Topo
pesquisar

Figuras de Linguagem

Gramática

Recursos que conferem maior expressividade ao ato da comunicação.
Há um fator preponderante ente nós seres humanos, que nos difere dos demais seres. Esta diferença está no poder de usarmos a linguagem para a comunicação.
Através da fala ou da escrita revelamos nossos sentimentos, expomos nossas ideias e, assim, nos interagimos com o meio social em que estamos inseridos.

Quando se trata da linguagem falada ou escrita, ambas possuem características marcantes, ou seja, na fala estão presentes marcas pessoais, como por exemplo: expressão facial (revelando emoções de uma maneira geral), gestos e sinais de entonação, tais como: pausas, supressão de pensamento e outros.
Já na escrita, estes elementos se revelam através de sinais de pontuação, como reticências, ponto final, ponto de interrogação, exclamação, e assim por diante.

Enquanto falantes natos, precisamos saber que quando escrevemos devemos, necessariamente, utilizar a linguagem padrão, aquela prescrita na gramática, obedecendo a normas e regras preestabelecidas. Na linguagem oral há o predomínio do nível mais informal e do coloquialismo.
Agora para falarmos de figuras de linguagem, novamente nos reportamos à questão da norma padrão, todavia, ela também está a desvios. Estes desvios ocorrem por dois motivos: quando o falante os comete por desconhecer “a maneira correta”, configurando assim o erro linguístico.
O outro é quando o falante conhece, no entanto, sua intenção é de dar maior expressividade àquilo que está querendo transmitir. Tal recurso é muito utilizado na linguagem publicitária e na literária.
Dentre as figuras de linguagem estão: As figuras de palavras, de construção e de pensamento.
Vejamos algumas figuras de palavras:

Metáfora
Figura que consiste em usar uma palavra com o significado de outra, tendo em vista que entre elas se estabelece uma relação de semelhança no que representam.
Sua boca é um cadeado e meu corpo é uma fogueira (Chico Buarque).

Comparação
Esta é semelhante à metáfora, porém o que as difere é somente a presença da conjunção comparativa “como”.
Sua boca é como um cadeado e meu corpo é como uma fogueira.

Catacrese
È uma metáfora já desgastada, pois de tão usual, já perdeu a noção do processo metafórico.
Com precisão, enterrou a espada no dorso do touro.
A palavra “enterrar” significa introduzir algo na terra.

Metonímia
Figura que consiste em usar uma palavra com o significado de outra em função de uma relação de causalidade entre o que elas representam:
“Trabalhava ao piano, não só Chopin como ainda os estudos de Czerny”!(Murilo Mendes).

Sinestesia
Consiste na junção de sensações originárias de diferentes órgãos dos sentidos:
Tinha uma pele de pêssego e olhos amendoados.

Publicado por: Vânia Maria do Nascimento Duarte

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do Brasil Escola, através do canal colaborativo Meu Artigo. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.

DEIXE SEU COMENTÁRIO
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
MeuArtigo Brasil Escola