Topo
pesquisar

A Nossa Grande Guerra Interior

Psicologia

A maior e pior das guerras são travadas a todo instante dentro da cabeça de cada um.

Sun Jan 8, 2012, 8:52 AM

A maior e pior das guerras não é travada nas ruas, nas cidades, no ar, nas águas ou em campos de batalha, entre inimigos externos, soldados ou civis. A grande batalha acontece, a todo instante, dentro da cabeça de cada um de nós e as conseqüências dessa guerra interna são catastróficas para cada pessoa e para toda a Humanidade.

Os Seres Humanos são, por natureza, os mais importantes protagonistas da Vida e logo se tornarão os mais numerosos habitantes do Planeta com a destruição progressiva, sistemática, inconseqüente e inconsciente, das demais espécies de vida. Ao mesmo tempo em que os homens se multiplicam celeremente, hoje com sete bilhões deles (7.000.000.000), os demais animais e as outras espécies, desaparecem na mesma proporção da sanha e da volúpia voraz da nossa irracionalidade. Poucos sabem, e é difícil acreditar, que o nosso comportamento é quase sempre motivado por uma parte da nossa Mente, ainda pouco conhecida. Essa atividade mental obscura e complexa é o INCONSCIENTE. Ele é o responsável direto ou indiretamente pela maioria dos males que tanto faz sofrer os Seres Humanos.

O que é o Inconsciente; onde está ele localizado no Cérebro; qual a sua origem e como se manifesta no nosso dia-a-dia? Há décadas que a Ciência, principalmente a Psicobiologia, esforça-se para nos dar respostas a estas indagações. Infelizmente, grande parte deste questionamento continua sendo um mistério. São estas perguntas que procuramos explicar neste Trabalho, de forma simples e didática para que as pessoas possam assimilar e assim conhecerem as ações dos seus Inconscientes nas suas vidas diárias. Os dados aqui analisados e explicitados devem ser assimilados e praticados para o bem delas e para a sobrevivência de todos nós. A linguagem do Inconsciente e a sua forma de se expressar são quase sempre indireta e simbólica na maioria das vezes em que se “intromete” no nosso comportamento social. Ele se manifesta por meio de aspectos corporais, de gestos, na hipnose, na mímica, nos sonhos e em muitos outros comportamentos despercebidos e inteligíveis para o indivíduo e para os demais. Dependendo do que tem gravado nas células neuronais que comandam os processos responsáveis pela nossa vida instintiva animal (as células do cérebro que comandam as nossas funções inconscientes), o Inconsciente pode ser o nosso maior aliado, que é a sua função original ou pode tornar-se em nosso pior inimigo, quando a mente está em conflito provocado por fatores psicobiológicos e sociais, os quais procuraremos demonstrar neste Trabalho.

A princípio, em 1981,relutamos em tornar público estes dados, por se tratar de assunto muito vulnerável à crítica e à polêmica; considerando o pioneirismo desta visão Psicobiológica da Mente. Todavia, resolvemos divulgá-lo por três motivos:

- é dever de todo aquele que adquire um conhecimento que julga importante, torná-lo acessível aos demais para que estes possam se beneficiar desse conhecimento;

- por observar e lidar no cotidiano com o sofrimento de inúmeras famílias nas quais a ação do Inconsciente se faz notar de maneira desastrosa, com a desestruturação, não só do indivíduo que procura o tratamento, como da família e de toda a sociedade, como extensão dos conflitos individuais e familiares;

- finalmente, resolvemos tornar público este conhecimento, para que outros pesquisadores e clínicos possam lhe acrescentar mais subsídios.

Não é nossa intenção assustar e nem disseminar o medo, a intolerância ou o pessimismo entre aqueles que lerem o presente Estudo. Pelo contrário, o nosso desejo é o de ajudá-los a compreender e, assim, lidar melhor com o Inconsciente, familiarizando-se com esse importante componente cerebral e mental que é o grande responsável pelo equilíbrio (Homeostase) do corpo e da mente. É mais fácil combater quando se conhece o “inimigo”; embora o Inconsciente não seja um inimigo é, seguramente, o maior causador de desordens nos seres humanos. Podemos dizer que a agressividade, a violência, muitas doenças e os transtornos em geral, são decorrentes dos conflitos internos; isto é, da “guerra” entre o Consciente e o Inconsciente mental de cada pessoa; que, extrapolando o próprio indivíduo, provoca toda a miséria social que estamos assistindo, a todo momento,em todos os pontos da Terra.

Desde Caim até os dias atuais em que os homens cada vez mais se comportam de modo irracional, destruindo a si, o seu semelhante e os demais seres da Natureza, restam-nos pensar que todo esse suicídio e violência são frutos da evasão dos conflitos internos inconscientes de cada pessoa que compõe a Sociedade. Acreditamos na veracidade desta nossa afirmação, quando há anos analisamos,estudamos e vemos na prática clínica, comportamentos que, pela total incoerência, não tem nenhuma outra explicação senão como atos do Inconsciente praticados pelas pessoas em estados alienados da mente. São tantos os exemplos de como a maioria de nós age de forma inconsciente; isto é, movida pela parte inconsciente do cérebro/mente, que escreveríamos dezenas de páginas mostrando os comportamentos que são induzidos por ele, e as conseqüências desastrosas para a pessoa e para todos. Em acontecimentos mais concretos, vamos relatar apenas alguns exemplos clínicos de casos em que a ação do inconsciente no âmbito familiar acarretou conflitos psicobiológicos, econômicos e sociais.

- Pai e mãe levam o filho de dez anos, solicitando tratamento psicoterápico. Segundo eles, o menino é agressivo, tem sono inquieto, distúrbios gastrointestinais e dificuldades para aprender. Após meticulosas observações no seu comportamento, análises e relatos de outros membros da família; verificou-se que os sintomas apresentados pelo filho eram resultantes do comportamento agressivo do pai e das exigências excessivas da mãe. Chamados e orientados pelo psicólogo, os mesmos prometeram mudar seus comportamentos, a fim de se alcançar a cura dos conflitos mentais do filho, que eram projetados através dos sintomas de agressividade, baixo rendimento escolar e somatizados por insônia e distúrbios gastrointestinais. Tudo isso foi explicado, analisado e bem compreendido por aqueles pais. Apesar de concordarem plenamente com as explicações e orientação dadas pelo terapeuta; bem como, a advertência sobre o agravamento dos sintomas atuais e os males futuros que sucederiam, caso não seguissem a orientação terapêutica.

Dias depois, soube-se que o pai infligiu um violento castigo ao filho, agravando os sintomas psíquicos e biológicos que apresentaram, quando vieram à consulta. Chamados, isoladamente, à presença do psicólogo, o pai afirmou que vinha cumprindo a orientação prescrita; a esposa é que “não mudou em nada”, disse ele! Porque o pai dizia o oposto do que acontecia na realidade ? Por quais razões “mentia” (não existe “mentira” na Psicobiologia)? Esse pai não gosta do filho ? Ele quer prejudicá-lo intencionalmente? Claro que não ! Ele ama o filho e por ele daria a própria vida! Então, porque o seu comportamento está destruindo o presente e o futuro dele?

Chamada a mãe ao consultório; aconteceu o mesmo; isto é, declarou que vinha fazendo tudo que lhe dissera o terapeuta e que o esposo é que “continuou o mesmo, não mudara em nada”! Pela lógica comum, como se explica comportamentos tão conflitantes,incoerentes e fantasiosos? Ainda mais, que se encontram envolvidos fatores e conseqüências graves de saúde, economia ,estrutura familiar e social. Só existe explicação no campo da Psicobiologia, onde podemos compreender as motivações internas em que o Inconsciente mental passa a ser o “Senhor da Razão”, dominando o Consciente mental quando, este sim, é quem deveria manter o domínio da vida externa comportamental e não permitindo que o Inconsciente se “intrometa” na vida social, que não é a sua área de atuação. Vale lembrar que a área de atuação do Inconsciente é a vida interior, orgânica e fisiológica. É ele o responsável pelo funcionamento dos nossos órgãos e, assim, não deve se intrometer nos nossos “negócios” sociais, na vida fora do nosso organismo fisiológico.

Vamos continuar mostrando mais alguns exemplos do comportamento negativo do Inconsciente, vistos na clínica. Após, veremos outras situações contraditórias do dia-a-dia, perpetradas sob o comando dessa “misteriosa” parte da mente.

- Um marido acusa a esposa de ser dominadora e diz que ela está arruinando o casamento. Afirma que ela não quer lhe dar mais um filho. Fala de modo tão convincente que faria qualquer leigo ficar “contra” a mulher. Pede ao terapeuta que a chame para tratamento porque ela “tem problemas”, afirma ele. Após a consulta da esposa e em outras sessões ouvidas pessoas do seu círculo familiar, chegou-se a conclusão que acontece justamente o contrário; isto é, ele é que o dominador na família e não é favorável a ter mais filho! Vê-se, pois, mais um comportamento em que o Inconsciente interfere de forma negativa, levando a ruína uma família. Esse marido é o algoz e sempre se mostrou desinteressado por crianças. Mas, porque disse que queria mais filhos se não gosta de crianças? A explicação é que, quem afirma querer ter mais filhos é o seu Consciente que quer agradar dizendo querer mais filhos (crianças) que é um fator positivo para as pessoas, tornando-a bem vista pelos outros. Enquanto a sua rejeição por crianças vem do seu Inconsciente que por algum motivo pregresso o faz antipatizar-se com os pequenos. A sua mulher, passiva, e em constante tensão, diz gostar do marido e já se acostumou com o sofrer, deixando as coisas como estão, dizendo que ele não vai mudar. O que fez aquele marido “fingir” de forma tão convincente? O que levou a esposa a se acostumar com o sofrimento? Parece-nos que algo dentro deles os impele para o sofrimento! Não pode ser consciente (por querer ) tal impulso porque é inaceitável que alguém prefira o sofrimento ao prazer; que goste mais da tristeza que da alegria; com exceção, é claro, daqueles heróis do Cristianismo que receberam dos Céus a dádiva e a força para tudo suportarem, em nome de Deus. Este é mais um exemplo das vezes que nos comportamos movidos por “algo” (o Inconsciente) que está dentro de nós e foge do nosso controle consciente ( o Consciente) .

- Filho e Pai vêm ao consultório em busca da cura para o tabagismo de ambos. Fumam muito e este vício está lhes causando problemas de saúde. Não falam sobre a relação familiar e demonstram grande afetividade entre eles, com o filho sempre com o braço no ombro do pai. Segundo os mesmos, está tudo normal na família e o único problema é o cigarro. Entretanto, quando alguns outros membros daquela família foram chamados pelo terapeuta, a estória narrada por eles é o contrário da que contaram o Pai e o Filho, quando vieram à consulta. O problema principal e mais grave não era o ato de fumarem, fumar é uma péssima forma de se fugir de conflitos; mas, sim, a grande agressividade inconsciente entre eles. Semanas antes, aquele filho havia tentado matar o pai, com uma faca, por ocasião de uma comemoração em família. Haviam bebido muito (outra fuga perniciosa do Inconsciente) e a discussão entre os dois se iniciara por um motivo banal que foi o de quem destrincharia primeiro o pernil posto na mesa!

Fica bem fácil notar-se a ação dos Inconscientes do filho e do pai. Este sempre rejeitou o filho por julgá-lo filho de uma traição conjugal de sua esposa. Assim, o “Inconsciente traído” do pai estava em “guerra” contra o filho e o “Inconsciente rejeitado” deste, contra a figura paterna. Não importa saber se, de fato, o filho é legítimo ou não; para o Inconsciente, o julgamento é feito pelas aparências, ele não tem a capacidade da análise criteriosa que tem o Consciente, que é o “dono” da razão; ou, deveria ser.

Citamos, acima, estes poucos exemplos de casos que os psicólogos-clínicos e psiquiatras lidam e conhecem bem.

Outros exemplos de ações que são praticadas por indução do Inconsciente, podem ser notados através da observação de pessoas de nosso relacionamento ou em muitas outras em seu dia-a-dia. Também, através dos meios de comunicação, principalmente da televisão, da internet e de incontáveis exemplos de acontecimentos comportamentais pautados de incoerência por quem os praticam. Por exemplo:

-os fabricantes de armas se orgulham da sofisticação e da tecnologia desses seus produtos cuja única finalidade é matar! Os funcionários e operários dessas indústrias da Morte, também se envaidecem quando ajudam na construção desses instrumentos de guerra! Provavelmente, proprietários e operários não se sentem culpados pela destruição resultante dos artefatos mortíferos que as suas mãos construíram. As vendas de suas armas são necessárias para se manterem nos seus empregos e sustentarem as suas famílias; não lhes importando para quem as suas armas são vendidas e nem para o uso que seus clientes fazem delas. “Esquecem-se” que eles mesmos são vítimas em potencial dos assaltantes, terroristas e tantos outros criminosos, armados por esses inocentes-úteis que se defendem afirmando que esse é o seu trabalho; isto é, trabalham para a Morte! Mais uma vez perguntamos: porque não se julgam responsáveis pelos resultados e conseqüências daquilo que produzem? Porque, após o seu serviço (produção de armas) se comportam como pessoas amigas, pacíficas e até temente a Deus! Esquisito, não é? São tementes a Deus quando se encontram casa, com a família, nas Igrejas, nos clubes com os amigos e em qualquer outro lugar fora da sua função de fabricantes de armas; mas, quando agem na fabricação delas,“mudam de personalidade”, não sentem remorsos e nem medo da Ira Divina! Mais uma vez as respostas para tão conflitantes modos de pensar, agir e de se comportar, se encontram na ação do Inconsciente Mental desses empresários e operários da Morte.

-Países ricos facilitam e vendem armas a Países pobres, governados por ditadores e depois vão combater estes mesmos ditadores, contra as armas que os primeiros forneceram. Isto é, as pessoas que fabricaram as armas, os governantes e os políticos daqueles Países ricos, serão os primeiros a condenar e a intervirem militarmente, exigindo direitos humanos e contra a violência daqueles mesmos ditadores que eles armaram! Isto não é uma incoerência? Como, e com que propósito entrego armas para alguém, principalmente para quem é ignorante e não tem princípios morais, e depois lamento e reprimo o uso delas; às vezes usadas contra eu mesmo?! Tal comportamento, largamente usado por quase todos os Países, pode ser Consciente e Racional? Claro que se trata de atos Inconscientes! Como alguém, em sã Consciência pode dar armas para o seu provável assassino? Vê-se que, uma pessoa (grupos, Países, políticos, industriais, etc.) estando com o seu Consciente normal; isto é, estruturado, sadio e não dominado por seu Inconsciente insano; jamais praticaria atos negativos, perigosos, inconseqüentes, criminosos e irresponsáveis. Quem fabrica, fornece e vende armas para assassinos e assaltantes que nos matam e nos roubam; pode ser normal, equilibrado e Consciente? Obviamente quem age desta maneira, está ou é desequilibrado mental, cujo Inconsciente negativo está dominando o seu Consciente fragilizado por fatores biológicos, psicológicos e/ou sociais.

- Quando cineastas, diretores, produtores, atores e atrizes de cinema, novelas, programas de televisão e teatro dão entrevistas e são indagados sobre a agressividade e a crescente violência das pessoas, eles costumam condenar isso e são contrários ao comportamento agressivo e até lamentam o grau de violência que atingimos. Entretanto, quando estão criando,produzindo, dirigindo e representando os seus papéis em filmes, novelas, vídeos e teatros; eles contradizem o que afirmam, pois ensinam, propagam, divulgam e condicionam ao crime e às diversas formas de amoralidade e imoralidade, como a desonestidade, a permissividade, a delinqüência, a promiscuidade física e sexual, a violência, aos diversos vícios e desordens mentais com os seus exemplos que vão condicionar todos que lhes vêem, lêem e lhes escutam, principalmente os milhões de ignorantes e imaturos de toda faixa etária. Não se vê mais nenhum tipo de novela, filme, revista, vídeo, etc. que não esteja repleto e recheado de violência, crime, sexismo, prostituição física e mental, deformação de caráter, nulidade, vazio existencial, desonestidade e outros vícios, de forma tão explícita, contundente, natural, ostensiva,repetitiva e condicionadora como estamos presenciando no Mundo.

-Atores de filmes pornográficos e de violência, nas suas vidas fora dos estúdios, em casa, etc., mostram-se, honestos, puros e inocentes, comportando-se com seus familiares como anjos e arcanjos celestes, como se em nada estivessem contribuindo para a imitação da prostituição e violência que em seus papeis de prostitutos e violentos, condicionam e incentivam milhões de imaturos e débeis de todas as idades a seguirem os seus nefastos exemplos de decadência e degradação humanas.

-E os proprietários de Emissoras de Televisão que si dizem cristão e pregam os Ensinamentos de Deus? Estes, ao mesmo tempo em que promovem a bondade divina, divulgam toda espécie de degeneração humana, exposta e vistas por todos em suas programações abjetas, temperadas de sexismo, prostituição dos costumes, horror, terror, violência, agressividade e outros tipos de anomalias; muitas vezes logo após um programa dito de “fé” e de “cristianismo”! Seus Conscientes falam em Deus; mas, em seus Inconscientes, agem os demônios!

- Tempos atrás, um renomado físico anunciou que ele e a sua equipe haviam desenvolvido uma técnica que proporcionará a fabricação de bombas atômicas de forma mais econômica, com maior poder destrutivo e de eficácia mais limpa! Isto é, orgulhosa e vaidosamente aquele cientista alardeou que havia criado um modo de destruir e matar seus semelhantes de maneira mais barata e higiênica! Fora do seu trabalho e função de assassino técnico, o mesmo homem é considerado pacato cidadão, um “amor de pessoa”, um zeloso pai-de-família e um “pregador da Paz” ! Serão duas pessoas dentro de um mesmo corpo? Estaria esquizofrênico, quando age e se comporta de maneiras tão conflitantes,incoerentes e desconexas ?

- Algumas empresas poluidoras do meio ambiente instituem, financiam e promovem Encontros, Palestras e outros Eventos para a conscientização pública dos males da contaminação ambiental que elas mesmas causam e poluem. Assistimos alguns desses Encontros para platéias de doutores e universitários onde a incoerência dos comportamentos dos expectadores e dos palestrantes é notória e até cômica; ou melhor: tragicômica. Num final de uma dessas palestras onde a maioria dos “interessados” na saúde ambiental estava conversando,cochilando,saindo a toda hora,brincando,chupando balas e jogando os papéis no chão, bebendo refrigerantes e abandonando as latinhas no assento; enquanto o orador se esforçava em ensinar os hábitos e as boas maneiras para salvar o Planeta da catástrofe final, resultante da nossa ignorância ambiental e irresponsabilidade planetária. Ao final, após os assovios desafinados de sempre e os aplausos descompassados dos que restaram (muitos já haviam se retirado após terem assinado a lista de presença, garantido, assim, os seus “pontos” acadêmicos), o conferencista se retirou, sem antes deixar de fumar o seu cigarrinho e jogar o seu “toco”, ainda aceso, no primeiro jarro com planta que encontrou pela frente, nos corredores da Faculdade! No auditório vazio, ficou apenas a lembrança da ação do Inconsciente de cada “defensor” do meio ambiente: latas, papéis, invólucros de balas e algumas “gomas de  mascar” mastigadas e estrategicamente pregadas nas cadeiras...

Para tantos “defensores” da pureza ambiental; tais comportamentos soam de forma estranha e só são compreensíveis se os analisarmos sob o prisma da Psicobiologia; ou sejam, são comportamentos anormais, sob o domínio do Inconsciente. Isto é; os Conscientes do conferencista e dos expectadores querem a preservação e a melhoria ambiental; mas, os Inconscientes dos mesmos, os obrigam a agirem de forma contrária, como vimos em seus comportamentos, no exemplo citado. Depois, explicaremos melhor e mais detalhadamente sobre essa “briga”: Inconsciente x Consciente.

- Uma mãe contou-nos, com muito orgulho, que seu filho de 12 anos era “louco” por mulheres e achava uma gracinha quando ele “agarrava” as suas priminhas. No entanto, essa mesma mãe se dizia feminista, criticava o “machismo” dos homens que fazem da mulher um objeto de consumo! Dá para entender que o Inconsciente dessa mãe é quem se alegra e se orgulha da atitude “machista” do filho, que faz das primas objetos e que o seu Consciente é o responsável pelo seu “feminismo”. E, como se sentem e o que dizem as mães das priminhas que são consumidas por esse filhinho dessa mamãe “feminista”? Possivelmente não irão gostar da atitude desse “mini-machista”! Nesse caso, é “machista” o Inconsciente daquela mãe que se orgulha e se alegra com o “machismo” do seu filhinho, enquanto que as idéias do “feminismo” encontram-se no seu frágil Consciente.

-Os homens falam muito na paz e nunca se armaram tanto. Enquanto os seus Conscientes desejam a Paz; porque avaliam as conseqüências funestas da guerra; os seus Inconscientes querem a guerra, para dar vazão aos seus instintos animais de agressividade e irracionalidade.

-Acompanhamos a conduta de dezenas de condutores de transportes coletivos; de funcionários públicos e de vendedores de diversos ramos comerciais. A maioria deles, quando estão com raiva de seus patrões ou insatisfeitos com os seus salários, tendem a tratar mal os seus passageiros e atenderem com mal-humor e até com agressividade os seus clientes e consumidores. Não é estranho que ajam assim? Eles dependem justamente daqueles que eles destratam e ofendem! Isto acontece porque os seus Conscientes sabem que se agredirem os seus patrões eles logo perderão os seus empregos. Então, os seus Inconscientes frustrados, aliviam a pressão mental causada pela impotência de não poderem se vingar em seus patrões ou chefes, tratando mal ou agredindo os outros. O ruim é quando o alvo secundário (passageiros, clientes, consumidores e usuários) de suas frustrações inconscientes é alguém mais rico ou mais poderoso que os seus patrões! Aí, tanto o Consciente como o Inconsciente do agressor vão para o “brejo”, devido à vingança do Consciente e do Inconsciente do agredido.

-Quantas vezes falamos e/ou agimos precipitadamente e depois nos arrependemos da ação negativa e irreparável que praticamos! Será que haveria motivo para nos arrependermos se agíssemos unicamente de forma Consciente? Claro que não! Então, “quem” ou o “que” nos motiva e nos impulsiona a praticar um comportamento que nos prejudica ou prejudica outrem? Quantos crimes não são praticados por indivíduos cujos inconscientes estão carregados de gravações negativas decorrentes de seus fracassos, frustrações e de todos os eventos negativos que sentiu e que foram assimilados através dos seus cinco sentidos, desde a sua gestação até o momento em que pratica a ação criminosa!

-Delinqüentes ricos ou pobres, mesmo em idade avançada, persistem na conduta desonesta! Seus Inconscientes doentes os enganam, condicionando os seus Conscientes a pensarem que são imortais e que não existe nada após a morte. Assim, continuam roubando ,matando, destruindo e praticando os seus atos imorais e amorais, sem nenhum sentimento de reprovação ou remorso (pois quem tem a capacidade de análise do Mundo e a reprovação dos atos negativos e nocivos é o Consciente ) até que as estruturas cerebrais se deteriorem pela doença e pela morte dessas miseráveis pessoas.

-Políticos, governantes, autoridades e empresários, mesmo idosos, continuam agindo de modo imoral e amoral; cheios de orgulho e vaidade como se fossem viver eternamente! Porque se “esquecem” da proximidade do fim de suas vidas? Algum deles pensa na possível “prestação de contas” após a sua morte; como tão bem alertou os seus colegas cientistas, o grande gênio francês da Física, Henri Pascal! Eles não pensam nisso porque seus Inconscientes iludem os seus Conscientes, dando-lhes a idéia fantasiosa de serem eternos e superiores as demais pessoas. Quem nos dá a noção das nossas limitações, da morte e da nossa finitude é o nosso Consciente Cerebral que gera a Mente Consciente, porque ele está voltado para o nosso exterior social, sendo o detentor da realidade, da objetividade e da Razão.

Já o nosso Inconsciente Cerebral que gera a Mente Inconsciente tem, ou deveria ter como objetivo as funções internas fisiológicas; e, portanto, manter apenas, a vida biológica. Ele, o Inconsciente, se “julga” eterno (que seria sua meta desejável) e, assim, não deixa que esses criminosos ou vaidosos idosos, tomem conhecimento de seu fim, para que não sofram e não se deprimam com a lembrança do término de suas vidas terrenas e um possível julgamento de seus atos criminosos. O Inconsciente negativado está sempre a enganar o Consciente fragilizado dos imaturos de qualquer idade, raça, sexo e tamanho.

- Legisladores, juristas e governantes, em nome do Estado e do Povo, instituem leis severas e punitivas contra o uso de bebidas alcoólicas pelos motoristas, pretendendo assim, evitar infrações e crimes no volante. Esta é uma atitude Consciente do Estado que tenta diminuir a ação dos criminosos do trânsito (que chamo de “guerrilheiros do asfalto”) que matam mais de 50.000 pessoas por ano e vitimam cerca de outras 150.000, no mesmo período, dando-nos o desonroso título de campeões mundiais da criminalidade. Isso, sem contarmos com os bilhões de reais que saem,anualmente, dos nossos bolsos para acudir e reparar os acidentados, nos gastos com hospitais,manutenção de estradas,postes,sinalização destruídos nesses sinistros e com outros gastos bilionários despendidos pelo INSS, com a assistência médica permanente e aposentadorias precoce de muitos que escaparam com vida desses criminosos do volante e ficaram paralíticos por toda a vida, sem falarmos do sofrimento das famílias envolvidas, principalmente daquelas mais pobres, que são a maioria das nossas famílias.

Esse esforço governamental e o interesse demonstrado pelos nossos honrados políticos e pelas nossas competentes autoridades são atitudes certas e necessárias porque são nascidas do Consciente desses nossos dignos representantes que demonstram zelo pela preservação das nossas vidas. Porém, tudo isso e todo esse interesse que até nos causa desconfiança, vai por “águas abaixo”, quando os Inconscientes desses governantes,políticos e autoridades, permitem e promovem a venda generalizada de bebidas para os próprios delinqüentes do volante. Essas mesmas autoridades se orgulham por transformarem as suas cidades em campeãs de vendas de bebidas alcoólicas! Um verdadeiro contraste comportamental que só pode ser explicado pela a ação do Inconsciente cerebral deles, que promove o alcoolismo e a bebedeira geral e total em todos os cantos deste País, tornando-o campeão da Imaturidade e em Recanto de ébrios e de cidadãos inconseqüentes.

Em todos os Países do mundo acontece o mesmo comportamento Inconsciente dos seus dirigentes e as mesmas conseqüências negativas em seus povos. Aqui, onde há séculos, os governantes e políticos já dão ao Povo o pão, através da distribuição politiqueira de fubá; o circo, pelo riso fácil e farto de comediantes e humoristas fracos e medíocres; pelo futebol, cada vez mais truculento e mercenário; pelos jogos de azar ou não, espalhados pelos quatro cantos e, agora, com maior intensidade, estimulando a embriaguês generalizada de milhões de imaturos que bebericam dia e noite em qualquer lugar onde possam se encharcar de destilados e fermentados, para a alegria e farra dos cervejeiros,cachaceiros e congêneres que lucram com o alcoolismo, com o tabagismo e outras dezenas de venenos entorpecentes da mente; aumentando o trabalho nos hospitais, dando mais emprego aos médicos,enfermeiros e demais profissionais da saúde, incrementando a renda e venda das funerárias, lucro à indústria farmacêutica e todos os envolvidos no comércio dos vícios, inclusive os governantes que arrecadam mais dinheiro para a manutenção dos imensos gastos no atendimento aos viciados ébrios,drogados,etc., nas suas obras sociais e na manutenção da classe política com os seus amigos,colegas,correligionários,eleitores imaturos e parentes.

Depois falaremos de outras conseqüências da “guerra” entre os nossos “Conscientes” e “ Inconscientes” ; como: o “império do barulho”(já publicado), o “império da imaturidade”, o “império da Ignorância” (já publicado), o “império da desonestidade”, o “império da cachaça” e outros “impérios”, já há muito florescente entre nós, decorrentes do conflito Consciente x Inconsciente.

Um dos bons exemplos de conflitos provocados pelos Inconscientes das pessoas é o que se verifica nos comportamentos dos membros de muitas famílias desestruturadas. Nota-se que eles, quando estão em casa, em família ou em qualquer lugar onde estiverem juntos, criam atritos, criticando,ofendendo, menosprezando ou agredindo uns aos outros, principalmente em festas ou eventos comemorativos de datas familiares, em aniversários, Natal, dia das mães, etc., dando a impressão de inimizade entre eles. Entretanto, fora de casa, em ambientes diversos, na escola, no trabalho, com colegas e amigos; comportam-se de forma contrária do convívio familiar. Longe da família são mais alegres, risonhos, tratam com carinho os que não são seus parentes e adquirem fama de simpáticos, bonzinhos, compreensivos e carinhosos. Esse modo de agir contrário ao seu natural em família, essa “mudança de personalidade” (o mais correto é falar em “desempenho de papéis”) acontece porque os seus Inconscientes não estão em “guerra” com os Conscientes e/ou Inconscientes dos seus colegas, amigos e conhecidos. A “guerra” é contra os membros de sua família, onde seus Inconscientes se tornaram “inimigos” devido a conflitos vivenciados e sofridos entre eles, no contato direto na convivência familiar. É comum alguém, principalmente pai ou mãe, afirmar que em casa Fulano é calado e agressivo; enquanto que “na rua” o mesmo é brincalhão,calmo e carinhoso com os estranhos. Claro, o Inconsciente dele tem “alguma coisa” contra os de casa e, não, contra os de fora da família, com quem ele não conviveu desde criança. Nesses casos, normalmente não há conflitos Conscientes, ou seja, seus Conscientes não estão em conflito, pois nos momentos de dor, nos “apertos” familiares eles se abraçam se beijam, se solidarizam e se ajudam mutuamente. O difícil é se alegrarem ou festejarem juntos, pelo fato de seus Inconscientes negativos só “permitem” a manifestação de solidariedade na tristeza e no sofrer; na alegria e no prazer, não!

-Porque uma pessoa que tem um vício deseja que o outro participe do seu vício? Verifique alguém que fuma, bebe e que seja dependente de algum hábito nocivo e veja como ele procura induzir quem não é dependente, a ter os seus mesmos vícios! Isto porque o Inconsciente do viciado quer ter companhia em sua fraqueza mental; assim, quanto mais pessoas compartilhem com a sua deficiência mental; melhor e mais confortante será para ele, pois não estará solitário na sua fraqueza. A mesma coisa acontece quando o indivíduo é, ou se sente incapaz fisicamente, mentalmente,culturalmente, moralmente ou economicamente pobre. O Inconsciente frustrado de uma pessoa assim deficiente tenderá a se opor, rejeitar, contrariar, ofender, criticar ou agredir aquelas que são normais, cultas, estudiosas, sem vícios e honestas. Um claro exemplo de frustração inconsciente gerando agressividade é o que vimos, em algumas oportunidades onde se debatia a Moral e a Ética. Nelas presenciamos estudantes de Direito e pessoas de diversas idades, sexo, níveis sociais, econômicos e culturais afirmarem que se acharem dinheiro na rua elas o embolsariam, como se o alheio lhes pertencesse. Questionadas sobre o ato criminoso de se apossarem de um bem que não lhes pertencia; responderam, de forma agressiva, que “achado não tem dono”, embora tal apropriação esteja prevista e classificada como crime, no Art. 169, II do Código Penal Brasileiro. Em um desses debates com universitários, em sala de aula, vimos apenas um dos alunos afirmar que não se apoderaria do dinheiro achado e o devolveria ao seu proprietário ou a quem de direito. Além das críticas raivosas, risadas e gozação dos colegas, esse único honesto ficou sendo rejeitado por quase todos os demais. Isso se explica porque os Inconscientes amorais dos seus colegas desejam que todos os outros também sejam desonestos. Como não têm a solidariedade de todos, surgiu a rivalidade, inveja e a frustração por verem alguém agindo de forma normal,honesta e sadia.Como a frustração é a causadora de todo ato agressivo e violento, podemos explicar a razão da raiva e da rejeição contra aquele aluno, cujo Consciente é digno da Espécie Humana; os Conscientes dos seus colegas foram derrotados por seu Inconscientes animalizados.

-Note o quanto reagem com agressividade muitos portadores de deficiência física quando sofre alguma crítica! A sua reação é motivada por seu Inconsciente que, buscando a perfeição e a integridade da sua imagem, ao se comparar com outra pessoa fisicamente normal, procura extravasar a frustração através da agressividade. Como já citamos antes, a Frustração leva à agressão e à violência; basta que se repare no estado mental,cultural e econômico de quem picha, estraga, agride e destrói os bens públicos e alheios. É muito duvidoso que alguém feliz, normal, sadio; material, cultural e mentalmente rico, ande por aí a agredir, matar, furtar, roubar ou destruir coisas!

- Por quais motivos as pessoas matam por amor e pelo ódio? Porque o amor é sentimento construtivo do Consciente; enquanto que o ódio é sentimento primário e animalesco do Inconsciente. Portanto, devemos ter um Consciente sábio e maduro para sabermos escolher amigos, companheiros, colegas e amantes que tenham seus Conscientes capazes de controlar os seus Inconscientes animais, para que não sejamos vítimas futuras dessas feras, quando seus “donos” ficarem frustrados conosco. O Amor genuíno e maduro é fruto do Consciente e, assim, só quer o Bem do outro. Enquanto que a Paixão e a atração física são geradas no Inconsciente da pessoa imatura e só dura enquanto perdura a beleza física do outro. Quando esta se acaba e o imaturo perde ou julga que vai perder o seu amado “bonitinho”; a frustração se instala e surge a agressividade , a violência e o crime. Quantas vezes já não vimos isso acontecer! Matou seguindo a regra do Inconsciente imaturo e doente que lhe diz: “se não for meu, não será mais de ninguém”!

Muitos outros exemplos de comportamentos “esquisitos”, incoerentes e ambíguos demonstram que, em sua maioria, os seres humanos estão sendo conduzidos por seus Inconscientes, cujas programações neles gravadas são nocivas, doentias e negativas. Como está cada vez mais difícil a manutenção da própria existência terrena que se caracteriza em terrível peso, dores, sofrimentos e frustrações; é natural que estejamos recebendo do meio ambiente, milhares de estímulos negativos em cada segundo, provenientes desse sofrer existencial . Somos vítimas dos péssimos exemplos que penetram no nosso cérebro através dos cinco sentidos e vão formar a nossa vida mental.

Tudo é gravado e estocado em nosso cérebro que, formando uma atividade mental doentia, degenerada e desestruturada, está levando os humanos ao suicídio de sua própria Espécie, através do comportamento e ações negativas e doentias, como a agressividade, violência, desonestidade e toda espécie de condutas imorais e amorais. A Televisão, o Cinema, a Internet e os seus derivados, são os maiores responsáveis pelo desequilíbrio mental reinante, em decorrência de muitos de seus programas se constituírem em verdadeiras escolas de violência, agressividade, permissividade, desonestidade e muitos outros desvios do Caráter e do Bem. Todos esses exemplos do Mal que nos bombardeiam dia e noite, desde criancinhas até a vida adulta, tornaram-nos coniventes e adeptos do Mal. Ninguém se engane!O Bem foi derrotado fragorosamente! Vivemos sob o Império do Mal! É a vitória do Inconsciente desestruturado! Conseguimos desarticular a Família, degenerando os nossos descendentes com a ausência dos ensinamentos éticos, humanísticos e cristãos. Rejeitamos e expulsamos Deus dos nossos lares, substituindo-O pelos prazeres mundanos e passageiros do dinheiro, fama, poder, sexismo, beleza física, AIDS, câncer e diversos outros males atuais e futuros. Estamos destruindo a Música, a Religiosidade e as Artes; falta pouco para aniquilarmos a Ciência e cairmos na obscuridade da Ignorância total.

A dominância animalesca do Inconsciente sobre o Consciente é geral, universal e irreversível; ou seja, a Razão, protótipo da Espécie Humana, perdeu a sua primazia para a parte do cérebro que caracteriza os animais irracionais... O INCONSCIENTE! A maioria de nós está agindo e se comportando como animais ferozes e a tendência é que brevemente estaremos todos Inconscientizados e não resistiremos à pressão e à perseguição dos Maus e Irracionais, cuja maioria crescente haverá de sufocar os Bons e os Conscientizados. Isto já aconteceu antes, há mais de 2.000 anos, quando escolhemos e preferimos Barrabás. Agora, procuraremos nos fazer entender melhor, explicando e analisando a vida mental e, principalmente a origem do CONSCIENTE e do INCONSCIENTE, este, o nosso principal alvo deste estudo.

O INÍCIO DA ATIVIDADE DA MENTE

Alguns neurocientistas Psicólogos, Médicos e Biólogos, nestas últimas décadas, têm dedicado ingentes esforços e publicado muitos Trabalhos científicos, oriundos de pesquisas e experimentos relativos ao começo da nossa vida mental que é a mais importante atividade humana no Mundo. É quase unanimidade entre esses pesquisadores, a noção de que a atividade da Mente se inicia muito precocemente, ainda na vida intra-uterina. A preocupação com o psiquismo pré-natal; isto é, com o princípio da vida mental do homem, tem estimulado crescentes pesquisas na área das Neurociências, especialmente na Psicobiologia, que é o ramo básico de sustentação científica da Psicologia. Psicologia sem o substrato biológico que lhe dê suporte; restringe-se às especulações fortuitas e um amontoado de “achismos”. O estudo da vida mental, ainda no útero, tem resultado em maiores esclarecimentos sobre a mente do nascituro.

Está evidenciado, cientificamente, que os fatos ocorridos durante a gravidez, restam gravados nas estruturas cerebrais que formam o Inconsciente do cérebro do feto. Assim, não temos dúvida que esses eventos serão utilizados pela mente do indivíduo e terão importância na sua vida interna e social, após o seu nascimento. Portanto, o Inconsciente é o precursor da vida mental dos seres humanos. Desta maneira, se ele não for bem estruturado com uma memória (química e elétrica) positiva gerada por gravações de fatos e acontecimentos agradáveis, saudáveis e positivos, veremos nascer mais um Ser desestruturado e anormal, cujo Inconsciente negativado irá causar danos a si e a todos nós. E como se consegue criar um Inconsciente saudável, positivo e útil ao indivíduo e à Humanidade? Em primeiro lugar, proporcionando à gestante uma alimentação sadia, rica em nutrientes indispensáveis a sua manutenção e à formação necessária à saúde física do cérebro que está em formação no seu embrião e, posteriormente, no feto, futuro cidadão do Mundo. Todavia, além dos cuidados médicos e nutricionais (vitaminas, sais minerais, proteínas, lipídios, etc.) que requer um órgão tão importante como o cérebro; não é menos importante os cuidados que se deve ter com a Mente, que é a resultante mais nobre do funcionamento desse cérebro. É a Mente desse embrião e feto que irá, juntamente com outros bilhões de Mentes de outras personagens humanas, irá melhorar ou piorar a vida de todos nós e à sustentabilidade do próprio Planeta.

É possível que, quando se inicia a formação do cérebro nas primeiras semanas de gestação, as células do tubo neural, precursoras das células nervosas (neurônios), já possuam a capacidade de captar e gravar estímulos do seu meio interno. Assim como as nossas células de defesa possuem “memória bioquímica” para o reconhecimento dos inúmeros tipos de substâncias invasoras (antígenos) do organismo, é provável que essas células pré-neuronais tenham a mesma capacidade de reter traços mnemônicos. Porém, como elas ainda não formam circuitos ou redes neurais que possibilitem a troca de informações, não deve haver um “psiquismo embrionário” propriamente dito; mas, sim, uma Memória Embrionária.

Mais tarde, a partir do 6° mês de vida intra-uterina, o feto já está com o cérebro bem desenvolvido e até o momento do seu nascimento o seu sistema nervoso está completo, com os seus bilhões de neurônios aptos para gravarem os estímulos do mundo exterior, iniciando a sua vida em Sociedade. E os seus Consciente e Inconsciente? Bem, voltemos para a vida intra-uterina, desde aquele momento em que as células embrionárias (pré-neurônios) se organizam para formarem o futuro cérebro do feto. Até o 6° mês aquelas células começam a gravar os dados (estímulos) internos e logo estarão capacitados para a gravação de quase tudo que ocorrer dentro e fora do útero. Obviamente o seu cérebro, por ainda não ter contato direto com o mundo exterior, será através das sensações da mãe que ele irá gravar muitos estímulos externos Como: sons, traumas, drogas, alguma luminosidade, etc.

Do seu meio interno, as gravações serão mais evidentes e fortes, como as emoções maternas com alterações químicas na placenta, traumas psíquicos e físicos sofridos por ela; enfim, tudo que afetar o ambiente externo e interno da mãe, será sentido e vivenciado pelo feto, nas gravações que serão conservadas no seu cérebro que somadas aos bilhões de outras que irá receber do mundo exterior, serão seu roteiro e guia para seu comportamento atual e posterior, ao longo de sua existência terrena.

O nascimento do Inconsciente se situa nesse período que compreende o início da formação e funcionamento do cérebro até a saída do feto para o Mundo. Os neurônios iniciais, principalmente após o 5° ou 6° mês de gestação, estão gravando todos os dados necessários para a manutenção atual e posterior do funcionamento biológico da pessoa em formação. Além da programação genética e inata a todos os animais cerebralizados, esses neurônios gravam tudo que acontece dentro do útero e tudo que lhes chegam do mundo exterior através dos cinco (ou mais) sentidos da mãe. Desta forma, como o feto não tem plena consciência do que se passa lá fora, isto é, os neurônios da estrutura superior do seu cérebro ainda não tiveram contato direto com o nosso meio social, as suas gravações são armazenadas nos neurônios das estruturas inferiores que são tipicamente as representantes dos animais inferiores. Portanto, esses neurônios são os responsáveis e controladores da nossa vida animal, biológica e fisiológica, cuidando do funcionamento dos nossos órgãos, do começo ao fim de nossa existência terrena.

O Inconsciente nasceu para isto, cuidar bem do nosso funcionamento interno e manter nossa vida animal. Você, que está me lendo agora, perceba que não estava pensando no seu coração, em seus rins ou nos seus pulmões. Porém, sem precisar se lembrar ou se preocupar, eles estão e continuam a funcionar sem que você tenha consciência deles; ou seja, o seu Consciente não deve se preocupar com o seu funcionamento orgânico porque isso é tarefa do seu Inconsciente. Claro que o Consciente pode se “intrometer”, em alguns casos com a função orgânica do Inconsciente! Quando se está doente, por exemplo, você fica pensando no órgão afetado para ajudar o seu Inconsciente a curá-lo com a ajuda médica, medicamentos, dietas, etc. Também, o Inconsciente pode se “intrometer” na nossa vida social, que é a área de atuação do Consciente, quando, por exemplo, este está fragilizado e fora de ação nos estados de embriaguês, imaturidade, coma, desmaio, choque ou mesmo quando se está distraído. Lembre-se, quantas vezes esteve dirigindo o carro, com o pensamento voltado ou preocupado com algum problema sério e nem percebeu o trajeto até que já estava chegando em casa ou no lugar que queria ir! Como conseguiu dirigir e chegar sem acidente após passar por ruas movimentadas, obedecer a sinais, desviar de carros e pedestres sem que nada acontecesse? Quem o conduziu tão bem ao destino foi a Mente do seu cérebro Inconsciente que nesses momentos de crise assume também o comando social do seu organismo, no lugar do Consciente, que deveria está cuidando da sua vida exterior; mas se encontra “fora de si”, “apagado” ou incapaz de raciocinar. Por isso é que a pessoa quando está sendo conduzida pelo seu Inconsciente fica como que hipnotizado, automatizado, como se observa em alguns estados alterados da consciência (o consciente) como no sonambulismo, hipnotismo e outros.

Veja também quando alguém dorme e você lhe encosta algo quente ou pontiagudo em sua pele ou mesmo quando um inseto o pica! Automaticamente, sem acordar, a pessoa reage afastando a ameaça ou coçando o local da dor. Então, perguntamos: quem lhe fez reagir se estava com a consciência ( o Consciente) “apagada”? O Inconsciente da pessoa que dorme reage automaticamente para proteger o seu corpo de uma agressão, enquanto o seu Consciente está “ausente”. Desta maneira e em diversas outras ocasiões, quando o nosso Consciente não é capaz de conduzir de forma positiva os nossos destinos, passamos a ser levados e dirigidos pelo Inconsciente que, programado por aquelas gravações que assimilou desde a sua vivência intra-uterina até o momento de sua ação, vai impulsionar os nossos músculos e a nossa Mente para o BEM, com ações positivas e construtivas; ou para o MAL, fazendo-nos agir de forma doentia, negativa e destrutiva. Vê-se , pois, o quanto é fundamental para a pessoa e para a Sociedade, ter-se um Inconsciente positivo, normal, estruturado e sadio. Quando o Inconsciente é ou está desestruturado e não se tem um Consciente forte,sadio,normal e estruturado, ele não é capaz de conter os impulsos nocivos do Inconsciente doente, nos momentos em que os traumas, decepções ou frustrações da vida nos atingem. Imagine uma pessoa que desde a sua gestação gravou “coisas” negativas em seu Inconsciente e, após o seu nascimento, quando o seu Consciente começou a gravar as “coisas” do Mundo, continua a receber estímulos negativos como, barulhos e sons negativos da bagulhada sonora (nas alturas) que ouvimos a toda hora; imagine uma criança depois de uma gestação negativa continua gravando, agora também, em seu Consciente, palavrões e pornografia, sem que os seus pais lhes proporcionem uma boa educação com base na Ética, na honestidade, no respeito aos outros e ao meio ambiente, sem cultura e entregue aos ensinamentos deste mundo já deteriorado pelos maus costumes! É claro que uma pessoa assim não será um bom exemplo de “Homo sapiens sapiens”.

E como se forma um Inconsciente negativo e um Consciente positivo? Para melhor entendermos esse tão importante assunto que deveria ser tratado com prioridade por todos os povos, já que nossa sobrevivência depende dos Conscientes e dos Inconscientes de cada pessoa do mundo; temos que voltar ao nosso passado embrionário e fetal. Chegamos a este estado de decadência Moral, Espiritual e Material, porque deixamos os Inconscientes negativos nos dominarem.

A Dinâmica Mental Consciente/Inconsciente

A vida mental pode ser definida pela atuação do Consciente e Inconsciente, relacionando-se entre si, interagindo com o seu meio interno psicobiológico, com o meio externo ambiente, com os demais Seres vivos e, dentre estes, os outros humanos com os seus Conscientes e Inconscientes. Dos mais de 80 bilhões de neurônios que se estima ter o cérebro, parte deles constitui o Consciente e outra o Inconsciente. Como já falamos os neurônios que formam o Consciente, criam a Mente Consciente, que representa a Razão, a Racionalidade, o Bom-Senso, a Vida social, o Humanismo, etc. Enquanto que os neurônios que formam o Inconsciente, criam a Mente Inconsciente, motivadora da Irracionalidade típica dos animais inferiores, como a agressividade, a violência, a ausência do Bom-Senso, a Imaturidade, a fome, a sede, a digestão; enfim, todos os estímulos automáticos necessários à vida biológica.

Os neurônios do Consciente começam a gravar os fatos reais da natureza e do meio ambiente, após o nascimento, através dos cinco sentidos; apesar de já virem com gravações de acontecimentos dos últimos meses da gestação. É através dessas gravações que se estrutura a Vida Consciente, com as suas múltiplas e incontáveis interações com o que foi gravado na vida intra-uterina com o que será gravado do meio ambiente externo, por toda a existência da pessoa. Estamos sendo muito repetitivos; mas nunca é demais lembrar os mecanismos que levam ao nascimento e a evolução destas duas partes da Mente, para que não nos esqueçamos da importância dessas duas atividades mentais na vida de cada um e as suas conseqüências no Meio Ambiente e nas vidas de todos os humanos.

O Inconsciente

Nas primeiras fases ou etapas da gestação, surgem os primeiros neurônios que irão formar o Sistema Nervoso, cuja estrutura mais importante é o Cérebro, que é o que nos interessa aqui. Como essas células têm como característica principal a gravação de dados (estímulos), obviamente iniciarão gravando os acontecimentos do meio em que estão inseridas, que é o ambiente intra-uterino. Deste modo, tais gravações serão os componentes iniciais da Vida Inconsciente (o Inconsciente) de cada Ser Humano. Como o embrião está isolado do mundo exterior, é claro que a sua vida mental se restringirá à vida psicobiológica de sua mãe. Ele gravará o estado mental da gestante com as suas imensas e incontáveis implicações psicossomáticas decorrentes disso, tanto para a mãe como para ele. Uma gestação é sempre um período crítico, com a mãe sofrendo mudanças de toda espécie em sua psique, como temores, ansiedade, pressões de outras pessoas e demais turbulências da vida moderna. Haverá mudanças biológicas, físicas e químicas que afetarão, mais ou menos, a “mente” inconsciente da pessoa em formação. Por mais normal que seja uma gestação, jamais será isenta de eventos negativos que irão influenciar a vida presente e futura do Ser. Esse, é o nosso “pecado original”. Não queremos afirmar que toda criança se tornará um adulto problemático. Basta que se neutralizem tais “cargas negativas” com uma sadia alimentação e uma boa educação à mãe e ao filho, desde o seu nascimento até a idade adulta. Como este tipo de educação está sendo desprezado e abandonado pelos pais e educadores do mundo inteiro, estamos presenciando um número crescente e assustador de pessoas imaturas, incompetentes e frustradas que geram irresponsabilidade pessoal e social, com a agressividade e violência que estamos vendo na atualidade universal.

O Consciente

Como acabamos de ler, a criança ao nascer tem em sua mente apenas o Inconsciente com a gravação das ocorrências na sua vida pré-natal, ou seja, é a memória uterina. Nesse tempo em que esteve totalmente dependente da fisiologia e do estado psicológico da mãe; o embrião e feto estiveram alheios e isolados (como deveria ter estado) da realidade do Mundo. Entretanto, ao sair do útero, ele vai tomar ciência (conhecer) da realidade física e psicológica desse Mundo, através do tato, da audição, da olfação, do paladar e da visão, que aos poucos vão se descortinando para lhe proporcionar, com a gravação e armazenamento dos fatos reais do Meio em que vai viver, dando-lhe uma nova perspectiva de vida: a sua Consciência...O seu Consciente! Na atualidade, com as dificuldades crescentes de toda ordem, esse início de gravação dos estímulos ambientais, torna-se negativo também, com o acúmulo de estímulos prejudiciais ao futuro da criança e de todos nós, com a gravação negativa causada pelo sofrimento do desconforto físico, pela carência material e psicológica, a sua aceitação ou rejeição pelos pais, o estado de pobreza material, cultural, além do ambiente agressivo ou violento que pode existir em seu meio familiar. Repetindo o que já dissemos, vamos encontrar a criança no início da formação do seu Consciente, que deveria ser sempre forte para neutralizar os impulsos negativos do seu Inconsciente, que vierem a acontecer em toda a sua existência; bem como, saber se comportar diante das investidas dos Conscientes e dos Inconscientes de todas as pessoas que encontrar pela frente. Serão milhões de Conscientes e Inconscientes desestruturados e enfermos que o novo Ser terá que saber (ou não saber) lidar durante a sua vida, de acordo com a competência do seu Consciente! A sobrevivência dele, do Planeta e de todos nós, depende desse seu Consciente e dos outros 7.000.000.000 de Conscientes... por enquanto!

Se os cuidados com a criança forem reconfortantes e positivos por aqueles que a cercam, ela terá um Consciente forte e bem estruturado, graças às gravações de acontecimentos gratificantes, positivos e úteis, com condições de neutralizar as cargas negativas que estiverem gravadas em seu Inconsciente, que ainda a controla quase totalmente. Se o ambiente familiar não for confortador e positivo, aí teremos mais cargas negativas, desta vez captadas também pelo seu Consciente que por não saber ainda lidar com os estímulos negativos e traumatizantes (sofrimentos, decepções, dores, frustrações, etc.), ele vai repassá-los para o Inconsciente, a fim de lá “escondê-los” e “fazer de conta” que eles não mais existem para não sofrer novamente, toda vez que os mesmo lhe venham à memória. São inúmeras e complexas as ligações Conscientes e Inconscientes do neonato com os familiares, parentes e amigos. Ele vai se relacionar com o pai, mãe, irmãos, avós e outras pessoas que possam conviver com a sua família. Imaginemos que todas essas pessoas passaram por uma gestação positiva ou negativa; que têm, também, Conscientes e Inconscientes; que alguns deles possam lhe causar desgosto! Desgosto para o Inconsciente é tudo que impede o seu prazer. Por sua vez, os pais da criança não vão deixá-lo fazer o que ele quer para preservar a sua vida, como por exemplo: brincar com lâminas, com tomadas elétricas, fogo, explosivos e outras coisas perigosas. Mas, ele ainda não tem a capacidade racional (papel do Consciente) plena para analisar as proibições paternas e, então, ficará frustrado. Como a frustração é a origem da agressividade e da violência, a criança ficará agressiva contra aquele (quem quer que seja) que o privou de ter o prazer de brincar (com fogo, eletricidade, etc.). Um irmão que essa criança “destronou” da posição de caçula vai vê-la como causadora do seu “abandono” pelos parentes e amigos da família que agora tem outro “reizinho” para adorar. Assim ele vai considerá-la, inconscientemente, um inimigo que deve destruir a fim de ela voltar a ser o foco anterior das atenções de todos. Neste contexto, cada membro de uma família carregará consigo, gravadas em seu Inconsciente, cargas negativas que irão se projetar sobre os demais familiares. Desta forma, cria-se um clima que consideramos “guerra familiar inconsciente”, onde cada um amando o outro (conscientemente), procurará destruí-lo de forma inconsciente.

A Guerra familiar Inconsciente

Cada pessoa de uma família que ao crescer não neutralizou (resolveu) os seus conflitos inconscientes, herdados da sua vida intra-uterina e da sua infância, continuará inconscientemente (sem perceber) com excesso de cargas negativas , em decorrência de sofrimentos causados por dores, desprazeres, frustrações, etc., gravados em sua mente. Estas cargas negativas tenderão a se projetar na direção do outro em forma de agressividade. O “outro”, para o Inconsciente é qualquer um que com ele conviva; pouco importando se é o pai, a mãe, irmãos, etc. Lembrar que o sentimento de amor se encontra no Consciente e não no Inconsciente que é o representante do “animal” que reside em qualquer um de nós! Para melhor compreender esse nosso“animal”, procure ler : “ Os Dragões da Mente”, publicado e divulgado em diversos sites da Internet. Voltando ao Inconsciente familiar, ressaltamos que a agressividade entre os membros de uma família com seus Conscientes fracos e dominados pelos seus inconscientes negativos, é diretamente proporcional ao que o Inconsciente “pensa” o que o outro lhe causou. “Olho por olho, dente por dente”; esta é a lei do Inconsciente Mental. A família atingida e sob forte pressão e tensão, começa a se desestruturar. Uns ficam irritados, têm insônia, se agridem, ficam impacientes. Outros recebem no corpo as tensões psíquicas que são convertidas em úlceras, hipertensão, dermatites, asma e outros.

Perdurando essa guerra, as tensões se tornam insuportáveis gerando sérios distúrbios mentais ou graves desestruturações biológicas e até o surgimento de tumores benignos e malignos.

Infelizmente, as pessoas envolvidas nessa “guerra” inconsciente, raramente percebem que estão se destruindo. A razão desse desconhecimento é porque, enquanto os seus Inconscientes brigam, os seus Conscientes se amam e se amparam. Famílias cujos membros vivem brigando; nos momentos de dor, sofrimento e luto, demonstram a afetividade e amorosidade que têm em seus Conscientes. O Consciente é quem representa a pessoa; ele é o pai, a mãe, o filho e o irmão; enquanto que os seus Inconscientes são aquela parte animal que mantém a integridade física e biológica do pai, da mãe, do filho e dos irmãos. Daí, podemos afirmar que o termo “culpa” jamais poderá ser empregado ou sentido pelos membros familiares, pois esse processo além de ser biológico não é percebido por nenhum deles.

Nas dezenas de famílias em que pesquisamos esses fatos e cujos sofrimentos físicos e morais nos impressionam, pudemos verificar a deterioração de um ou mais de seus membros. Este desequilíbrio familiar se amplia na Sociedade porque cada pessoa envolvida nessa “guerra” leva os seus conflitos individuais e familiares para os diversos grupos sociais que freqüentam. Transmitem e provocam tensões no ambiente de trabalho, na escola, em festas e em qualquer lugar em que estiverem, principalmente nas ruas, quando se percebe as tensões nos rostos das pessoas. Não é de se espantar que a violência esteja atingindo níveis assustadores. Cada um trazendo a sua carga negativa no Inconsciente e descarregando no próximo a sua amargura, os seus insucessos e a sua frustração; buscando dessa maneira aliviar o sofrimento interno da dinâmica das cargas negativas gravadas em seu Inconsciente. A violência no trânsito é mais um bom exemplo da ação do Inconsciente enfermo. Muitos motoristas, induzidos por suas mentes imaturas ( a imaturidade é a dominância constante do Inconsciente sobre o Consciente) e impulsionados por seus Inconscientes, transformam um dos mais úteis inventos em mais uma arma mortífera que é o carro, nas mãos de condutores de mentes doentias. Dirigindo um veículo veloz e pesado, um imaturo se sente protegido pelo anonimato, pela velocidade e pela ferragem do carro; Comporta-se como poderoso, na proporção inversa da sua frustração, fraqueza, pobreza material e mental. Não nos causa surpresa que eles matem cerca de 50.000 pessoas e deixem mais de 300.000 feridos, nos mais de 350.000 acidentes que provocam nesse mais outro tipo de “guerra” dos Inconscientes negativos.

Os sinais e sintomas de um Inconsciente negativo não são muito difíceis de se perceber; basta que observemos e analisemos no comportamento das pessoas, determinados atos, gestos e maneira de se vestir, etc. O semblante fechado, muitas vezes raivoso que se vê na maioria das pessoas nas ruas; é uma demonstração de Inconscientes frustrados. Frustração fácil de se sentir hoje em dia, quando assimilamos através dos nossos cinco sentidos, acontecimentos que irão nos aborrecer e causar sofrimento como as dificuldades crescentes para se conseguir um emprego, os concursos sempre mais concorridos exigindo mais qualificação dos candidatos, como grau superior, pós-graduação, doutoramento, mestrado, línguas estrangeiras, prática, etc.; frustrando a maioria que não tem cultura. Mais fatos negativos são gravados em nossa Mente, quando sabemos das falcatruas diárias e assaltos constantes aos cofres públicos de muitos políticos e governantes que além de não serem punidos ainda recebem altíssimos salários e comparamos com os nossos ganhos suados e honestos; quando perdemos um ente querido, quando o temor constante de sermos mortos ou roubados pelo crescente número de bandidos, cujos Inconscientes estão repletos de cargas negativas também; quando desejamos ser alguém que invejamos e não somos, quando queremos e cobiçamos algo que não podemos ter; quando vemos os poucos homens honestos, normais e éticos, serem tolhidos,rejeitados,criticados,ironizados e até ameaçados pela maioria que já se tornou aética,desonesta,amoral e imoral; quando vemos as famílias se desmoronarem por rejeitarem e expulsarem Deus de seus lares; quando nos sentimos inseguros, onde quer que estejamos com a ameaça constante da agressão e da violência do outro,etc...etc.

Todos esses temores e fatores estressantes estão sendo levados, através dos nossos sentidos para dentro do cérebro onde serão analisados pela Mente Consciente que, ao verificar que se ficarem nele gravados causará a sua desestruturação, devido a lembrança constante daqueles fatos negativos e para se preservar de um rápido colapso e falência mental e física, ele (o Consciente) afastará as lembranças negativas (nocivas) para o Inconsciente, onde ficarão guardadas de forma eletroquímica. Essas lembranças (carga negativa) despertarão e voltarão a invadir o Consciente ( a consciência), assim que as nossas estruturas cerebrais enfraquecerem pela doença, pela idade e, o que mais comum, quando estivermos ameaçados pelo crescente e irreversível número de Inconscientes negativos, imaturos e desestruturados dos demais Seres Humanos.

Todos esses sinais de transtornos mentais deverão servir de alerta para uma tomada de posição correta, no sentido de minimizarmos os males derivados desses comportamentos negativos, através da mudança na educação dos nossos filhos, na formação de seu caráter, aprimorando a capacidade mental dos seus Conscientes com a gravação de estímulos positivos com boa música, literatura positiva e bons exemplos de dignidade e honradez que os pais deixaram de dar aos seu filhos.

Como já citamos, as funções orgânicas ditas “involuntárias” são controladas pelos neurônios do Inconsciente, como a circulação sanguínea, as atividades renal, hormonal, cardíaca, etc., e as funções “voluntárias” são exercidas sob o comando dos neurônios do Consciente, como os músculos esqueléticos. Todavia, o sistema nervoso é um só, e esses controles podem se alternar. Por exemplo: podemos, com o nosso desejo consciente entrar na área do Inconsciente e controlar algumas de suas funções “involuntárias”. Basta um bom treinamento em introspecção mental e um pouco de conhecimento psicobiológico. O contrário, isto é, o Inconsciente assumir o controle de alguma função do Consciente, acontece quando este é ou está incapaz de nos guiar, como nos estados de fadiga, pânico, susto, embriaguês, desmaio, etc., quando então o sistema inconsciente assume o controle motor a fim de salvaguardar a nossa integridade.

Esta intervenção do Inconsciente na área do Consciente é comum quando estamos preocupados, “sonhando acordado”, com muitos problemas, etc. Como o Consciente está muito atarefado nas soluções dos mesmos, o Inconsciente assume o controle do sistema muscular, podendo dirigir o carro por nós, faz-nos atravessar uma rua movimentada sem que percebamos, etc. Quando isso acontece, ele se sai muito bem nessa tarefa protetora, comprovando ser originariamente um grande aliado. Se o Inconsciente provoca também inúmeros problemas de comportamento, é tão somente devido a sua má formação recebida (cargas negativas) durante o desenvolvimento pessoal. Veremos em seguida como funciona a Mente no nosso cotidiano e suas implicações conflituosas.

Quando os nossos Sentidos, principalmente a Visão, nos fazem tomar conhecimento de algo, por exemplo, de uma pessoa com quem cruzamos na rua, a sua imagem é levada ao conhecimento que a analisará. Caso a imagem coincidir com alguma outra já gravada anteriormente, essa pessoa será reconhecida de forma positiva se ela nos tiver proporcionado algum prazer (carga positiva); ou de forma negativa se ela nos causou algum dissabor. Neste caso, o nosso Inconsciente poderá mobilizar os músculos controlados pelo Consciente para um possível ataque que pode ser uma simples indiferença até uma forte agressão; dependendo do tipo e do nível de cargas negativas ligadas à imagem gravada daquela pessoa.

Podemos cometer injustiças nesse mecanismo de análise, porque na comparação dessas imagens, a pessoa que está sendo vista pode ter os traços fisionômicos apenas parecidos com aquela que gravamos negativamente. Neste caso o Inconsciente pode tomar a pessoa como a causadora de algum sofrimento passado e, aí, agirá contra ela de forma negativa. Isto explica a formação dos preconceitos e de certas pessoas terem antipatia por outras à primeira vista. A imagem de uma pessoa ou de algo que não tenha reminiscência para nós será dissipada pelo Consciente a fim de não sobrecarregar o aparelho mental com gravações neutras. Só serão gravados e arquivados os fatos positivos e/ou negativos; isto para que possamos repetir o que é positivo e saber rejeitar os negativos. Em certas circunstâncias pode um estímulo neutro ser gravado e arquivado, contanto que seja repetitivo; disso é que se aproveitam os profissionais de vendas. Todos os hábitos alimentares nocivos, vícios, supérfluos e produtos prejudiciais são vendidos no mundo inteiro aos imaturos e doentes, graças ao condicionamento pela repetição que as grandes Indústrias utilizam.

Como a repetição é uma boa forma de gravar, explica-se, também, porque as pessoas se tornam mais agressivas quando se habituam a ver agressividade e violência na televisão, no cinema, em revistas, etc. Elas se tornam desonestas pelos muitos exemplos de corrupção vistos diariamente em outros veículos de comunicação. Daí, o perigo a que estamos expostos a tantos estímulos negativos e já nos acostumamos com esses exemplos do MAL. Caso não tomarmos consciência e providências, logo nos primeiros atos negativos, eles passarão, devido à repetição, para o Inconsciente e este se programará negativamente. Se nas primeiras agressões sofridas ou as que assistimos não reagirmos, será difícil a reação, pois nos acostumaremos e nos acomodaremos ao comportamento que agride os nossos direitos; é o que conhecemos como a “Omissão dos BONS”. Podemos usar essa técnica de repetição, também, para gravar eventos positivos no Inconsciente, o que será benéfico para nós. Quando constantemente pensamos ou falamos que estamos bem e que vamos prosperar, esta mensagem será gravada no Inconsciente e este cumprirá o que lhe foi condicionado.

Antes de terminarmos esta exposição, desejamos mostrar algumas implicações do Inconsciente nos fatos diários e nos ditados populares:

-Quem tem Caderneta de Poupança quer sempre receber juros altos, ao mesmo tempo em que não aceita a inflação! Será que os depositantes não estão conscientes de que os juros altos são decorrentes da inflação?

- Traduzindo o ditado “Quem vê cara não vê coração”; quer dizer: “cara” se refere ao Consciente e “coração” ao Inconsciente;

- “Meu santo não combina com o dele”; o que significa dizer que o Inconsciente de quem fala não combina com o Consciente e/ou Inconsciente do outro;

- “Faça o que eu digo e não faça o que eu faço”; neste caso, quem DIZ é o Consciente, e quem FAZ é o Inconsciente;

- “Não dá o braço a torcer”; o “braço” se refere ao Inconsciente que sempre quer ser vitorioso.

Para finalizar, advertimos sobre a formação da mente infantil. Quando falamos que nascemos com cargas negativas ( o “pecado original”), a única solução de evitarmos os males futuros para a pessoa e para todos é a socialização dada pelos pais. Não deve ser como a educação rígida do passado, onde a tensão familiar era constante; nem tampouco pode ser com a permissividade atual, cujos efeitos desastrosos estamos presenciando na violência generalizada. Ambos não neutralizam o excesso de negatividade na Mente da pessoa em formação. Pelo contrário, a educação rígida e a permissiva são reforçadores negativos pelos sofrimentos, decepções e frustrações (cargas negativas) do educando. Desde a sua concepção o Ser Humano deve gravar exemplos positivos e criativos, como ouvir boa música dentro dos limites normais de audição, boa alimentação, ver imagens agradáveis isentas de agressividade,violência,horror,prostituição e outros estímulos degradantes e nocivos.

Os vícios e hábitos negativos são atrativos mórbidos gerados no Inconsciente que, naturalmente, já tem gravada a nossa programação de morte em suas estruturas cerebrais, pelo fato de sermos mortais. O Inconsciente preciso desses subterfúgios para dar vazão às frustrações pelas cargas negativas nele gravadas; enquanto que o Consciente vê e conhece os males causados pelos exemplos de decadência dos outros viciados, mas, por estar fraco, nada pode fazer contra o seu próprio Inconsciente negativo. Daí a razão da dificuldade de se abandonar os hábitos e vícios tão nocivos como o fumo,as drogas e o álcool. Quanto mais falarmos para um desses dependentes sobre os males provocados por esses venenos; mais eles se enraivecem conosco e mais permanecem no vício que os matam. Todos os viciados, dependentes ou que pratiquem algo que põe em risco a sua segurança e a sua vida;estão com a programação de morte ativada em seus Inconscientes. Não nascemos bons e nem maus; vimos ao mundo com um Inconsciente primitivo que deve ser educado e controlado pelo Consciente familiar. A formação da pessoa que nasce, deve ser condicionada pelos pais, educadores e todos os responsáveis pelos destinos da Sociedade Humana, através de estímulos positivos e construtivos de bons exemplos e ensinamentos éticos e morais, para que ela mantenha o domínio e o controle sobre o seu Inconsciente; desta forma equilibrando o mecanismo mental pessoal, e conseqüentemente, a Paz e o Progresso social. Os conflitos humanos internos e externos são decorrentes do desequilíbrio entre o Inconsciente e o Consciente de cada pessoa, causador maior da vitória do MAL sobre o BEM. No caos mental em que vivemos, onde a maioria dos cérebros (7.000.000.000) se encontra com os seus Conscientes e Inconscientes desestruturados e em guerra interna e externa; pouco tempo e espaço restam para os poucos Cérebros Conscientes e que ainda estão estruturados.

A maioria das pessoas, principalmente as mais novas em idade e imaturas, tem uma atração mórbida pelo anormal, pelo horror, pelo sangrento, pela violência e pela agressividade extremada, pelo diferente e anormal. Fala-se muito em “sair da rotina”! Esse sair da rotina nada é mais que sair do normal e natural do Consciente; para entrar na irracionalidade animal do Inconsciente e vivenciar as fantasias das fugas inconseqüentes do comportamento irresponsável, imaturo e nocivo, cada vez mais presente na nossa vida diária. A exploração do comportamento negativo dos bilhões de Inconscientes imaturos em nossos dias é bem notável para quem tem olhos e ouvidos para verem e escutarem. Os negociantes da Imaturidade se aproveitam e muito lucram com tanta deterioração mental reinante. Daí a literatura, filmes, vídeos, televisão, internet, teatro e outros meios de comunicação que tanto exploram essa morbidez inconsciente. Isso é mais uma prova da dominância dos Inconscientes negativos em nossos dias, onde as pessoas estão mais violentas e mais seduzidas pelo horror, pelo anormal e pelo sangue derramado do outro, sem perceberem que cada um é o “outro” do “outro”. O contrário desse descalabro doentio e destruidor do Inconsciente é o Consciente que representa a sabedoria, a inteligência,o belo,o normal e todos os atributos do verdadeiro Homem,que dentro em breve serálembrado apenas em bibliotecas, museus e vestígios arqueológicos.

Caso não se analise e nem se leve a sério o que aqui foi vasta e repetidamente exposto, principalmente os pais, a Imaturidade continuará geometricamente crescente. Imaturidade essa que é o distúrbio em que o Inconsciente negativo predomina, gerando efeitos destruidores para o indivíduo e para todos nós. O maior efeito negativo e nocivo desse conflito e dessa “guerra inconsciente” é a frustração, geradora da agressividade, violência e imaturidade mental que nos torna um dos maiores campeões mundiais da Ignorância, tão bem comprovada nas centenas de assassinatos e tantos outros milhares de crimes diários que os Inconscientes negativos cometem.

                                                                -----------------------------
Belo Horizonte, 06 de janeiro de 2012.

CARLEIAL. Bernardino Mendonça.

Psicólogo-Clínico pela Universidade Católica de Minas Gerais;
Estudante de Direito da Faculdade de Direito Estácio de Sá;
Escritor e Pesquisador nas áreas da Psicobiologia e do Direito.


Publicado por: Carleial. Bernardino Mendonça

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do Brasil Escola, através do canal colaborativo Meu Artigo. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.

DEIXE SEU COMENTÁRIO
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
MeuArtigo Brasil Escola