Topo
pesquisar

Observação do ensino da Matemática nos anos iniciais

Matemática

Apresentar experiência e reflexões referentes a pratica da disciplina de estagio, e revisar o conteúdo da disciplina estudada em sala de aula.

1 INTRODUÇÃO

O estágio supervisionado consiste numa fase transitória ou de preparação do aluno, na qual é acompanhada e dirigida por um professor orientador, que busque avaliar o desenvolvimento, a aprendizagem e a experiência vivenciada pelo aluno durante a realização desse estagio.

É importante observar uma instituição escolar não só as práticas educativas, mas também a infra - estrutura e corpo gestor, administrativo e técnico, porque é uma equipe escolar que podem produzir efeitos distintos em crianças de características distintas, pois a individualidade psicológica de cada criança influencia com toda probabilidade nas práticas educativas que seus pais utilizam e que podem somar com os valores também passados em uma instituição infantil. As práticas educativas realizadas pelas famílias sofrem influência de diversas fontes de determinação, tanto intra como extrafamiliares, e devem ser compreendidas considerando as características específicas da situação e dos participantes envolvidos.

Este trabalho tem o objetivo de apresentar experiência e reflexões referentes a pratica da disciplina de estagio, e revisar o conteúdo da disciplina estudada em sala de aula. E através desta observação que se pretende buscar meios para solucionar os problemas encontrados durante toda essa caminhada.

Para Paulo Freire “a educação não transforma o mundo, transforma as pessoas. As pessoas é que transforma o mundo”.

É com esse pensamento que buscamos melhorar e solucionar a educação brasileira, tão carente de profissionais qualificados e principalmente compromissado com a profissão de educador muitos dos educadores ensinam sem amor a profissão, mas pela necessidade financeira. Não nos cabe culpar apenas entender a questão de sobrevivência de cada um.

Assim como Paulo Freire entende que antes de tudo, deve haver uma transformação dentro de nós para só assim termos força e coragem para transformar o mundo, esse mundo tão sofrido, mas ao mesmo tempo tão maravilhoso cheio de utopia e imaginação em que buscam e esperam por dias melhores.

E o estágio supervisionado nos proporcionou a ser um educador sendo que para ser um educador precisa de muitas competências, responsabilidades e através do estágio supervisionado descobrimos que é isso que tanto queremos seguir.

2 DESENVOLVIMENTO

A busca pela melhoria da qualidade do ensino deve ser uma constante na vida dos educadores. Partindo desta concepção entende-se que repensar a ação docente é um desafio cotidiano principalmente quando se almeja formar um aluno cidadão, consciente critico, ético, criativo e atuante na sociedade em que vive. Esse desafio se intensificar diante das rápidas e profundas transformações nos mais variados setores da vida contemporânea acentuadas com a terceira revolução técnico-cientifica, acelerando a produção e disseminação de novos produtos e informações.

Neste sentido é uma atividade profissional de alta responsabilidade política e social, pressupondo-se, portanto que a formação do educador requer compromisso e competência, todavia, o cenário educacional denuncia, insistentemente, dicotomias existentes na pratica educativa, as quais comprometem, o alcance dos objetivos mais amplos da educação especialmente quando as deseja uma educação para a formação do sujeito consciente no exercício de sua cidadania, almejando a transformação a transformação qualitativa da sociedade em que vive.

Deste modo, constitui-se de fato observável que em minha formação inicial, entre seus elementos de estudos, os problemas das escolas públicas se ensino fundamental e médio, ou seja, a relação ensino e pesquisa foram privilegiadas a relação teoria e pratica nesse mesmo caminho. (Bardeneve-2004)

Com o advento da sociedade capitalista e com o aperfeiçoamento dos avanços constantes tecnológicos, onde facilita a vida humana e ao mesmo tempo distanciando afetivamente, então a luta diária de fazer o ambiente escolar bem mais que o um local de abrangência de conhecimento atrativo é fazer também com que aconteça oportunidades de aprendizagens convidativas e eficientes:

A escola é uma instituição social com objetivo explícito: o desenvolvimento das potencialidades físicas, cognitivas e afetivas dos alunos, por meio da aprendizagem dos conteúdos (conhecimentos, habilidades, procedimentos, atitudes e valores) que, aliás, deve acontecer de maneira contextualizada desenvolvendo nos discentes a capacidade de tornarem-se cidadãos participativos na sociedade em que vivem. Eis o grande desafio da escola, fazer do ambiente escolar um meio que favoreça o aprendizado, onde a escola deixe de ser apenas um ponto de encontro e passe a ser, além disso, encontro com o saber com descobertas de forma prazerosa e funcional. (LIBÂNEO,2005, p.117)

Ter sempre essa perspectiva como visão de futuro tornando a instituição educacional um ambiente de referência pela sua qualidade do ensino ministrado, valorizando os profissionais que nela atuam atendendo os anseios da comunidade escolar, tornando-as capazes de serem sujeitos e transformadores da sociedade, priorizando o respeito mútuo, educando para a solidariedade, ética, justiça e compromisso, objetivando um ensino de qualidade.

A escola deve oferecer situações que favoreçam o aprendizado, onde haja sede em aprender e também razão, entendimento da importância desse aprendizado no futuro do aluno. Se ele compreender que, muito mais importante do que possuir bens materiais, é ter uma fonte de segurança que garanta seu espaço no mercado competitivo, ele buscará conhecer e aprender sempre mais. (LIBÂNEO,2005, p.117)

Para tanto nesse ponto de vista, torna-se essencial que a primeira etapa da educação, seja o primeiro contato com um ambiente escolar, acontece em uma Instituição infantil, e assim se fazendo necessário receber e envolver as crianças com afetividade é e por meio desta desenvolver um trabalho de qualidade, necessária para a formação de pessoas felizes, seguras e capazes de conviver com o mundo que a cerca, porque a Educação Infantil é uma importante aliada nas intervenções pedagógicas, responsável por criar vínculos relevantes e imprescindíveis por ser uma importante etapa inicial da Educação Básica que é integrante do sistema de ensino, pois tem como principal objetivo estabelecer bases para a personalidade humana, inteligência, vida emocionais e sociais da criança.

Atuar na educação desencadeia simultaneamente como diz Hoffmann (2009) um olhar de admiração, reflexivo para que seja possível, reconstruir uma dinâmica criativa por meio da flexibilidade, fazer acontecer mudanças necessárias para que ocorra um ensino/aprendizagem/motivador em constante desenvolvimento.

A profissão do professor está situada exatamente no intercâmbio entre o conhecimento sistematizado que a escola oferece e o aluno, portanto, se desenvolve nessa ponte representada na mediação entre o aluno e o saber, o ensino e a aprendizagem. (LIMA, 2001, p.13)

As teorias somadas a prática nos leva a ver o estágio como fonte de experiência que poderá nos acompanhar por toda trajetória de trabalho, permiti compartilhar conhecimentos, visando que uma das metas da Educação Infantil é o engajamento na socialização e interação até mesmo nessa perspectiva os planos de aula são programados e desenvolvidos, utilizando o projeto como recurso paradidático possibilita se apropriar de materiais adequados ao nível da turma, dando oportunidade as crianças participarem da aula, correspondendo assim com o tempo estimado dos tempos e rotinas da instituição.

A formação profissional inicial, de acordo com Imbernón (2002, p. 57), é o momento para a aquisição do conhecimento profissional básico, necessário ao exercício da profissão, e, no caso específico do pedagogo em formação, o estágio supervisionado tem um papel fundamental. (METZ & PIENTA, p.193)

A realização do estágio, encaminha para conceber uma futura identidade do profissional da educação que a oportunidade de entrelaçar de forma dinâmica a teoria junto da prática. Nesse processo, os saberes docentes são constituídos na prática pedagógica, e esse processo é fundamental na formação de professores. E nessa perspectiva, segundo METZ & PIENTA:

No estágio, a teoria e a prática se complementam, não podendo ser consideradas como processos independentes e distintos. O estágio é parte integrante de um ato educativo porque evidencia como o processo ensino-aprendizagem se desenvolve e auxilia o futuro professor a construir sua práxis pedagógica.(METZ & PIENTA, p.191)

Portanto, uma convivência direta com o meio profissional o qual estar em foco, se torna essencial, para induzir a um entendimento sobre discernir a prática da teoria e ao mesmo tempo compreender a relevância de uma prática docente depende que se tenha uma bagagem teórica, direcionada para aquela finalidade afim seus planos e metas sejam concretizados com sucesso.

2.1 CARACTERIZAÇÃO DA INSTITUIÇÃO

Surgiu em 1990, com a demanda crescente do número de crianças e necessidade de um espaço educador. E o nome José Gustavo Pinheiro Torres é uma homenagem feita por sua esposa Teodora Dasdores Ferreira. Porque havia grande dificuldade em desloca-se para a sede, a mesma fez uma doação do espaço onde foi construída a escola. Que foi construída na época com ajuda de políticos e da comunidade, passando assim a contribuir com a educação da nossa cidade.

Tendo como principais fundadores: Teodora Das Dores Ferreira, doadora do terreno. Antocildo Barbosa Ribeiro na época atual prefeito e a Senhora Fátima Viana, vice-prefeita.

Fatos influenciadores na época da fundação foram à visita dos políticos tendo iniciativa da comunidade, as principais ocorrências foram à construção e reforma da escola, aumento de turma, inclusão de uma nova modalidade de ensino, e novas salas, como a de atendimento aos alunos com necessidades especiais, mudança de direção e núcleo gestor.

Encontra-se na escola alguns princípios indispensáveis como a solidariedade, à ética, o respeito, a justiça e o ensino de qualidade.

O Ensino fundamental objetiva a formação básica do cidadão, através do domínio da escrita e da leitura, abrange atualmente, 85% das localidades vizinha que são os sítios: Barrocas, Torto, Ubaeira I e II, Pé de Serra e Lagoa Tapada.

Dentre os desafios o maior a citar seria a indisciplina; fato que é vivenciado na maioria das escolas e que requer uma maior participação da família para solucionar.

Os pais de alunos da mesma são profissionais como: Pedreiros/Serventes. Comerciantes/vendedores. Agricultores. Pescadores. Domésticas. Professores e Diretoras entre outros.

Atuamos em Horários matutino e vespertino semanalmente e aos domingos oferecemos um curso de informática aos alunos da escola. 

Como em todos os outros lugares na nossa escola também encontramos algumas dificuldades como: Ausência e negligencia dos pais na escola e Indisciplina e desinteresse dos alunos.

Atualmente contamos aproximadamente com 200 a 220 alunos e com um quadro de 10 a 30 professores, com 1 a 3 Coordenadores pedagógicos e mais de 10 funcionários.

Conta com 6 salas de aula regular, uma sala para atendimento especializado, dois banheiros masculinos e dois femininos   ambos adaptados, sala de leitura, cozinha, almoxarifado, dispensa, secretaria, diretoria, pátio.

A escola é um centro de formação de qualidade, a mesma garante a educação de crianças, adolescentes e adultos, e forma para a região e meio social, além de oportunizar a aprendizagem diversificada através de bons professores.

Presamos por uma escola de qualidade/compromisso com educação/ensino de satisfatório atende bem aos pais e a comunidade, realiza prestação de serviços tem diversos projetos sociais e culturais e oferece diferentes suportes para os alunos como o projeto adote um aluno. Visa melhoria no ensino/educação de qualidade.

A importância de o PPP dar-se segundo Veiga, “Ele é um eixo norteador, é um projeto, pois reúne metas e ações, é político por conter ações de diferentes âmbitos e escolhas, é pedagógico por conter ideias e embasamentos a serem trabalhados, deixou de ser um conjunto de ideias e passou a serem metas que deveriam ser executadas ao longo de dois anos”.

2.2 INCLUSÃO NA ESCOLA ESTAGIADA

A escola tem uma sala para atendimento especializado, com uma professora pedagoga, e especialista em educação especial, atuante a 16 anos no ramo, a sala foi criada em 2014, hoje conta com 14 alunos, com diferentes necessidades especiais, o atendimento nessa sala ocorre de segunda a quinta-feira, no turno da manhã, os alunos que frequentam essa sala, também devem participar da aula em regime regular. A escola foi toda adaptada para receber alunos especiais quando a sala foi construída, em 2012 a escola recebeu 4 alunos de uma mesma família com deficiência visual, e a escola não era preparada para atendê-los, no ano de 2013 foi feito o projeto para construir a sala, que só foi feita em 2014. A partir desse ano a escola passou a receber outros alunos que nunca haviam frequentado a escola.

Hoje a unidade conta com corrimão em todas as escadas, e rampas de acesso, além de cadeiras de roda, banheiros com portas adaptadas e com corrimão, livros em braile, lupas, material didático e pedagógico, impressora em braile, etc.

2.3 OBSERVAÇÃO PARTICIPANTE DA TURMA

O estágio supervisionado II, foi com uma turma 8º e 9º ano do ensino fundamental no turno vespertino.  Eu já faço parte do corpo de funcionários da instituição. Inclusive já lecionei para a turma do sétimo, oitavo e nono no ano de 2014 a 2016, me apresentei como sendo aluno do curso de matemática e que a partir de hoje estaria com eles, de maneira análoga, fiz com a turma do 7º ano, a diretoria já sabia que meus colegas e eu faríamos o estágio na instituição, a minha chegada foi bastante receptiva.

Observei que a sala estava arrumada em filas e o professor regente não começou a aula desde que todos estivessem sentados em suas carteiras, bem começando a aula o professor faz um tipo de teste de sondagem oralmente, ele faz uma espécie de revisão escrevendo no quadro os tópicos mais importantes,  tudo de maneira muito  semelhante com a sala do 7º ano, tudo isso para saber se os alunos aprenderam realmente os assuntos das aulas passadas e que também serão considerados pré-requisitos para a aula do dia, percebi que poucos tinham interesse para responder as perguntas do professor, mas mesmo assim ele insistia e ajudava os alunos fazendo assim uma espécie rápida de revisão dos conteúdos trabalhados anteriormente.

Alguns alunos estavam prestando bastante atenção à explicação do conteúdo, a sala do 9º ano é mais comportada, os alunos são mais maduros e estão acostumados com a rotinas dos professores, diferente do 6º ano( sala do estágio anterior) que não tem o costume de estudar com vários professores, o professor pediu que ajudassem os professores e a direção manter a disciplina entre os alunos do colégio, por exemplo, orientar os colegas para desligar os celulares e aparelhos sonoros que acabam atrapalhando as aulas. Também observei a aplicação da prova da olimpíada de matemática, fiquei triste despois de perceber que poucos tinham interesse em responder a prova procurando acertar as questões, a maioria estavam preocupados em vencer o tempo mínimo de entrega da prova para poder sair da sala. Observando a sala de aula percebi que a turma tinha 38 alunos o espaço físico da sala é adequado para essa quantidade de alunos, mas o que chamou a minha atenção é que faltam carteiras e os alunos que chegam mais tarde tem que ficar percorrendo entre as salas do colégio para encontrar uma carteira desocupada. O espaço físico do Centro Integrado é bem amplo, podemos contar com pátios grandes; lanchonete; biblioteca; auditório; quadra poliesportiva e uma sala de informática contendo 15 computadores, mas esta não fica disponível a todos os alunos, somente aqueles matriculados no curso de informática. A observação foi um período importante, pois como a turma não possuía nenhum convívio comigo e nem eu com eles. Nesta etapa, pude conhecer melhor meus futuros alunos e aprender um pouco com a prática da professora regente, já que o estágio é um aprendizado.

2.4 DESCRIÇÃO DA DOCÊNCIA

Introdução de estudo dos sistemas de equação do primeiro grau, utilização de balança para formação dos sistemas, método da comparação intuitiva, a aula foi bem interessante com o uso da balança, já conhecia a aplicação do sistema, mas achei proveitoso.

Em um primeiro momento pede-se que o aluno observe o que acontece ao mexer com um dos lados da balança. Mostrar que o a , desenhar o gráfico dessa função, mostrando porque o gráfico dessa função é linear, A exposição de uma questão no quadro para que os alunos possam pensar em diferentes formas de resolver.

A vivencia com o material concreto facilita a compreensão. Para essa segunda semana, pensou-se em uma forma de avaliar o que já foi visto, ante embora o princípio da avaliação seja continuada. Em todas as turmas planejou-se a aplicação de simulados, e foi sugerido uma correção em sala apontando os erros, a maneira certa de fazer, a coordenação sugeriu que a alternativa contivesse os distratares de modo a avaliar de fato o aprendizado.

Trazer para os alunos a oportunidade de resolver pequenas questões no quadro, de maneira a entender como funciona o pensamento dele para resolver determinadas questões. O objetivo aqui será identificar e adaptar-se a eles. Durante essa aula os alunos conheceram o método da comparação de equações e adição como uma forma de solucionar sistemas. Abordagem do que será trabalhado nessa semana, apresentação de um desafio da OBMEP, será mostrado a forma de resolve-lo, e só então será dado início ao conteúdo, espera-se que o conhecimento já adquirido até esse momento seja o suficiente para a resolução da atividade, visto que algo semelhante já foi trabalhado em outro momento.

O uso de simulados foi aceito com objetivo de avaliar o nível dos alunos. Espera-se que se tenha um resultado positivo, nesse momento. Introdução do conteúdo de estatística, leitura de gráficos. Para abordar o conteúdo o professor sugere a exposição de gráficos com as notas dos alunos. Em um momento futuro poderá mostrar como é feito o cálculo da média simples, e ponderada. Logo em seguida questões sobre a interpretação de gráficos.

3 CONSIDERAÇÕES FINAIS

Como professor vemos que, algumas questões podem ser colocadas não como resposta, mas como indagações, provocações, que fazem o aluno pesar, a matemática por sua vez, tem esse objetivo, desenvolver o raciocínio logico e cognitivo dos alunos. A matemática é tão multidimensional quanto seu objeto de estudo: o espaço, a formação de profissionais para trabalharem tal dinâmica e temática na sala de aula necessita muitas vezes de uma formação complementar, trazida pelo mundo da pratica e nisso o estágio cumpre o seu papel.

Compreendi que o estágio é um critério que favorece a vivencia de ter contato com várias práticas, permitir desenvolver variadas aquisições de habilidades, competências e conhecimentos, compreender que cada turma é única e pedem ser vistas de pontos de vistas diferentes, o que faz a busca em pesquisas teóricas que apontem e abordem infinitas práticas de conceber experiências interagindo com turmas de faixa etárias diversificadas, de cognitivo diferentes, onde exige um saber muito maior de metodologias, permanecendo a troca entre teoria e prática, vindo a ser um fazer constante.

Acrescentei muito em minha vida as práticas vivenciadas com o aluno no desenvolvimento do estágio a cada dia que passa aprendemos novas formas de ensinar e aprender, sendo um desafio diário, já que temos de trabalhar com crianças o que necessita de uma atualização constante.

Para que o professor conheça bem seus alunos, é necessário que não negligenciem os aspectos afetivos. É importante refletir sobre a importância da afetividade em uma sala de aula nos anos iniciais do ensino fundamental, de modo que os alunos possam ser compreendidos, aceitos e respeitados, de modo que os professores possam entender seus sentimentos. É preciso ter sensibilidade para ouvi-los, dialogar com eles e apoiá-los para que busquem superar as suas dificuldades, porque a matemática não é só números, mas como os próprios PCNs, trazem, a matemática pode abordar temas transversais, além de abordar a interdisciplinaridade 

A matemática assim como a maioria das ciências exatas é sempre vista como sento uma área terrível, o medo que os alunos têm de cursar essa disciplina é muito grande, os PNCs, trazem a importância de se tornar a área das ciências mais humanizadas.

4 REFERÊNCIAS

BRASIL. Ministério da Educação. Referencial curricular nacional para a educação infantil. Brasília: MEC/SEF, 1998.

HOFFMANN, J. Dossiês, Portfólios, Relatórios de Avaliação. IN: HOFFMANN, J. Avaliar para promover. As setas do caminho. 5ª edição. Porto Alegre: Mediação, 2004.

HOFFMANN, J. Avaliação na pré-escola: um olhar sensível e reflexivo sobre a criança. Jussara Hoffmann. Cadernos da Educação Infantil. Porto Alegre: Mediação, 1996.

LIBÂNEO, J. C.; OLIVEIRA J. F.; TOSCHI M. S.; Educação escolar: políticas estrutura e organização. 2ª ed. São Paulo: Cortez, 2005. (Coleção Docência em Formação);

LIBÂNEO, J.C. Organização e gestão da escola: teoria e prática. 5 ed. Goiânia, Alternativa, 2004

LIMA, M. S. L. A hora da prática: reflexões sobre o estágio supervisionado e ação docente. Fortaleza: Demócrito Rocha, 2001. (Coleção Magister).

METZ, M. C.;PIENTA, A. C. G.Estágio Supervisionado: da docência à gestão na educação básica. Curitiba: editora Fael, 2011.

PADILHA, P. R. Planejamento Dialógico: Como construir o projeto político-pedagógico da escola. São Paulo: Ed. Cortez, 2001.

PIMENTA, S. G. O estágio na formação de professores: unidade teoria e prática. São Paulo: Cortez, 1994.

UJIIE, Nájela Tavares. HILLING, Susana Teresinha M. Perspectivas do estágio curricular na educação infantil: o processo formativo de professores para crianças pequenas - Curitiba:CRV, 2009

VASCONCELLOS, C. dos S. Avaliação da Aprendizagem. Práticas de Mudança. São Paulo: Libertad, 1994.


Publicado por: Antonio Feitor

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do Brasil Escola, através do canal colaborativo Meu Artigo. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.
DEIXE SEU COMENTÁRIO
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
MeuArtigo Brasil Escola