Topo
pesquisar

Fernando se Foi

Literatura

Saiba como ocorreu a morte de Fernando na década de 1990

Como já falei num conto anterior.

Na década de 1990 era moda você ser ou ter uma gang. Quase todo jovem era obrigado a decidir com qual ia se juntar.

Se ele não fizesse essa escolha, todas as gangs iriam lhe bater. Seria saco de pancadas.

Foi para evitar ser chamado de traidor que Fernando foi pedir desculpas aos seus velhos amigos.

A história começa assim:

Fernando morava de um lado da cidade, e andava com a turma de lá.

Para sua infelicidade seus pais tiveram que viajar para a capital Manaus em busca de emprego no distrito industrial da Zona Franca.

Ele teria que passar uns tempos na casa de seus parentes do outro lado da cidade.

Fernando era novato na turma, tinha apenas 16 anos.

Fernando não queria se mudar, pois tinha medo de ser reconhecido pelos moleques do outro bairro.

Quando se mudou teve uma surpresa, ninguém o conhecia, e ele logo se entrosou com a sua nova turma.

Passou-se um mês e suas novas amizades o convidaram para ir a uma festa.

Ele ficou muito feliz.

Disse: - Eu topo!

Tudo estava bem.

Mas logo as coisas mudaram quando Fernando soube aonde eles iriam.

Era no clube que ele frequentava com sua antiga turma.

Chegando lá seus antigos amigos lhe rodearam, abraçaram e perguntaram por onde ele andava.

Fernando ficou lisonjeado com tanta manifestação de carinho.

Porém, disse a seus velhos amigos que estava morando em outro bairro e tinha uma nova turma.

Fernando disse isso meio sem graça e se retirou.

Seus velhos amigos ficaram perplexos, e fizeram um pacto.

A partir de hoje esse moleque morreu para gente!

Fernando não sabia o estrago que tinha feito em seus velhos amigos.

Agora ele era um garoto odiado, ignorado por todos!

Até as meninas da sua antiga turma o ignoravam.

Fernando começou a sentir-se mal. E decidiu que iria voltar a andar com seus velhos amigos.

Mas, para isso teria que sair da casa de seus parentes e morar com sua irmã recém-casada.

Foi o que ele fez.

No mesmo dia da mudança ele procurou seus velhos amigos.

Todos o ignoraram.

Apenas Ivan, Lory e Angeli o ouviram.

Rafael que estava por perto disse:

- Ei pessoal ninguém fala com traidor.

Fernando ficou com os olhos cheios d’água.

Ivan, Lory e Angeli perdoaram Fernando.

E eles resolveram comemorar o retorno da amizade na beira do rio.

Para isso, compraram duas garrafas de vinho e alguns salgadinhos para tira-gosto.

Foram tomar banho perto da pedra grande.

Um local bem frequentado pelos banhistas.

Os quatros pulavam de cima da pedra e espalhavam a água bem longe.

Era uma espécie de competição.

Depois eles brincavam de manja-pega, brincavam de quem ficava mais tempo sem respirar debaixo d’água, brincavam de guerra de lama e depois descansavam na beira rio.

Assim eles ficaram até o finalzinho da tarde.

Exaustos de tanto brincar e também beber, eles resolverem ir para casa, mas antes teriam que dar o último mergulho.

E foi o que fizeram.

Angeli disse que ia andando, estava com frio.

Ivan e Lory flecharam de cima da pedra. Logo depois Fernando pulou.

Angeli tinha ido embora.

Lory e Ivan pegaram suas roupas e vieram atrás.

Os três se encontraram mais à frente e se olharam fazendo a mesma pergunta.

Cadê o Fernando?

Ivan perguntou:

- Ele não veio com você Angeli?

- Ué, eu pensei que ele estava com vocês, respondeu Angeli.

-Ele deve está de sacanagem com a gente, falou Lory.

Os três amigos resolveram voltar para procurar Fernando.

O céu estava lindo com um pôr-do-sol belíssimo.

Os três gritavam a beira do rio.

Fernandoooo! Aparece irmão!

Chega de brincadeira. Vamos embora!

Eles ficaram ali até anoitecer.

Nesse momento aquele trecho da rua próximo ao rio estava lotado de curiosos. Tinha até polícia e o corpo de bombeiros.

As buscas prosseguiram até as dez horas da noite. Mas foi em vão. Fernando tinha sumido.

A hipótese de morte agora causava desespero nos três amigos.

Seus velhos e novos amigos também apareceram no local. Todos começaram a rezar para que um milagre acontecesse.

Não havia mais rivalidade entre as gangs. Fernando era um cara muito querido por todos!

As duas gangs rivais passaram a madrugada em vigília cantando e bebendo no local onde Fernando tinha desaparecido.

Foi um acontecimento de paz o sumiço dele.

Na manhã seguinte a maioria dos jovens foi para a escola. Outros estavam dormindo e alguns outros trabalhando.

Um pescador tinha achado um corpo na beira do rio a 200m do desaparecimento.

A triste notícia foi dada. O corpo era de Fernando.

À tarde o corpo foi velado e em seguida aconteceu o enterro.

Os jovens choravam e cantavam músicas da Legião Urbana.

O jovem Fernando se foi!

*Geone Angioli é especialista em Literatura Brasileira e professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecologia do Amazonas - Campus/Parintins.


Publicado por: GEONE ANGIOLI FERREIRA

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do Brasil Escola, através do canal colaborativo Meu Artigo. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.

DEIXE SEU COMENTÁRIO
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
MeuArtigo Brasil Escola