Topo
pesquisar

Bendito seja

Literatura

Clique e confira uma narrativa sobre a vida de um padre.

Num campinho de futebol os garotos jogam bola.

Ali em frente um homem dorme num pequeno apartamento, mobiliado com um guarda-roupa de solteiro e uma cama, onde o mesmo se encontra embrulhado num lençol branco.

Na parede do apartamento há uma imagem de cristo e um quadro da santa ceia.

De repente um estrondo.

O homem desperta.

Ele se dirige até a janela.

Está vestindo uma espécie de roupão, é magro e mede 1,75m de altura.

O quarto está à meia luz.

Ele abre a janela, mas fecha imediatamente sem antes perceber que a batida foi um incidente gerado pela partida de futebol.

Passado o sono, ele dá mais uma espiadela pela janela e a fecha em seguida, esfregando as mãos uma na outra e dando um sorrisinho irônico.

De súbito ele se agacha e encontra em baixo da cama uma caixa de sapato.

Abre-a e retira uma garrafa de pinga já quase seca.

Senta-se na ponta da cama. E toma um gole, mas a garrafa já estava sem nada.

O homem abre a porta.

Chama um dos garotos e fala-lhe alguma coisa no ouvido e entrega um dinheiro.

O garoto sai em disparada.

Ele o aguarda inquieto.

Minutos depois o garoto chega e entrega-lhe uma sacola com algo dentro.

Ele dá uns trocados ao garoto e abre a porta novamente.

O homem retira da sacola uma garrafa nova de pinga, beija-a e agradece aos céus. Destampa-a em seguida e dá-lhe uma bela golada, limpa os lábios com a costa da mão.

 Em seguida urra feito um leão ahrrrrrr! E cospe na parede.

Algumas horas depois ele olha para o relógio.

Abre a janela e vê que já é noite lá fora.

O homem toma um banho. Depois começa a se arrumar.

Alguém bate em sua porta uma espécie de código.

Ele rapidamente abre, uma pessoa entra. Ele deixa o quarto à meia-luz, a pessoa tem traços femininos, mas sua voz é um tanto grossa.

A pessoa diz: Saudades de mim!

Ele nada responde, abraça-a, atira-a na cama e começam a se amar.

No fim de tudo, de todas as carícias mais lânguidas.

Eis que um pé masculino sai de fininho do apartamento com roupas na mão, em seguida a porta se fecha.

O homem se acorda num salto, lava o rosto em frente ao espelho, pega uma batina, abre a porta e sai.

Aparecem fiéis entrando na igreja ao som do canto gregoriano.

O homem aparece sentado numa cabine, é um confessionário.

Uma mulher fala a ele (padre) que está tendo um caso extraconjugal.

Uma professora diz que não aguenta mais seus alunos.

Um senhor de idade pede para morrer.

Como numa espécie de alucinação, as pessoas vão falando ao mesmo tempo e tudo se acelera, até que surge um forte barulho. Um estrondo.

A bola atingiu a janela.

Um garoto pega a bola e fala para seu parceiro – Será o Benedito? Tu não aprendes mesmo!

O homem abre a janela, debruça os braços e contempla as crianças correndo de um lado para o outro na maior alegria.

E pensa com seus botões – Elas sim são felizes!

*Geone Angioli é especialista em Literatura e professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas – Campus/Parintins.


Publicado por: GEONE ANGIOLI FERREIRA

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do Brasil Escola, através do canal colaborativo Meu Artigo. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.

DEIXE SEU COMENTÁRIO
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
MeuArtigo Brasil Escola