Topo
pesquisar

Qual a diferença da Administração Pública no senso comum e no conhecimneto científico?

Administração

Qual a diferença da Administração Pública no senso comum e no conhecimento científico?, a administração pública, sistema onde os governantes e seus subordinados trabalham em função de explorar o dinheiro público, administração pública no conhecimento cien

Qual a diferença da administração pública no senso comum, e no conhecimento científico.

Administração pública tema extenso e polêmico onde opiniões contrárias batem de frente o tempo todo em qualquer situação; Para o senso comum a administração pública não passa de um sistema onde os governantes e seus subordinados trabalham em função de explorar o dinheiro público, a seu favor, com interesses próprios onde os beneficiados em sua grande maioria são os próprios parentes dos administradores, enquanto que, a grande massa da sociedade brasileira que são os assalariados está confusa com a tarefa e a função da administração pública onde eles consideram que pouco é feito em relação ao povo e nem mesmo dão-se ao trabalho de prestar contas de forma clara e por vários meios de comunicação, pois infelizmente não é um bem de todos, como a alfabetização e a disponibilidade de ouvir um rádio, ler um noticiário, ver um jornal via TV, etc.

E mesmo quando estes conseguem de alguma forma ter conhecimento de alguma bem feitoria realizada pelo órgão público custa a acreditar ou até mesmo não acreditam, pois estão exaustos de saber das grandes maracutaias exercidas pelos órgãos administradores dos bens públicos onde nada é feito para evitar e quando se tenta nada é conseguido provar, pois a emendas constitucionais da lei brasileira faz com que muitos deixem de pagar pelos seus atos, fazendo com que o senso comum considere cada vez mais como uma grande mentira as leis do Brasil onde quem paga por crimes são apenas os ladrões de galinha que não tem dinheiro suficiente para pagar um bom advogado que por sinal também são considerados pelo povo a maior máfia do mundo, pois estes ao invés de defender os direitos humanos defendem o dinheiro dos humanos, o que faz com que a sociedade torne-se cada vez mais individual esquecendo até mesmo dos próprios parentes e limitando-se a crer somente em si próprio e duvidar de todos e de tudo fazendo com que alguns ditos populares tornem-se quase uma lei para eles como exemplo o dito que diz que quando a esmola é demais o santo desconfia...

Por essas afirmações eles usam como prova a saúde pública que afirmam estar um absurdo, pois precisam dormir nas portas dos postos de saúde para conseguir uma consulta com um clínico geral e se precisam de algum especialista, principalmente oftalmologistas, psiquiatras, psicólogos e ginecologistas a espera passa de uma noite para quatro a cinco meses isso quando não ultrapassam desse tempo, estão revoltados os trabalhadores, pois em alguns bairros há os postos de saúde que atendem até as 00:00 horas porém atendem só casos extremamente graves e estes médicos não podem fazer encaminhamentos para especialistas fazendo com que o trabalhador tenha que perder dia de serviço e dormir no posto de saúde para tentar conseguir um especialista, com isso há varias pessoas necessitando de consultas especializadas e para não perder o dia de trabalho vão adiando a sua ida ao médico, afirmam também que os órgãos competentes da administração pública somente enxerga os problemas do centro da cidade enquanto que a periferia fica esquecida, mostram que as vias de acesso estão danificadas e todo mês tem uma pavimentação asfáltica no centro enquanto que na periferia os buracos no asfalto estão enormes principalmente as ruas onde passam os veículos mais pesados como caminhões e a própria circular, lembram também dos pessoais que moram nos sítios e que passam pelos mesmos problemas ou até mesmo piores, pois a dificuldade de locomoção é bem maior.

Há pessoas que ouve um assunto aqui outro lá e formam um pensamento que levam outros a pensar, como no caso dos órgãos públicos que administram os bens e os estudos científicos onde se investe milhões para estudar e buscar uma forma de melhorar todas da partes da sociedade principalmente na área da saúde, mas que não chegam ao conhecimento do povo e que a demora de tanto estudo e métodos não está levando a nada para os mais pobres, que por sinal continuam cada vez mais pobres, chegam a duvidar de que todos esses investimentos são realmente encaminhados para estudos científicos concluindo que se esses conhecimentos científicos se fossem realmente para a população muitos dos problemas que ocorrem já estariam resolvidos, pois há muitos fatos que podem ser resolvidos sem precisar de milhões e que não são vistos pelos órgãos públicos competentes, como exemplo as dificuldades de se conseguir uma consulta em horário normal, pois eles já pagam os médicos, as enfermeiras, as assistentes sociais as recepcionistas dos postos de saúde e nenhum desses podem agendar ou encaminhar um doente ao especialista se este não ficar na fila.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Perguntam também o que acontece com a arrecadação dos impostos feitos por estes órgãos que nunca conseguem ter médico o suficiente para atender a população, e quando dizem médicos, estão dizendo também dos especialistas que são os mais procurados e necessários, pois para receitar antigripal e antitérmico os próprios farmacêuticos receitam.

Vendo por um lado mais científico os métodos usados pela administração pública e seus órgãos são métodos cabíveis e de fácil interpretação sendo assim contrário à visão do senso comum, no conhecimento cientifico utilizado por meios práticos e técnicos cabe desvendar de forma clara a melhor maneira de administrar um órgão publico, forma essa que pode ser usada por métodos qualitativos e quantitativos abordando o aprimoramento para uma melhor utilização e distribuição dos bens públicos é o caso da tão falada burocracia que vem sendo utilizada com a intenção de minimizar ou zerar erros dentro da administração e que por ser um processo minucioso torna-se lento fazendo com que os órgãos públicos não atendam as necessidades da população na medida de que são necessitadas.

A administração pública utiliza de vários sistemas para exercer suas funções tendo como prioridade a qualidade de seus serviços e a clareza de seus atos, mesmo não conseguindo agradar a todos os órgãos públicos que em sua grande maioria trabalha com seriedade busca organizar e atender as pessoas de maneira que elas sintam-se como seres humanos o que realmente são. Entrando mais afundo no tema saúde populacional os métodos utilizados para atender a população são métodos baseados em qualidade por isso ocorrem às demoras de consultas especializadas, pois a intenção dos órgãos públicos é fazer com que a pessoa que necessite de um especialista seja atendida por um dos melhores senão o melhor, como os melhores especialistas são mais requisitados por todas as classes sociais fica difícil manter um especialista que trabalhe apenas em função dos órgãos públicos, pois estes têm seus atendimentos privados o que por lei podem exercer as duas tarefas.

Com base em estatísticas o SUS (Sistema Único de Saúde) alcançou avanços significativos em seus quinze anos de execução, que através de conferencias e conceito de saúde busca através da participação da sociedade um consenso entre as esferas do governo, configurando assim uma das mais avançadas, a política pública brasileira, essa busca é com a intenção de melhorar cada vez mais a situação da saúde pública o que de fato não acontecerá na agilidade necessária à população por se tratar de métodos burocráticos e organizados a demora de uma organização tanto na saúde, como na educação, na cultura e em todos os âmbitos sociais dependem dos conhecimentos e aprimoramentos cientificamente testados para aí sim poder-se aplicar de forma eficaz e eficiente o trabalho da administração pública que cada ano que passa visa melhorar o seu atendimento.

Por: Cicera da Costa Silva Coutinho. Acadêmica de Administração Pública, 1º ano.


Publicado por: cicera

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do Brasil Escola, através do canal colaborativo Meu Artigo. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
MeuArtigo Brasil Escola