Whatsapp

BULLYING: “ISSO NÃO É ‘BRINCADEIRA’ DE CRIANÇA”

Educação

Este trabalho pretende mostrar comportamentos de bullying que tem como resultados consequências negativas para os autores.

RESUMO

Identificado como um problema mais direcionado nas escolas, o Bullying é hoje uma ocorrência de cunho social, podendo acarretar problemas físicos e psicológicos que interferem no comportamento e relacionamento do indivíduo. Bullying define-se como uma forma de agressão física, psicológica ou sexual de caráter sistemático e repetitivo; este trabalho pretende mostrar comportamentos de bullying que tem como resultados consequências negativas para os autores. Sejam as vítimas ou o agressor. O conteúdo pesquisado é para evidenciar e contribuir com informações relativas ao Tema, principalmente no âmbito escolar. Levantamentos e dados apontados pelas pesquisas apontam a necessidade de maior informação sobre as consequências dessa causa.

Palavras chave:  Bullying. Escola. Consequências

Introdução

Bullying é a prática de atos violentos, intencionais e repetidos, contra uma pessoa indefesa, que podem causar danos físicos e psicológicos às vítimas. O termo surgiu a partir do inglês bully, palavra que significa tirano, brigão ou valentão, na tradução para o português. Identificado como um problema mais direcionado nas escolas, o Bullying é hoje uma ocorrência de cunho social, podendo acarretar problemas físicos e psicológicos que interferem no comportamento e relacionamento do indivíduo. Segundo o Artigo 2º da Lei 13.185/15: Caracteriza-se a intimidação sistemática (bullying) quando há violência física ou psicológica em atos de intimidação, humilhação ou discriminação. Esta Lei reforça dois incisos ao art. 12 da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB-Lei 9.394/1996), para determinar que todos os estabelecimentos de ensino terão como incumbência promover medidas de conscientização, de prevenção e de combate a todos os tipos de violência, “especialmente a intimidação sistemática (bullying)” e ainda estabelecer ações destinadas a “promover a cultura de paz nas escolas”.

Assim, considerado um fenômeno relacionado a tipos de comportamentos desagradáveis a outrem principalmente na atualidade. O Bullying, é um tema especial a ser tratado, principalmente por educadores. E a fim de trocar experiências e desenvolver subsídios para enfrentá-lo com eficiência o Curso vem com uma proposta de contribuir com esse desafio.

Desenvolvimento

O desenvolvimento do Projeto será promovido no espaço da sala de aula, onde o contexto escolar representa de forma atenta o tema em questão, já que vem promovendo em seu âmbito alternativas de conscientização sobre o Bullying. Esta Apresentação será elaborada indicando as definições e formas de Bullying, assim como suas Causas e consequências na vida da vítima e também do agressor.

O trabalho será apresentado para alunos do 6º ao 9ºano do Ensino Fundamental, utilizando-se de recursos tecnológicos e uso do Power Point, disponibilizando assim possibilidades de discussões sobre o tema, novas reflexões e o reforço a maior Conscientização sobre as Consequências desse comportamento. O Trabalho visa Promover para os Estudantes , através de recurso audiovisuais, propostas e discussões sobre o Tema Bullying, o fomento a Cultura de Paz através da análise dos significados em torno do Bullying, suas causas e prejuízos e também formas preventivas de identificá-lo e preveni-lo de forma positiva e agregadora.

Com a exposição inicial de depoimentos de três personagens que sofreram com o Bullying, seus Sinais e Repercussões de cada situação, serão parte introdutória para dar início ao Trabalho de discussão sobre o Tema Bullying.

Para Lucia Slobodizian, em seu Artigo intitulado: Bullying no Contexto escolar, possibilidades de intervenção, ela cita que o bullying pode causar problemas graves, sendo assim é necessário que se esclareça, a todos os envolvidos as conseqüências que esse fenômeno pode acarretar, na vida de crianças e adolescentes, que sofrem ou praticam agressões poderão apresentar na personalidade no decorrer da vida ou quando adultos. O Estatuto da criança e adolescente (2012) em no capitulo II do direito à liberdade, ao respeito e a dignidade. Sendo assim cabe a escola zelar para que esses direitos de todos os alunos sejam garantidos.

Nesta apresentação sobre o tema Base o Bullying, espera-se que os alunos agreguem as informações dos materiais disponibilizados na formação, em seu cotidiano de forma a enriquecê-lo de maneira a entender e rever atitudes e conduta de comportamento, seja na escola, no trabalho e na sua vida social como um todo, para que se conscientize da cultura de Paz, do reforço a empatia e das consequências positivas de uma boa postura frente a vida.

Depoimentos

Quando L.B., 15 anos, entrou na adolescência, uma deformação em sua face direita, fruto de uma doença congênita, começou a motivar piadas por parte dos colegas, especialmente dos meninos. Elas foram se tornando mais cruéis. “Me chamam de feia, boca torta e até perguntam se eu estou grávida na bochecha”, conta a menina, que sofre sem nenhum amparo do colégio estadual onde estuda desde janeiro, em São Paulo. “Aproveitam para me humilhar quando os professores não estão olhando”, diz L.B., que tenta esconder seu rosto com o cabelo. Tímida e sem amigos, ela acredita que pode superar o problema submetendo-se a uma série de cirurgias plásticas, já programadas. As cicatrizes das humilhações que sofre todos os dias, no entanto, ficarão para sempre em sua memória.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Por quase uma década, o administrador de empresas C.J., 28 anos, tinha medo até de atender o telefone de casa. Os trotes dos colegas de classe eram um tormento. Ele se tornou alvo constante de humilhações e ameaças simplesmente porque tirava notas altas e os estudantes o achavam “bonzinho demais”. De uma cidade no litoral paulista, mudou de colégio três vezes, mas sua fama migrava com ele. Ao esbarrar com alguém que sabia de seu histórico, o roteiro do bullying se repetia. Várias vezes, ele fingia estar doente para não ir à escola. Chegou até a desistir de participar da viagem de formatura do colégio por medo. “Disseram que, se eu fosse, a experiência seria um inferno”, rememora. Apesar de hoje levar uma vida normal, o administrador ainda guarda as sequelas. “Quando vejo um grupo rindo do meu lado, acho que é comigo “, ele diz.

Há mais de um ano, o gaúcho M.T., 14 anos, tornou-se alvo de ofensas anônimas em redes sociais. Dois meses depois, as humilhações deixaram o ambiente virtual. Numa festa, o garoto apanhou de um colega mais velho diante de toda a turma. O próprio agressor identificou-se como o autor dos xingamentos on-line. “Passei a ser perseguido por todo o grupo dele. Até os meus amigos estão com medo de andar comigo”, conta. Procurada pelos pais, a direção do colégio particular onde ele estuda, em Porto Alegre, só deu atenção ao caso quando soube que estava prestes a parar na polícia. A única providência foi reunir agressor e vítima para que selassem as pazes. M.T. continua sendo agredido, e a escola limitou-se a sugerir que os pais contratassem um segurança particular.

Apresentação do PowerPoint  

Após os exemplos, far-se-á o uso do PowerPoint, com dezesseis  páginas para apresentação do Tema, com informações sobre conceitos e os vários tipos de Bullying. Nos intervalos (Bullying é Crime) serão expostos situações reais de Bullying com personagens fictícios a fim de propor maiores reflexões sobre o tema. Na sequência a Dinâmica será construída de uma roda de conversa sobre Conscientização, formas de lhe dar e como combater utilizando-se da Cultura de Paz.

Considerações Finais

Neste trabalho observou-se que além das propostas iniciais da Apresentação do tema, os alunos que participam da dinâmica, interagem com casos e situações, seja de ordem pessoal ou alheia, assim observa-se que esta Apresentação trouxe também uma oportunidade de tratar de forma aberta o tema e “dores” que até então no momento não havia sido tratado naquelas turmas. O tema Empatia como novidade para àqueles alunos trouxe uma nova forma de ressignificar e repensar conceitos de amizade e solidariedade. Nesse sentido a formação desde trabalho foi enriquecedor, já que se propôs o reforço a Cultura de Paz, o fomento a pensamentos e comportamentos positivos para maiores realizações na vida e maior conscientização, jã que conheceram causas e consequências de atitudes incoerentes que só promovem o atraso social.

Referências Bibliográficas

Institui o Programa de Combate à Intimidação Sistemática (Bullying) Acesso em 10outubro. 2019.

Lei 9394/96. Lei de Diretrizes e Bases da Educação brasileira. Acesso em: 25 setembro. 2019.

Depoimentos de Bullying Acesso em:14 outubro. 2019.

Tipos de Bullying Acesso em: 13 outubro. 2019.

SLOBODZIAN, Lucia. Bullying no Contexto Escolar: Possibilidades de Intervenção. Aluna do PDE, 2016

Significado do termo Bullying: Acesso em 13 outubro. 2019

Dia Nacional de Combate ao Bullying:< http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2016/lei/L13277.htm#:~:targetText=LEI%20N%C2%BA%2013.277%2C%20DE%2029,e%20%C3%A0%20Viol%C3%AAncia%20na%20Escola> Acesso em 03 de novembro. 2019

Alteração na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional: Acesso em 03 de novembro. 2019

 

Por Rosana  Revelles


Publicado por: Rosana da Silva Revelles

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do site por meio do canal colaborativo Meu Artigo. O Brasil Escola não se responsabiliza pelo conteúdo do artigo publicado, que é de total responsabilidade do autor. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.