Topo
pesquisar

Entenda a questão palestina e seus desdobramentos

História Geral

No século 20, os confrontos entre palestinos e israelenses têm início com a fundação do Estado de Israel, em 1948.

Petróleo. Motivo que faz da Palestina alvo de tanta cobiça de outros povos. A região compreende a Faixa de Gaza e Cisjordânia. A área é administrada pela Autoridade Nacional Palestina (ANP). O chefe de governo é ocupado por Mahmoud Abbas, sucessor de Iasser Arafat, morto em 2004. Na antiguidade, hebreus e romanos ocuparam-na.    

No século 20, os confrontos entre palestinos e israelenses têm início com a fundação do Estado de Israel, em 1948. A Organização das Nações Unidas (ONU) dividiu a Palestina em dois Estados: judeu e palestino. Com a partilha, os israelenses ficam com as melhores terras e com um território maior que o palestino. O embaixador brasileiro, Osvaldo Aranha teve um papel decisivo na criação do Estado judaico.  

Depois dos conflitos de 1967, Israel amplia o seu território ao derrotar a Liga Árabe, formada por palestinos, egípcios, árabes, sírios e líbios. Inconformados com a perda de Cisjordânia e Faixa de Gaza, os palestinos rebelam-se e passam a lutar com pedaços de paus e pedras -intifada- e utilizam o terrorismo para pressionar a saída dos invasores israelenses.

Abbas negocia a paz com Israel, cujo representante é Ariel Sharon. Durante o período que foi ministro da Habitação, Sharon incentivou a colonização dos territórios ocupados pelos seus compatriotas. No momento, diante das pressões [dos EUA, da opinião pública internacional e resistência palestina: intifada], o primeiro-ministro vem desalojando os colonos que ocupam a Faixa de Gaza para entregá-la aos palestinos. Isso é parte do projeto conhecido como 'Mapa da Estrada para a Paz'. O conjunto de ações prevê a retirada dos colonos das áreas ocupadas.

Afinal, existe uma solução para acabar com o conflito na Palestina? Sim. Para que isso ocorra é preciso que os EUA, as Nações Unidas e a Comunidade Internacional criem um Estado palestino livre. Ou seja, os palestinos têm o direito de autodeterminarem o seu destino. Por sua vez, os israelenses devem desocupar imediatamente todos os territórios tomados à força. Cisjordânia e Faixa de Gaza. Os palestinos devem renunciar ao terrorismo.

Nessa batalha insana e sanguinária, milhares de vítimas, inocentes, de ambos os lados, perderam suas vidas. Se cada um dos lados envolvidos cederem, possivelmente, haverá paz permanente na região. É preciso, também, que as nações do Oriente Médio sentem à mesa e negociem suas diferenças. Assim é possível que a violência acabe. (Ricardo Santos é jornalista)


Publicado por: RICARDO SANTOS

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do Brasil Escola, através do canal colaborativo Meu Artigo. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.

DEIXE SEU COMENTÁRIO
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
MeuArtigo Brasil Escola