Topo
pesquisar

Sequência didática com o gênero dissertação escolar

Redação

Clique aqui e conheça a sequência didática com o gênero dissertação escolar.

A dissertação escolar é um gênero textual que constrói uma opinião em torno de uma questão proposta. Geralmente, é produzida no contexto escolar por alunos do Ensino Médio. O aprendiz escreve atendendo a uma solicitação do professor, a fim de melhorar sua capacidade argumentativa.

Para definir a dissertação, Delforce apoia-se em duas grandes características: de um lado, ela se constitui de sequências pergunta-resposta sucessivas; de outro lado, a passagem de uma pergunta a uma resposta se efetua na forma de um momento de exame, questionamento e análise. Segundo o autor, essas noções colocam em evidência duas das operações principais do trabalho dissertativo: construir uma problemática e uma opinião. Constrói-se a opinião através do exame de todas as opiniões-resposta que a pergunta possibilita, avaliando-se sua pertinência e validade. A característica principal da dissertação é atenção que se dá ao exame da questão, não esquecendo nenhum aspecto relevante do problema (1992, p.15).

Nesse gênero não se apresenta imediatamente uma opinião acerca de uma questão proposta, acrescida de alguns argumentos que sustentam essa opinião. Para Delcambre e Darras (1992), dissertar não é dizer o que se pensa, mas demonstrar que se pensa, com uma opinião progressivamente construída, e não com enunciados improvisados, e como se pensa, colocando em evidência os argumentos. Segundo as autoras, o exame racional de uma questão polêmica conduz à formulação de uma posição pessoal, e se diferencia radicalmente da simples resposta dada na entrevista, que consiste em outro gênero textual, no qual o locutor emite imediatamente sua opinião.

A dissertação escolar é topologicamente heterogênea, pois, agregadas à tipologia de base dissertativa, podem estar inseridas outras sequências, como a narrativa, a descritiva, a injuntiva, a explicativa e a preditiva, que dão suporte à argumentação.

Normalmente, a linguagem empregada é a comum, e o tempo verbal predominante é o presente do indicativo, pois ele permite uma discussão a respeito do assunto. Nessa discussão, o mais importante não são tanto as ideias do autor, mas como ele as desenvolve. Por exemplo, não importa se o sujeito é a favor ou contra a pena de morte, mas como ele constrói sua opinião a respeito do problema. Isso quer dizer que, para produzir uma dissertação, é necessário ler sobre o assunto, refletir, avaliar e tomar uma posição.

Assim, a dissertação escolar pressupõe o uso de argumentos consistentes e convincentes. Segundo Garcia-Debac, pode-se desenvolver a argumentação a partir de quatro operações fundamentais (1986, p.7):

a) demonstrar teses ou argumentos;

b) justificar um ponto de vista que se deseja defender;

c) refutar outros pontos de vista possíveis sobre a questão;

d) concordar com certas ideias para melhor defender seu ponto de vista.

A definição do termo argumentar mostrar o caráter interativo da linguagem: visa um interlocutor. Para que a argumentação se torne eficiente e atinja os objetivos propostos, o autor aciona todos os recursos de natureza lógica e linguística dos quais dispõe, apresentando as razões utilizadas para convencer o leitor.

Vigner (1988, p.13-14) dá uma amostra das formas mais usuais para o encadeamento do texto que poderão ser objeto de uma primeira aprendizagem dentro da argumentação. Essas formas podem ser trabalhadas por meio de exercícios escritos, com intuito de desenvolver a habilidade de manipular os materiais básicos da língua na argumentação. São elas:

a) fórmulas introdutórias: comecemos por; a primeira observação recai sobre; inicialmente, é preciso lembrar que; a primeira observação importante a ser feita é que;

b) transições: passemos então a; voltemos então a; mais tarde voltaremos a; antes de passar a ... é preciso lembrar que; sublinhado isto;

c) fórmulas conclusivas: logo; consequentemente; é por isso que; afinal; em suma; pode-se concluir que;

d) enumeração: em primeiro (segundo, etc.) lugar; e por último; e em último lugar; inicialmente; e em seguida; além do mais; além disso; além de que; aliás; a ... se acrescenta; por outro lado; enfim; se acrescentarmos por fim;

e) fórmulas concessivas: é certo que; é verdade que; evidente; seguramente; naturalmente; incontestavelmente; sem dúvida alguma; pode ser que;

f) expressões de reserva: todavia; no entanto; entretanto; mas; porém; contudo;

g) fórmulas de insistência: não apenas ... mas; mesmo; com muito mais razão; tanto mais que;

h) inserção de um exemplo: consideramos o caso de; tal é o caso de; este caso apenas ilustra; o exemplo de ... confirma.

Para a produção de uma dissertação escolar, é necessário haver uma questão a ser discutida e propor uma solução ou avaliação. Sua estrutura pode constituir-se das seguintes partes: situação-problema, discussão e a solução-avaliação; Observe:

a) Situação – problema: contextualiza o assunto, guiando o leitor na progressão do texto, para facilitar seu entendimento acerca do que virá nas demais partes.

b) Discussão: constrói a opinião a respeito da questão examinada. O produtor coloca todos os argumentos disponíveis para fundamentar a posição assumida e refutar a posição contrária. Para evitar abstrações, pode valer-se de pequenos relatos, comparações, voz de autoridade no assunto, dados estatísticos, breves exemplos ou notícias já publicadas pela mídia. Isso torna o texto consistente, já que, por natureza, a opinião é abstrata e necessita ser fundamentada com todos os artifícios.

c) Solução-avaliação: evidencia a resposta ao problema apresentado, que pode ser a reafirmação do ponto de vista defendido ou uma apreciação sobre o assunto. Portanto, essa parte não se restringe a uma paráfrase ou a uma síntese do que foi discutido anteriormente.

1. Leia o texto abaixo e responda as questões:

INTERNET: PONTE OU MURO ENTRE AS PESSOAS?

1          A internet é um grande passo rumo aos avanços tecnológicos do século XXI. Ela é cada vez mais utilizada nos quatro cantos do mundo por pessoas que têm a intenção de se informar, manter contanto com os semelhantes e facilitar sua vida.

Para isso, utilizam e-mails, blogs, chats, msn,sites e relacionamento, entre outros meios de aproximação online. Muitos indivíduos já se conheceram pela internet; amigos, profissionais e estudantes com interesses em comum, e até mesmo casais. Mas até que ponto essa comunicação virtual é válida? Ela estreita os laços afetivos ou extingue?

2     É evidente que o uso da internet, de certa forma, afastou os seres humanos no que diz respeito ao contato físico. Se antes telefonávamos e ouvíamos a voz do outro, hoje é mais prático e financeiramente mais em conta enviar um e-mail ou uma mensagem instantânea via msn, com direito até a um beijo virtual e a um aceno, caso os usuários façam uso de webcams. Cartas e telegramas também são quase lembranças do passado, bem como o carinho físico, o beijo e o abraço, que acabam, muitas vezes, ficando para trás, devido à comodidade do meio virtual e à falta de tempo.

3           Contudo quantos filhos que estão distantes de seus pais se comunicam via internet? Quantos amigos se lembram de você, mandando e-mails animados, com belas mensagens? Quantas vezes seu namorado lhe envia um romântico “te amo” pelo msn, naqueles dias em que o encontro é quase impossível? Para manter contato e mostrar que lembramos de alguém, temos saudades, gostamos muito daquela pessoa, é que utilizamos a internet. Ela estreita laços afetivos e facilita nossas vidas, pois nem sempre é possível estar na companhia física daqueles que amamos.

4         Que importância tem se o casal se conheceu na rede, trocou ideias, falou de sentimentos que, talvez ao vivo não tivesse coragem de expressar, e se apaixonou? Que diferença faz se encontramos uma amiga maravilhosa trocando scraps pelo Orkut? Se há empatia e um bom relacionamento, não será a distância que impedirá que uma relação exista. Além do mais, se nos comunicamos virtualmente com amigos que moram na nossa cidade, isso não dispensará que nos encontremos. Ao contrário, ajudará a fortalecer a amizade, que será mantida diariamente, afinal, enquanto estamos num escritório diante de um computador, não custa dar uma pausa e abrir a caixa de entrada de e-mails. Quem resiste? Além do mais, faz bem que se é amado e querido por aqueles que estão à nossa volta, e nem sempre estão presentes fisicamente.

5        A internet veio para estreitar os laços afetivos e não para extingui-los, uma vez que a utilizamos para demonstrar nossos sentimentos por alguém. O importante é ter bom senso para utilizá-la, não extrapolando e passando horas diante do computador, pois não podemos fazer com que ela substitua o calor humano que cada um tem para oferecer.

Maura Coradin Pandolfo

1) Considerando o significado das palavras na dissertação, numere adequadamente:

(1) semelhantes (parágrafo 1)   (     ) afinidade          (    ) fortalecer

(2) virtual (parágrafo 1)             (     ) eletrônica         (    ) alegria

(3) extingue (parágrafo 1)         (     ) exagerando      (    ) parecidos

(4) empatia (parágrafo 4)          (     ) elimina            (    ) extraviando

(5) estreitar (parágrafo 5) 

(6) extrapolando (parágrafo 5)

2. Com relação ao gênero e a sua estruturação, responda:

a) Qual é o gênero textual?

___________________________________________________________________________________

b) Qual é o tipo discursivo?

___________________________________________________________________________________

c) Qual é o domínio discursivo desse gênero?

___________________________________________________________________________________

d) Qual é a sua finalidade/função sócio comunicativa/para que serve/objetivo?

___________________________________________________________________________________

e) Quais são as principais características?

___________________________________________________________________________________

f) Qual é o público-alvo desse texto?

___________________________________________________________________________________

3. Explique o significado dos seguintes termos:

a) e-mails: ___________________________________________________

b) blogs: _____________________________________________________

c) chats: _____________________________________________________

d) msn: ______________________________________________________

e) facebook: __________________________________________________

f) scraps: ____________________________________________________

g) internet: ___________________________________________________

4. Qual é a questão que a autora discute na situação – problema? (parágrafo 1)

__________________________________________________________________________________

5. Destaque os argumentos que a produtora usa para defender seu ponto de vista na discussão?

__________________________________________________________________________________

6. Na discussão, a autora apresenta pontos negativos acerca do uso da internet. Identifique-os.

__________________________________________________________________________________

7. Qual é a solução-avaliação proposta da dissertação escolar?

__________________________________________________________________________________

8. Qual é o tempo verbal predominante na dissertação? Justifique com exemplos do texto.

__________________________________________________________________________________

9. Assinale o item que corresponde ao nível de linguagem empregado no texto. Apresente uma justificativa para sua resposta.

(           ) familiar        (             ) comum      (        ) cuidada         (       )  oratória

__________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________

Diariamente, a mídia divulga notícias sobre ataque a crianças e adultos por cães da raça pitbull e rottweiler. Pode-se dizer que essas raças devem ser exterminadas?

Produza uma dissertação escolar, na qual você manifeste o seu ponto de vista sobre essa questão.

__________________________________________________________________________________


Publicado por: Ricardo Santos David

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do Brasil Escola, através do canal colaborativo Meu Artigo. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.

DEIXE SEU COMENTÁRIO
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
MeuArtigo Brasil Escola