Topo
pesquisar

Ato da escrita e da leitura

Educação

O professor deve ser o mediador entre o aluno e o texto. Clique e saiba por quê!

Ler escrever é, antes de tudo, um processo de interação entre leitor e o texto para que haja uma leitura eficiente faz se necessário à intervenção do professor, ele deve ser mediador entre aluno e o texto, propor atividades que leva a compreensão do contexto por meio de ativação de conhecimento de mundo.

Segundo Teberosky-1996-89 “O ensino da leitura e da escrita tem sido amplamente discutido por pesquisadores educadores, conforme indicam os objetivos apontados por Teberosky Tolchinsky .Atualmente há muitos estudos que indicam a importância do ensino da leitura e da escrita e o que é lido, ou seja, se a criança não conhece as regras do nosso sistema de escrita alfabética, deve participar de praticas sociais em que a leitura e a escrita estejam inseridas, que desde os primeiros anos de vida escolar, deve ser oferecida á criança material diversificado de textos que em diferentes situações de uso da língua, tais como leitura ou escrita de diferentes textos.

Que há várias etapas de escolaridade para a criança aprender, entender de codificar códigos linguísticos, o professor deve valorizar os textos produzido pelos o aluno, desde mais simples ao mais complexo. Que ler não é apenas decifrar, mas compreender o que esta lendo dá sentido das palavras, a organização das letras, frases, sendo que é necessário apresentar ao aluno conjuntos de habilidades que leva a identificar e a superar os obstáculos e a compreensão ampla do texto. Desde primeiro ano escolar de uma criança a escola deve oferecer diversidades de textos que coloquem em diferentes situações ao uso da língua, tais como a leitura e a escrita dando oportunidade de ler e de se divertir, emocionar, sonhar, imaginar, elaborar gradativamente critérios próprios de seleção dos textos para a leitura e produção oral, em diferentes gêneros, assim o aluno poderá fazer novos significados de recursos nas diferentes situações de comunicação a qual é submetido tanto na escola quanto fora dela, ampliando, assim, suas capacidades de leitura e produção, sendo que leitura inicia-se antes mesmo do contato com o texto principal, o aluno começa seu primeiro contato com o livro, observando a capa, os desenhos os vínculos de circulação do contexto.

Segundo “Emília Ferreiro”   “Numa sala de aula deve haver coisas para ler, um ato de leitura é um ato mágico”.( pg 109)

É necessário que o professor proponha varias atividades diferenciadas que conduz ao aluno levantamento de hipóteses á busca de dados que estimule o gosto pela leitura e da escrita. A grande preocupação dos professores, e dos pais, é que o aluno aprenda ler fluentemente escrever corretamente com coesão e coerência, ai que vem a grande preocupação e dificuldade que a escola enfrenta ao ensinar ler e escrever para uma criança, sendo que falar é mais fácil do que a escrita, enquanto falamos nos autocorrigimos o tempo todo, refazemos o texto oral explicamos o que queremos dizer. Já com a escrita é mais difícil porque é mais analítica e com regras gramaticais que tem que ser seguida, isso tornar-se difícil para a criança que ainda esta no processo de aprendizagem, tanto na leitura quanto na escrita que é essencial para o desenvolvimento da criança no decorrer do processo de aprendizagem, estimular a criança ler e escrever com prazer, que o prazer é pessoal em cada pessoal. O papel da escola é formar bom leitor e escritor, importante que o aluno tenha oportunidade de lidar com textos adequados á sua idade, que encontre informações precisas, que seja de seu interesse desde uma simples informação até mesmo mais complexa, aprender a ler requer que o leitor selecione vários gêneros textuais mias adequados ao seu gosto, ensinar ao aluno algumas estratégias e buscar informações em cada gêneros, sob pena de não aprender somente o conteúdo necessário. Ensinar a criança a gostar de diferentes gêneros, que o mesmo possa fazer uso nas diferentes situações de comunicação que é submetido tanto fora dela, ampliando assim, suas capacidades leitoras e produtora de textos.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

SegundoTeberosky [...] pretendemos que os alunos terminem a escolaridade obrigatória sendo capazes de ler lateral e criticamente textos, alheios, de reproduzir, variar e chegar a criar, os textos, adaptando-os aos diversos propósitos comunicativos. Gostaríamos que os alunos chegassem a dominar a escrita para resolver questões práticas, ter acesso a informação é as formas superiores de pensamento e desfrutar a literatura [....]

Que nenhuma prática pedagógica de leitura e escrita é neutra todas está apoiado em certos modos, conceber o processo de aprendizagem.

FONTE: LIVRO REFLEXÃO SOBRE ALFABETIZAÇÃO EMILIA FERREIRA.
TEBEROSKYN & TOLCHINSKY- 1996-
GENI SERRANO DOS SANTOS
ESCOLA PATRIARCA DA INDEPENDÊNCIA. PROGRESSO- MT


Publicado por: Geni Serrano

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do Brasil Escola, através do canal colaborativo Meu Artigo. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
MeuArtigo Brasil Escola