ONU constata que, embora o número de dirigentes participantes da agenda de sustentabilidade tenha aumentado, ainda são muitas as empresas que entendem conceitos como ambientalismo, solidariedade, tolerância, sustentabilidade, apenas como lugares comuns, meros rótulos a enfeitar discursos e constar em “missões” inscritas em catálogos.

Num momento em que o país enfrenta turbulências políticas e econômicas, precisa também resolver a urgente e sempre adiada melhoria de seu processo educacional; a internacionalização do sistema educativo brasileiro é urgente e necessária, troca de experiências é fundamental para atingir eficiência.

A formação de líderes sustentáveis, fiéis às suas diretrizes gerais de observação de valores éticos e manejo de recursos para a garantia de sobrevivência do planeta sem, não deve, no entanto, afetar a produtividade empresarial, essencial para atendimento às demandas crescentes de alimentos, vestuário e outros bens materiais.

Procurando resposta para a sempre fluida questão do que seria um líder sustentável, diversas pesquisas convergiram para a descrição de qualidades indispensáveis ao trabalho nesta área:

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

- Crença firme nos valores que estruturam o conceito de sustentabilidade. Talvez o atributo de maior importância. Algo que supera e transcende o mero pragmatismo utilitário e a busca de “agregar valor ao negócio”, apresentando-o como sustentável. Trata-se de crença real em valores como respeito ao outro, à natureza e ecossistemas, à justiça, ao diálogo e à transparência; e de vivenciar essa crença como norteadora das escolhas, simples e estratégicas, praticando na empresa a mesma ética e moral seguidas com amigos e familiares.

- Compreensão real de que os sistemas econômico, ambiental e social são interdependentes. Compreensão que leva o líder, e por extensão a empresa, a adotar valores menos autorreferentes, assumindo que a corporação não é o centro do universo, e que os negócios e o lucro não estão acima da sociedade e da natureza. Cria-se uma nova noção de prosperidade, na qual o verdadeiro bom negócio é bom para todas as partes nele envolvidas, num equilíbrio entre lucro justo, proteção ao meio ambiente e justiça social.

Um legado não é, absolutamente, um monumento autoglorificante como o que descreve o poeta inglês Shelley num soneto em que um viajante encontra no deserto os escombros de uma estátua imensa, em cujo pedestal ainda se podia ler: “Meu nome é Ozymandias, rei dos reis / contemplem minhas obras, ó poderosos, e desesperem!”. E nada mais resta: junto à decadência das ruínas colossais, ilimitadas e nuas, as areias solitárias e inacabáveis estendem-se longe.

Se deixaremos algo de valor para o mundo será o próprio mundo, melhor do que o encontramos, e para isso são fundamentais as lideranças comprometidas com a sustentabilidade.

Por Wanda Camargo – educadora e assessora da presidência do Complexo de Ensino Superior do Brasil - UniBrasil.


Publicado por: Wanda Camargo

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do Brasil Escola, através do canal colaborativo Meu Artigo. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
MeuArtigo Brasil Escola