Topo
pesquisar

Coleta seletiva solidária na escola: Alternativa para sensibilização de alunos em relação à reciclagem

Educação

Alternativa para sensibilizar os alunos em relação à reciclagem.

RESUMO

É interessante informar a grande importância deste projeto, isso, porque não pretendemos simplesmente sensibilizar os estudantes, porém também, promover agentes disseminadores para que sejam desenvolvidos planos e ações de contribuição para a melhoria e conservação do meio ambiente. Nosso primeiro passo foi realizar um diagnostico da escola, verificando a preocupação do corpo escolar (professores e funcionários) voltada ás questões ambientais, e assim, realizarmos a elaboração de materiais didáticos, para este recurso realizamos um encontro onde realizamos palestras e uma oficina de produção de objetos reciclados. Com isso obtivemos a acessibilidade, em relação à escola, para a implantação do projeto e a participação dos estudantes, das 8ª series do turno da manhã, nas diversas atividades promovidas do projeto.

Palavras-chaves: coleta seletiva, educação ambiental, escola, estudantes.

1 INTRODUÇÃO

É de vital importância à obtenção de conhecimento sobre as ações do homem em relação ao meio em que ele atua isso traz a capacidade de conscientização sobre sua própria participação no que se diz respeito à transformação do meio ambiente. Atentarmos-nos em relação a quantidades, cada vez maiores de resíduos sólidos que vêm sendo geradas nas instituições de ensino e em torno delas, em função ao consumo compulsivo e desnecessário de todo tipo de materiais. Nesses locais encontramos desde sacolas plásticas com lixo orgânico ate mesmo variados tipos de moveis, no qual nos faz acreditar que grande parte da população, nesta localidade, mantém hábitos que possibilitam a degradação do meio ambiente. Além disso, forma um local sem drenagem, para o fluxo de água das chuvas, o que torna a localidade apta para proliferação de alagamentos e doenças.

A necessidade de se abordar o tema de Educação Ambiental, se torna mais necessária depois da percepção em que obtivemos no decorrer deste processo de levantamento. O levantamento realizado em torno da instituição nos possibilitou perceber o quanto existe crianças e jovens que possuem interesse em relação às diversas variáveis que possibilitam uma restauração, ou ate mesmo a preservação e conservação do meio em que vivem, e verificar a insatisfação com atitudes da população, pois não praticam ações ecologicamente corretas para a obtenção de melhorias na localidade.

Informar sobre conscientização, coleta seletiva, reaproveitamento e reciclagem é uma forma de obtermos uma melhoria no ambiente onde ocorre o programa, isso porque é informado, aos alunos participantes, sobre algumas ações importantes a serem tomadas no cotidiano do estudante, não somente no interior da instituição, mas também no exterior dela, pois a intenção é promover a disseminação de idéias e ações que promovam a conscientização ambiental.

O Museu Paraense Emilio Goeldi (MPEG), esta contribuindo para fazer valer o decreto federal nº 4.281, de 25 de junho de 2002. E esta contribuição é um incentivo a mais para que haja uma parceria em relação à contribuição de materiais recicláveis podendo assim destinar para locais adequados e contribuir para as associações e cooperativas que o MPEG apóia. Isto porque essas parcerias dão o destino mais correto para todo o material coletado, o que é mais adequado, e é uma forma de obter maneiras diferentes para reaproveitar esses materiais, pois, já existem locais apropriados para o reaproveitamento de materiais, que em alguns casos, nem os coletores possibilitam reciclar, é o caso da espinha de peixe, óleos, borrachas e outros produtos que necessitam de máquinas e técnicas apropriadas.

É interessante ressaltar que a importância deste programa não é, simplesmente, sensibilizar os estudantes e sim promover agentes disseminadores para que seja desenvolvidos planos e ações de contribuição para a melhoria e conservação do meio ambiente, iniciando na instituição de ensino em que estamos atuando primeiramente e possibilitando a disseminação para suas residências e comunidades.

O conhecimento sobre aproveitamento e reciclagem é extremamente importante, pois além de inovar o pensamento sobre resíduos sólidos, resulta em materiais ricos em criatividade e ainda podem ser uma fonte de renda para muitos, fato que é desconhecido da maioria das pessoas ou ignorado pela questão do preconceito com catadores ou artesãos. Esses materiais possuem um custo baixo e, dependendo da criatividade, são diferenciados e bem interessantes, a importância de poder informar sobre educação ambiental é proporcional às informações sobre coleta seletiva e reciclagem, além das idéias que geralmente se exige em relação a esses assuntos. É correto ver a educação ambiental de maneira a estar relacionada ao despertar da consciência ecológica da sociedade, trabalhando-se na sensibilização das futuras gerações, para que seja compreendida e que se procurem soluções para a problemática ambiental e social.

A partir das informações adquiridas, é de extrema importância uma mobilização para que possamos conscientizar e sensibilizar as pessoas em relação aos cuidados ao meio ambiente com o próprio local onde habitam a saúde, o aproveitamento e a reciclagem de resíduos sólidos. Acreditamos que é a partir do conhecimento adquirido, que cada indivíduo passa a tomar medidas que favoreçam não somente a si, mas também melhore a situação em relação às questões socioambientais. Tomando simples medidas de mudanças de hábitos e comportamento do homem, que se pode fazer à diferença, podendo contribuir para uma melhor qualidade de vida nas residências e também na sociedade de forma geral, promovendo, assim, uma melhoria, significativa, no meio ambiente. Pois é de extrema importância a mudanças de comportamentos e atitudes para a formação de novos cidadãos. A educação é um fator essencial para melhor tratar o cuidado com o meio ambiente em que habitamos. Existem, hoje, inúmeras entidades, atendendo aos decretos federais e estaduais, que promovem a luta contra o desperdício de resíduos sólidos, utilizando como ferramenta o reaproveitamento integral por meio de repasse a catadores ou da reciclagem de papéis, vidros, garrafas, plásticos, entre outros materiais produzidos.

A partir das informações adquiridas, é de extrema importância uma mobilização para que possamos conscientizar e sensibilizar as pessoas em relação aos cuidados ao meio ambiente com o próprio local onde habitam a saúde, o aproveitamento e a reciclagem de resíduos sólidos. Acreditamos que é a partir do conhecimento adquirido, que cada indivíduo passa a tomar medidas que favoreçam não somente a si, mas também melhore a situação em relação às questões socioambientais. Tomando simples medidas de mudanças de hábitos e comportamento do homem, que se pode fazer à diferença, podendo contribuir para uma melhor qualidade de vida nas residências e também na sociedade de forma geral, promovendo, assim, uma melhoria, significativa, no meio ambiente. Pois é de extrema importância a mudanças de comportamentos e atitudes para a formação de novos cidadãos. A educação é um fator essencial para melhor tratar o cuidado com o meio ambiente em que habitamos. Existem, hoje, inúmeras entidades, atendendo aos decretos federais e estaduais, que promovem a luta contra o desperdício de resíduos sólidos, utilizando como ferramenta o reaproveitamento integral por meio de repasse a catadores ou da reciclagem de papéis, vidros, garrafas, plásticos, entre outros materiais produzidos.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O presente trabalho possui o objetivo de disseminar as diversas maneiras de destinar resíduos sólidos recicláveis, corretamente, produzidos na instituição de ensino onde o trabalho é desenvolvido. Desenvolvendo, assim, uma melhor sensibilização nas ações dos estudantes, em relação ao meio ambiente tomando como base a geração, coleta e tratamento de resíduos sólidos na Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Mário Barbosa.

2 METODOLOGIA

2.1 Diagnostico escolar

Nessa fase foi realizado levantamento na escola com diretores, professores e alguns funcionários, com a realização de uma conversa inicial com a direção (Profº Miguel Armond e Profª Nazaré) a qual estava presente eu, Rifanni, Rosana Nascimento e Leonardo para verificação da preocupação da instituição voltada para as questões ambientais, alguns destes participantes se mantiveram um pouco incertos com a implantação do projeto. Para um melhor esclarecimento sobre o trabalho a ser desenvolvido em parceria com a escola, utilizamos os seguintes recursos (Apresentação de slides sobre coleta seletiva solidária na escola; uma cópia do projeto e reuniões com diretor, coordenador de projetos e alguns professores com informações sobre Educação Ambiental, coleta seletiva solidária). Foram expostas as condições visuais e uma pequena apresentação das condições sanitárias do arredor da instituição de ensino, apontando algumas das causas e efeitos das principais ações que prejudicam o meio ambiente e a saúde da população, o que despertou interesse de alguns participantes das reuniões. Podemos proporcionar a todos, a troca de informações sobre as ações da equipe para melhorar a qualidade de vida dos estudantes e da instituição em relação ao meio em que vivem.

2.2 Elaboração de material didático

Alguns materiais já foram produzidos, (slides contendo materiais já reciclados, cartilhas de como reduzir, reutilizar e reciclar) a partir dos materiais coletados no MPEG, para que os estudantes já pudessem perceber a produção de artigos produzidos com os diversos tipos de resíduos sólidos. Este processo pôde ser presenciado através da oficina realizada no MPEG a qual se fez presentes alunos e alguns professores da escola, além de contar com José Figueredo, Richeli Ruivo, Rifanni Ruivo e Rosana Nascimento. Estes materiais já serão usados nas primeiras exposições com as turmas. Outros materiais serão confeccionados, já com os alunos, folhetos para informar, as outras turmas, sobre os principais problemas em relação aos resíduos produzidos e eliminados em vias públicas e sem tratamento adequado, utilizando: cartolina, pedaços de papel colorido, encartes de jornal, papelão fino.

3 RESULTADOS

A escola nos proporcionou uma ótima acessibilidade para a implantação do projeto, pois a principio, não fomos bem informados da capacidade de associação de todos os alunos que o projeto visava alcançar, após entrarmos em contato com o Profº Sergio Bandeira, pelo coordenador de projetos da escola, podemos perceber a dificuldade em relação à estrutura da escola e número de alunos, não nos possibilita desenvolver este projeto de forma produtiva e de orientação com todos os alunos juntamente com a comunidade, e o projeto não possuiria meios de abranger todo o público alvo.

Devido a estes fatores citados a cima, o corpo que compõe Projeto tomou a iniciativa de abranger uma única série do ensino fundamental, pois se pretende diminuir o público alvo e assim obter, qualitativamente, um melhor resultado. A série a ser participante desde projeto foi selecionada devido o fato dos alunos obterem um melhor entendimento (alunos de 14-17 anos) e que podem propagar a divulgação de sensibilização do trabalho proposto pelo MPEG, à série indicada foi a de 8ª série do ensino fundamental.

4 CONSIDERAÇÕES GERAIS

Em primeiro momento podemos observar o quanto há profissionais e alunos na instituição que são interessados em promover ações para melhoria do meio ambiente e a consciência de alunos e comunidade no qual também há alunos que possuem uma consciência, um tanto quando, sensibilizada em relação ao meio em que vivem. Porém podemos encontrar, também, as manifestações de desinteresse de alguns profissionais, no qual imaginavam que seria um atrapalho em seu horário ou ate que atrapalharia o desempenho educacional em sala. Após superarmos alguns destes obstáculos, tivemos que “pausar” o projeto devido à greve dos profissionais na área da educação, feriados prolongados e atualmente recesso dos professores que não nos oportunizou darem um andamento maior no projeto.

A partir do momento em que podemos conversar com o coordenador de projetos da escola é que tivemos a grandiosidade da escola e o tanto seria complicado trabalhar com tantas turmas e desenvolver um projeto como este. Este apoio nos foi muito oportuno devido à necessidade de obter alguém que nos oriente no ambiente em que iremos trabalhar.

5 REFERÊNCIAS:

CUNCA Pedro B., A reciclagem Integrada dos Aspectos ambientais, sociais e econômicos.

CUNHA Sandra Baptista da e Gerra Antonio José Teixeira – A questão Ambiental: diferentes abordagens, 2ªed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.

DIAS Generaldo Freire, Princípios e práticas da Educação Ambiental, 1993 São Paulo.

HOYOS Juan L. Bardález - Interdisciplinaridade: (re)invenção de um saber, 1993 Belém – Ufpa.

NASCIMENTO, Rosana O.; Conteúdo da palestra: Coleta Seletiva Solidária no MPEG; [S.N] ; PARÁ; 2008

Curso de Engª. Ambiental - UFPA, As cidades e seus lixos-Cartilha de Ed. Ambiental; UFPA; PARÁ; 1997.

Sites:

Conscientização de resíduos sólidos: Disponível em: www. lixo.com. br ; Acesso em: 19/05/2009.

JACOBI Educação Ambiental, cidadania e sustentabilidade; Disponível em: www. scielo.br/scielo; Acesso em: 19/05/2009.

Produtos reciclados: Disponível em: www.fazfacil.com.br; Acesso em: 01/05/09 a 04/06/2009.


Publicado por: Rifanni Ruivo Leoncio

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do Brasil Escola, através do canal colaborativo Meu Artigo. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
MeuArtigo Brasil Escola