Topo
pesquisar

Psicologia social: Uma analise crítica da percepção do outro.

Psicologia

Abordagem dos principais aspectos relacionados às percepções sociais.

RESUMO

O presente artigo objetiva abordar em uma visão clara os principais aspectos relacionados às percepções sociais. Inicialmente são explanados alguns conceitos e definições psicológicas, bem como a percepção social e a importância de valores e atitudes abordados no filme “O pescador de Ilusões” e da leitura da obra da Profa. Sílvia Tatiana Maurer Lane. Conceitualmente, a percepção social estuda a forma como formamos impressões sobre outras pessoas e sobre como fazermos inferências sobre elas. As conclusões mostram a importância de abordar o papel dos valores no processo subjetivo-objetivo e nas relações do indivíduo e da sociedade. Portanto, é através desses aspectos que podemos dá sentido ao mundo social que nos rodeia, é também, através dela que podemos ter a capacidade de formar impressões de maneira rápida e objetiva sobre esse mundo.

Palavras-chave: individuo; percepção; psicologia; valores.

INTRODUÇÃO

Na psicologia, o estudo da percepção é de extrema importância porque o comportamento das pessoas é baseado na interpretação que fazem da realidade e não na realidade em si. Por este motivo, a percepção do mundo é diferente para cada um de nós, cada pessoa percebe um objeto ou uma situação de acordo com os aspectos que têm especial importância para si própria, ou seja, é através da percepção que um indivíduo faz do outro que se pode notar a forma de como esse individuo organiza e interpreta as suas impressões sensoriais para atribuir significado ao seu meio. Portanto a percepção tem uma grande importância, ela pode ser relacionada pela a imagem que se faz do outro, pelo conteúdo da memória, conceitos de valor e normas sócios culturais, ou seja, a percepção está ligada a valores específicos do indivíduo ou de grupos distintos.

O pescador de Ilusões é um filme produzido em 1991, dirigido por Terry Gilliam no filme podemos observar de uma maneira clara as mais variadas formas de percepção do individuo envolvendo valores, atitudes ou até mesmo a transformação social do outro. E, é possível perceber também na cena escolhida descrita abaixo mudanças de comportamentos que vão atribuir componentes indispensáveis para a construção pessoal de cada pessoa.

O filme retrata a história de Jack Lucas um radialista bem-sucedido, sem compromisso ético, que em um de seus programas ele brinca com um psicótico durante seu programa e o aconselha a fazer o que deseja. O homem vai a um restaurante, atira em várias pessoas e depois se mata. Anos mais tarde, ainda corroído pelo remorso, o radialista é salvo de um incidente por Parry um mendigo louco, que acolhe em seu abrigo e lhe oferece comida e dormida. Vendo a situação de abandono e pobreza ele ficou muito comovido. Mas ele apenas se sensibilizou mesmo no dia em que descobriu que aquele mendigo tinha sido um ex-professor de história, e apenas tinha chegado àquela situação devido a um trauma horrível, desde o dia que mataram a esposa que ele tanto amava, com um tiro na cabeça na frente dele, exatamente naquele restaurante que o psicótico aconselhado por Jack foi, fazendo a esposa de Parry mais uma das vitimas daquele incidente, desde esse dia ele torna-se um mendigo com problemas mentais que procura pelo Santo Graal.

O radialista traz consigo o peso da culpa pela morte da mulher do mendigo e tentando reparar seu erro tentando ajudá-lo, em todos os sentidos desde o financeiramente até o  de  tentar protegê-lo e com o passar do tempo  acabam se tornando amigos. Até que um dia o mendigo se apaixonou por uma mulher que ele via na rua, quando ela ia ao trabalho,  a partir daí ele passou a observá-la, seguindo-a, mas não tenha como ter uma aproximação dela e Jack ao saber disso resolveu a ajudá-lo, convidando os dois para a sua casa, para um jantar na tentativa de aproximá-los. No começo a mulher por nome Lydia Sinclair não queria aceitar o convite, mas com muita insistência acabou aceitando, dessa forma os dois se apaixonaram um pelo outro, Parry se curou de seus traumas e problemas mentais, e passou a viver uma vida nova. Tudo com a ajuda de Jack que mostrou que os valores e atitudes podem mudar o comportamento das pessoas, e daí por diante ele passou a não se sentir mais culpado e começou de novo a viver a sua vida normal se tornando uma pessoa bem melhor.

Na leitura da obra da professora Sílvia Tatiana Maurer Lane fica clara também que a interação humana ao se compartilhar objetivos, regras, valores e entre outros, exerce uma influência considerável no processo de construção da identidade de cada individuo.

A professora Sílvia Tatiana Maurer Lane tem uma trajetória de vida profissional, no campo da Psicologia Social, que faz dela uma das mais importantes influências no desenvolvimento de um novo projeto para a Psicologia: o projeto do compromisso social. Seu trabalho, sempre aliado ao de outras pessoas, produziu novos caminhos para a Psicologia. Sua produção teórica permitiu a construção de novas perspectivas no campo da Psicologia Social, sendo responsável pelo desenvolvimento da perspectiva sócio-histórica na Psicologia Social no Brasil. Suas idéias sobre a prática permitiram a construção da Psicologia Social Comunitária. Seu empenho na América Latina criou intercâmbios e trocas, fortalecendo o diálogo no campo da Psicologia entre profissionais deste continente. Seus princípios permitiram apoio na construção de um novo projeto de Psicologia.

Sua preocupação básica em construir uma psicologia social voltada para a realidade brasileira e latino-americana, com vistas a contribuir para a superação das desigualdades e das situações de opressão, demandava uma construção teórica que permitisse compreender o homem como participante do processo social. Nesse sentido, entendia que o conhecimento da psicologia deveria levar à compreensão dos mecanismos que provocam a alienação e contribuir para ampliar a consciência dos homens. Sua teoria sobre o psiquismo teve essa direção.

Lane discute claramente como a A psicologia social coloca como objeto as relações interpessoais e a influência de fatores sociais no indivíduo, mas estabelecendo uma dicotomia entre indivíduo e sociedade e dentro de uma perspectiva naturalizante. Tais formulações estão baseadas em um método experimental, que busca relações causais entre variáveis e estabelece a necessidade de verificação empírica de princípios teóricos. Baseado no positivismo, o método prega a neutralidade do conhecimento científico e a distinção entre o conhecimento e a ação, ou seja, entende que o conhecimento deve ser objetivo e desvinculado de qualquer intenção em relação a seu uso.

Em entrevista concedida à revista Psicologia e Sociedade, em 1995, ela reafirmava a convicção sobre a necessidade de democratizar o saber, em nossa sociedade profundamente desigual e excludente. Para ela, a aceitação das diferenças, a luta contra o preconceito e a discriminação dependiam dessa democratização, isto é, da presença do intelectual fora dos muros da academia, atuando e interagindo com os grupos sociais. E isto deveria ser feito

[...] abrindo esse espaço para todo mundo, para quem quiser aprender e mais: fazendo o esforço de falar a linguagem de todo o mundo. Transmitir nosso saber numa linguagem do cotidiano. É um desafio. Mas é uma briga entre o poder autoritário e o poder democrático. Acho que esta é a questão fundamental da academia. (LANE, 1995, p.9)

Assim despojada e generosa, Sílvia se revela em sua extrema sensibilidade e em sua paixão pelo conhecimento, que ela quer transmitir a todos, pois o que é bom deve ser de todos, sem discriminação. E desse modo se despediu de nós, deixando um legado de dignidade e de grande força intelectual. Viva Sílvia Lane!

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Os valores éticos e as atitudes são de suma importância na construção da realidade, da dignidade de cada indivíduo e essa realidade se encontra cada vez mais no nosso cotidiano.

E, portanto, os valores são indispensáveis no processo de interatividade do eu com o outro, ou seja, o colocar-se no lugar do outro. Assim, a interação de um indivíduo se dá na medida em que há a percepção da identidade e da pluralidade em que aquele indivíduo está inserido.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

CAMPOS, Regina Helena de Freitas & GUEDES, Maria do Carmo. Sílvia Tatiana Maurer Lane (1933-2006) e a ética do conhecimento. In: http://www.fafich.ufmg.br/~memorandum/a10/camposguedes01.htm .Acesso em 02/04/2011

 http://interfilmes.com/filme_19131_O.Pescador.de.Ilusoes-%28The.Fisher.King%29.html Acesso em : 02/04/2011


Publicado por: Galluzi Fernandes

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do Brasil Escola, através do canal colaborativo Meu Artigo. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.

DEIXE SEU COMENTÁRIO
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
MeuArtigo Brasil Escola