Whatsapp

Educação a distância: a arte da educação

Educação

Análise sobre a importância da Educação a Distância na construção do conhecimento consolidada com o apoio fundamental da tecnologia.

RESUMO

A Educação a Distância obteve um crescimento significativo nos últimos cinco anos e assim tem se destacado no cenário educacional. O presente artigo trata do tema com o objetivo de explanar teoricamente uma compreensão significativa acerca da EAD. O método de pesquisa para a elaboração deste trabalho científico é bibliográfico e o resultado desta pesquisa revela a importância da Educação a Distância na construção do conhecimento consolidada com o apóio fundamental da tecnologia. Portanto, a Educação a Distância tem demonstrado sua importância como modalidade de ensino na construção de novos saberes e aprendizagem por meio das Tecnologias de Comunicação e Informação (TIC).    

Palavras-chave: Educação a Distância. Interatividade. Tecnologia. 

ABSTRACT

Distance education has experienced significant growth over the past five years and so has excelled in the educational setting. This article deals with the issue in order to theoretically explain a significant understanding of the EAD. The research method for the preparation of this scientific work is literature and the result of this research shows the importance of distance education in building the consolidated knowledge with fundamental I support the technology. Therefore, distance education has demonstrated its importance as a teaching modality in building new knowledge and learning through Information and Communication Technologies (ICT).

Keywords: Distance Education. Interactivity. Technology.

1 INTRODUÇÃO

A Educação a Distância tem crescido exponencialmente tanto em procura quanto em oferta, e diante da exigência do mercado de trabalho por qualificação profissional esta modalidade de educação oportuniza a acessibilidade a educação superior ou especialização aqueles que não podem estar em sala de aula diariamente.

Em virtude do crescimento desta modalidade de educação este artigo foi elaborado com intuito de apresentar uma breve reflexão acerca da EAD por meio de estudo bibliográfico. É pertinente informar que o estudo apresentado refere-se somente a Educação a Distância no Brasil.

No primeiro momento será abordado conhecimento teórico do que é Educação a Distância e um pouco da história desta modalidade, em seguida como a interatividade favorece a socialização do saber através da tecnologia e posteriormente a contribuição dos recursos tecnológicos para apropriação e democratização do conhecimento, viabilidade da aprendizagem e evolução da EAD.

2 O QUE É EDUCAÇÃO A DISTANCIA?

A política educacional sempre esteve subordinada aos interesses econômicos da sociedade. Com a EAD não foi diferente, pois esta surge durante o processo de industrialização ao qual o país passava, inicialmente abrangia cursos de cunho técnico para formação de novos profissionais conforme a demanda das indústrias com baixo custo econômico.

Conceituando, a Educação a Distância é uma estratégia educacional baseada na aplicação de tecnologias a favor da aprendizagem e formação de novos profissionais, sem a limitação de tempo e distancia geográfica. Segundo Belloni (2008, p. 15),

“A educação aberta e a distância aparece cada vez mais, no contexto das sociedades contemporâneas, como uma modalidade de educação extremamente adequada e desejável para atender às novas demandas educacionais decorrentes das mudanças na nova ordem econômica mundial”.

Conforme a autora a EAD tem ocupado um espaço social e econômico relevante dentro da sociedade, sua disseminação tem sido incentivada por organismos internacionais como o Banco Mundial e a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO). A lei máxima da educação nacional a LDB, Lei de Diretrizes e Base da Educação, caracteriza a EAD como

“modalidade educacional na qual a mediação didático-pedagógica nos processos de ensino e aprendizagem ocorre com a utilização de meios e tecnologia de informação e comunicação, com estudantes e professores desenvolvendo atividades educativas em lugares ou tempos diversas” (BRASIL, 2005, não paginado).     

O Ministério da Educação tem credenciado instituições de ensino a distancia como estratégia de democratizar o acesso a educação, e a oferta de cursos têm crescido progressivamente, “em 2008, havia 1.752 cursos de graduação e pós-graduação lato senso 786.718 matriculados, segundo a Associação Brasileira de Educação a Distancia (Abed).” (Revista Nova Escola, 2009, p.53).

Os suportes tecnológicos e de rede viabiliza o acesso e aquisição de conhecimento em tempo real rompendo com a concepção de presença constante do aluno e professor no mesmo espaço físico para segmento do processo de ensino-aprendizagem. A eliminação de distâncias geográficas e temporais contribui para elevar o índice de adeptos desta modalidade de educação, pois flexibiliza o caminho a aprendizagem aqueles que por motivos diversos não podem estar diariamente na escola.

Com base em informações citadas acima pode afirmar duas importantes características específicas da Educação a Distância: a descentralização do docente, o qual se torna facilitador do processo de apropriação de novos saberes e comumente denominado tutor; e a consolidação da autonomia do discente neste processo. Assim aponta Hack (2009, p. 18),

“A EaD será entendida, portanto, como uma modalidade de realizar
o processo de construção do conhecimento de forma crítica, criativa
e contextualizada, no momento em que o encontro presencial do
educador e do educando não ocorrer, promovendo-se, então, a comunicação educativa através de múltiplas tecnologias”.

3 HISTÓRIA DA EAD

As primeiras experiências da EAD são datada do ano de 1904 com as Escolas Internacionais, contudo é na década de 30 que a mesma é impulsionada por políticas públicas, ainda com enfoque profissionalizante. O atendimento pedagógico era por meio de impressos via correspondência e por rádio. Neste contexto surge o Instituto Rádio- Técnico Monitor em 1939 e o Instituto Universal Brasileiro em 1941.

Com a implantação da televisão na década de 60 os cursos à distância são apresentados em redes educativas solicitados pelo Ministério da Educação, e dentre os vários projetos educativos transmitidos pela televisão pode-se destacar o Telecurso 2º grau, oriundo da parceria entre a Fundação Padre Anchieta e Fundação Roberto Marinho o qual preparava alunos para exames do 2º grau, posteriormente foi reformulado e renomeado para Telecurso 2000.

No ano de 1995 foi criada a Secretaria de Educação a Distância (SEED⁄MEC), e na mesma década é criado o Canal Futura, uma iniciativa de empresas privadas em criar um canal de televisão com programas exclusivamente educativos.

A Universidade Federal de Mato Grosso (UFGT) foi pioneira no ingresso do ensino superior a distância, o projeto datado de 1998 foi criado com objetivo de formar professores da rede pública para licenciar na Educação Básica.

Em 2005 foi criada a Universidade Aberta do Brasil (UAB), com intuito de graduar professores da Educação Básica pública e fornecer formação continuada aqueles já formados. A UAB é uma aprimoração da EAD vinculada a instituições superiores, e todos os envolvidos têm suporte de um Ambiente Virtual de Ensino e Aprendizagem (AVEA).

No tangente legislação a Educação a Distância foi normatizada pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei n.º 9394, de 20 de dezembro de 1996), regulamentada pelo Decreto n.º 5.622, publicado no D.O.U. de 20/12/05 (que revogou o Decreto n.º 2.494, de 10 de fevereiro de 1998, e o Decreto n.º 2.561, de 27 de abril de 1998), com normatização definida na Portaria Ministerial n.º 4.361, de 2004 (que revogou a Portaria Ministerial n.º 301, de 07 de abril de 1998).

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

É considerável registrar que durante sua trajetória da histórica a EAD atualmente consolidou conquistas relevantes como base legal que norteia esta modalidade de ensino, mecanismo pedagógico e tecnológico desenvolvido e autorização de novos cursos.

4 A IMPORTÂNCIA DA INTERATIVIDADE NO AMBIENTE DA EAD

As boas relações sempre motivaram o ser humano a seguir positivamente em frente, com a EAD as boas relações acontecem com a interação entre tecnologia e as pessoas envolvidas. Conforme Alves e Nova (2003, p.13) interatividade é

“é originário do substantivo interação, junção do prefixo inter e do substantivo ação, que designa uma ação que se exerce mutuamente entre duas ou mais coisas, ou duas ou mais pessoas; ação recíproca, que também gerou o adjetivo interativo [inter- + ativo], relativo àquilo em que há interação.”

O princípio de interatividade é fundamental para o processo de comunicação e aprendizagem na Educação a Distância. A efetiva funcionalidade da interatividade gera a eficácia do Ambiente Virtual de Ensino e Aprendizagem (AVEA). 

O Ambiente Virtual de Ensino e Aprendizagem (AVEA) corresponde à virtualização de um espaço real adequado a construção do conhecimento, partindo da premissa de colaboração, comunicação, disseminação e produção de informações e, sobretudo, interação síncrona e assíncrona com todos os envolvidos no processo de ensino e aprendizagem.

O Ambiente Virtual de Ensino e Aprendizagem consequentemente pode isolar o discente, contudo com o incentivo do uso correto de ferramentas como e-mail, fóruns, chats, sites, atividades realizadas em grupo reconstrói o espaço virtual em ação colaborativa de interação com todos os envolvidos, professor, aluno e tutor, e as Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC).

A interatividade forma laços, socializa o grupo somando individualidade e saberes, expande a participação do discente e amplia consideravelmente o uso de ferramentas midiatizadas de comunicação, assim a

“interatividade passa ser compreendida como a possibilidade do usuário participar ativamente, interferindo no processo com ações, reações, intervindo, tornando-se receptor e emissor de mensagens que ganham plasticidade, permitindo a transformação imediata.” (LÉVY, 1994,1999, apud ALVES;NOVA, 2003, p. 9).

Deste modo a interatividade fomenta ação colaborativa entre as partes envolvidas com objetivo singular: construir conhecimento auxiliado por tecnologias.

4 A TECNOLOGIA A FAVOR DA EDUCAÇÃO

A Revolução Digital – sistema de rede de transmissão e armazenamento de dados digitais – transformou o mundo e todos em sua volta. A Era Contemporânea estar marcada pelo uso constante da tecnologia nos setores mais diversos, desde a verificação de preços nos supermercados a utilização de serviços bancários como um simples depósito monetário. Assim, pensar na educação moderna sem os recursos tecnológicos é quase impossível.

As tecnologias de informática e telecomunicação concederam a Educação a Distância a ruptura do tempo e espaço, possibilitou a transmissão de dados sob a forma de conteúdo, condicionando imagem, texto, som, todos em alta qualidade e definição.

As TIC (Tecnologia de Informação e Comunicação) evoluíram a EAD, viabilizando a disseminação de conhecimento ao maior número de pessoas possíveis. A midiatização do conhecimento oportuniza a formação e capacitação de pessoas.

Historicamente foram utilizados os mais variados recursos tecnológicos no processo educacional a distância conforme o próprio desenvolvimento destas tecnologias. Inicialmente foi utilizado conforme já citado anteriormente, impressos conduzidos via correspondência. Posteriormente temos o recurso do rádio e em seguida a televisão. O avanço da tecnologia abriu um leque de possibilidades, como a internet, TV por satélite, videoconferência, web conferência.

Conforme Belloni (2008, p. 38) a tecnologia é a essência da funcionalidade da EAD, pois “a inovação tecnológica está no centro das mudanças dos processos de educação no intuito de torná-los mais aptos a responder as demandas sociais do século XXI.”

As múltiplas tecnologias dinamizam os cursos à distância e torna flexivel o tempo de estudo do discente além de potencializar suas habilidades cognitivas, pois o mesmo é diretamente responsável pelos momentos de estudo. Conforme uma pesquisa relatada na revista Nova Escola:

“Numa pesquisa feita no ano passado com três universidades particulares de Santa Catarina, Santos constatou que os alunos a distância, liam em média, 3 mil páginas por ano só de conteúdo básico estruturado (sem contar o material completar).”(NOVA ESCOLA,2009, p.59).

Os recursos tecnológicos utilizados na Educação a Distância podem ser divididos em recursos síncronos e assíncronos. Os recursos síncronos são tecnologias como o telefone, chat, vídeo conferência, web conferência os quais contemplam a interação professor-aluno, aluno-aluno e aluno-turma em tempo real. Os recursos assíncronos o emissor emite a mensagem e o receptor decodifica a mensagem, são tecnologias como e-mail, fóruns de discussão, wiki e tarefas, estes recursos permitem a interação dos participantes independente da conexão simultânea.

A nova perspectiva aberta pelas tecnologias digitais fortalece o enfoque central da EAD, que se baseia na premissa de que a educação deve ser construída através de uma ação colaborativa, obtida através da sinergia entre alunos, professores e tutores que passam a reconstruir virtualmente espaços reais de interação.

5 CONSIDERAÇÕES FINAIS

A EAD tem uma tendência a ampliar-se cada vez mais, condicionada pelas raízes históricas e por surgir exatamente do modo de produção cultural gerado pela carência de profissionais qualificados para suprir as necessidades do modo de produção vigente e visando a redução de custos, destinadas à educação presencial.

A Educação a Distância possibilita a inclusão educacional, o que faz com que o Ministério da Educação devesse ter uma postura mais firme e exigente no processo de credenciamento de instituições de educação.

As possibilidades que a EAD pode nos propiciar são: a flexibilização de espaço e tempo; o acesso a um grande número de informações; a possibilidade de comunicação em tempo real; a troca de experiências entre pessoas que vivem em espaços físicos diferenciados e distantes; a chance de uma inclusão educacional, social e digital; a construção do conhecimento de maneira partilhada; e, o protagonismo dos participantes do processo na história.

Portanto, a Educação a Distância apresenta possibilidades e contribuições significativas tanto para a sociedade quanto para a educação em geral, e tal premência deve inspirar aqueles que diretamente e indiretamente são responsáveis ao funcionamento da EAD a estar sempre abertos a refletir, repensar, reelaborar paradigmas e práticas educacionais em benefício da resolução de novos desafios que a Educação a Distância propõe.

BIBLIOGRAFIA

BELLONI, Maria Luiza. Educação a Distância. 5º edição. Campinas-SP: Autores Associados, 2008.

BRASIL/MEC/ Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, MEC, dez./1996. [internet]. Disponível em: www.portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/ldb.pdf. Acesso em: 29.jan.20015.

HARCK, Josias Ricardo. 1º Período: introdução a Educação a Distância [internet]. Florianópolis: UFSC/COE/DLLE, 2014. Disponível em: www.harck.cce.prof.ufsc.br/livros_sobre_ead.  Acesso em 24.jan.2015.

REVISTA NOVA ESCOLA. São Paulo: Abril, 2009.

NOVA, Cristiane; ALVES, Lynn. Educação a Distância: uma nova concepção de aprendizado e interatividade. São Paulo: Futura, 2003, p. 5-27.

Autora: Shirley kruschewsky de Araujo


Publicado por: Shirley Kruschewsky de Araújo

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do site por meio do canal colaborativo Meu Artigo. O Brasil Escola não se responsabiliza pelo conteúdo do artigo publicado, que é de total responsabilidade do autor. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.
  • Facebook Brasil Escola
  • Instagram Brasil Escola
  • Twitter Brasil Escola
  • Youtube Brasil Escola
  • RSS Brasil Escola