Whatsapp

A ARQUITETURA SUSTENTÁVEL NOS DIAS ATUAIS

Atualidades

Análise de como a arquitetura pode influenciar no meio ambiente utilizando materiais para construção de edifícios de forma sustentável, buscando formas de evidenciar a diferença que ocorre no meio e as vantagens dessa preocupação.

Resumo

Nos últimos anos é possível perceber que a sociedade está a cada dia tendo a preocupação de um ambiente cujos materiais utilizados para a construção e a forma em que irá ser utilizado não afetem de forma tão agressiva a natureza. Assim objetivamos discutir sobre como a arquitetura pode influenciar no meio ambiente utilizando materiais para construção de edifícios de forma sustentável, buscando formas de evidenciar a diferença que ocorre no meio e as vantagens dessa preocupação. Portanto, as considerações feitas possibilitam mostrar que é possível sim ter uma estrutura segura, sustentável que aliada aos meios tecnológicos proporciona ao indivíduo uma boa qualidade de vida preservando o meio ambiente.

Palavras-Chave: Arquitetura. Sustentável. Meio ambiente. Tecnologia.

Introdução

Para se começar a falar de arquitetura sustentável é necessário voltar à década de 70 na Conferência das Nações Unidas ocorrida na capital da Suécia, Estocolmo, que teve como um dos objetivos a tentativa de preservar o meio ambiente.

Nos anos seguintes, ainda com o intuito de atender as necessidades do presente não comprometendo o direito das futuras gerações (BUNDTLAND, 1987), foram-se realizadas várias reuniões como, por exemplo, Rio 92, que tinham como meta elaborar formas de desenvolvimento sustentável em escala global. No final de tudo fazendo um balanço entre todas as reuniões fica-se evidente que essas reuniões tiveram disputas ideológicas e econômicas.

No presente momento é necessário discutirmos sobre projetos que tenham como objetivo o uso de tecnologia e a valorização ambiental nas construções arquitetônicas.

1 Histórico

No presente capítulo irá ser tratado a história da sustentabilidade na arquitetura tendo como objetivo mostrar o início da preocupação da população com o meio ambiente e os primeiros passos dados ao longo da história para a melhoria do ambiente natural.

1.1 Sustentabilidade na Arquitetura

Sustentabilidade na arquitetura é ter a preocupação não apenas com o ambiente ao redor de uma edificação, mas, é também a atenção dada aos tipos de materiais utilizados para tal construção como a observação aos fatores climáticos de cada região.

É importante acrescer que, no manifesto ambiental, feito em junho de 1972, mostra a responsabilidade humana de desenvolvimento, porém, no mesmo tempo a responsabilidade de equilíbrio e ponderação no mesmo tendo em vista a conservação e o cuidado com o meio ambiente. Como está descrito no relatório Brundtland, “Nosso Futuro Comum”:

O desenvolvimento sustentável é o desenvolvimento que encontra as necessidades atuais sem comprometer a habilidade das futuras gerações de atender suas próprias necessidades.

Foi no início dos anos 90 que a arquitetura e o urbanismo entram no quesito de sustentabilidade, primeiramente na Europa com o conceito da ecological footprint, que havia como objetivo estimar o impacto ambiental das cidades e a preocupação de uma crise energética que traria consequências mundialmente e posteriormente, na década de 30, no Brasil.

Após a Segunda Guerra Mundial a arquitetura, mesmo que por um curto período de tempo, ocorreu a arquitetura do International Style, arquitetura racionalista-funcionalista, que não havia meio de controle das condições ambientais e levou a arquitetura a ser banalizada. Entretanto, após esse período entra em evidência a arquitetura bioclimática dentro do conceito de sustentabilidade e que até os dias está presente.

No Brasil, a arquitetura sustentável entra através das condições bioclimáticas e Lúcio Costa foi um dos arquitetos que compreendia tais condições climáticas e que as utilizava a favor de suas construções. Foi a partir de 1970 que começou uma busca por sistemas de construção mais eficientes que não tivessem grandes impactos ambientais e estudos sobre o desempenho ambiental de edifícios.

1.2 APLICAÇÃO DA ARQUITETURA SUSTENTÁVEL NO BRASIL

No Brasil, sabemos que a sustentabilidade ainda é uma ideia pouco aplicada realidade, primeiramente pela falta de conhecimento profundo acerca do assunto sustentabilidade e como se pode aplicar no meio urbano e secundariamente pela falta de planejamento das construções como, por exemplo, em periferias, bairros, vilas, etc.

Podemos começar por pequenos atos no meio urbano a sustentabilizar os ambientes. Sabe-se que a cultura em que nós vivemos não está acostumada a pensar coletivamente e que para se trabalhar com a sustentabilidade e o planejamento devemos fazer com que a sociedade em si participe deste ato, sinta-se envolto com as mudanças que está acontecendo ao seu redor (PEREIRA e SATTLER, 2006).

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Quando se trata da arquitetura eco-sustentável, deve-se levar em consideração que desde a década de 90, no Brasil, vem se tornando mais aceitável o ato de construir com sustentabilidade, um exemplo notório disso é a preocupação da população com a água e energia utilizados nos ambientes construídos, pois aumenta-se o pedido de reutilização de águas cinzas, se vir a ser eficaz na edificação, a utilização de painéis de energia solar.

1.3 MATERIAS SUSTENTÁVEIS

A ideia de se utilizar matérias sustentáveis desde o projeto de arquitetura até o ato da construção têm se mostrado de grande proveito e devemos desta forma estimular o uso desses materiais nas construções e nos projetos de arquitetura pois, com isso geraremos um desenvolvimento sustentável.

1.4 TIPOS DE MATERIAIS UTILIZADOS NA CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL

Para se ter uma construção sustentável a utilização de materiais que contribuam para a sustentabilidade e que haja um engajamento com a natureza é primordial. Uma solução, por exemplo, de sustentabilidade em uma construção é o aproveitamento de madeiras manufaturadas feitas a partir da serragem e de restos de madeira da construção.

Outras ideias para uma construção sustentável é a utilização de blocos de pedras, madeira certificada, que são aquelas plantadas para este fim, ecotelhado, que além de permitir uma temperatura mais agradável no ambiente ainda absorve parte da água da chuva e tijolo de terra que, na edificação gera um bom conforto acústico e térmico e pode ser empregado de duas formas diferentes, no estilo de parede pau-a-pique ou tijolo tipo adobe, pode-se encontrar também o tijolo de terra-cimento que, entre outras características, reduzem a necessidade de se utilizar estruturas de ferro na construção. Infelizmente, uma das principais desvantagens que se encontra ao querer usar materiais verdes é a falta de habilidade dos trabalhadores em utilizar este tipo de material.

2 CONCLUSÃO

A ideia de sustentabilidade tanto na arquitetura como na construção civil têm-se mostrado, a cada dia, mais proveitosa e é necessário que estimulemos a ideia de construções sustentáveis e a utilização de materiais verdes nas construções brasileiras, gerando um desenvolvimento sustentável em todas as áreas.

Portanto, é necessário que haja uma maior conscientização da parte dos profissionais dos setores de construção e de elaboração de projetos para a sustentabilidade visto que, ao atentarmos para cada detalhe desse tipo de projeto, têm-se um melhor conforto térmico e acústico, um melhor aproveitamento da iluminação natural, e maior ventilação com a sustentabilidade.

Conclui-se que, mesmo tendo conhecimento da arquitetura sustentável e ter a preocupação de incluir tais conceitos na elaboração dos projetos falta nos arquitetos e construtores um conhecimento mais profundo e detalhado sobre o assunto da sustentabilidade nos dias atuais.

3 REFERÊNCIAS

BURTLAND. Nosso Futuro Comum. 1972. Disponível em: . Acesso em: 2 mar. 2017.

GONÇALVES, Joana Carla Soares; DUARTE, Denise Helena Silva. Arquitetura sustentável: uma integração entre ambiente, projeto e tecnologia em experiências de pesquisa, prática e ensino. Ambiente Construído, Porto Alegre, v. 6, p.51-81, dez. 2006. Disponível em: . Acesso em: 16 mar. 2017.

LAMBERTS, Roberto; DUTRA, Luciano; PEREIRA, Fernando O. R. Eficiência Energética na arquitetura. Rio de Janeiro: ELETROBRAS.

PEREIRA, Fernando Oscar Ruttkay. SATTLER, Miguel Aloysio. Construção e Meio Ambiente. Porto Alegre: ANTAC, 2006.

DALL’AGNOL, Luana; GATTERMANN, Liliany Schramm da Silva; CASA, Gampert Spannenberg. Sustentabilidade na arquitetura brasileira. 2º Seminário Nacional de Construção Sustentável, Passo Fundo. 2013.

 

Por Ana Carla Sampaio Alves; Eliana Ribeiro de Aquino; Francisco Ronaldo da Silva

Faculdade Paraíso de Ceará (FAPCE) Rua da Conceição, 1228 – São Miguel – CEP: 63010-220 – Juazeiro do Norte – CE


Publicado por: Ana Carla Sampaio Alves

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do site por meio do canal colaborativo Meu Artigo. O Brasil Escola não se responsabiliza pelo conteúdo do artigo publicado, que é de total responsabilidade do autor. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.
  • Facebook Brasil Escola
  • Instagram Brasil Escola
  • Twitter Brasil Escola
  • Youtube Brasil Escola
  • RSS Brasil Escola