Topo
pesquisar

Educação Infantil: a importância do brincar

Educação

Clique e descubra qual é a importância do brincar para a Educação Infantil.

Diante às cobranças sociais de proporcionar condições de um futuro melhor para as crianças, muitas escolas adotam uma postura contrária à infância: esquecem-se do quão é importante brincar. Vamos entender como a brincadeira também ensina?

Não julgo as famílias quando se encantam ao ver seus filhos, tão pequenos, fazendo atividades dirigidas nas escolas. É uma “graça” presenciar que uma criança, aos seus 2 ou 3 aninhos, já faz tantas tarefas escritas. São apostilas, cadernos de linhas estreitas, tantas letras e números sem contextualização... Sim, elas aprendem! Mas o registro escrito pode ser substituído, muitas vezes, por atividades lúdicas oralizadas, visualizadas, vivenciadas no cotidiano escolar. E isso não deixa de ser aprendizado! E quem tem de ter essa consciência é a escola, por isso não julgo os pais.

É claro que os registros escritos podem acontecer, gradativamente, na Educação Infantil, preparando para o processo de alfabetização no Ensino Fundamental. Infelizmente, há escolas que se preocupam, prioritariamente, que seus alunos saiam da Educação Infantil sabendo ler e escrever.

Calma, isso pode acontecer e não é algo incomum! A questão é que isto não é o mais importante. Sei que agora muitos estão de cabelo em pé, mas vou explicar. Sei, sim, que há cobranças para que a alfabetização aconteça, que esta criança esteja pronta para se apropriar de conteúdos abstratos no Ensino Fundamental, etc, etc... Então, questiono uma realidade, bem corriqueira, nas escolas de 1º ano: a chegada de alunos imaturos. Eles estão aptos ao processo de alfabetização, no entanto não têm maturidade para as atividades cotidianas em sala de aula, não possuem a autonomia esperada para a idade. E isso, certamente, se perdeu na ausência do brincar...

A Educação Infantil deve dar oportunidade para que a criança amplie seus conhecimentos através de vivências inéditas que a levem a comunicar-se com o grupo, respeitando regras e limites. E a brincadeira proporciona isso. Porém, não é a brincadeira pela brincadeira! Não! E é isso que deve ficar claro. As brincadeiras devem ter intencionalidade. O professor tem que propor a brincadeira com intenção pedagógica, para observar o desenvolvimento do aluno, suas capacidades no uso da linguagem, além das suas capacidades sociais e afetivas (MEC/SEF, 1998).

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

A brincadeira serve de incentivo à curiosidade, o encantamento, o questionamento e o conhecimento das crianças (MEC/SEB, 2010).

Assim, o brincar ganha seu posto mais importante: ser estratégia metodológica no processo de aprendizagem. Um aprendizado além do conteúdo escolar, mas para a vida da criança. São nas brincadeiras que: a criança fantasia e se expõe (possibilitando sua comunicação, argumentação); cria soluções para resolver situações geradas pela brincadeira (estimulando seu raciocínio lógico); ganha vivência corporal (proporcionando conhecimento físico que influencia diretamente na habilidade dos registros escritos); amadurece ao ter que seguir regras, respeitar a si e ao outro.

Portanto, o aprendizado se torna consequência das brincadeiras. A alfabetização transforma-se em algo prazeroso, espontâneo para a criança, pouco metódico para o educador. As linhas estreitas do caderno de brochura viram trilhas de uma história de aprendizagem sem limites, sem lacunas e sem ponto final.

Referências

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial curricular nacional para a educação infantil / Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. — Brasília: MEC/SEF, 1998.

_____. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil / Secretaria de Educação Básica. – Brasília: MEC, SEB, 2010.

FANTACHOLI, Fabiane das N. O Brincar na Educação Infantil: Jogos, Brinquedos e Brincadeiras - Um Olhar Psicopedagógico. Revista Fundação Aprender. Disponível em: http://revista.fundacaoaprender.org.br/index.php?id=148. Acesso em: 18 abr 2014.

FERREIRA, Antonia M. B. S. A importância do jogo e da brincadeira na Educação Infantil. Portal Educação - Cursos Online. Disponível em: http://www.portaleducacao.com.br/pedagogia/artigos/53362/a-importancia-do-jogo-e-da-brincadeira-na-educacao-infantil#ixzz2zH3H4F8h. Acesso em: 18 abr 2014.


Publicado por: Claudia Gonçalves da Silva

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do Brasil Escola, através do canal colaborativo Meu Artigo. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
MeuArtigo Brasil Escola