Whatsapp

O POVO DO NORDESTE DO BRASIL: VÁRIOS DESAFIOS E MUITAS RIQUEZAS

Curiosidades

Breve análise sobre o povo do Nordeste do Brasil.

O Brasil é um mais de muitas culturas. A diversidade que aqui está, é maravilhosa. A terra da Democracia. O povo é bom. A alegria, a animação, as festas, são sinais da vida do povo brasileiro. Mesmo com tantos, milhares de desafios, o povo brasileiro é lutador, trabalhador e hospitaleiro. Tantas nações entram nestas terras e aqui ficam. As regiões deste gigantesco Brasil são tão ricas de belezas que uma lista não consegue enumerar quanto. Aqui tudo tem, de bom e de ruim. As datas comemorativas são tantas que não se consegue listar. Sul, com suas culturas vindas, uma parcela considerável, da Europa. Centro-Oeste, região da Capital Federal e o foco dos Poderes Públicos. Sudeste, com suas empresas, fábricas, indústrias, comércio em geral, é o coração do capital daqui. Norte, região brasileira com uma taxa de pobreza lamentável, além de uma Educação escolar abaixo dos números do Brasil. Nordeste, que aqui neste artigo será tratado. Enfim, um Brasil com uma infinita região de tempos e de espaços. Muito se diz que é um Brasil com muitos brasis.

Dentro de um Brasil com uma flora linda, apesar das tragédias, misérias, das mãos humanas, existe um canto muito especial, referência para o mundo: O Nordeste.

A região Nordeste do Brasil é uma terra abençoada por Deus. Lá a riqueza humana é visível. Povo bom, sábio, com tantas culturas, rico de alegrias. Apesar de tantas misérias humanas, nunca perde a fé na vida. É a esperança que vence o medo em terras nordestinas. E isso basta para aquele povo bom.

Suas histórias, seus medos, seus desafios, seus obstáculos, suas tentações, e tantos outros sentimentos complexos pintam o quadro do adorável Nordeste brasileiro. As suas danças animam a alma e o Espírito. A culinária, a gastronomia, alimentação saudável, fresca, marca uma realidade de belezas mil. A fé em um Deus todo-poderoso é sinal de vida plena, em abundância, para todos os nordestinos. Curandeiros, rezadeiras, benzedeiras, superstições, e tantas outras presenças da transcendência, da imaginação, da fantasia, de homens e mulheres, constroem a raiz mais profunda da sabedoria nordestina, muito além da religiosidade.

E é nos detalhes que se percebe quão especial lugar é realidade brasileira.

Seus artistas regionais representam muitíssimo bem toda a história e toda a cultura daquela especial realidade de cidadãos que fazem o Brasil ser um lugar melhor.

As outras regiões deste enorme aglomerado de pessoas que convivem aqui, respeitam o nordeste brasileiro.

A literatura é uma das tantas marcas que apresentam o Brasil para o mundo.

As danças, especiais ensaios e magnífica arte, trazem alegrias para o Brasil.

Existe a miséria da seca que tanto faz chorar milhares de famílias nordestinas. Mesmo assim, tão especial povo não deixa de sonhar em um hoje e um amanhã de vitórias, de glórias, de bênçãos, de sucessos, para todos, não apenas para lá, muito além daquela especial região.

Existem críticos que fazem sangrar a alma, o coração, o espírito, e as mentes dos nordestinos. Entretanto, a força de um povo digno, justo, com tantas riquezas, não deixa aquele povo morrer em uma depressão ou outro sentimento que mata o tudo. E tantas riquezas mesmo em uma realidade pós-moderna, fazem brilhar os sinais de Brasil com muitos brasis.

Carro de Boi, cavalo, jumento, burro, motos, são apenas algumas das referências do transporte dentro daquela realidade que ainda fazem sentido para aquele mesmo povo.

Outra pedra preciosa da realidade nordestina deste lindo e verde Brasil é o artesanato. É no artesanato que o povo encontra sentido para a vida no campo ou como se falava antes na realidade rural. São belas peças feitas a mão em muitas realidades daquela região. São vendidas a preços baratos pelo trabalho que dão para suas construções. Esta arte precisa ser valorizada por todos. Quando a pessoa olhar algum artesanato do nordeste, é  preciso que esta sinta que aquela beleza é fruto de uma inteligência gigantesca da qual homens e mulheres produziram culturas.

Existem várias lendas, mitos, encantamentos, folclore, que fazem do Nordeste um lugar mágico no qual a utopia, os sonhos, as fantasias, a imaginação e as belezas da mente humana transformam o mundo em um lugar bom para ser vivido.

O jeito de falar, a oralidade, o modo de se comunicar, as expressões, os gestos, os olhares, de homens e mulheres do Nordeste brasileiro, são sinais de uma singularidade única. Singularidade esta que encanta o mundo. Um detalhe é que uma simples resposta para uma pergunta se transforma em uma conversa rica em detalhes, de orientações, de histórias, o que é bom para a comunicação humana, pois demonstra conhecimento conhecimentos, sabedorias, sentidos. Por ter a esperança de que a escola, academia, a cultura letrada, fará, como faz, transformações nas realidades humanas, é que o estudante nordestino é um exemplo para o Brasil.

Existe muita fome, muita pobreza, sede, desemprego, falta de trabalho remunerado,  baixos salários, um mundo do trabalho com possibilidades limitadas, mas muita vontade, muita coragem, muita força de vontade, muito suor, muita luta, muitas certezas, enfim, muita vontade de ter uma vida melhor, mais justa, mais digna, onde se possa trazer o pão nosso para dentro de casa da família, dentro da realidade do Nordeste do Brasil. Os governos ajudam pouco o povo local. Existiu uma época, um tempo, em que a agricultura, a pecuária, a piscicultura, e outras formas, caminhos, de produções e sustentos nesta região. O mundo do trabalho acontece, em grande parte, até os tempos atuais, no Sudeste do Brasil. Muitos homens e muitas mulheres abandonam seu berço, suas terras, suas vidas, no Nordeste, e buscam novos horizontes fora de lá. Diante de tantas corrupções, de tantas misérias humanas, de tantos desafios, de falta de investimentos tantos, de pouco olhar para os pobres e os miseráveis, o Nordeste, com todas as suas riquezas, sofreu muitas baixas.

O Nordeste é uma realidade do campo, rural, onde sítios e fazendas marcam aquela realidade.

A região Nordeste tem a marca de uma medicina natural, onde as plantas são os remédios do povo que realmente curam. Tanto que os índios, vaqueiros, agricultores, sempre usaram as plantas para tratamentos emergenciais, não diz não dizendo tratamentos mais profundos. Estes tratamentos complexos sempre foram alcançados, em muitas situações, por uma psicologia que faz parte da própria vida na qual a mente comanda todos os outros órgãos do corpo humano e a sabedoria trata com os demais seres vivos deste meio ambiente, e dava resultados visíveis e sentidos no outro, no meio.

Existe, ainda na pós-modernidade modernidade, o entendimento de que, como dito no Nordeste, os velhos sempre devem ser respeitados pelos meninos, ou seja, pelas crianças, pelos adolescentes e pelos jovens. Como na Bíblia Cristã, são os velhos que carregam ensino, como falado, conhecimentos e sabedorias por gerações.

Principalmente nos sítios e nas fazendas distantes dos grandes centros dos Estados nordestinos, ainda é tradição muito cultivada o dormir, o acordar, o se alimentar nas horas certas. Exemplos que deveriam ser seguidos por outras pelas outras regiões e pelas populações destino Brasil.

Um destaque para o presente artigo é que apesar das lutas pelo sustento, na ajuda dentro de casa e na propriedade, a criança e o adolescente nordestino vivem suas idades. A criança brinca e o adolescente se diverte.

As mulheres nordestinas que antes viviam uma realidade quase que completa de cuidados apenas com os afazeres do lar, hoje se destacam no mundo do trabalho e nas artes dentro e fora do Nordeste do Brasil

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Dói o coração, a alma, a mente, o espírito e todo o corpo, quando se houve, se assiste, ataques ao povo, as culturas, aos sonhos, as idéias, as expressões, as esperanças e os sentimentos do povo do Nordeste do Brasil. Tais ataques partem de seres humanos ignorantes, que não conhecem e não vivem as belezas da vida. Cabe apenas uma prece, uma oração, um pedido ao altíssimo, à transcendência, para que suas almas, seus espíritos, tenham paz. O Nordeste não acaba aqui. Muitas cultura ainda existe para ser escrita e vivida.

A seguir, algumas marcas que fazem do Nordeste do Brasil um grande exemplo para o mundo. São apenas algumas relações das muitas.

(1) Artistas: Alceu Valença; Alcione; Amazan; Amelinha; As Ceguinhas de Campina Grande (Paraíba); Barros de Alencar; Belchior; Bezerra da Silva; Biliu de Campina (Paraíba); Caetano Veloso; Carlinhos Brown; Chico César; Chiquinha Gonzaga; Djavan; Dominguinhos; Elba Ramalho; Fagner;  Falcão; Flávio José; Frank Aguiar; Gal Costa; Genival Lacerda; Geraldo Azevedo; Geraldo Vandré; Gilberto Gil; Gilliard; Herbert Vianna; Iranilson; Ivete Sangalo; Jackson do Pandeiro; Jorge de Altinho; Lenine; Luiz Gonzaga; Lula Ribeiro; Mano Walter; Margareth Menezes; Maria Bethania; Marinês; Mestre Azulão; Michael Sullivan; Ovelha; Pabllo Vittar; Patativa do Assaré; Pedrinho Rodrigues; Raul Seixas; Reginaldo Rossi; Roberta Miranda; Sandra Duailibe; Sandro Becker; Santanna; Tiririca; Wesley Safadão; Zé Ramalho;  Zeca Baleiro; Zeca Baleiro; Zezinho Barros; Zezo.

(2) Autores: Aluísio de Azevedo; Antônio Brasileiro Borges; Apolônio Alves dos Santos; Ariano Suassuna; Arievaldo Viana Lima; Arthur Azevedo; Augusto dos Anjos; Bráulio Bessa;  Castro Alves; Cego Aderaldo; Cunha Neto; Elias A. de Carvalho; Expedito Sebastião da Silva; Ferreira Gullar; Firmino Teixeira do Amaral; Francisco das Chagas Batista; Francisco Sales Arêda; Gonçalo Ferreira da Silva; Gonçalves Dias; Graciliano Ramos; Ismael Gaião; Jarid Arraes; João Cabral de Melo Neto; João Ferreira de Lima; João Martins de Athayde; João Melchíades Ferreira; Joaquim Batista de Sena; Jorge Amado; José Camelo de Melo Resende; José Costa Leite; José de Alencar; José Lins do Rêgo; José Louzeiro; José Pacheco; Josué Montello; Leandro Gomes de Barros; Lêdo Ivo; Manoel d’ Almeida Filho; Manoel Monteiro; Manuel Bandeira; Mestre Azulão; Nísia Floresta; Patativa do Assaré; Rachel de Queiroz; Raimundo Santa Helena; Severino Milanês; Severino Milanês da Silva; Silvino Pirauá; Tobias Barreto; Zé da Luz (Severino de Andrade Silva); .Zé Maria de Fortaleza.

(3) Lendas, Mitos, Folclores: Alamoa; Barba Ruiva; Boitatá; Cabeça de Cuia; Cabra Cabriola; Cidade Encantada de Jeriquaquara; Cumade Fulozinha; Mula-sem-cabeça; Papa-Figo; Quibungo; Botija.

(4) Festas: Bumba meu boi; Capoeira; Carnatal; Carnaval da Bahia; Carnaval de Pernambuco; Corrida de barcos de fogo; Festa da Caninha Verde; Festa da Lapinha; Festa da Lavadeira; Festa da Pitomba; Festa de Nosso Senhor dos Navegantes; Festa do Divino; Festas Juninas; Festiva do Repente; Frevo; Lavagem do Bomfim; Maracatu; Missa do Vaqueiro; Reisado; São João de Campina Grande; Festa do Bode Rei; Festival do Queijo Coalho.

(5) Plantas medicinais:

a- Zion Nascimento de Souza e outros. Plantas medicinais utilizadas no Nordeste do Brasil: Uma revisão de literatura. Disponível no site: https://cointer.institutoidv.org/inscricao/pdvs/uploadsAnais2020/PLANTAS-MEDICINAIS-UTILIZADAS-NO-NORDESTE-DO-BRASIL:-UMA-REVIS%C3%83O-DE-LITERATURA.pdf

b- Carmen Marangoni. Plantas medicinais tradicionalmente utilizadas no Nordeste do Brasil: Potencial antimicrobiano para tratar distúrbios das vias gênito-urinárias. Disponível no site: https://repositorio.ufpe.br/bitstream/123456789/16910/1/Carmen%20Marangoni_PPGBV_CCB_2015.pdf

c- Aline Alves de Melo Batista e outros. Plantas utilizadas como medicinais em uma comunidade do semiárido baiano: Saberes tradicionais e a conservação ambiental. Disponível no site: https://www.conhecer.org.br/enciclop/2014c/pdf/plantas.pdf

d- Vanessa Diniz Vieira e outros. O uso do conhecimento popular das plantas medicinais utilizadas pela comunidade no Nordeste. Disponível no site: https://temasemsaude.com/wp-content/uploads/2018/10/fip201855.pdf

e- Isabel Maria Madaleno. Plantas da medicina popular de São Luís, Brasil. Disponível no site:  https://www.scielo.br/pdf/bgoeldi/v6n2/a02v6n2.pdf

f- A. C. Baptistel e outros. Plantas medicinais utilizadas na Comunidade Santo Antônio, Currais, Sul do Piauí: Um enfoque etnobotânico. Disponível no site: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-05722014000500014

g- C. G. de Sá e outros. Plantas medicinais usadas na região nordeste: Revisão integrativa. Disponível no site: https://gpicursos.com/interagin/gestor/uploads/trabalhos-feirahospitalarpiaui/d6a5938ed6e3f1138a0504c820bda6f7.pdf

(6) Falas:

(I) Celso Calheiros. Dicionário de nordestinês. Disponível no site: https://www.terra.com.br/diversao/dicionario-de-nordestines,f2bd421a2df4a310VgnCLD200000bbcceb0aRCRD.html

(II) Lista de palavras e expressões nordestinas. Disponível no site: http://culturanordestina.blogspot.com/2007/11/dicionario-nordestino.html

(III)  Cláudio. As gírias nordestinas mais faladas: Você entende todas elas? Disponível no site: https://www.awebic.com/girias-nordestinas-voce-entende-todas-elas/

(IV) Jessier Quirino. Dicionário de termos nordestinos.  Disponível no site: http://www.jessierquirino.com.br/site/wp-content/uploads/2013/06/dicionario.pdf

(V) Palavras nordestinas.  Disponível no site:  https://www.youtube.com/watch?v=-gmRUR0HiD0

(VI) Palavras nordestinas – Parte 2.  Disponível no site:  https://www.youtube.com/watch?v=S_au0NGBe3Q

(VII) Palavras nordestinas - 3.  Disponível no site:  https://www.youtube.com/watch?v=dtD7ZQUwqYQ

(7) Danças:

Folia de Reis

 

Boi Caprichoso (preto) e Boi Garantido (vermelho)

 

Forró Pé de Serra

 

Frevo

 

Dança Indígena

 

Dança de São Gonçalo

(8) Alimentação, culinária, gastronomia:

Cuscuz

 

Buchada de bode

 

Tapioca

 

Rapadura
Açaí

 

Sarapatel

 

Baião de dois

 

Bobó de camarão

 

Queijo de coalho

 

Manteiga de garrafa

(9) Turismo:

Bahia

 

Paraíba

 

Ceará

 

Sergipe

 

Maranhão

(10) A seca histórica:

O nordestino anda muito para conseguir água

 

Até os animais morrem com tanta seca

 

Até o solo racha com tanta falta de água

(11) Transporte alternativo:

Jumento

 

Burro

 

Cavalo

 

Carro de Boi

(12) Artesanato:

Rede

 

Trabalhos artesanais

 

Bordado

 

Crochê

 

Tricô

 

Fuxico

(13) Vaqueiro:

Vaqueiro

 

Cultura

(14) Frutas:

Atemoia

 

Buriti

 

Mangaba

 

Abiu

 

Quixaba

 

Cajá

 

Bacuri

 

Umbu ou Imbu

 

Autor:  Pedro Paulo Sampaio de Farias

Professor; Pedagogo; Especialista em Educação; Especialista em Gestão Pública; Mestrando em Educação; Pós-graduando em Teologia; Pós-graduando em Antropologia; Graduando em Direito; Líder Comunitário; Líder de Associação de Professores; Sindicalizado da Educação; Servidor Público Estadual e Municipal; Atuante em Movimentos Populares e Movimentos Sociais; Cristão Romano.


Publicado por: PEDRO PAULO SAMPAIO DE FARIAS

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do site por meio do canal colaborativo Meu Artigo. O Brasil Escola não se responsabiliza pelo conteúdo do artigo publicado, que é de total responsabilidade do autor. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.