Topo
pesquisar

Literatura Inglesa Século XIX e XX

Literatura

Conheça um pouco mais sobre Henry James e a Literatura Inglesa do Século XIX e XX.

A primeira guerra mundial (1914-18) é o tema deste período, seguido pela radical experiência artística e a quebra de fronteiras entre a arte, literatura. A música das primeiras décadas do século é o tema do movimento "Modernist Experiment." Entre os principais estéticos inovadores desta época estão o compositor Igor Stravinsky, o cubista Pablo Picasso, e o futurista FT Marinetti. As ondas de energia artística da vanguarda europeia logo atravessaram o Canal Inglês. Houve um grande desafio à Autoridade Europeia com manifestos, poemas, peças de teatro, e outros. Neste período de grande fermentação das artes e da literatura, aparecem as inovações modernistas de poetas e escritores da língua Inglesa.  Outra definição das características do século XX foi o surgimento de novas nações coloniais europeias fora do Estado. Entre essas nações, a Irlanda era a mais antiga das colônias da Grã-Bretanha e nos tempos modernos a primeiro a lutar pela independência. O tópico "Imaginar Irlanda" explora a forma como os escritores irlandeses do vigésimo século criam novas ideias acerca da nação irlandesa.  A poesia, no início do século XX foi caracterizada pelo romantismo convencional desses poetas como John Masefield, Alfred Noyes, e Walter de la Mare e pelas experiências de Hilda Doolittle (HD), Richard Aldington, Herbert Read,e DH Lawrence. O melhor poeta do período foi Yeats, cuja poesia fundia-se com uma visão romântica contemporânea e preocupações estéticas e políticas. Novos escritores como Henry James, HG Wells, e Joseph Conrad expressam o ceticismo e a alienação que são característicos do período pós- Vitoriano.  Igualmente importante foi o romance Ulisses, publicado em 1922, pelo irlandês James Joyce. Embora seus livros tenham sido controversos devido à sua liberdade de linguagem e conteúdo, as revoluções de Joyce, em forma narrativa, o tratamento do tempo, e quase todas as outras técnicas do romance fez dele um mestre a ser estudado, mas não copiado. Embora, na sua forma mais convencional, os romances de DH Lawrence foram igualmente desafiadores da convenção.  Sensibilidade e sutileza psicológica marcam os soberbos romances de Virginia Woolf que, como Dorothy Richardson, experimentou novas formas de narração. Woolf era o centro do brilhante Bloomsbury Grupo, que incluía o novelista EM Forster, o biógrafo Lytton Strachey, e muitos intelectuais ingleses importantes do início do século XX.

Henry James era de origem norte-americana, mas foi naturalizado britânico. Seu pai viajou com a família para a Europa, em 1855, quando Henry tinha 12 anos, e durante três anos percorreram Inglaterra, Suíça e França, visitando museus, bibliotecas e teatros. Seu pai era um homem culto, filósofo, e fazia questão que os filhos recebessem uma ótima educação. Henry começou a carreira de direito em Harvard em 1862. Mais interessado na leitura de Balzac, Hawthorne e George Sand e nas relações com intelectuais como Charles Eliot Norton e William Dean Howels, abandonou o direito para se dedicar à literatura. Seus primeiros textos e críticas apareceram em alguns jornais. A carreira literária de Henry James teve três etapas. A primeira foi na década de 1870, com "Roderick Hudson" (1876), "The American" (1877) e "Daisy Miller" (1879) e culminou com a publicação de "Portrait of a Lady", em 1881, Na segunda etapa, James experimentou diversos temas e formas. De 1885 até 1890, escreveu três novelas de conteúdo político e social, "The Bostonians" (1886), "The Princess Casamassima" (1886) e "The Tragic Muse" (1889), histórias sobre reformadores e revolucionários que revelam a influência da corrente naturalista. Nos anos 1890-1895, chamados "os anos dramáticos", James escreveu sete obras de teatro, das quais duas foram encenadas, com pouco êxito. James voltou à narrativa com "A Morte do Leão" (1894), "The Coxon Fund" (1894), "The Next Time" (1895), "What Maisie Knew" (1897) e "A volta do Parafuso" (1898). As obras "The Beast in the Jungle" (1903), "The Great Good Place" (1900) e "The Jolly Corner" (1909), fazem parte da última etapa do trabalho de James, considerada por muitos críticos como a mais importante, quando o autor explora o complexo funcionamento da consciência humana. George Orwell, pseudônimo de Eric Arthur Blair, nasceu em Bengala no dia 25 de junho de 1903 e morreu em Londres no dia 21 de janeiro de 1950, foi um escritor britânico mais conhecido pelas suas duas obras maiores, Animal Farm (A Revolução dos Bichos) e 1984.

Poucas pessoas, mesmo entre as que lhe eram próximas, conheciam o seu verdadeiro nome, de tal forma o pseudônimo se tornou a sua segunda natureza. Foi agente de polícia no oriente trabalhando em Mianmar e mais tarde juntou-se à luta no POUM (Partido Operário de União Marxista), uma milícia de tendência trotskista contra Francisco Franco e seus aliados Mussolini e Hitler, na Guerra Civil Espanhola. Foi ferido no peito. Uma bala danificou-lhe as cordas vocais, saindo pelas costas, e desde então sua voz ficou ligeiramente alterada. Mais tarde escreveria o livro "Lutando na Espanha", em que relata sua experiência na Guerra Civil Espanhola. Por toda sua vida, foi alvo de boatos e rumores sobre a vida que levava e que encontrava-se tão longe dos padrões da rígida sociedade vitoriana. Com o tempo, seu bissexualismo condenado como crime na época não pode mais ser negado e numa atitude desesperada o escritor abre um processo contra o marquês de Queensberry. Como era de se esperar o caso volta-se contra Wilde que é julgado por homossexualismo e condenado a dois anos de trabalhos forçados prisão Wilde parte para Berneval, Bretanha e troca de nome. Três anos depois morre sozinho em um hotel francês, na miséria. Wilde foi um libertário e um digno contemporâneo de Nietzsche, apesar de nunca tê-lo conhecido. Quando questionado sobre seus “crimes”, retrucou com seu humor ácido e sarcástico dizendo que para ele um crime nunca era algo vulgar, mas que a vulgaridade seria sempre um crime, definindo vulgaridade como o comportamento dos outros: "A moralidade moderna quer que aceitemos as normas da época. Mas que um homem culto aceite as normas de sua época me parece a pior das imoralidades." Era dono de uma forte personalidade e mantinha sempre um ar de natural aristocracia onde quer que fosse. Era um espírito livre que questionava todos os valores vigentes e exaltava a vida como um fenômeno essencialmente sensual onde viver é eternamente auto esculpir-se e auto superar-se. Animal Farm é um romance alegórico, considerado um dos melhores romances da língua inglesa. Major, um velho porco, que está prestes a morrer, reúne os animais da fazenda para compartilhar de um sonho: serem governados por eles próprios, os animais, sem a submissão e exploração do homem.

Para os animais menos inteligentes, os porcos resumiram os mandamentos apenas na máxima "Quatro pernas bom, duas pernas ruim" que passou a ser repetido constantemente pelas ovelhas. Após a primeira invasão dos humanos, na tentativa frustrada de retomar a fazenda, Bola-de-Neve luta bravamente, dedica todo o seu tempo ao aprimoramento da fazenda e da qualidade de vida de todos, mas, mesmo assim, Napoleão o expulsa do território, alegando sérias acusações contra o antigo companheiro. Acusações estas que se prolongam por toda história, mesmo após o desaparecimento de Bola-de-Neve, na tentativa de encobrir algo ou mesmo ter alguma explicação para os animais para catástrofes, criando-se um mito em torno do porco que, a partir daí, é considerado um traidor. Napoleão se apossa da idéia de Bola-de-Neve de construir um moinho de vento para a geração de energia, mesmo havendo feito duras críticas à imaginação do companheiro, e inicia a sua construção. Algum tempo depois, os porcos começam a negociar com os agricultores da região, recusando a existência de uma resolução de não contactar com os humanos, apontando essa idéia como mais uma invenção de Bola-de-Neve. Os porcos passam ainda a viver na antiga casa de Sr. Jones e começam a modificar os mandamentos que estavam na porta do celeiro. Joanne Kathleen Rowling nasceu em 1965 na Inglaterra e cresceu na cidade de Chepstow. J.K. Rowlings deixou sua cidade natal para estudar na Universidade de Exeter (Exeter University), onde graduou em Francês e Línguas Clássicas. Estudou um ano em Paris e depois de sua pós-graduação mudou-se novamente para a Inglaterra e trabalhou para a Anistia Internacional, fazendo pesquisas sobre os direitos humanos e abusos na África.

Começou a escrever a série de Harry Potter durante uma viagem de trem de Manchester à Londres e durante os cinco anos seguintes, escreveu os enredos para cada livro e começou a escrever o primeiro romance. A autora então mudou-se para o norte de Portugal, onde ensinou inglês para estrangeiros. Casou-se em outubro de 1992 e deu a luz a uma menina, Jessica, em 1993. Quando seu casamento terminou, ela retornou ao Reino Unido para morar em Edimburgo, onde terminou de escrever o livro Harry Potter e a Pedra Filosofal e em 1996 recebeu uma oferta de publicação do mesmo.

BLAMIRES, H. A short history of English Literature. London: Routledge, 1984.
GENETTE, Gérard. Structuralisme et critique littéraire, L’Arc, nº 26, 3ª ed. Claude Lévi-Strauss, 1967.
MOURALIS, Bernard. As contra Literaturas: Almedina, Coimbra, 1992.


Publicado por: Ricardo Santos David

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do Brasil Escola, através do canal colaborativo Meu Artigo. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.

DEIXE SEU COMENTÁRIO
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
MeuArtigo Brasil Escola