Topo
pesquisar

A importância da cultura no processo de aprendizagem

Educação

Saiba qual é a importância da cultura no processo de ensino-aprendizagem.

RESUMO 

O objetivo deste estudo é averiguar através de pesquisa bibliográfica e de campo a importância da cultura no processo de ensino-aprendizagem. Sabemos que a cultura é um componente ativo na vida do ser humano, e que não existe individuo no mundo que não possua uma cultura, pois cada um de nós somos criadores e propagadores de diversas culturas; esta pesquisa busca em sua abordagem focalizar a importância da cultura na escola. Ressalta também as dificuldades enfrentadas pelos professores ao lidar com as manifestações culturais no ato de aprender, bem como os métodos que o educador utiliza para contornar essas situações. 

Este estudo em um primeiro momento caracteriza-se por uma pesquisa de cunho bibliográfico, onde a autora busca saber as mais diversas considerações de autores que discutem a temática pesquisada. Para a concretização da pesquisa se fará uso da pesquisa de campo quando serão entrevistados professores que convivem diretamente com essa realidade. A pesquisa de campo efetivar-se-á por meio de questionários e entrevistas, e os resultados obtidos serão analisados a partir do referencial teórico. Palavras- chave: cultura, ensino-aprendizagem, currículo multicultural.  

INTRODUÇÃO 

Durante as ultimas décadas vem se discutindo a incorporação da cultura no processo de ensino-aprendizagem, alguns educadores e movimentos sociais, lutam para que suas culturas sejam legitimadas como essências e co-participante no processo de ensino, com relação à temática BOURDIEU afirma que "a cultura é o conteúdo substancial da educação, sua fonte e sua justificação última [...] uma não pode ser pensada sem a outra", embasados na idéia de que a cultura é um elemento que nutre todo o processo educacional e que tem um papel de suma importância na formação de um individuo critico e socializado esses movimento reivindicam a inclusão da cultura no currículo escolar. 

O reconhecimento da multiculturalidade da sociedade leva a constatação da diversidade de raízes culturais que fazem parte de um contexto educativo como uma sala de aula. Nesse sentido, autores como Candau (2000; 2002), Forquin (1993), entre outros autores, que enfatizam a relação existente entre escola e cultura, nos instiga a buscar uma melhor compreensão acerca da importância da cultura no processo de aprendizagem e nas práticas pedagógicas. 

Deste modo uma educação multicultural tem despertado uma série de discussões entre os mais conceituados autores e pesquisadores. Que buscam questionar a incorporação de pressupostos curriculares cooperativos para que assim o ambiente escolar se torne favorável aos alunos de todos os grupos sociais, étnicos e culturais. 

A escola é defendida como uma entidade socializadora que deve incorporar as diversas culturas, afim de que haja um ambiente sociável onde todos possam manifestar seus ideais sem medo de serem tachados como antiéticos e serem discriminados pela cultura que estes manifestam ou pertencem. 

Neste contexto, após uma análise da discussão, pôde-se constatar que existem opiniões diversas a respeito da incorporação da cultura no processo de aprendizagem, alguns educadores relutam em usar a cultura como conteúdos em suas aulas, surgem então alguns questionamentos a serem respondidos entre os quais: a cultura é mesmo importante no processo de aprendizagem? O que ela tem a oferecer neste processo de conhecimento? 

Os educadores consideram a cultura como aliada no processo de aprendizagem? Este artigo tem como objetivo, verificar a importância que a cultura tem no processo de ensino aprendizagem, averiguar os pontos positivos que a cultura tem a oferecer a ao processo educacional, e conscientizar educadores e educandos da importância da cultura no processo de aprendizagem. 

Num primeiro momento o artigo fundamenta-se em uma pesquisa bibliográfica destinada a focalizar as considerações sobre a importância da cultura no processo de ensino-aprendizagem que antecede a investigação de campo que esta sendo realizada em uma escola de ensino fundamental com professores das disciplinas relacionadas ao tema que posteriormente fornecerá dados para formulação de uma compreensão do problema proposto. 

A RELAÇÃO CULTURA E EDUCAÇÃO 

A cultura faz parte do nosso intimo, somos criadores e propagadores da cultura, de forma que a manifestamos de diversas maneiras.Mas o que é cultura e qual a sua relação com a educação? Candau (2003) afirma que cultura é um fenômeno plural, multiforme que não é estático, mas que está em constante transformação, envolvendo um processo de criar e recriar. Ou seja, a cultura é por sua vez um componente ativo na vida do ser humano e manifesta-se nos atos mais corriqueiros da conduta do indivíduo e, não há individuo que não possua cultura, pelo contrário cada um é criador e propagador de cultura. 

Darcy Ribeiro (1972): afirma que: "[...] cultura é a herança social de uma comunidade humana, representada pelo acervo co-participado de modos padronizados de adaptação à natureza para o provimento da subsistência, de normas e instituições reguladoras das reações sociais e de corpos de saber, de valores e de crenças com que explicam sua experiência, exprimem sua criatividade artística e se motivam para ação". 

Darcy Ribeiro converge na idéia de que embora a cultura seja um produto da ação humana ela é regulada pelas instituições de modo que se lapida a idéia a ser manifestada segundo os interesses ou valores de crenças de determinado grupo social,a cultura para Darcy também é uma herança que se resume em um conjunto de saberes que são perpassados através das gerações,saberes estes manifestados e experimentados pelo ancestrais. 

Quando se trata de cultura e educação, podemos dizer que são estes fenômenos intrinsecamente ligados, a cultura e a educação, juntas tornam-se elementos socializadores, capazes de modificar a forma de pensar dos educandos e dos educadores; quando adotamos a cultura como uma aliada no processo de ensino-aprendizagem estamos permitindo que cada individuo que freqüenta o ambiente escolar se sinta participante do processo educacional,pois ele nota que seu modo de ser e vestir não é mas visto como "antiético" ou "imoral",mas sim uma forma de este se socializar com os demais colegas, alguns autores defendem a idéia de a educação não pode sobreviver sem a cultura e nem a cultura sem a educação. Candau (2003, pag.160) afirma que: "A escola é, sem dúvida, uma instituição cultural. 

Portanto, as relações entre escola e cultura não podem ser concebidas como entre dois pólos independentes, mas sim como universos entrelaçados, como uma teia tecida no cotidiano e com fios e nós profundamente articulados." 

Para Vera Candau as escolas além de ser uma instituição educacional, ela também é uma instituição cultural, onde dentro delas estão inseridos diversos grupos sociais que não devem ser ignorados pelos educadores muito menos pela escola, mas sim valorizados, através de discussões e feiras, para que as culturas não tradicionais possam ser conhecido e reconhecidos quanto a suas ideologias e formas de ser. 

Trindade (2003) apud Ferreira (2005 pag.1 ) converge nesta posição: . "[...] A questão que se coloca é a importância de se entender a relação cultura e educação. 

De um lado está à educação e do outro a idéia de cultura como lugar, a fonte de que se nutre o processo educacional para formar pessoas, para formar consciência". Para Trindade a cultura tem um importante papel no processo de aprendizagem, pois é ela é que nutre todo processo educacional, na missão de forma individuo crítico e conhecedor de sua origem cultural, daí a necessidade de se discutir as culturas diversas na sala de aula.

Embora a escola seja palco dessas multiculturalidade ela vem encontrando várias dificuldades em interagir suas práticas educativas mais comuns com a diversidade cultural vivenciada pelos alunos, isso por que os conteúdos selecionados e trabalhados pela escola não tem nenhuma relação com o universo cultural ou com essa multiculturalidade vivenciada pelos educandos,a cultura que os alunos conhecem são apenas os folclores ou seja a cultura chamada tradicional,não se discute a cultura existe na sala de aula,apenas dá-se ênfase as culturas distantes da realidade do aluno. 

Diante dessa problemática Candau e Anhorn (2000, p.2) afirmam que "hoje se faz cada vez mais urgente a incorporação da dimensão cultural na prática pedagógica". Candau defende uma abordagem pedagógica pautada numa perspectiva de educação multicultural, ou seja, dever-se-ia incluir essa discussão no currículo escolar e por certo nos projetos da escola. 

A escola deveria seguir o papel de intermediador entre as diferentes culturas jovens, permitindo o debate entre elas e por certo a valorização delas através dos eventos escolares ou outros meios pedagógicos. 

Candau e Anhorn (2000) afirmam que: "[...] um currículo multicultural coloca aos professores o desafio de encontrar estratégias e recursos didáticos para que os conteúdos advindos de variadas culturas sejam utilizados como veículo para: introduzir ou exemplificar conceitos relativos a uma ou outra disciplina; ajudar os alunos a compreender e investigar como os referenciais teóricos de sua disciplina implicam na construção de determinados conhecimentos; facilitar o aproveitamento dos alunos pertencentes a diferentes grupos sociais; estimular a auto-estima de grupos sociais minoritários ou excluídos; educar para o respeito ao plural, ao diferente, para o exercício da democracia, enfatizando ações e discursos que problematizem e enfraqueçam manifestações racistas, discriminatórias, opressoras e autoritárias, existentes em nossa nossas práticas sociais cotidianas".

A partir disso, pode-se concluir que a inclusão de currículo multicultural no ambiente escolar, não só possibilita o conhecimento de outras culturas, mas também auxilia no processo de ensino-aprendizagem na medida em que os professores utilizem da cultura dos alunos em suas aulas e em projetos da escola,quando há essa interação e interesse do professor em conhecer e por certo valorizar as demais culturas ocorre o processo de socialização,onde cada cultura passa a ser entendida e vista não mas com um olhar pejorativo, proporcionando a partir daí um ambiente escolar, mas agradável e por certo uma nova perspectiva na forma de aprender. 

Embora seja defendida essa aliança entre educação e cultura não se deve esquecer o professor neste processo, deve ser analisado se este está preparado para lidar com essa multicultulidade do ambiente escolar com relação ao fato Candau (2003, pag. 157) afirma "Será necessário que o docente se disponha e se capacite a reformular o currículo e a prática docente com base nas perspectivas, necessidades e identidades de classes e grupos subalternizados". 

E certo que a construção de um novo currículo com base essa multiculturalidade não será tarefa fácil para o professor, pois isto requererá uma nova postura, novos saberes, novos objetivos, novas estratégias e por certos novos assuntos.

É possível sim a incorporação da cultura no processo de aprendizagem,mas desde que haja meios,idéias e preparo do corpo docente para lidar com este novo desafio. 

METODOLOGIA 

A metodologia adotada para este trabalho foi inicialmente uma pesquisa bibliográfica, na qual fichou-se alguns autores que defendem a importância da cultura no processo de ensino aprendizagem,foi feita também uma pesquisa de campo com professores da rede local de ensino através de um questionário com perguntas abertas. 

RESULTADO E DISCUSSÕES 

Após a realização da pesquisa de campo foi feita a triagem dos dados onde constatou-se que 80 % dos entrevistados acreditam que a cultura tem um importante papel no processo de aprendizagem e 20 % acreditam que cultura e educação são duas vertentes que devem ser tratados de forma diferentes e que não se deve integrá-la no processo de ensino-aprendizagem. 

A cultura sem dúvida deve estar presente no ambiente escolar, pois ela também faz parte do processo de ensino aprendizagem, ela nutre, socializa e fornece idéias para um aprendizado, mas eficiente, como afirma Vygotsky. "A cultura cria formas especiais de comportamento, muda o funcionamento da mente, constrói andares novos no sistema de desenvolvimento do comportamento humano... 

No curso do desenvolvimento histórico, os seres humanos sociais mudam os modos e os meios de seu comportamento, transformam suas premissas naturais e funções, elaboram e criam novas formas de comportamento, especificamente culturais" (Vygotsky, apud WERTSCH E TULVISTE, 2001 p. 73). Quanto à forma de como a cultura deve ser inserida no ambiente escolar, 60 % acreditam que esta deve vim integrada no currículo escolar oficial e 40% acreditam que está deve ser implementada através do olhar cultural de cada professor. 

Entre os entrevistados 80% acredita que para que se possa inserir a cultura do aluno no processo de aprendizagem deve-se antes capacitar o professor e 20 % acreditam que já está preparado para esse novo desafio. 

Acredita-se que a maioria dos professores da rede municipal ainda não tem uma formação acadêmica,por isso faz-se necessário o investimento na qualificação deste professores,para que assim possam desenvolver as atividades de forma mas proveitosa,a conscientização de que a cultura deve esta interligada ao educação deve ser amadurecida no processo de formação do professor.

Alguns reconhecem a necessidade de construir conhecimento a base da cultura e educação mas também que refletem que precisam se preparar para este novo desafio. 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Conforme exposto podemos considerar que a cultura tem um importante papel no processo de aprendizagem, pois ela permite não só a socialização, mas discussão de diferentes saberes no ambiente escolar, através do conteúdo cultural podemos exemplificar vários temas,nas diferentes disciplinas do currículo escolar.O ensino cultural tem esse poder de integrar os diferentes saberes e levá-los a discussão em sala de aula,mas para que isso ocorra faz-se necessário a capacitação do professor para que este possa ter um novo olhar sobre a cultura na sala de aula. Sabemos que é papel da escola socializar o conhecimento, mas também é dever desta atentar para as manifestações culturais como uma forma de ensinar e socializar os educandos. Compreende-se a cultura como um elemento que nutre o processo de ensino aprendizagem, pois ela nos fornece vários meios a ser discutidos em sala de aula. Para melhorar faz-se necessário desfazer o caráter excludente de algumas escolas e do currículo tradicional, que reproduzem as desigualdades sociais ao trabalhar com padrões culturais distantes das realidades dos alunos. Candau (2003) afirmar que: "[...] Para todos (as),uma ação docente multiculturalmente orientada, que enfrente os desafios provocados pela diversidade cultural na sociedade e nas salas de aulas, requer uma postura que supere o "daltonismo cultural" usualmente presente nas escolas, responsável pela desconsideração do "arco-íris de culturas" com que se precisa trabalhar. Requer uma perspectiva que valorize e leve em conta a riqueza decorrente da existência de diferentes culturas no espaço escolar". Para que haja uma parceria entre a cultura e a educação faz-se necessário deixar de lado alguns estereótipos ainda vagando na mente de alguns educadores e alunos, na qual legitimam como cultura apenas as festa popularmente conhecidas e data comemorativas tradicionais, urge a necessidade de se olhar as demais culturas como uma fonte de riqueza que pode auxiliar no processo de ensino - aprendizagem, mas para que haja essa integração entre a cultura e educação faz-se necessário a criação de novas metodologias para que o professor possa trabalhar de forma adequada. Ainda urge a necessidade de investir na formação do professor,conforme constado nesta pesquisa, a maioria dos professores reconhecem a necessidade de obter um formação adequada para que este possam trabalhar as temáticas proposta de forma proveitosa. Conclui-se que a cultura é o elemento essencial no processo de ensino-aprendizagem e que a escola deve incorporar em seu contexto e, portanto esta deve ser inserida nos currículos escolares, nos projetos e outras atividades pedagógicas, para que haja a socialização do discente e docente e que as demais culturas também possam ter seu espaço no ambiente escolar. 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 

BOURDIEU, P. Razões práticas: sobre a teoria da ação. Campinas: Papirus, 1996.

CANDAU, Vera Maria Ferrão - Educação escola e Cultura(s): construindo caminhos. Revista Brasileira de Educação, 2003.

CANDAU, Vera Maria Ferrão - Sociedade, cotidiano escolar e cultura(s): uma aproximação. Educ. Soc., 79: 125-161, 2002.

FERREIRA, Nilza Brandolfo, A relação Cultura e Educação. Projeto apresentado no curso de Pós-Graduação Lato Sensu: Psicopedagogia Clínica e Educacional a UNESP.São Paulo,2005

*Jeiele P. Rodrigues da Silva 
*Jididias Rodrigues da Silva


Publicado por: Jididias Rodrigues da Silva

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do Brasil Escola, através do canal colaborativo Meu Artigo. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.

DEIXE SEU COMENTÁRIO
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
MeuArtigo Brasil Escola