Topo
pesquisar

Amnésia ou o quê: Renan Calheiros no poder?

Política

No dia 01 de fevereiro de 2013 Renan Calheiros do PMDB, de Alagoas, foi eleito como novo presidente do Senado no lugar de José Sarney.

Na última sexta feira, 01 de fevereiro, Renan Calheiros do PMDB, de Alagoas, foi eleito como novo presidente do Senado no lugar de José Sarney.  Renan que foi denunciado ao Supremo Tribunal Federal (STF) por crimes de corrupção pela Procuradoria Geral da República (PGR) foi eleito com 56 votos no qual 78 senadores participaram da votação. É de se admirar que um homem que já foi acusado por crimes de corrupção, com pagamento de propina, tráfico de influência, lavagem de dinheiro, formação de quadrilha, exploração de prestígio e sonegação fiscal tenha sido eleito para um cargo tão importante.

A crise envolvendo Renan teve início em 25 de maio de 2007 quando a imprensa divulgou a notícia de que ele tinha recebido dinheiro do lobista Cláudio Gontijo, da construtora Mendes Júnior para pagar a pensão, de 12 mil reais por mês, da jornalista Mônica Veloso com quem teve uma filha fora do casamento. Sabe-se que a Mendes Júnior atua no Ministério de Minas e Energia; constrói aeroportos, metrôs, linhas de transmissão de energia e estradas e possui  contratos com a Petrobras para a construção de tubulações e manutenção industrial.

Após as denúncias, foi descoberto que o lobista da Mendes Júnior colocou à disposição de Renan um flat em um dos melhores hotéis de Brasília, o Blue Tree que estava em nome de Cláudio Gontijo. Além disso, o lobista alugou um apartamento no valor de 4.500 reais para Renan e mais, Cláudio Gontijo ajudava nas campanhas de Renan Calheiros e nas de sua família.

Após esse fato, outras denúncias contra Renan Calheiros  surgiram: a compra de rádios em Alagoas, em sociedade com João Lyra, em nome de laranjas; o ganho com tráfico de influência, junto à empresa Schincariol, na compra de uma fábrica de refrigerantes, com recompensa milionária; o uso de notas fiscais frias, em nome de empresas fantasmas, para comprovar seus rendimentos milionários; a montagem de um esquema de desvio de dinheiro público em ministérios comandados pelo PMDB e a montagem de um esquema de espionagem contra senadores da oposição ao governo Lula.

É engraçado ver que com tantas provas de corrupção e falta de ética, mesmo assim Renan Calheiros é eleito o mais novo presidente do Senado. Só se passaram seis anos e parece que as pessoas que o elegeram se esqueceram desse escândalo. Na época Renan dizia que tudo era mentira e que não sabia do que estavam falando sobre ele. Na época, a população brasileira se revoltou.  Fizeram manifestações, até que sob pressão ele decidiu renunciar. Mas, hoje, em fevereiro de 2013, ele volta ao Senado como se nada tivesse acontecido. Como se nada não passasse de uma história fictícia que a imprensa inventou. Mas, ainda bem que não se pode generalizar. Ainda bem que não se pode dizer que todos os brasileiros sofreram amnésia e esqueceram-se do que Renan Calheiros fez e do que ele é. Não, nem todos os brasileiros são esquecidos. Pelo ao contrário, alguns estão bem lembrados de todos esses fatos envolvendo o atual presidente do Senado.

Tanto é que uma iniciativa foi lançada pela internet com o objetivo de cassar  o mandato de Renan. Até agora já se tem  mais de um milhão de assinaturas, mas é preciso  chegar a mais 300 mil para ser apresentada ao Congresso. É preciso atingir 1,3 milhão de assinaturas, o que representa 1% do eleitorado brasileiro. O Brasil que possui 193.946.886 habitantes não deveria ser tão difícil chegar a esse número de assinaturas, mas infelizmente muitas pessoas acham que o Brasil não tem jeito, que o Brasil é assim mesmo. Fora isso, tal iniciativa é muito relevante. Só assim, ela  pode ser apresentada como uma "ação popular" no Senado, que seria obrigado a analisá-la. Essa é a voz do povo. A voz do brasileiro que não aguenta mais corrupção e falta de impunidade para com esses políticos que acham que o povo brasileiro é ignorante.


Publicado por: Mayara da Costa e Silva

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do Brasil Escola, através do canal colaborativo Meu Artigo. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.

DEIXE SEU COMENTÁRIO
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
MeuArtigo Brasil Escola