Topo
pesquisar

O USO CONTÍNUO DAS REDES SOCIAIS TEM CONTRIBUÍDO PARA O BOM APRIMORAMENTO DA ESCRITA?

Educação

Como as redes sociais, têm influenciado no desenvolvimento da escrita de seus usuários e como as pessoas têm se comportado, com relação à qualidade da escrita, diante suas conversas e postagens nas redes sociais?

RESUMO

Este trabalho acadêmico apresenta uma síntese sobre um tema muito relevante para a sociedade brasileira, pois saber escrever bem é fundamental para o desenvolvimento cultural de um povo. Foram analisadas falas de alguns autores com objetivo de saber qual a colaboração das redes sociais para o aprimoramento da escrita. Ficou claro que há alguns pontos a serem observados para um justo julgamento sobre a influência das redes sociais no desenvolvimento da escrita e da leitura. Esclarecer as pessoas sobre o quão é importante ser autônomo na busca da aprendizagem é fundamental. Para escrever bem, não depende apenas do uso aleatório dos instrumentos, mas dos objetivos de quem os utilizam. As redes sociais podem estar ao nosso favor, porém temos que ter a postura adequada na utilização desses instrumentos.

PALAVRAS-CHAVE: Escrita, Redes sociais, Comportamento.

INTRODUÇÃO

Podemos perceber o crescente aumento de pessoas que utilizam as redes sociais em nosso país, mas com relação à comunicação escrita, o uso dessas redes sociais tem influenciado, de modo positivo, no desenvolvimento da escrita desses usuários? Este questionamento surgiu durante os estudos das disciplinas do curso Revisão de Texto. Sendo esta uma pesquisa bibliográfica, buscamos em alguns autores, estudiosos da educação, a resposta para esse questionamento.

Temos como principal objetivo compreender como estes instrumentos, que são as redes sociais, têm influenciado no desenvolvimento da escrita de seus usuários. Como objetivos secundários queríamos entender como as pessoas têm se comportado, com relação à qualidade da escrita, diante suas conversas e postagens nas redes sociais e como têm os educadores olhado para esse contexto provindo da utilização dos novos meios de comunicação escrita, especificamente das redes sociais.

Sabemos que não podemos negar a influência das redes sociais na vida de grande parte da população brasileira, e que essas redes sociais fazem parte, de modo relevante, das nossas vidas e que nelas (nas redes sociais) estão um pouco de nossas histórias pessoais e, muitas vezes, profissionais.

Saber ler e escrever, hoje, tornou-se mais importante do que era nos tempos de outrora, pois quase tudo no mundo virtual exige o conhecimento da escrita. Porém muitos mal-entendidos também ocorrem devido o conhecimento insuficiente da escrita.

Expressar-se bem, sempre foi uma vantagem no mundo social. As oportunidades de empregos também são maiores para as pessoas que dominam bem a escrita.

Nas redes sociais, muitas pessoas abreviam palavras e, muitas vezes, cometem erros repetidos sem, no entanto, darem-se conta desses erros. Mas é fato que as redes sociais, que nos são acessíveis pelos diferentes aparelhos eletrônicos que se conectam com a internet, têm exigido que as pessoas escrevam mais, no entanto isso não é, cem por cento, sinal de qualidade de escrita. Esta pesquisa buscou trazer uma visão ampla sobre como está a qualidade da escrita dos usuários dessas redes sociais.

O USO CONTÍNUO DAS REDES SOCIAIS TEM CONTRIBUÍDO PARA O BOM APRIMORAMENTO DA ESCRITA?

A preocupação de alguns educadores com relação à maneira como seus alunos escrevem vem deixando-os preocupados, como afirma Petile e Busse (2014, p.01), vejamos:

Na era das tecnologias, em que a leitura de livros, jornais, revistas e textos científicos, tanto em sala de aula, quanto fora dela, tem se tornado confusa, fastidiosa e muitas vezes desestimulante e que os meios de comunicação avançam de forma intimidante e irrefreável, influenciando o conhecimento e interferindo na construção da linguagem dos alunos, que preferem passar a maior parte do tempo na internet, em redes sociais, a fazer uma atividade que lhes proporcione a ampliação do efetivo conhecimento: a leitura. Na verdade, os “usuários/alunos” não sabem tirar o devido proveito do conteúdo das redes sociais. O fato é extremamente preocupante, já que isto pode conduzi-los às dificuldades no momento de escrever com precisão, clareza e principalmente, correção ortográfica, como é demonstrado cotidianamente.

Podemos compreender nas falas de Petili e Busse que estes colocam sobre os usuários, que são os alunos, a responsabilidade de suas condições não favoráveis quanto ao domínio da escrita. Pois essas autoras não impõem sobre os instrumentos de comunicação, que são as redes sociais, a culpa para a incompetência dos alunos com relação ao uso da escrita. Isso nos leva a refletir sobre a postura dos usuários frente aos instrumentos comunicativos e de interação que são as redes sociais.

Por outro lado, podemos refletir um pouco mais sobre essa afirmativa de Petili e Busse, pois o comportamento dos alunos com relação ao modo de utilizar a escrita nas redes sociais poderia está vinculado a todo um percurso formativo que não os ajudou a compreender a necessidade de buscar manter a diligência de escrever com qualidade em suas postagens e conversas na utilização dos recursos promovidos pelas redes sociais.

Vejamos, a seguir, o que nos diz Manys (p.11):

Ao questionar os professores de qual seria a importância da leitura para o aprimoramento da escrita, ambos, consideram que a leitura tem grande importância para o aprimoramento da escrita, sendo a leitura um ponto primordial para a escrita. Todavia, essa importância da leitura que os professores consideram, acaba ficando somente em seus conceitos, pois ao questionar os alunos se eles lêem em sala de aula, a grande maioria considera que lêem pouco e, alguns afirmam que não lêem na sala de aula. Portanto, se os professores consideram que a leitura é importante para a escrita, eles deveriam em sua prática pedagógica, desenvolver mais momentos de leitura para os alunos.

Podemos entender, na fala de Manys, que é necessário educar as pessoas, os alunos, para a importância do hábito da leitura e da prática da escrita. Sabemos que necessitamos nos exercitar para alcançar boa desenvoltura em qualquer atividade que exija habilidades mais finas. A escrita é uma atividade que pede organização e ação bem sistematizadas. Sabemos que escrever bem, muito além de ser um dom, é fruto da dedicação contínua à leitura e da própria ação de escrever.

Vejamos, nas falas das autoras Santiago e de Paula (p.11), a importância da escola para promoção do desenvolvimento da leitura e escrita:

Considera-se   que a leitura propicia a ampliação de conhecimentos, a obtenção de informações básicas à abertura de novos horizontes para mente, a sistematização do pensamento, além de desenvolver a habilidade da escrita. Neste contexto a escola é o local privilegiado para esse exercício de ensino-aprendizagem da escrita através da leitura, é a partir dela que o educando ganha autonomia para seus próprios vôos.

É explícita, nas falas de Santiago e de Paula, a importância que tem a escola para o desenvolvimento do ser humano em nossa cultura. E que a escola tem a missão de propiciar as pessoas, aos alunos, instrumentos para este fim, o desenvolvimento humano. Não há caminho mais eficiente para ter a cesso ao conhecimento do que a leitura. E para que esse caminho não regrida, a sociedade necessita de novas produções, essas por sua vez serão, em maioria, documentadas através da escrita. Não podemos negar a importância de que venham a existir escolas mais eficazes na capacidade de proporcionar aos seus alunos o bom desenvolvimento da escrita e da leitura. Mas percebemos que mais que impor isso aos alunos esse objetivo será alcançado quando a escola descobrir como seduzir os alunos a terem gosto pela leitura e pala escrita.

Veremos na fala de Santos e Archer (2016,p.05), na citação abaixo, um novo olhar para as redes sociais, essas autoras fazem, de modo crítico, uma leitura ampla dos benefícios das redes sociais para o desenvolvimento intelectual de seus usuários, olhemos:

O leitor midiático, cada vez mais crítico, encontra novos meios de acesso à mesma, visto que a velocidade em que atualmente circulam as informações, por conta das novas tecnologias, é de formação textual e diversidade ultra expansível. Nas redes sociais a leitura passa a ser rápida e cercada de vários “hiperlinks”, que proporcionam a exposição da intertextualidade do leitor e este se vê obrigado a ser crítico, entra em confronto com novos textos e autores de culturas diferentes, pois fronteiras geográficas quase não existem no mundo virtual. Ao ler, o leitor automaticamente expõe suas ideias, sugere novos textos, analisa opiniões diferentes, como uma teia de aprendizado e troca de conhecimento.

Podemos perceber nas falas dessas autoras o dinamismo que as redes sociais proporcionam aos seus usuários, que muitas vezes se utilizarão da leitura para satisfazer suas curiosidades e conhecer conteúdos que lhes são de seus interesses.

Com o acesso mais rápido às informações, os leitores são seduzidos a saber mais sobre os diferentes temas da atualidade e assuntos de seus interesses. Desse modo podemos compreender que as redes sociais podem colaborar positivamente para o desenvolvimento das pessoas, seus usuários, porém isso não significa que resolva totalmente as necessidades dos usuários com relação ao desenvolvimento da escrita, principalmente quando falamos de pessoas que estão em processo de formação escolar básica. Entretanto as redes sociais se apresentam como um instrumento de grande valia para o desenvolvimento da escrita e da leitura.

Diante as citações que foram colocadas neste trabalho acadêmico até esse momento, podemos compreender que as redes sociais podem colaborar positivamente para o desenvolvimento da escrita e da leitura, porém, como já fora colocado anteriormente, percebemos que os usuários necessitam ter consciência da postura atenta à leitura e à escrita que se faz necessária diante essas redes sociais. Pelo fato de ter acesso a um leque de textos de variados assuntos e de poder manifestar através da escrita seus pensamentos, os usuários podem se tornar sujeitos mais autônimos em seus processos de aprendizagem.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Muitas vezes colocamos a culpa de nossos erros nos instrumentos que utilizamos. Neste trabalho acadêmico tivemos a oportunidade de esclarecer aquilo que, para alguns, pode parecer ser óbvio, mas para outros, no entanto, não é tão claro, pois através da reflexão realizadas sobre as colocações de alguns autores pudemos chegar a uma visão mais realista sobre a importância das redes sociais no desenvolvimento da escrita, pois as redes sociais são bons instrumentos para o aprimoramento da escrita, mas que se faz necessário educar as pessoas, os usuários, para que essas utilizem esse instrumento de forma que também possa contribuir para o aprimoramento de suas leituras e escritas.

Enquanto educadores ou educandos, devemos termos consciência sobre o valor que tem a autonomia no processo de aprendizagem. Conscientizar as pessoas e a nós próprios sobre a importância de sermos autônomos no processo de aprendizagem faz um grande diferencial, pois o conhecimento exige iniciativa, investigação e contínua busca para alcançá-lo.

Os educadores escolares precisam compreender que também são responsáveis pela implementação do bom hábito da leitura e da escrita. Esses também devem esclarecer para seus alunos a importância de si comunicar bem, seja através conversação falada ou escrita. Todas as oportunidades de treinarmos nossas escritas devem ser encaradas como um benefício, pois a comunicação escrita de qualidade passa pelo treino continuo de escrever, e de escrever bem.

REFERÊNCIAS

MANYS, Heliton. A importância da leitura para o aprimoramento da escrita no Ensino Médio. Disponível em:   http://www.feati.edu.br/revistaeletronica/downloads/numero8/aImportanciaLeituraAprimoramentoEscritaEnsinoMedio.pdf

PERTILE, Ema Regina; BUSSE, Sanimar. Os desafios da escola pública paranaense na perspectiva do professor, Cadernos PDE, Paraná, 2014. Disponível em: http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/cadernospde/pdebusca/producoes_pde/2014/2014_unioeste_port_artigo_ema_regina_pertile.pdf

SANTIAGO, M. B. R.; PAULA, M. G. P. A importância da participação da gestão escolar no aprimoramento da leitura, escrita e produção textual nas séries iniciais. Disponível em: https://pt.scribd.com/document/57205145/A-Import-an-CIA-Da-Participacao-Da-Gestao-Escolar-No-to-Da-Leitura-Escrita-e-Producao-Textual-Nas-Series-Iniciais

SANTOS, A. M.; ARCHER, C. M. C. Análise sobre o uso das redes sociais como instrumento estratégico nas atividades de leitura e escrita, Revista Intersaberes, 2016. Disponível em: https://www.uninter.com/intersaberes/index.php/revista/article/view/921


Publicado por: Edson Carlos de Sena

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do Brasil Escola, através do canal colaborativo Meu Artigo. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
MeuArtigo Brasil Escola