Topo
pesquisar

Mídia, ciência e religião

Atualidades

De modo geral, a mídia - canais de televisão, programas de rádio e internet - tem dedicado parte de sua grade de horários à discussão entre fé e religião.

De modo geral, a mídia - canais de televisão, programas de rádio e internet - tem dedicado parte de sua grade de horários à discussão entre fé e religião. Esses programas, a seu modo, buscam esclarecer temas polêmicos como a criação da Terra e do homem. Para isso, na maioria das vezes, se valem apenas do conhecimento religioso. Ao contrário que diz o senso-comum, o tema pode e deve ser examinado à luz do conhecimento científico. A mídia tem uma oportunidade única de trazer luz ao assunto, bem como, esclarecer e demonstrar racionalmente que existe, também, esperteza e enganação no que se refere à fé cristã.

Para a ciência, por exemplo, um fenômeno para ser genuíno necessita de provas concretas e irrefutáveis. O mesmo não acontece em matéria de fé. Acreditar é suficiente. Não exige comprovação científica. Quanto à Bíblia, muitos acreditam e outros nem tanto. O fato é que esse livro é o mais antigo que se tem notícia e suscita muitas divergências. Já foram feitas mais de duas mil traduções para diversas línguas. Inicialmente foi escrita em aramaico e hebraico. Por sua vez, o aramaico era uma língua formada apenas de consoantes e falada, na Mesopotâmia Antiga e pequenas comunidades no Oriente Médio, no século 7 antes de Cristo.

Sobre a criação do planeta Terra e o surgimento do homem, a Bíblia (Gênese) diz o seguinte: Primeiro dia – Deus criou o Céu e a Terra. Segundo dia - Deus fez o firmamento e separou umas águas das outras e chamou firmamento de Céu. Terceiro dia – Houve a Terra e os Mares. Quarto dia - Deus separou os dias e as noites. Quinto dia - Surgem peixes e aves. Sexto dia - Surgem outros animais. Deus cria o Homem. Sétimo dia – Deus descansou.

A ciência explica

Ao contrário do texto bíblico, os cientistas afirmam que a Terra foi formada há 4,54 bilhões de anos. Quanto à vida, surgiu, na superfície, há 1 bilhão de anos depois. Por sua vez, o surgimento do homem ocorreu há mais de 4 milhões de anos. Portanto, fica claro que muitos eventos bíblicos podem ser explicados racionalmente à luz da ciência moderna.

Está claro que as explicações da Bíblia e da ciência são divergentes. É preciso considerar que o texto sagrado foi escrito há mais de 20 séculos. Cada um que a escreveu fez isso de acordo com os seus conhecimentos. Não tiveram acesso à moderna tecnologia e os conhecimentos científicos que temos hoje. No entanto, isso não é motivo para desqualificar a importância que os textos sagrados têm. Aliás, não é à toa que é o livro mais lido em todo mundo.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Então, o mais importante é analisarmos tudo com coerência, espírito crítico e racionalidade lógica. Isso é fundamental, principalmente, em matéria de crença religiosa. Porque a fé cega é um poderoso instrumento de dominação. Como isso acontece? Na medida em que as pessoas se deixam levar pelos falsos árbitros que interpretam as coisas divinas de acordo com a sua conveniência. Pela TV, vemos alguns sacerdotes protestantes dizendo o seguinte: 'Meu irmão! Não minta para Deus, Ele sabe quanto você recebeu esse mês e o que tem na carteira'. Ou ainda: 'Deus o abençoará em dobro com saúde e muita riqueza se você der a sua contribuição'.

Não podemos esquecer que ao longo da história humana inúmeras guerras ocorreram em nome de Deus, da fé e da religião. Mais ainda: quantos inocentes foram queimados pela Inquisição acusados de serem hereges e feiticeiros? Na verdade, a fé cega se baseia na convicção deturpada do verdadeiro sentido de religiosidade. Ela repudia a evidência, bem como o encadeamento lógico de ideias.

Bíblia e fé racional

Sobre a fé, Allan Kardec (1804-1869) diz o seguinte: 'Quando a fé está apoiada no erro, cedo ou tarde, desmorona. Aquela que tem por base a verdade, é a única que tem o futuro assegurado, pois nada tem a temer com o progresso dos conhecimentos: o que é verdadeiro na sombra, também o é à luz do dia'. Assim sendo, a fé deve ser racional. Inteligente. Ela nos garante liberdade de pensar e agir por nós mesmos.

Foi isso que fez o teólogo alemão Martinho Lutero (1483-1546) em um movimento iniciado em 1517, na Alemanha, que originou as igrejas protestantes. Ao questionar o que considerava errado na igreja secular e traduzir a Bíblia para o alemão, Lutero quebrou a espinha dorsal do catolicismo e fundou a religião protestante, no século 16, que conta com mais de 700 milhões de seguidores no mundo. São 25 milhões no Brasil.

Pois bem, até o momento, sabemos muito pouco a respeito de como a Bíblia foi escrita. De modo geral, os escribas fizeram seus registros de acordo com o que ouviram e anotaram. Nem todos conviveram com Jesus. Outra coisa: será que as traduções que foram feitas da Bíblia, a partir do aramaico, são realmente fieis ao texto original? Vale lembrar que as línguas modernas são formadas de vogais e consoantes. Portanto, certamente, houve muitas alterações. Em síntese: Deus é Infinitamente Perfeito, é o Criador do Universo e não necessita de repouso. Enfim, precisamos fazer uma leitura racional do texto bíblico.


Publicado por: RICARDO SANTOS

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do Brasil Escola, através do canal colaborativo Meu Artigo. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
MeuArtigo Brasil Escola